03 maio 2016

Especial - Conhecendo os Autores... [12]



Oi gente! Como vocês estão? Hoje vou apresentar para vocês uma escritora super fofa e carismática que tenho no face e conheci pessoalmente em um evento. Está prestes a lançar seu primeiro livro solo ( será sábado agora dia 07/05/2016) e com muita coisa para nos contar eu a convidei para participar da nossa coluna. Hoje vamos conhecer a autora Carolina Mancini!



Carolina adotou o sobrenome Mancini em homenagem à avó, com quem passava grande parte de seus dias durante a infância. Apaixonada pela arte, é professora, formada em Teatro, ilustradora e escritora, tem textos publicados em antologias de contos e poesias, e seus desenhos podem ser vistos em capas e internas de livros de fantasia e infanto-juvenil. Também participou por três anos com artes e histórias quinzenais para o site Quotidianos, de literatura fantástica, e escreveu a história juvenil O Mirante do Tempo, para o folhetim do Jornal de Brusque. Vive com seu marido, livros, muita música e arte.








Dias de Chuva
Se neste mundo existissem bruxas e feiticeiras, se existissem criaturas das trevas, matis e visajes e estivessem todos escondidos entre os prédios, na miséria e nos nossos sonhos, as escolhas seriam tão diferentes do que conhecemos?
Esta é uma história sobre humanidade, sobre caminhos e destino. Sobre busca e abandono. Sobre encontrar e perder-se. Sobre plantar e colher.
Dias de Chuva é uma história de fantasia no mundo contemporâneo, e começa quando um rapaz misterioso e um tanto soturno, escolhe uma menina pobre e sua família quase desfeita e desesperada, para ajudar com um pouco de conforto e esperança. A vida de todos muda e progride, enquanto a apenas a garota pareceperceber que há algo de muito errado que envolve o rapaz. Com o tempo, Júlia, a garotinha, cresce e descobre seus próprios segredos e mistérios, até que precisa enfrentar seu maior e mais poderoso rival.

********


BOOKTRAILER




********



ENTREVISTANDO * CAROLINA MANCINI *




1- Nos conte um pouco sobre quem é Carolina Mancini?

Bom, acho que primeiro devo dizer que meu sobrenome não é Mancini. Esse nome era da minha avó. Eu passava boa parte dos dias de minha infância com ela e, certo dia, ela se queixou que nenhum dos filhos e netos havia ganhado o seu sobrenome, então, durante a faculdade de Artes Cênicas, decidi adotá-lo como nome artístico. Eu nasci em fevereiro de 1987, na cidade de São Paulo, onde vivo até hoje. Tive uma vida meio complicada, pois devido a problemas de formação óssea e erros cirúrgicos no fêmur esquerdo, passei anos de cama, estudando em casa, sem poder sair. Acho que a paixão por desenhar e criar histórias veio dai, pois ficava muito tempo ociosa, e precisava ocupar minha mente. Hoje sou professora, e divido o tempo entre escrever e desenhar.



2- Nos conte um pouco sobre o seu livro “Dias de Chuva” e o que os leitores podem esperar dele?

O Dias de Chuva começou como um conto, que na época, eu planejava lançar dentro de uma coletânea com outras histórias sobrenaturais, com um ar bem sombrio e gótico. No entanto, depois de passar pelos leitores beta Alfer Medeiros e Marcelo Amado – que hoje é meu editor -, achei que a ideia dessa antologia estava ultrapassada antes mesmo de ficar pronta. No entanto, o Marcelo me disse que essa história, se bem trabalhada, daria um romance. E agora ele está pronto.

Nele eu conto a história da Júlia, uma garotinha pobre, que tem uma família desestruturada como tantas que existem em nosso país, quando deles se aproxima um estrangeiro, Audrick, que passa a ajudar essa família a crescer (e sobreviver), mas coisas estranhas relativas a ele acontecem e, aparentemente, apenas a Júlia percebe. Junto com ele, temos o Vânia Rachmanninoff, tio desse estrangeiro, e os personagens Miriam e Dimitri, que darão seu toque a trama. Apesar de se encaixar em literatura fantástica, com direito a seres misteriosos, acredito que essa história fala mesmo de humanidade. Sobre as escolhas certas e erradas que fazemos ao longo da vida e que nos levam a viver à extremos nunca imaginados, e como essas escolhas pesam sobre nós. Acredito que também é uma história sobre amor, de todas as formas, e, talvez, abra uma discussão sobre o que de fato é amor e até onde uma paixão vale a pena ser vivida se, como consequência, ela torna seus dias mais difíceis.



3- Quais suas expectativas com o lançamento do livro?

Eu tento não pensar muito nisso (rs). Estou esperando em grande parte, amigos e familiares, que me veem escrevendo e desenhando a tantos anos, e agora querem estar comigo, o que já é motivo de muita alegria. Espero que tenhamos um ambiente familiar, alternativo e esquisito (como acho que sempre fui ou tentei ser), e por isso escolhi a Ugra Press, uma livraria que já é parceira da Editora Estronho, e apoia a produção independente e a contracultura. Mas a verdade, é que a ansiedade é bem maior sobre o que as pessoas vão achar e sentir enquanto estiverem lendo.




4- Qual a sensação de ver seu primeiro livro solo publicado?

É uma sensação incomparável! É a realização de um sonho, mas também de um trabalho muito penoso. A gente escreve e reescreve tantas vezes que passa a ter uma relação de amor e ódio com o texto (rs). No entanto, a felicidade de finalmente ter conseguido é o que mais conta agora. E a gratidão, claro, pois sem o apoio dos amigos, dos leitores betas, da editora e do marido (acho que a pessoa que mais sofreu nesse processo rs), nada seria possível. Então é isso, felicidade e gratidão.

Junto a certeza que vem muito trabalho pela frente, para que a história alcance o maior número de leitores possível.



5- Quais seus projetos e sonhos como escritora?

Eu entrei nisso um pouco sem querer. Gostava muito de escrever poesias e textos “góticos” na adolescência, e quando me dei conta, estava colocando no papel as histórias que criava na minha mente. Hoje, eu espero sempre poder escrever de maneira a emocionar e tocar mais e mais as pessoas. Tenho um outro projeto solo já iniciado, mas que será bem diferente do Dias de Chuva. É algo muito mais fora do comum, inclusive a estrutura da narrativa, com inspirações de teatro do absurdo e principalmente dos textos do Samuel Beckett.

Acho que meu sonho é não desistir. É muito mais um caminho do que um lugar onde chegar. Quero estar em movimento, escrevendo, publicando e sendo linda, mas sempre contanto as histórias que eu acredito serem importantes, que toquem as pessoas, e que mudem ou as façam refletir sobre algum ponto de vista, nem que seja por apenas um segundo, um suspiro...


6- Você tem algum ritual ou mania na hora de escrever?

Isso depende. Certa vez ouvi ou li “escreva com vinho, revise com café.”. Eu tenho preferência por escrever pela manhã, para ser a primeira atividade do dia. Mas já escrevi de madrugada, ou já passei um dia todo em frente ao computador, com ou sem música, trabalhando até ficar dolorida (rs). Então o ritual depende do momento da história que precisa ser escrito. Se é algo que depende da inspiração, eu simplesmente deixo fluir, e escolho a melodia que mais se encaixa. Agora, quando é necessário resolver algo da narrativa, prefiro o silêncio e o bom café mesmo.


7- Se você fosse um personagem do seu livro qual seria e porque?

Apesar de muita gente dizer que eu pareço a Júlia (o rosto), eu acredito que o Audrick tem muito do que eu já fui (metódico, estrategista, frio). Mas se eu pudesse escolher, eu queria ter os poderes e sabedoria da Miriam. Mas SER realmente, não queria ser nenhum. Eles têm vidas muito sofridas e fizeram muitas bobagens também rs.


8- Quais seus livros e escritores favoritos? Sua escrita tem influência em algum deles?

Quando eu pirei nessa coisa de escrever, foi lendo um livro chamado “Como era verde o meu vale”, do autor Richard Lleweldyn. Havia uma cena fantástica, quando ele descreve os trabalhadores das minas subindo uma rua cantando, e enquanto o sol sumia no horizonte, as luzes das casas se acendiam como pétalas de flores laranjas (ou algo assim). Eu fiquei tão encantada com essa possibilidade de criar imagens com palavras e poesia, que comecei a pensar se, um dia, eu teria essa capacidade. Eu não tenho um autor preferido. Claro que guardo as paixões por alguns, como Goethe, Agatha Christie, Poe e Augusto dos Anjos. Por outro lado, devido a formação em teatro, sofro de amores também por Gorki, Beckett e Brecht. Então, não posso dizer que sou diretamente influenciada. Acho que todo esse repertório foi semeado junto ao longo dos anos, e quando preciso, colho de seus frutos de um modo intuitivo.


9- De quais antologias você já participou? Teve alguma em especial que mais gostou?

Participei de antologias de poesias, que foram as primeiras. “O imaginário do mar e do navegador”, editora Pragmatha, e depois, da antologia “À sombra do corvo”, na época uma parceria entre o site Estronho e Esquésito, e a editora Literata. E foi graças a essa que conheci o Marcelo Amado, que hoje é meu editor. Ele me convidou para escrever para a antologia “Insanas, elas matam.”, quando inaugurou a Editora Estronho, que hoje está comercializando sua terceira edição, o que faz desse projeto o mais especial.Vieram também as antologias: “Cursed City”, Editora Estronho; “S.O.S. A maldição doTitanic”, e “Linhagem Montessales – Retratos da Inquisição”, ambas pela Literata. E também participei da antologia em e-book ''Green Death”.


10- O que é mais difícil escrever: a primeira ou a última frase do livro?

Sem dúvida a primeira (rs)! Não quando se começa a história, mas sim depois das inúmeras revisões, quando você precisa escolher como vai mesmo abrir a história, o que pode fazer o leitor seguir em frente ou não.



11- Suas histórias e textos surgem em lugares inesperados? Se sim, conte uma situação em que isso aconteceu?

Com certeza. No ônibus, no metrô, pouco antes de dormir. Acho que a maioria é nesse momento, poucos antes de dormir, então eu aprendi a memorizar essas ideias antes de “apagar” para escrever no dia seguinte, e tem dado certo. Várias soluções do Dias de Chuva, foram criadas assim. Certa vez, num bar, pouco antes de um show da banda do meu marido também, então eu rascunhei no celular (e nem era um Smartphone rs).



12- O que você acha do mercado nacional e o que espera dele?

Acho que está crescendo, e se abrindo aos autores nacionais, mesmo que nem todas as formas que isso tem acontecido, sejam as ideais. Eu estou em uma editora que sempre apostou em escritores brasileiros, mas não é segredo que as grandes preferiam importar sucessos de fora, para não precisar fazer um trabalho de marketing pesado, enquanto também garantiam vendas através dos clássicos que vão para as escolas por meio de editais com os governos. Trabalho em uma escola, e acho absurdo chegar, sem que a gente peça, 20 exemplares do mesmo livro do Machado de Assis, enquanto temos apenas um do Harry Potter. E a questão aqui, não é ser nacional, e sim que a escolha de uma política pública de incentivo à leitura, está realmente equivocada (de propósito ou não) quando acha que jovens de até 14 anos devem ler Machado em vez de PercyJackson.

Mas como eu disse, tem crescido, talvez porque importar esteja caro, ou porque todos tem percebido que aqui, como no resto do mundo, muitos gostam de ler alguém que é seu contemporâneo e que escreve sobre e a partir de um lugar que você conhece. Muita gente tem lutado para essa cena mudar também, fazendo bons trabalhos de escrita, revisão, com publicações interessantes e autores que sabem que precisam também fazer seu marketing, o que muitas vezes, é ser educado e atencioso com seu público. Nós vivemos uma época em que os brasileiros começam a entender que menosprezar a publicação nacional não nos leva a lugar algum, ao mesmo tempo, que muita gente tem feito uma produção cultural mais criativa e bem-feita.


13-Coloque aqui suas plataformas, sites e redes sociais para quem quiser acompanhar seu trabalho.

Tem o blog do livro: diasdechuvaromance.blogspot.com.br/, e o meu pessoal
carolinamancini.blogspot.com.br/.

E no facebook há a página facebook.com/ArtesdeCarolinaMancini (com alguns desenhos e links de textos) e a página do livro facebook.com/DiasdeChuva.01


14- Para quem quiser adquirir “Dias de chuva” onde pode encontrar?

Até o dia do lançamento, (07 de maio), podem adquirir comigo, pelas páginas do facebook ou pelo email carolina.mancini15@gmail.com. Logo após o lançamento, continuarei com a venda, mas ele também estará disponível no site da Editora Estronho

www.estronho.com.br e na Ugra Press, livraria que fica na Rua Augusta, 1371 - loja 116.


15- Deixe um recado para seus leitores:

Poxa. A gente fica até sem graça com essa parte da entrevista (rs). Imaginar que tenho leitores, assim no plural, é meio surreal ainda. Bom, eu espero que todos possam ler o Dias de Chuva, e que me deem a chance de dividir essa história, se emocionem, que tenham sua mente e coração tocados por um momento. E agradeço, claro, desde já. Pois ler até aqui essa entrevista, já me deu a oportunidade de dividir tantos anseios e sonhos. Quero aproveitar também e agradecer à Camila Bernardini, e ao I Love My Books, pelo convite. Não estou acreditando até agora!



54 comentários:

  1. Oi Camila, tudo bem?
    Eu não conhecia a autora, mas lhe desejo muito sucesso no sábado. Adorei a capa do livro e o book trailer também. A entrevista também está ótima, e foi muito interessante conhecer um pouco sobre ela e seu trabalho. Essa coluna do blog é maravilhosa, ainda mais para a divulgação de nossos autores nacionais. Parabéns!
    Beijos e boas leituras, Fer ♡

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelos desejos de sucesso. E fico contente que tenha gostado da capa e do book trailer. Foi tudo feito com muito carinho ^^

      Excluir
  2. Nossa que maravilha, parabéns por ter conhecido ela, e parabéns a ela pelo novo livro.
    Ela parece ser muito carismática irei indicar o livro pela para alguns amigos que gostam do gênero.
    Sucesso para ela.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Eu já li o livro da Carolina, fui beta, aliás e posso dizer que é MARAVILHOSO! TODOS deveriam ler Dias de Chuva, pois é um livro lindo que relata muito sobre o que nós, humanos, somos. A escrita da Carol é uma delícia e o livro em si está lindo.

    Sucesso amigaaa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga! Obrigada por tudo. E logo seu exemplar chega aí! =*

      Excluir
  4. Nossa, amei a entrevista e não conhecia a obra, mas confesso que já estou encantada! Que capa linda é essa? Amei mesmo e parabéns por divulgar esse trabalho incrível!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Amor Literário", é muito gostoso ler essas palavras, e mais ainda quando a capa cumpre seu papel de apresentar o livro. Obrigada ;)

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  5. Não conhecia a autora e nem o livro,gostei do book trailer, adorei conhecer mais sobre a autora

    ResponderExcluir
  6. Oi, Camila!

    Que ilustrações mais lindas!
    A história parece ser ótima também, fiquei curiosa.
    Desejo muito sucesso à Carolina! :)

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Sandra! Fico muito contente que tenha gostado das ilustrações (e ficado curiosa rs).

      Excluir
  7. Oi Camila, antes de mais nada eu quero desejar o maior sucesso no lançamento do livro da autora.

    Eu ainda não a conhecia e foi muito legal poder ver mais um talento nacional. O livor parece ser bem interessante e me deixou curiosa. Quando eu lancei o meu primeiro livro e também tentava não pensar no dia do lançamento, fique morrendo de medo de não aparecer ninguém, até que teve gente mas eu estava muito nervosa kkkk

    Gostei das respostas dele, bem sinceras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Beatriz, obrigada. Fico contente que as chamadas da história tenham despertado sua curiosidade. E realmente, acho que esse medo de ir ou não bastante gente, é aquilo que mais nos tira o sono, e depois, a opinião dos leitores rs.
      Beijos

      Excluir
  8. Oi Camila, ainda não conhecia a autora e a achei bem simpática. Concordo com a autora quanto ao mercado literário nacional: está crescendo, de uma forma um pouco desequilibrada e até injusta, mas eu, particularmente acredito, que quem tem talento, conquistará seu espaço.
    Já vou lá fuçar no blog dela!!!
    Meu Amor Pelos Livros
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ivi. Realmente, temos de aproveitar o mercado em expansão e trabalhar duro por um espaço que se mantenha, de bons alicerces e, principalmente, de muito respeito para com os leitores. Opa. Te espero lá no blog, então. Beijos.

      Excluir
  9. Oi Camila, tudo bem?
    Adorei a capa do novo livro da Carolina, juro que o leria só por isso! E lendo a entrevista pude perceber que o conteúdo pode ser bem interessante, já que a autora diz que ele fala sobre humanidade. Espero que ela consiga sucesso no lançamento!

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Camila. Fico feliz que tenha gostado da capa e da premissa. ^^

      Excluir
    2. Oi Amanda, obrigada! Fico feliz que tenha gostado da capa e da premissa! ^^

      Excluir
  10. Oi, Camila! Tudo bem?
    Estou encantada com essa autora, sério. Ainda não a conhecia, mas essa entrevista foi completamente apaixonante. Que mulher inteligente! Gosto muito de Poe e Goethe, então só de saber que a autora também admira estes autores, já me dá uma enorme vontade de conferir o trabalho dela também. Além disso, adorei o clima de mistério do book trailer do livro Dias de Chuva. Espero poder lê-lo em breve. Desejo muito sucesso a ela! Beijos! ^-^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jéssica. Assim eu fico sem graça rs. Muito bom ter alguém com as mesmas paixões literárias, e fico muito contente por ter curtido o clima do book trailer.

      Excluir
  11. Oi Camila,
    não conhecia a autora mas lhe desejo todo sucesso do mundo no lançamento, amei as ilustrações e o book trailer está uma graça. A entrevista está bem completa, gostei bastante de saber um pouco mais a respeito dela que se mostrou ser bem simpática por sinal. Essa coluna é maravilhosa, sempre me apresentando novos escritores e novas obras nacionais.

    Abçs
    Sou bibliófila

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Delmara. Obrigada! Fico feliz que tenha gostado do trabalho ^^

      Excluir
  12. Que fofa! realmente fiquei um pouco confusa com tudo o que o livro fala até porque ela não pode entregar tudo em relação ao livro, mas entendi a questão de ser um pouco sobrenatural e tudo o mais. Achei linda a questão de ela ter adotado o sobrenome da avó, um ato de amor mesmo e espero que ela faça sucesso. Acho legal o escreva com vinho e revise com café, é mais ou menos assim. kkkkkkkkkkk

    Beijos,

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.amigasemulheres.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Greice, obrigada. É difícil mesmo falar sobre o livro sem dar spoiler rs. Obrigada pelos votos de sucesso. :)

      Excluir
  13. Oi, flor.

    Não conhecia o livro, muito menos a autora, mas o book trailer é bem fofo. Mas mesmo assim, não consegui me interessar pelo livro. Não gostei muito da capa, mas quem sabe eu não leia em outra oportunidade? Vamos ver!
    Achei bem interessante a entrevista com a autora, assim conhecemos mais do livro e também um pouco da autora. Fico feliz que quando o livro era um conto, ela não desistiu e trabalhou bem na história. Desejo todo sucesso pra ela!

    Beijos!
    www.anebee.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marina. Que pena que não curtiu a capa, mas obrigada por ler a entrevista até o final mesmo assim rs, e pelos votos de sucesso ^^

      Excluir
  14. Oiee Camila ^^
    Ainda não conhecia a autora, mas como eu não gosto muito de histórias que beiram o fantástico e/ou o sobrenatural, confesso que não fiquei muito curiosa para ler o livro. Imagino que a sensação de ter um livro seu publicado deve ser mesmo incomparável, espero poder sentir isso logo. Felizmente, e como a Carolina disse, o mercado nacional está crescendo.
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dryh, obrigada por ler a entrevista. E vamos torcer, e trabalhar, para que o mercado cresça mais e mais.

      Excluir
  15. Oie, camila, adorei a entrevista com a autora. O livro dela eu leria com certeza pois já achei esse título sensacional. Bacana também o fato de como ela adotou esse sobrenome e o fato de ela ser desenhista. espero que dê tudo certo no lançamento e que faça muito sucesso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tamara, obrigada. O título também foi difícil de achar. Que bom que gostou! Obrigada pela torcida.

      Excluir
  16. Oie, tudo bem? Parabéns pelo post e sucesso pra autora, espero que ela consiga lançar muitos e muitos livros.

    ResponderExcluir
  17. Ola Camila não conhecia a autora nem seu livro, gostei muito da premissa do livro adoro um ótimo livro de fantasia, parabéns pela linda entrevista. Que seja um sucesso o lançamento do livro. Fiquei bem intrigada com a história toda. Espero poder ler em breve. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Joyce. Se te intrigou, já me deixa feliz rs.

      Excluir
  18. Obrigada, mais uma vez, Camila. Obrigada ao blog também. Não tenho palavra por todos esses comentários incentivadores. Estou muito, muito grata. <3

    ResponderExcluir
  19. Olá,
    Achei interessante o conceito do livro, assim como a personagem parece ser bem instigante.
    Desejo sucesso na sua carreira.
    http://euinsisto.com.br

    ResponderExcluir
  20. Adorei conhecer a Carolina e ter a oportunidade de fazer essa entrevista foi muito gratificante para que eu pudesse conhecê-la melhor e o seu trabalho também! =)

    ResponderExcluir
  21. Oi
    Adorei conhecer a escritora e fiquei impressionada como ela se parece com a garota da capa do livro.
    Acho que eu iria preferir escrever de manhã e gostei muito de como ela retratou o livro.
    Fiquei curiosa e vou aguardar resenha!
    Parabéns pelo espaço concedido aos nacionais.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  22. Olá Camila,
    Que entrevista mais bem elaborada e respondida.
    A autora me pareceu ter uma infância um pouco triste, mas, pelo que notei, isso não tirou dela a magia de viver.
    Me senti muito ligada a ela, parecida até em alguns aspectos. Gostei de saber que adotou o nome da avó, que se parece fisicamente com uma personagem e nas atitudes com outro, mas que não queria estar na pele deles rs, que a primeira frase é a mais difícil e que ela espera que a família esteja com ela nessa conquista.
    Desejo, do fundo do coração, que tudo dê certo no lançamento, que muitas pessoas estejam presentes e se encantem com a obra, pois já estou encantada.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  23. OIii!

    Acho que quase todo conto que li quis que tivesse uma história mais aprofundada. Gostei de saber que é o caso dessa série.
    O enredo é atraente e a autora bem simpática, o que eu adoro!
    As referencias dela são sensacionais e isso dá uma base do que podemos esperar de suas obras.
    Adorei a dica!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  24. Achei o livro lindo e interessante. E muito bacana da parte da Carolina homenagear a avó adotando seu sobrenome! Com certeza vou ler! Parabéns pela entrevista! Beijos

    ResponderExcluir
  25. Fiquei encantada com a entrevista, a autora parece ser muito fofa e querida, gostaria de morar perto para acompanhar o lançamento. Achei bem interessante a premissa e com certeza pretendo ler o livro. Muito sucesso a autora e ao lançamento.


    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura - Participe do top comentarista de maio, serão dois ganhadores!

    ResponderExcluir
  26. Olá, tudo bem?
    Ai que coisa boa, conhecer o autor pessoalmente! Eu adoro qdo isso acontece.
    Não conhecia a autora Carolina Mancini e adorei a saber mais dela.
    Fiquei interessada no livro, vou aguardar a resenha.
    Beijos!

    Livros e Sushi • Facebook InstagramTwitter

    ResponderExcluir
  27. Olá...que legal essa iniciativa. Não conhecia a autora e gostei bastante do livro.

    Abraços

    ResponderExcluir
  28. gostei de conhecer um pouco sobre a autora, achei interessante o processo de escrita e ver Como era verde meu vale ali na resposta dela me deixou feliz, esse livro é fantástico ^^ foi uma ótima inspiraçaõ pra ela ter começado a pensar nas letras a partir daí... e que homenagem bonita para a avó :)
    bjs...

    ResponderExcluir
  29. Olá,
    Adorei conhecer mais sobre a autora, e o livro!
    Na lista de leituras!
    Beijos
    Jana

    ResponderExcluir
  30. Oie
    muito legal conhecer mais sobre a autora pois ainda não conhecia seu livro e parece ser uma leitura muito interessante, bela dica

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  31. Sempre bom conhecer novos autores, novas história, a premissa desse livro é muito boa, e fiquei bem interessada. Bjs

    ResponderExcluir
  32. Menina, esse dias de chuva parece ser maravilhoso, a capa já é super instigante. Eu leria de cara pela capa ahahha.. A sinopse me deixou bastante curiosa bruxas são sempre cabulosas kkkkkkkk..
    Super interessante o fato de o livro ter começado apenas como um conta para uma antologia e depois ter se tornado em um trabalho tão grandioso.
    Desejo muito sucesso para a autora.
    abraços.
    seforasilva.blogspot.com

    ResponderExcluir
  33. Que forma bonita de homenagear a avó. O da minha é Lucena, também já pensei em fazer algo similar. Concordo com ela, a primeira frase do livro é sempre mais difícil. Olha, gostei muito da entrevista, bacana e as perguntas forma diferentes.

    ResponderExcluir
  34. Oi *---*

    Adoro suas entrevista Ca, sério meninas suas perguntas são bem diretas e falam exatamente o que queremos saber dos autores. Achei a autora uma fofa em suas respostas e peguei algumas dicas ai já que pretendo escreve um livro também. Desejo de coração muito sucesso nessa jornada.

    Bjos
    http://rillismo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  35. Oi, Camila! Gostei muito da entrevista. Já da arte do livro em si eu não gostei tanto, achei um tanto amadora. Mesmo assim, fiquei curiosa pra ler o livro. :)

    ResponderExcluir