07 fevereiro 2017

Resenha - Cujo




Título: Cujo
Autor: Stephen King
Cortesia: Companhia das Letras / Selo Suma de Letras
Skoob / Goodreads
Páginas: 376
Onde comprar: Saraiva / Amazon

Frank Dodd está morto e a cidade de Castle Rock pode ficar em paz novamente. O serial-killer que aterrorizou o local por anos agora é apenas uma lenda urbana, usada para assustar criancinhas. Exceto para Tad Trenton, para quem Dodd é tudo, menos uma lenda. O espírito do assassino o observa da porta entreaberta do closet, todas as noites. Você pode me sentir mais perto… cada vez mais perto. Nos limites da cidade, Cujo – um são Bernardo de noventa quilos, que pertence à família Camber – se distrai perseguindo um coelho para dentro de um buraco, onde é mordido por um morcego raivoso. A transformação de Cujo, como ele incorpora o pior pesado de Tad Trenton e de sua mãe e como destrói a vida de todos a sua volta é o que faz deste um dos livros mais assustadores e emocionantes de Stephen King.










Em uma cidade do estado de Maine chamada Castle Rock, existia um monstro chamado Frank Dodd que aterrorizava os habitantes. Por baixo da máscara de um policial honesto e trabalhador, Frank era um serial killer que tinha como vítimas mulheres e crianças, até que um dia fora descoberto e, para o alívio da maioria do povo, cometeu suicídio. Todos acreditavam que a paz finalmente iria reinar, até que cinco anos depois, o monstro retorna novamente. Tad Trenton é um menino de apenas quatro anos que não sabe mais o que é ter um sono tranquilo: todas as noites o monstro do seu closet, que possui olhos vermelhos, lhe sussurra coisas horríveis.


Seus pais, Donna e Vic, não dão muita importância para os medos de Tad, acreditando que o monstro do closet é apenas uma visão distorcida de um ursinho de pelúcia e cobertores que, juntos, acabavam criando uma forma assustadora. Porém, bastava os pais irem embora do quarto de Tad que o monstro retornava novamente para perturbar o seu sono. Donna e Vic, aos olhos das outras pessoas, passam a impressão de serem um casal feliz e estável, mas por trás das aparências, há muitos problemas complicados acontecendo.

Vic, que trabalha numa agência de publicidade com seu melhor amigo Roger, corre o risco de perder o emprego devido a um mal-entendido que levou várias crianças a passarem mal com um alimento que tem forte semelhança com o produto pelo qual os dois ficaram responsabilizados pela propaganda. E Donna, por ocupar o seu tempo apenas cuidando de Tad, acaba se sentindo solitária, triste e com medo de estar envelhecendo, e como forma de esquecer esses sentimentos, comete adultério com uma frequência regular já há algum tempo.

Vic precisa ir em outra cidade com Roger para encontrar uma maneira de resolver o problema do trabalho e não ser demitido. Porém, pouco antes de ir embora, descobre que a esposa estava o traindo e por estar com a cabeça cheia tentando assimilar essa informação e refletindo sobre o que será dos dois no futuro, acaba esquecendo de ajudar Donna a resolver o problema de seu Corcel, que não pega direito. Eles conhecem um bom mecânico chamado Joe Camber, que possui uma oficina fora da cidade e uma família bonita, incluindo o são-bernardo Cujo, um cachorro que apesar de ter 90 kg, é muito manso e nunca fez mal a ninguém.

Donna liga várias vezes para a casa dos Camber, mas por algum motivo ninguém atende. Ela não gosta nem um pouco da ideia de dirigir até lá sozinha, mas como Vic ficará fora por vários dias, eventualmente precisaria do carro para realizar tarefas cotidianas, como fazer compras. Portanto, mesmo se sentindo apreensiva, Donna vai até lá junto com Tad, que deveria ter ficado em casa com uma babá, mas implorou que a mãe o deixasse ir pois não queria ter que lidar com o monstro do seu closet. Só que, ao chegar lá, Donna percebe que não há ninguém em casa e para o seu grande azar, o carro morre bem na frente da casa dos Camber. A única coisa que os esperavam de braços abertos era o Cujo, já em um estado avançado de raiva e sedento por sangue. Mal sabia Tad que o monstro estava fora de sua casa o tempo todo..

“Estava cada vez mais difícil pensar no que iria acontecer em seguida, em sua vida simples de cachorro. Alguma coisa tomara o lugar do instinto.”

Fazia um bom tempo que estava desejando esse livro e quando a Companhia das Letras lançou essa edição linda de capa dura, não pude resistir ao adquirir meu exemplar. Apesar de ter lido poucas obras, já considero Stephen King um dos meus autores preferidos, pois ele consegue nos apresentar os conflitos principais e os personagens de uma forma brilhante, de modo que faz com que o leitor se sinta conectado e preso àquela história. E com Cujo isso não foi diferente: até os personagens mais detestáveis nos fazem sentir tristeza pela maneira que suas vidas terminaram.


Como a maioria dos livros do autor, o início é bastante introdutório e por essa razão, demora um pouco para que a leitura se torne mais fluída. Nessa parte estamos conhecendo os personagens, as famílias e o próprio Cujo antes de ser infectado pelo morcego. Como o leitor ainda precisa se habituar aos dramas familiares e conflitos menores antes de chegar no problema principal, a leitura é um pouco lenta de início e por isso, deve ser realizada com um pouco de paciência, pois após essa etapa o ritmo se torna bem frenético e nos sentimos cada vez mais ansiosos para descobrir a solução da batalha entre Donna e Cujo, ao mesmo tempo em que ela precisa se preocupar com o seu filho Tad, com a fome, sede e o calor intenso.

“Não havia muita circulação em estradas sem saída. Todos os monstros moravam debaixo de pontes, em closets ou no fim de estradas sem saída. Devia ser uma lei universal.”

Por existir vários personagens, a escrita é em terceira pessoa e eu gostei bastante do autor ter mostrado um pouco a visão do Cujo, tanto antes quanto depois de sua transformação. É perceptível que ele sempre fora um bom cachorro e que nunca fez mal a ninguém, e até mesmo quando é afetado pela raiva podemos acompanhar todo o seu sofrimento. Apesar do Cujo agir daquela forma, como uma criatura perigosa que espera ansiosamente por uma chance de morder Donna e Tad, é através de sua perspectiva que o leitor compreende que ele também está sofrendo e isso torna compreensível os seus motivos por tais ações.

A presença do elemento sobrenatural no livro é extremamente sutil; o autor dá essa chance ao leitor de interpretar da maneira que quiser, se existe ou não. Para mim, Cujo não passou de um cachorro com raiva, mas é claro que outras pessoas podem enxergar além e gostei que King tenha deixado essa questão em aberto.

Porém, apesar do sobrenatural quase não existir, devo dizer que nessa história o King usou e abusou do terror psicológico. É simplesmente impossível não se sentir aflito nas cenas em que Donna e Tad estão presos no carro, somando isso ao fato do calor escaldante que estava fazendo e por estarem passando fome e sede. Passa uma forte sensação de claustrofobia, e isso fez com que intensificasse meu desejo de querer ajudar os personagens ou torcer para que finalmente apareça alguém antes que os dois morram de fome ou/e de calor. Além disso, a narrativa vai oscilando enquanto essas cenas ocorrem, nos mostrando o que está acontecendo com a família de Camber e com Vic, nos revelando que forma as ações dos personagens fizeram com que Donna chegasse até ali e como também poderão colaborar para que saiam dessa terrível situação.

A editora caprichou nessa nova versão da obra, a capa ficou sensacional, de modo que a pata em alto relevo conseguiu transmitir com bastante êxito o ar de suspense da história. Há pouquíssimos erros de revisão, eles podem passar despercebidos facilmente pelos olhos do leitor. Além disso, o livro dispõe de um maravilhoso conteúdo extra: uma entrevista feita com o Stephen King em 2006, na qual sabemos melhor da vida do autor, como surgiu a inspiração para suas obras, incluindo Cujo, e também sobre o seu processo de escrita. O recomendo para todos que apreciam histórias de terror/suspense e para os fãs do autor, o livro é um excelente prato cheio!

20 comentários:

  1. Oie!
    Gente, tenho pavor de ler esse livro! Tenho trauma de cachorro assustador, e o Stephen com certeza pode piorar ainda mais meu trauma, hahahhaa. Tenho um livro dele, porém ainda não o li! Pretendo em breve me tornar mais uma admiradora desse escritor <3

    ResponderExcluir
  2. Oi, Amanda!
    Que desenho mais legal ali com o livro! Você que fez?
    Estou bem curiosa com esse livro já faz um tempo. A edição está linda! Adoro livros em capa dura. ^^
    Muito legal ter a visão também do cachorro e ver seu sofrimento pelo que está fazendo com os outros. Acho que quando eu ler o livro vou ficar tão angustiada quanto você na cena de Donna e Tad dentro do carro.
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  3. Eu adorei sua resenha. Não pelo fato de apresentar a história com bons detalhes, porque já a li em várias resenhas, mas por descrever seus sentimentos e suas expectativas durante a leitura. Dá para notar que o autor (sendo o mestre que é) conseguiu produzir um enredo capaz de provocar tensão e dúvidas no leitor... Não é possível saber se os personagens sobreviverão, do mesmo modo que não dá para sentir "raiva" de Cujo... tadinho. Espero conhecer essa obra e essa edição maravilhosa!

    Beijos!
    http://www.myqueenside.com.br

    ResponderExcluir
  4. King sendo King! Ele é o cara. Não tem nem o que comentar sobre os livros dele. Sempre são perfeitos, envolventes, com personagens únicos e com uma dose certa de tensão despertando na gente os mais variados sentimentos.

    Bjos
    www.causoseprosas.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oie!
    Nossa, só de imaginar os dois presos no carro, já comecei a ficar nervosa.
    Acredta que ainda não li nenhum dos livros do Stephen King? Sério, ainda não li nenhum dos livros dele.
    Vou anotar essa dica.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  6. Oiii!!!
    Não conhecia esse livro ainda. Confesso que, não gosto de ler livros de terror, sou bem medrosa para isso rs. Esse livro tem todos os elementos que me fazer ter medo: situações sobrenaturais e terror psicológico. Só de saber que mãe e filho ficaram presos dentro de um carro por falta de opções de fuga, me deixa angustiada kkkk. Vou indicar esse livro para amigos com certeza, parece ser um excelente livro de terror.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá,

    Os livros do autor sempre me parecem ser interessante, apesar de ainda não ter lido nenhuma das obras. Apesar de gostar de terror, fiquei receosa ao ler que o autor abusou do terror psicológico. Realmente a capa está divina e dá para ver o capricho que a editora teve. Adorei a resenha!

    http://www.virandoamor.com

    ResponderExcluir
  8. Essa edição está linda! Com capa dura então. É mais digno ainda de estar na estante, hahaha.
    Eu particularmente gosto mais de um thriller psicológico do que um sobrenatural, dependendo da narrativa, frita os nervos de tanta ansiedade, e o fato dos dois ficarem nessa posição, só evidencia isso.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  9. Oie! Tudo bem?

    Já li tanta resenha sobre esse livro, que tenho que cuidar se não estou comentando no mesmo post, então pensa quantas resenhas já li.
    Acho a proposta do livro muito boa e diferente, principalmente por se tratar de um cachorro com pensamentos e um São Bernardo ainda, mas não sei se começaria a ler algo do Tio King por ele, eu ficaria com uma visão bem diferente da raça do cachorro e não quero isso!
    Por isso por enquanto passo a dica, mas quero essa edição que é linda <3
    Bjss

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem? Essa edição tá maravilhosa e todas as resenhas que li sobre o livro são tão positivas quanto a sua. Eu decidi ler mais terror esse ano e já coloquei um monte de livros do Stephen King na lista (óbvio!) e Cujo também é um livro que venho desejando bastante, principalmente por ter essa pegada forte de terror psicológico. Sua resenha tá ótima, beijos.

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Nunca li nada do Stephen, acredita? Mas essa história é muito famosa e tenho muita curiosidade em conferir, principalmente porque sabemos o que está se passando na cabeça do cão, uma coisa bem diferente do que estamos acostumados. Adorei a sua resenha!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Sou apaixonada pelo King e não tinha tido contato com essa obra e uau já quero! Adoro como ele consegue mesclar o sobrenatural com o terror psicológico,e deixar o leitor de boca aberta. Essa edição está um luxo e fiquei louca pela história e pela capa.
    Beijos,Lari.
    Segredosdeumacerejeira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Olá,

    Estou totalmente ansiosa para fazer a leitura desse livro, comprei na Amazon e estou aguardando chegar e ler sua resenha agora me deixou ainda mais empolgada. Fiquei curiosa por essas cenas de terror psicológico, o qual eu sempre aprecio em um enredo. Cujo também parece ser igualmente aterrorizante e ele espreitando fora do carro, deve causar um clima muito grande de tensão. Adorei saber que são várias histórias interligadas nessa obra e como adoro o King, tenho certeza que esse livro será para mim um prato cheio.

    Abraços,
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  14. Oii, tudo bem?
    Eu adoro livros que contam historia sobre Serial killers, acho que tudo se torna muito emocionante. Por outro lado, evito ao maximo aqueles que envolvem fantasmas rsrs. Mas eu gostei muito da premissa do livro e da sua resenha, e pretendo da uma chance sim. A edição está lindíssima, tenho certeza que a editora caprichou.

    ResponderExcluir
  15. Olá, como vai?
    Assim como você senti falta de um sobrenatural mais aparente no livro. Mas o terror psicológico trazido por King me prendeu do inicio ao fim do enredo, fora que essa diagramação da editora na edição, realmente está linda e perfeita. Fora que eu sempre me encanto pela escrita do autor, ele consegue nos fazer viajar por um terror que nos prende do inicio ao fim.

    ResponderExcluir
  16. Oi, Amanda!
    Eu ainda não li nada do King, mas tenho muita vontade de ler os livros dele, que parece ser sempre cheios de suspense, e criatividade.
    Não queria estar na situação da Donna, não deve ser nada fácil. Gostei de saber que o autor também nos presenteia com a visão de Cujo, isso deve com certeza tornar a leitura mais envolvente e diferente do esperado.

    Beijos!
    Eli - Leitura Entre Amigas
    http://www.leituraentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Oi, amanda, adorei a sua resenha e embora talvez eu não fosse tão paciente com essa parte lenta na introdução, fiquei com muita vontade de ler, principalmente quando você menciona que King usou muito o terror psicológico aqui, gosto desse tipo de livro. Também achei bem interessante isso do sobrenatural ficar para a nossa imaginação e de certa forma até crenças, penso eu, e eu fiquei super interessada em acompanhar essa entrevista do king, no final do livro.

    ResponderExcluir
  18. Na primeira resenha que li de cujo, achei que o fantasma possuía o cachorro xD meeesmo sabendo que foi mordido pelo morcego. Talvez seja influencia dos dois ou sei lá.

    Li muitas obras do Stephen King e ele é um dos meus autores favoritos. Foi a razão de muitos pesadelos que tive XD Mas cujo ainda não tive chance de ler e achei a capa tão incrivel quanto você!

    Abraços!
    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  19. Olá!

    Bem, eu nunca li nada do autor, uma vergonha eu sei, mas nesse ano pretendo ler alguma coisa dele.
    Confesso que fiquei um pouco apavorada com os seus comentários, pois livros assim sempre ficam na minha cabeça por mais tempo que deveriam. Acho que vou começar com o King por uma trama mais leve, se é que existe isso em relação a ele. Hahaha Obrigada pela dica.

    Ingrid Cristina
    Plataforma 9¾

    ResponderExcluir
  20. Olá Amanda,

    Estou namorando esse livro da livraria a muito tempo, eu sou apaixonada por tudo que o King escreve, e apesar de o início dos livros serem extremamente descritivos, a maioria das vezes isso faz toda a diferença para que nos consigamos nos envolver com os personagens. Amei sua dica...

    Beijos e obrigada pela resenha...

    http://floraliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir