10 maio 2016

Resenha - Desejo Proibido






Primeiro livro de uma trilogia, Desejo Proibido é uma história de amor e redenção, de universos distantes que se aproximam e se fundem numa paixão avassaladora. Seu amor é proibido, mas não pode ser ignorado. Katherine Lane nasceu em berço de ouro. Filha e neta de senadores, a bela ruiva de olhos verdes e curvas perfeitas se formou em Literatura e surpreendeu a todos ao decidir dar aulas em uma penitenciária. Mas quando Carter, um detento inteligente e perigosamente sexy, desperta ao mesmo tempo a raiva e o desejo de Kat, ela é forçada a admitir para si mesma que a decisão de lhe dar aulas particulares pode ter sido motivada não pela generosidade, mas sim, pela crescente atração entre os dois. Embora a família e os amigos de Kat temam que a paixão destrua sua carreira e sua vida, tudo o que ela quer é ficar com esse homem que a faz sentir-se completa. Porém, Carter guarda um segredo que tanto pode unir seus destinos para sempre quanto afastá-los de uma vez por todas.



Livro: Desejo Proibido
416 páginas || Skoob || Editora: Arqueiro || Onde Comprar








Quando Katherine Lane tinha apenas 9 anos, sofreu um trauma ao presenciar a morte de seu pai e desde então, pesadelos consomem todas as suas noites. Aos 25 anos, ela busca encontrar a paz quando decide dar aulas de literatura inglesa no presídio Arthur Kill, acreditando que estaria cumprindo a promessa que fez ao pai no dia da sua morte, de fazer diferença na vida das pessoas. No entanto, seus amigos e sua mãe não creem que ela tenha feito uma boa escolha.

Ela está feliz com essa decisão ao perceber que os presos estão evoluindo no processo de aprendizagem e mesmo sua mãe não lhe dando apoio, com sua teimosia ninguém é capaz de desviar o seu objetivo de mudar a vida dessas pessoas. Eva, sua mãe, é totalmente contra isso pois acredita que sua filha está cometendo um erro ao estar tão próxima dos presidiários, associando-os com os mesmos bandidos que tiraram a vida de seu marido dezesseis anos atrás. Isso acaba gerando um conflito, causando um distanciamento cada vez maior entre elas.

Wesley Carter está preso há dezenove meses por posse de cocaína e ainda lhe faltam quinze para cumprir a pena, mas recebe a chance de conseguir a condicional se cursar alguma disciplina. Ele começa a participar das aulas de Kat, mas seu comportamento agressivo acaba se manifestando ao causar intrigas com um dos presos e o diretor do presídio tira dele a chance de ter a liberdade antecipada. Ainda que Kat esteja ciente de que não se dá bem com Carter, quando ela descobre o motivo de ele entrar nas suas aulas, acaba se comovendo com a sua situação e decide lhe dar aulas particulares, sabendo que seu comportamento instável acaba afetando as outras pessoas e, portanto, está convencida de que saberá lidar com ele se estiverem sozinhos.


“Ele tinha pensado em beijá-la e agora queria... O quê? Abraçá-la? Sim, ele queria abraçá-la e, fala sério, ele não abraçava as mulheres. Aquilo era íntimo demais; mas era evidente que ela se encaixaria perfeitamente sob o braço dele.”

Conforme ocorrem as aulas, o relacionamento entre eles começa a se desenvolver. Graças à ajuda de Kat, Carter consegue a liberdade condicional com a condição de que frequente as aulas particulares uma vez por semana. Como esses encontros que ocorrem fora do presídio, sem guardas e câmeras, a atração entre eles se torna cada vez mais inevitável. E é incrível perceber a cada encontro o amadurecimento dos personagens. No começo, há somente o desejo sexual entre eles, fazendo com que os pesadelos de Kat tenham um fim e sejam trocados por sonhos eróticos. Mas ao se aproximarem e terem acesso aos detalhes da vida um do outro, percebe-se que há muito mais ali do que um simples relacionamento entre aluno e tutora que vai além de apenas querer satisfazer as necessidades sexuais.

“Era erótico, apaixonado, nu, de dentro da alma - que em geral teria apavorado Carter. Mas não agora. Não com aquela mulher em seus braços. Ao lado de Kat, ele poderia conquistar o mundo.”

Algo que apreciei muito nesse livro é que ele não se trata apenas de um romance comum, no qual os personagens vivem fazendo joguinhos com obstáculos tão superficiais. A autora nos mostra claramente as dificuldades reais dos relacionamentos e é possível identificá-las no cotidiano. É doloroso perceber que o Carter precisa saber lidar com o preconceito da sociedade o tempo todo, e não é nada fácil quando isso vem das pessoas que ele mais se importa. Durante a vida inteira ele não recebeu nenhum tipo de amor de verdade e quando Kat muda essa realidade, acaba nutrindo o desejo de fazer os outros compreenderem que a ficha criminal não resume sua vida e não tem relação nenhuma com seu futuro.

No decorrer do livro, pude perceber uma mudança brusca na personalidade de Carter. Inicialmente vemos um cara arrogante e machista com um comportamento agressivo, e por ter essas características, eu logo de cara detestei o personagem e até cheguei a considerar que não conseguiria continuar com a leitura. Felizmente não demora muito para que ele se transforme em praticamente um príncipe, começando a pedir desculpas pelos erros que cometeu e a pensar mais no bem-estar de outra pessoa do que em si mesmo. Foi como se o aparecimento de Kat em sua vida destruísse a máscara de arrogância que ele usava ao longo dos anos.

“Ele a beijou de forma intensa, inspirando a onda de vida que emanava de seus lábios, capturando o calor e a cor que ela havia trazido à sua vida miseravelmente cinza.”

A narrativa é em terceira pessoa e algo que me incomodou bastante foi que o ponto de vista dos personagens muda de maneira repentina, o que às vezes me deixava confusa, portanto, levou um certo tempo para que eu me acostumasse com o estilo da escrita. A autora se focou somente no relacionamento entre Kat e Carter, o que acabou deixando alguns personagens secundários de lado que mereciam mais destaque, mas ainda assim foi uma boa leitura. Recomendo!

17 comentários:

  1. Oi Amanda, eu já li esse livro e adorei, inclusive terminei até o segundo recentemente. Uma coisa que também me incomodou um pouco foi a narrativa em terceira pessoa nesse caso. Também fiquei confusa em alguns momentos, por isso entendo muito bem o que você quis dizer. E também acho que outros personagens mereciam mais destaque. Mas de qualquer maneira, acho uma leitura bem válida para quem curte romances.
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  2. Acredito que esse livro faz o meu tipo literário então quero dá uma chance a ele. Fiquei confusa quando você falou da narrativa, eu particularmente prefiro os livros narrados em terceira pessoa, pois dão uma maior abrangência aos personagens e sentimentos e não tornando-se uma narrativa mais unilateral. talvez a autora tenha derrapado em algo e por isso você se incomodou.
    =/

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Oi Amanda, como vai? Eu também vi um problema as narrativas serem mudadas de forma repentina, isso tira toda a lógica da narração e muitas vezes tive que ler duas vezes para identificar quem estava falando. Mas gostei muito do livro e amei a sua resenha. Beijos!!
    http://oreinoencantadodeumaleitora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi, Amanda.

    Eu estou doida pra ler esse livro, visto que eu vejo muitas pessoas falarem bem dele. Eu já o tenho aqui, agora só me falta oportunidade e tempo pra ler rssss Que bom que o personagem muda no decorrer da história e assim o leitor fica mais contente tanto que se ele continuasse do jeito que era vc ia largar o livro rsss Apesar de algumas coisas não ter te agradado, vejo que você curtiu a leitura.
    Espero ler em breve!

    Beijos,
    www.anebee.com.br

    ResponderExcluir
  5. Sou louca para ler esse livro. Acho essa história muito interessante e pelos comentários que escuto das minhas amigas que já leram, o livro é maravilhoso. Concordo com vocÊ sobre a mudança repentina do ponto de vista, acho que deveria ter algo avisando porque isso me deixa confusa também.

    ResponderExcluir
  6. Oi Amanda,
    estou com esse livro aqui e pretendo lê-lo em breve, amei ler sua resenha e hoje e saber que a trama é densa e aborda temas relevantes, gosto bastante dessa evolução que os livros do gênero vem sofrendo, o conteúdo tem ficado mais rico e interessante a cada publicação, espero poder conferir essa história anda nesse semestre.

    Abçs
    Sou bibliófila

    ResponderExcluir
  7. Oi Amanda!
    Estou louca para ler esse livro. Há tempos não via um casal com tanta química, mesmo diante das dificuldades, como você me fez acreditar através da resenha. Sem falar que como está longe de ser um romance água com açúcar, me dá ainda mais vontade.
    Adorei a dica. Espero ler em breve.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  8. Oi Amanda!
    Acho bem plausível o distanciamento da mãe de kat com ela pois deve ser bem difícil entender o porquê da sua filha estar dando aulas em um presidiário mesmo sabendo que lá só tem criminosos. Ainda mais pelo trágico fim que o pai dela teve!
    Enfim eu acho que se a pessoa está presa é porque alguma coisa ela fez para merecer tão punição...sei que todos merecem uma segunda chance BA vida. Mas eu fico meio com o pé atrás!
    Como o foco do livro é totalmente voltado para o romance no momento vou dispensar a leitura.
    Quem sabe mais para frente?!
    Bj

    ResponderExcluir
  9. Oi, mesmo gostando da sua resenha, não leria o livro, já que remete a muitos livros do mesmo gênero e muitos romances de banca que já li, e já estou saturada desse tipo de leitura, por isso, deixo passar a dica.
    bjus

    ResponderExcluir
  10. Ola Amanda eu li esse livro e amei, a autora nos presentou com personagens diferentes que no decorrer da trama cresceram muito e amadureceram, amei Carter e Kat um casal que juntos cresceram como pessoas, adoro essa capa. Pena que a leitura não foi tão proveitosa para você. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  11. Oiee Amanda ^^
    Eu amei esse livro! Estou doida para ler o segundo. Não achei que a autora focou só nos protagonistas, achei que ela deu um destaque para o Max também, que é o protagonista do segundo livro (e que está no topo da minha listinha de desejados ♥). É doloroso ver tudo o que a Cat e o Carter sofreram, né? quando eu comecei a ler esse livro, não imaginei que os personagens seriam tão sofridos, mais uma coisa que me surpreendeu.
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oi *-*

    Pra ser bem sincero com você estou cansado de ler livros do genero. Sério, parece que são todos iguais com personagens quebrados que a mocinha tenta consertar. Adoro um bom romance mas as coisas que você apontou me deixou um tanto quanto desanimado e ser me terceira pessoa é estranho e peculiar para o genero =/ Quem sabe num outro momento passa até curtir.

    Everton equipe Rillismo

    ResponderExcluir
  13. OI, Amanda
    Gosto bastante do gênero e quando temos personagens que passam por dramas, e como você citou, não ficam cheio de joguinhos. Mas acho importante trabalhar os personagens secundários também. Uma pena que isso não aconteceu muito.
    Uma pena também que a narrativa não tenha te agradado totalmente.
    Ainda pretendo ler o livro um dia e gostei de saber sua opinião.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oi!
    Eu pulei algumas partes pois estou com ele aqui do lado pra ler esse mês, e quero ser surpreendida.
    Essa série é uma das que minha amiga mais gosta, e que me indicou para comprar, adoro um romance e todo esse cenário diferente do livro com certeza é algo que já ganhou alguns pontinhos comigo

    ResponderExcluir
  15. Oi Amanda, tudo bem?

    Logo quando o livro foi lançado, eu não senti muita vontade de ler, mas depois de ler algumas resenhas, o interesse foi aumentando. Gostei dos personagens, acho que nunca li algum livro que o protagonista tenha sido prisioneiro, e gostei da autora mostrar essa realidade, e o preconceito que ele enfrenta mesmo depois de cumprir a pena... o que é algo que vemos direto, essa tentativa de se reinserir na sociedade. Também gostei desse ideal da Kat, de querer mudar as vidas das pessoas.

    Gostei de saber que o relacionamento deles vai amadurecendo com o tempo, não aquele tipo de romance instantâneo, que os personagens se conhecem em um dia e que no momento seguinte já estão trocando juras de amor eterno.

    Quanto a mudança de ponto de vista repentino, as vezes é bem chato, e eu mesma me sentiria perdida... mas acho que isso é uma questão que com o passar da história nos acostumamos... mas mesmo assim, acho que poderia ter uma indicação.

    Enfim, espero um dia poder ler o livro.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima || Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  16. Oi Amanda
    Nós temos a mesma nota pra essa leitura, porém o que me incomodou nela não foi as mudanças de ponto de vista, porque eu acho que estou acostumada e sim a mudança de personalidade dos personagens, pois achei que não só o Cárter mudou repentinamente e sim os dois e junto com eles o relacionamento deles que passou de algo mais adulto pra um romance adolescente, acabei a leitura meio que desanimada até. Nem sei se lerei a sequência.


    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Estou bem interessada nessa trilogia! E fiquei ainda mais curiosa depois da sua resenha, por ressaltar que a autora dá problemas reais aos personagens, problemas com os quais eles têm que lidar. Quero conhecer esse casal, e ver o amadurecimento deles... amo isso! Adorei sua resenha!!!
    Beijo

    ResponderExcluir