03 maio 2016

Resenha - A Escola do Bem e do Mal





No povoado de Gavaldon, a cada quatro anos, dois adolescentes somem misteriosamente há mais de dois séculos. Os pais trancam e protegem seus filhos, apavorados com o possível sequestro, que acontece segundo uma antiga lenda: os jovens desaparecidos são levados para a Escola do Bem e do Mal, onde estudam para se tornar os heróis e os vilões das histórias.
Sophie torce para ser uma das escolhidas e admitida na Escola do Bem. Com seu vestido cor-de-rosa e sapatos de cristal, ela sonha em se tornar uma princesa. Sua melhor amiga, Agatha, porém, não se conforma como uma cidade inteira pode acreditar em tanta baboseira. Ela é o oposto da amiga, que, mesmo assim, é a única que a entende. O destino, no entanto, prega uma peça nas duas, que iniciam uma aventura que dará pistas sobre quem elas realmente são.
Este best-seller é o primeiro livro de uma trilogia que mostra uma jornada épica em um mundo novo e deslumbrante, no qual a única saída para fugir das lendas sobre contos de fadas e histórias encantadas é viver intensamente uma delas.


Livro: A Escola do Bem e do Mal
352 páginas || Skoob || Editora: Gutenberg || Onde Comprar








Em uma pequena vila chamada Gavaldon, a cada quatro anos duas crianças são desaparecidas. Corre o boato de que são raptadas pelo Diretor da Escola, que as levam para a Escola do Bem e do Mal onde os alunos do Bem aprendem a ser príncipes e princesas enquanto os alunos do Mal aprendem a ser bruxos e vilões. Após o desaparecimento elas nunca mais retornavam a Gavaldon, exceto pelas figuras das histórias de contos de fadas que apareciam magicamente na livraria da aldeia e seus rostos eram imediatamente reconhecidos.

A temida noite se aproxima e os aldeões se preparam para evitar que seus filhos sejam raptados colocando tábuas nas portas e janelas, e passam a obrigar os filhos bons a praticarem maldade enquanto os filhos ruins esbanjam gentileza pelas ruas. As crianças estão aterrorizadas e tendo inúmeros pesadelos, exceto Sophie que sonha com o seu tão desejado conto de fadas.


Sophie acredita estar preparada para a Escola do Bem: está sempre cuidando da pele, doando produtos de beleza para a Igreja e acreditando estar fazendo uma boa ação ao sorrir para as pessoas consideradas esquisitas. Já Agatha, sua amiga, é uma menina que as pessoas evitam ficar perto a qualquer custo pois ela apenas se veste de preto, mora perto do cemitério, é rude com as pessoas e detesta sair de casa. As duas meninas não têm nada em comum, a não ser pelo fato de estarem destinadas a ir para a Escola do Bem e do Mal juntas.

Sophie é a típica menina loira bonita que deseja se tornar uma princesa, ganhar o coração de um príncipe e finalmente obter o seu “felizes para sempre”. Ela acredita não ter nada a perder ao ir embora, afinal de contas, sua mãe está morta e seu pai aparenta estar mais interessado numa mulher viúva do que na própria filha. A única pessoa que faz parte do seu convívio é Agatha, uma morena de cabelos curtos que se vê totalmente deslocada em qualquer lugar, de maneira que Sophie passa a visitá-la em sua casa todos os dias.

Quando o Diretor da Escola sequestra as meninas, espera-se que Sophie vá para a Escola do Bem e Agatha para a Escola do Mal, mas ocorre algum engano e as duas acabam parando em escolas erradas. Sophie vê seu sonho de conseguir o seu conto de fadas indo por água abaixo enquanto Agatha começa a acreditar que ambas correm um grande perigo e precisam encontrar uma forma de voltar para casa o mais rápido possível. O que ela não esperava é que Sophie não pretende desistir de seu sonho tão cedo.


“Enquanto inalava o cheiro de cemitério da escola, Agatha sentiu seu sangue correr nas veias. Assim como era para todos os vilões, a morte não a assustava. Fazia com que se sentisse viva.”

Eu amei essa troca que ocorreu entre as meninas pois foi algo totalmente inesperado, tanto para elas quanto pelos alunos e professores de ambas as escolas. Hoje em dia muitas pessoas julgam outras apenas pelo que veem e o autor nos mostra que a aparência não quer dizer tudo e não determina se uma pessoa é boa ou má. Outra coisa que ele também demonstra é que as pessoas não são boas ou ruins em sua totalidade, fazendo com que o leitor em alguns momentos sinta afeição pelos vilões da mesma forma que pode nutrir um sentimento de repulsa pelos príncipes e princesas. Ou seja, ao nos envolvermos com a história não há como escolher um lado só.

“Os alunos da Escola do Bem e do Mal achavam que magia significava feitiços. Agatha, porém, tinha descoberto algo mais poderoso em um sorriso.”

Os personagens secundários são incríveis, mas gostaria que o autor tivesse destacado melhor o Diretor da Escola, que merecia ser mais explorado. Suas aparições na história são mínimas e do começo ao fim sua personalidade muda tão bruscamente que nem parece ser o mesmo personagem, o que acabou se tornando algo forçado. O Diretor desenvolve um papel muito importante na trama, portanto, acredito que poderia ter sido esclarecido algumas questões sobre ele.


O autor descreve a ambientação das duas escolas de uma forma tão magnífica que é impossível não se imaginar sendo um aluno daquele mundo mágico. As cenas do livro que mais me encantaram se passam em salas de aulas, onde Sophie aprende maldições, feitiços e a desenvolver seus talentos especiais e Agatha aprende a se comunicar com animais, a realizar boas ações e a se embelezar.

Apesar de elas não conseguirem se adaptar à primeira vista, acabam chamando a atenção das pessoas ao redor ao revelarem grandes potenciais que nem sabiam existir.

“Se tudo o que podiam fazer era sorrir, manter a postura ereta e falar com esquilos, então que escolha tinham além de esperar que um garoto viesse salvá-las?”

O relacionamento entre as meninas ao decorrer da história sofre constantes mudanças, demonstrando muita instabilidade. Em um momento são amigas totalmente confidentes, revelam segredos uma para a outra e se ajudam para alcançar seus objetivos. Em outro são inimigas mortais, acaba nascendo um ódio tão intenso entre elas que nos faz pensarmos que a amizade que existia foi extinguida completamente, sem chance nenhuma de restauração. No entanto, as coisas não são assim tão simples, encontrei-me sentindo um misto de emoções em relação a essas personagens, desde ternura e carinho até raiva e confusão. Conforme as Escolas vão pouco a pouco modificando a essência das meninas, é inevitável seguir a mesma linha de pensamento; havia momentos que eu torcia para as duas darem certo e havia outros que não sabia mais porque continuavam insistindo e essa imprevisibilidade colaborou para que a história se tornasse cada vez mais envolvente

A editora realizou um bom trabalho, encontrei pouquíssimos erros de revisão que podem passar despercebidos. A capa é tão linda que compete com o conteúdo da história e há ilustrações nos capítulos que nos permitem visualizarmos alguns personagens e alguns aspectos das escolas. A narrativa é em terceira pessoa e se intercala nas visões de Agatha e Sophie, nos mostrando seus pensamentos, emoções, sonhos e medos. O livro é muito envolvente e para quem gosta de releituras de conto de fadas é um prato cheio! Recomendo fortemente!

17 comentários:

  1. Oi Amanda, tenho muita curiosidade em ler esse livro, desde o dia em que soube do seu lançamento. Acho essa capa linda! Sua resenha me motivou ainda mais a querer ler a obra, ainda mais porque é um gênero que eu curto. Ah, fiquei bem curiosa sobre a ambientação e a relação das meninas diante das mudanças e instabilidades.
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  2. Menina, à princípio pela sinopse eu não me interessei muito pelo livro, já tinha o visto antes e nem dei muita bola pra ele. Mas agora que li a sua resenha eu vi que estava enganada. É um livro que parece ser muito interessante e essa troca entre elas também me deixou surpresa. Quero muito ler e conferir tudo direitinho.

    ResponderExcluir
  3. Oi Amanda, ainda não conhecia o livro e fiquei bem curiosa quanto ao que você disse sobre a amizade ser intensa em um momento e depois, isso virar uma rivalidade profunda também. Não costumo ler muita coisa neste gênero, mas anotei essa dica porque me deu a impressão que vou apreciar.
    Meu Amor Pelos Livros
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Amei a resenha, achei bem legal essa troca e não vejo a hora de ler esse livro, já tenho ele, mas quero ter o segundo antes de começar a ler.
    Eu amei essa capa, é linda <3

    ResponderExcluir
  5. Oi, Amanda! Tudo bem?
    Que capa mais linda! Gosto muito de contos de fadas e essa relação de que os personagens não são apenas bons ou ruins é algo que ultimamente tem sido mostrado muito nas histórias, e que eu realmente adoro! Pela sua resenha, também fiquei com a sensação de que o diretor da escola deveria ter certa importância na história e achei uma pena que ele tenha sido tão pouco explorado, já que parecia ser um personagem tão interessante. Mas também penso que talvez por se tratar de um trilogia ainda possa ter a chance dele aparecer nos livros posteriores. Não conhecia o livro antes de ler a sua resenha, mas fiquei muito interessada em ler. Beijos! ^-^

    ResponderExcluir
  6. Oi Amanda,
    não conhecia o livro, mas já estou aqui apaixonada pela arte da capa, infelizmente é só... O livro não pertence a um gênero que eu curta e mesmo ele tendo sido uma leitura tão positiva pra você e me chamado a atenção em alguns pontos, não trata-se de uma obra que eu correria para ler. Parabéns pela resenha, está muito bem desenvolvia e atraente.

    Abçs
    Sou bibliófila

    ResponderExcluir
  7. Oi, Amanda.

    Eu tenho esse livro e o segundo. Estava doida para ler, agora lendo sua resenha estou muito ansiosa e curiosa para conhecer a ambientação e as escolas. Eu amo o gênero e tenho certeza que vou gostar da trama. A arte da capa é linda e fico feliz de você não ter encontrado erros relevantes.

    Beijos!
    www.anebee.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oiee Amanda ^^
    Confesso que tinha vontade de ler esse livro por conta da capa dele...haha' quase o comprei há alguns dias, mas decidi esperar o terceiro ser lançado primeiro, vai que a história é tão incrível, né? Imagino que a troca das meninas tenha sido um choque para ambas, estou curiosa para ver como elas vão lidar com isso.
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  9. Oie, amanda, eu não conhecia esse livro mas acabou de ir para a minha lista de desejados. Adorei essa troca entre as meninas e espero que elas aprendam muito com isso. Também adorei a premissa de uma escola do bem e uma do mal e os personagens vão para os livros. Muito criativo o enredo. parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
  10. Amanda lindona estou com esse livro e não vejo a hora de ler, adoro essa capa. a premissa em si é bem interessante com essa troca, quero muito acompanhar todas as reações a essa troca que deve gerar insatisfações e surpresas ao mesmo tempo. Vou correr para ler em breve. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  11. oI Amanda, a capa desse livro por si só já é bem impressionante. Assim como você achei a capa muito linda. Eu adoro uma boa fantasia e o enredo desse livro chamou muito minha atenção. Ainda mais por trazer questionamentos entre o bem e o mal, eu sempre acreditei que o bem e o mal são conceitos complexos e que todos nós temos os dois lados. Acho que o que faz despertar um ou o outro são as coisas que vivenciamos diariamente. O importante é saber equilibrar os lados! Com toda a certeza lerei esse livro.
    bjs

    ResponderExcluir
  12. Oi
    Confesso que pela sinopse e capa não tinha me interessado muito, mas depois de ler sua resenha mudei completamente de opinião.
    Adoro esse lance de contos de fadas, mas o meu receio é que é mais de um livro.
    Mesmo assim, adorei a dica.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  13. Olá Amanda,
    Já vi várias vezes esse livro, mas não tinha certeza sobre o que falava.
    Que ideia GENIAL as meninas terem trocado de escola. Entretanto, fico me questionando se o Diretor da Escola não fez o certo, pois Sophia não me parece totalmente boa, ela não me convenceu.
    Enfim, preciso ler esse livro, pois acho que vou amar, como você amou!
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  14. Nossa, que livro diferente. Imaginei que elas realmente seriam sequestradas mas não trocadas. Mas olha que quando alguém é colocado em um lugar diferente ela se adapta naquele lugar mesmo que não seja o que ela é, imagino que o livro seja assim. E a capa é perfeita e linda demais. Eu ia adorar ler uma história assim, o ruim de trilogias é ficar esperando pelos próximos livros ou até ter medo de não ter continuação.

    Beijos,

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.amigasemulheres.com

    ResponderExcluir
  15. OIii!

    Menina, lembro que li quando lançou esse livro e eu comprei mesmo por causa da capa que é maravilhosa! Achei que o enredo seria mais do mesmo mas me surpreendi tanto ao ler o livro que não sei falar.
    Achei que o autor foi ousado e muito inteligente ao criar um enredo totalmente diferente. Os personagens me ganharam e eu tô louca para ler o segundo livro e espero que ele tenha mantido a beleza dessa obra.
    AMEI sua resenha!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  16. Eu adorei a Sophie sem nem ter lido o livro kkkkkk...
    Bem a história já tem naturalmente um clima de misterio no começo pelo que percebi, me parece prender o leitor.A troca das meninas torna a história ainda mais interessante..
    A capa do livro esta maravilhosa, definitivamente eu leria já pela sinopse e pela capa. Essa história deve ter sido um desafio para o autor Espero ter a oportunidade de ler logo ahahha..
    bjs.
    seforasilva.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Oi *--*

    Acho que essa é a primeira resenha que vejo sobre o livro e sempre tive curiosidade em saber mais sobre ele. Meio contraditória a relação que as meninas tem. Fica naquele da amor e ódio. Fiquei bem curiosa pra saber como se desenrola os acontecimentos. Adorei a resenha Camila está maravilhoso viu.

    Bjos
    http://rillismo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir