16 maio 2016

Resenha - A Rainha Vermelha



O mundo de Mare Barrow é dividido pelo sangue: vermelho ou prateado. Mare e sua família são vermelhos: plebeus, humildes, destinados a servir uma elite prateada cujos poderes sobrenaturais os tornam quase deuses.
Mare rouba o que pode para ajudar sua família a sobreviver e não tem esperanças de escapar do vilarejo miserável onde mora. Entretanto, numa reviravolta do destino, ela consegue um emprego no palácio real, onde, em frente ao rei e a toda a nobreza, descobre que tem um poder misterioso Mas como isso seria possível, se seu sangue é vermelho?
Em meio às intrigas dos nobres prateados, as ações da garota vão desencadear uma dança violenta e fatal, que colocará príncipe contra príncipe - e Mare contra seu próprio coração.




Livro: A Rainha Vermelha
422 páginas || Skoob || Cortesia: Editora Seguinte || Onde comprar







Mare Barrow não se importa muito em ser ladra, diferente de sua irmã mais nova ela não tem talento para os bordados e nunca conseguiu alguém que lhe tornasse aprendiz, e um vermelho sem trabalho só tem um destino, o exército, e tudo bem, ela já aceitou que daqui uns meses não estará mais com a família, e provavelmente não volte para casa nunca mais, mas enquanto isso ela quer fazer o possível para ser lembrada e ajudar, e se é roubando ela o fará.

O que Mare não contava era com Kilorn, seu melhor amigo, perdesse o emprego e que tivesse uma semana para se preparar para ir para a guerra, Mare entra em pânico, nunca que ele sobreviverá a batalha, eles precisam fazer algo, precisam fugir, sem serem pegos e mortos, e ela conhece alguém que pode lhe vender uma fuga segura, entretanto o valor pedido é absurdo e de repente tudo está de cabeça para baixo, no desespero de se conseguir o dinheiro para fugir e no terror causado por um ataque terrorista de vermelho contra os prateados, a sociedade enlouquece e sua irmãzinha tem os dedos quebrados como punição...agora todos estão em apuros e Mare só quer sumir, porque a culpa foi dela, mesmo que indiretamente.

Mas tudo muda quando ela encontra um jovem no meio da noite que lhe oferece uma mudança de vida, um trabalho no palácio, e por mais que ela não tenha a graça de sua irmã e nem saiba o que houve para que ela acabasse ali, uma coisa é certa, ela não vai desperdiçar a oportunidade de ajudar seus pais, mas Mare não estava preparada para o que veria, os prateados estão numa disputa privada de poder para saber que menina nobre é a mais poderosa para ganhar a mão do príncipe, e olha que surpresa quando ela olha para seu soberano e percebe que ele é o rapaz da outra noite!!!

Contudo o pior mesmo é que em meio ao choque dessa descoberta e ao maravilhamento temeroso do tamanho poder dos prateados, ela não percebe que está se colocando em perigo e nem nota que a eletricidade parece estalar ao seu redor, assim quando uma criada vermelha, que não deveria ter uma grama de poder em seu sangue, cai na arena certa de que irá morrer, e na verdade dá um show de poderes nunca antes visto, Mare é jogada em meio a um jogo de intrigas e poder e romances e revoltas que ela não consegue compreender totalmente, mas uma coisa é certa, ela não vai ficar parada.

Entende mesmo príncipe? Entende como é ser arrancada de tudo o que ama, forçada a ser outra pessoa? Mentir a cada minuto de cada dia pelo resto da vida? Saber que há algo errado com você?


O que dizer desse livro brilhante? Bom, claro que me lembra várias distopias, me lembra A Seleção, A Joia, Divergente entre outros, pois como vocês já devem ter percebido, toda distopia tem um fundo semelhante, mas de alguma forma esse livro conseguiu ser inovador e encantador e nos trouxe personagens complexos e dinâmicos que mexem com você!

O livro já me deixou intrigada com a divisão da sociedade, pessoas com sangue vermelho, humanos normais e trabalhadores que sustentam o país no trabalho pesado, pessoas com sangue prateado, humanos com poderes causados por uma mutação genética que controlam o país por sua suposta superioridade, intrigante não? Mais intrigante ainda é ver como Victoria sustentou muito bem sua teoria cientificamente.

E Mare já me ganhou nas primeiras páginas com suas mãos ágeis, adoro uma protagonista ladra, não me julguem, e ao longo das páginas ela só se provou uma ótima garota, ela é forte, decidida, disposta a fazer sacrifícios e ainda sim honesta consigo mesma, e adorei como ela foi se desenvolvendo ao longo da trama, passando do maravilhamento para a compreensão mas ainda sim sem deixar de admitir o quanto seu inimigo é grandioso.

- Para mim, o rei era a única pessoa a ter esse luxo.
Cal nega com a cabeça e me lança um olhar desamparado.
- Quem dera isso fosse verdade.
(...)
- Um rei deve conhecer seu povo. É por isso que saio às escondidas - ele cochicha. - Faço o mesmo na capital e na frente de batalha. Gosto de saber como o reino está ao vivo, e não pelas palavras de diplomatas e conselheiros. É o que um bom rei faria.


Adorei os príncipes, eles formam um dupla e tanto e só posso dizer que fiquei de queixo caído com o final... gente que final foi esse? E nunca que esperava esse rumo e isso foi outro ponto positivo para a autora, é demais quando você se perde dentro do personagem a ponto de se chocar tanto quanto ele com a reviravolta e eu fiquei chocada.

Mas também entendi, adorei como ela trabalhou a questão da inferioridade, é comum nos sentirmos menores do que realmente somos, crer que merecemos menos do que merecemos, duvidar de nossas capacidades, se somos criados assim, é fácil pensar nessas coisas, e amei como a autora explorou esse lado frágil do amor familiar, esse lado que pode nos colocar lá em cima ou no fundo do poço e mostrou o quão profunda podem ser essas garras.


E a rebelião... nossa, é igual mas ao mesmo tempo completamente diferente de tudo o que já vi, cada livro do gênero trata sua rebelião de uma forma e devo dizer que estou curiosa para ver como que ela vai resolver esses dramas e desvendar esses segredos, afinal ela nos mostrou que governar um país cheio de desigualdades não é simples, mesmo que você saiba que ela exista, mesmo que você queira mudar as coisas não se dão num passe de mágica e o rei não tem poder absoluto, como vemos tão bem em GoT, o Jogo dos tronos não é nada simples e nem mesmo pouco cruel, centenas, milhares morrem em nome de um ideal que nem mesmo sabemos se vai se concretizar.

Também estou ansiosa para ver como exatamente esse romance vai se desenvolver depois de tudo o que houve, porque galerinha, a Mare é de deixar os boys no chão. Com muito estilo, amei.


Muitos fatores levaram a este dia, para todos nós. Um filho esquecido, uma mãe vingativa, um irmão com uma longa sombra, uma mutação estranha. Juntos escreveram uma tragédia.

20 comentários:

  1. Oi Agatha, eu adoro esse livro, por isso sou suspeita ao falar sobre ele. Dos que eu li da série ele é ainda meu preferido. A Mare tem muito estilo mesmo, ela é uma ótima protagonista. O final é mesmo uma loucura heim? Sobre a divisão da sociedade, ela é mesmo bem desenvolvida nessa trama.
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  2. Eu li o livro e ele é bem dinâmico, mas os recortes nele camuflados me deixou com a impressão que a autora só queria vender. Não teve nada de tão especial mas gostei dos príncipes, não consegui ser enganada em momento algum da trama, mas eu espero que o segundo seja mais original.

    Adorei ver seu ponto de vista. :)

    www.primeiras-impressoes.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Agatha, eu não curto muito livros desse gênero mas esse está me despertando um grande interesse. Escuto tantos comentários positivos que cada vez eu fico mais interessada. Eu adorei a sua resenha, super sincera e objetiva, gostei da maneira como você falou da história.

    ResponderExcluir
  4. Oi Agatha, estou bem animada para ler este livro e resenhas como a sua me deixam ainda mais entusiasmada. Fiquei curiosa quanto ao poder misterioso da Mare e como tudo se desenvolverá nisso. Espero apreciar tanto quanto você!
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi Agatha, tudo bem?
    Já li várias resenhas sobre Rainha Vermelha e a cada uma que leio minha certeza de que essa é uma leitura maravilhosa só aumenta.
    Amo distopias, é um dos meus gêneros favoritos, por isso tenho muito interesse nesse livro.
    Fico feliz que a leitura tenha sido tão boa e que o livro tenha te surpreendido no final.
    Adoro livros onde as protagonistas são fortes e destemidas então eu com certeza vou amar essa leitura.

    Beijos :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  6. Oi Agatha, fico feliz que tenha gostado desse livro! Menian eu também amei toda a sociedade criada por Victoria e achei esse livro eletrizante. Simplesmente não conseguia parar de ler. E o desfecho? Quem esperaria aquilo de Maveen?
    Prepare o coração que Espada de Vidro promete fortes emoções.
    BJ

    ResponderExcluir
  7. Oie!
    Eu li esse livro e adorei a trama. A autora criou uma trama bem envolvente, e mesmo que tenho um pouco de tudo que já vimos em outro livro, já dá para notar a narrativa dela. E ainda que esse é o primeiro, o segundo é ainda melhor! Espero que goste do próximo.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  8. Oi Agatha,
    também amei a leitura desse livro, tem de tudo um pouco, até peguei os contos pra ler e embora tenha me dado super bem com o da rainha, empaquei no cicatrizes de aço e por isso não consegui ler espada de vidro ainda, mas agora que você com sua resenha me lembrou toda a euforia que senti lendo o livro, vou fazer um esforcinho para continuar a leitura por aqui.

    Abçs
    Nosso Mundo Literário

    ResponderExcluir
  9. Eu estava muito ansiosa pra ler esse livro, com tanta gente falando tão bem.
    Quando comecei a ler, não achei nada demais até a metade do livro, mas depois me surpreendi muito, principalmente com o final!
    A autora escreveu um livro incrível, e apesar de muitas pessoas compararem com outras obras de distopia, é uma trama única. E, gente, é distopia, não tem como não comparar.
    Mas eu gostei e to louca pra ler a continuação!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  10. Oi!!!
    Estou louca para ler A Rainha Vermelha! Gostei de saber que a autora cresceu ainda mais nesse livro e criou uma narrativa envolvente e eletrizante. Engraçado que também enxergo uma reunião de várias distopias, mas sem copiar nenhuma delas!
    Não vejo a hora de conferir esse livro.
    Adorei a dica.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  11. Oiii!!

    Eu li esse livro no final do ano passado e foi uma leitura OK. Não gostei muuuito da obra, achei que foi uma mistura de diversas obras distópicas em uma só, e o numero de informações, me incomodou um pouco. Mas acho que só foi comigo, a sua resenha está linda!!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  12. Olá!

    Eu amo as capas dessa série, são lindas demais!
    Mas além das capas, eu não gosto muito de distopias, e precisa chamar muito minha atenção para eu ler. Confesso que estou quase lá com essa! Não tinha cogitado muito ler, mas muita gente ama, e vejo que vc tb! Inclusive o chamou de brilhante! Com sua resenha bem completinha, ainda que essa coisa toda de divisões sociais, bem clássico de distopias, não seja o meu forte! A curiosidade ta vencendo rs

    Bjus
    Blog Fundo Falso

    ResponderExcluir
  13. Esse livro é incrível.
    Eu adorei ele do começo ao fim, claro que tem sim muitos aspéctos de outras séries, mas nossa senhora, como a autora soube enganar a gente tão bem né, aquele final foi bombástico e jogou meu mundo todo no chão, principalmente com a rebelião.
    Estou louca pra ler o próximo dessa série

    ResponderExcluir
  14. Oi, Agatha! Ainda não li, mas quero muito conferir A Rainha Vermelha. Bom saber que a autora conseguiu inovar na trama, mesmo que o gênero da distopia esteja tão em alta. Fiquei bem curiosa pra conhecer a divisão da sociedade, entre vermelhos e prateados. Pra mim, essa sempre é a parte mais interessante. Eu gosto muito de livros assim pelo cunho político e pelas críticas que apresentam. Com certeza darei uma chance. Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Olha, eu sou doida na capa desse livro. Cheguei a pegar várias vezes nas mãos em livrarias, mas acabava deixando pra lá. Uma coisa que me desanimou um pouco a leitura foi ser uma série, ando tão enrolada que estou evitando ler livros que não são standalones. Um coisa que me chamou a atenção, pro lado negativo, foi você ressaltar sobre um romance. Hum, não gosto de romances, e ultimamente tenho a impressão que todos os livros acabam indo pra esse lado. Mas enfim, sou chata mesmo.

    ;D
    Nelmaliana Oliveira

    ResponderExcluir
  16. Ooi

    Comecei ontem a ler A Rainha Vermelha, ainda estou na parte em que Kilorn perde seu emprego. Parece ser ótimooo, estou bem no comecinho mas já estou amando.
    É bem perceptível mesmo essa semelhança com outras distopias, principalmente com A seleção. Mas não me importo com isso, desde que seja uma semelhança de alg bom, está ótimo.
    Espero gostar assim como você gostou. haha

    Beijoos
    http://estantemineira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Oi, tudo bem?
    Eu nunca tinha lido uma resenha sobre esse livro e fiquei realmente muito animada com todos seus comentários. Confesso que não costumo ler esse gênero, mas fiquei curiosa com a premissa desse livro, é bem interessante a forma como a sociedade foi dividida e fico imaginando como a autora explica isso. Enfim, é um livro que parece ser ótimo mesmo, por isso vou marcar a dica.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  18. Oi!
    Eu também gostei muito desse livro! Todas as distopias tem um fundo semelhante e essa não fugiu do que eu esperava, mesmo assim me encantou pela escrita da autora e pela construção de alguns personagens, que me surpreenderam demais! Goste muito da sua resenha :)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  19. Oi Agatha, sabe que eu nunca senti vontade de ler esse livro? seilá mas nunca me chamou a atenção, e até eu que não curto muito distopias. Mas fico feliz em ver que você está gostando e que recomenda, espero um dia ter uma chance de ler e quem sabe eu mudo minha opinião, né?

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  20. Oiiiii

    Ao contrario de você odiei esse primeiro livro. Achei uma bela mistura de vários livros que tinha lido. Mas sou brasileiro e não desisto nunca e li Espada de Vidro, e somente nesse enxerguei todo potencial que a estória tem a oferecer. A estória evolui bastante e a autora concerta de certa forma todas as pontas soltas de A Rainha Vermelha.

    http://rillismo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir