23 abril 2016

Resenha - Um Oceano no Fim do Caminho




Foi há quarenta anos, agora ele lembra muito bem. Quando os tempos ficaram difíceis e os pais decidiram que o quarto do alto da escada, que antes era dele, passaria a receber hóspedes. Ele só tinha sete anos.
Um dos inquilinos foi o minerador de opala. O homem que certa noite roubou o carro da família e, ali dentro, parado num caminho deserto, cometeu suicídio. O homem cujo ato desesperado despertou forças que jamais deveriam ter sido perturbadas. Forças que não são deste mundo. Um horror primordial, sem controle, que foi libertado e passou a tomar os sonhos e a realidade das pessoas, inclusive os do menino.
Ele sabia que os adultos não conseguiriam — e não deveriam — compreender os eventos que se desdobravam tão perto de casa. Sua família, ingenuamente envolvida e usada na batalha, estava em perigo, e somente o menino era capaz de perceber isso. A responsabilidade inescapável de defender seus entes queridos fez com que ele recorresse à única salvação possível: as três mulheres que moravam no fim do caminho. O lugar onde ele viu seu primeiro oceano.

Livro:
Um Oceano no fim do caminho
208 páginas || Skoob || Editora: Intrínseca || Onde Comprar








Esse foi o primeiro livro de Neil Gaiman que li na vida e que despertou meu carinho e admiração com o talento do autor.

"Não lembro como os sonhos começaram. Mas é assim que os sonhos são, não é mesmo?"

Um homem após quarenta anos após passar sua infância, volta para sua cidade natal para um enterro, possivelmente algum dos seus pais ( não se especifica quem morreu) e acaba sendo atormentado pela dor do momento aliado ao ar misterioso que o lugar emana, assim levando-o a fazenda Hempstock que fez parte da sua infância na qual foi assombrada por infortúnios de ordem emocional e financeira.

Nosso narrador adentra a fazenda e é abordado pela velha senhora Hempstock que lhe avisa que Lettie ainda não voltou da Austrália e lhe recomenda que vá ao "oceano" no fundo do quintal. Ele não entende como haveria de ter um oceano no fundo de uma casa, mas algo na voz da velha senhora lhe indica que faça isso. Ele chega e avista um lago de cor azul exuberante e vê-se afundado em lembranças dos seus sete anos quando conheceu aquele lugar e quase morreu.

Aos sete anos de idade nosso narrador era um menino que amava livros de fantasia e gibis de heróis fortes e destemidos. Não era muito de fazer amizades e de se dar bem com outras crianças e muito menos gostava de esportes, isso tudo causava frustração em seu pai que sempre desejara um filho que amasse esportes, jogasse com ele e fizesse coisas de "homem" e não um garoto isolado e apaixonado por livros. Isso machucava os sentimentos do garoto e não ajudava no relacionamento dele com seu pai.

" Esse é o problema com as coisas vivas. Não duram muito. [...] E as lembranças desvanecem e se confundem, viram borrões..."

Na sua festa de aniversário ele percebeu que nunca seria um garoto normal, porque nenhum coleguinha da escola fora à sua festa, que aliás foi um fracasso. Uma derrota dolorosa e humilhante diante das brincadeiras bobas de sua irmã mais nova. Mas ele também já estava sendo um fraco e covarde diante a vida. Mas o que poderia fazer? Ele não era como todo mundo. Ele amava As Crônicas de Nárnia e viajar por mundos fantásticos e foi com essas ideias que ele conhece a misteriosa garota de 11 anos, Lettie Hempstock, que mostrara um mundo de magia e escuridão à ele.

Lettie surgiu em sua vida quando o carro de seu pai fora roubado e encontrado perto da Fazenda Hempstock com o corpo do inquilino de seus pais, o minerador de opala que tivera um final triste. E já naquela época a família do garoto passava por problemas financeiros e alugava o quarto do jovem para algumas pessoas para pagar as contas. O garoto dormia com sua irmã. Naquele dia as vidas de Lettie e do jovem se cruzaram. O garoto conheceu uma família que aparentemente havia de estar naquele lugar desde que o mundo (nosso mundo) fora constituído e era detentora de uma magia poderosa e fascinante.

" Não importava, naquele momento, o fato de ela ser cada monstro, cada bruxa, cada pesadelo personificado. Ela era adulta e, quando os adultos entram em guera com as crianças, eles sempre vencem."

O garoto se vê em diversas aventuras com Lettie e numa dessas andanças, eles enfrentam uma criatura denominada de "pulga" que é um ser de aparência bizarra que estava determinada à eliminar os dois, mas a garota acaba que expulsando o monstro. O que não sabíamos é que a criatura conseguiu sair de seu mundo e adentrar em nossa realidade. Como isso aconteceu? Quando o garoto soltou a mão de Lettie, a criatura entrou no corpo do menino e tomou a forma de uma mulher linda chamada Ursula Monkton que iniciou suas traquinagens no nosso mundo. Um inferno foi aberto na vida do garoto.

Será que o garoto conseguirá destruir a criatura? Será que Lettie o perdoará por ter largado sua mão? Será que Ursula realmente conseguirá realizar seus planos diabólicos na terra? Quem realmente serão os Hempstock?

Gaiman simplesmente construiu uma história fascinante sobre nosso caos interior e a escuridão que assola nossas mentes diariamente. Não é um livro sobre um homem em meio a um devaneio do passado, mas um enredo carregado de verdades intrínsecas. Verdades cruciais. Os adultos nada mais são que crianças atrás de máscaras de maturidade e solidão.


" - Ninguém realmente se parece por fora com o que é de fato por dentro. Nem você. Nem eu. As pessoas são mais complicadas que isso. É assim com todo mundo."

No início da narrativa temos a apresentação dos personagens - a maioria deles sem nomes - que farão parte de todo o desenvolvimento da trama até o dia do enterro. Os pais do menino aparecem não se importar muito com ele. O pai acha o garoto uma decepção, porque não correspondeu as suas expectativas de filho e sua mãe por outro lado sempre fica do lado do esposo, porque percebemos isso quando ele sofre uma tentativa de afogamento causado pelo seu pai num momento de ira. Sua irmã é uma criança ainda, então implica com seu irmão mais velho.

A vida da família Hempstock é mais aconchegante para ele do que no seu próprio lar. Ele sente-se bem naquela fazenda. Sente-se amado e aceito do modo que é de verdade. Naquele lugar ele é corajoso e forte diante dos males da vida. Lettie demonstra confiar nele para assumir responsabilidades. A avó e mãe de Lettie adoram papárica-lo e isso torna-o mais confiante e esperançoso em seu futuro.

Nosso narrador não tem nome porque poderia ser qualquer pessoa. Poderia ser você ou eu. Todos temos "monstros" interiores. Fantasmas que nos assombram constantemente e alimentados por nossas fraquezas e medos.

O erro do livro não está na história, mas na apresentação da obra ao público, porque apresentaram o enredo através da sinopse como se o livro fosse algo como um Thriller psicológico, mas a história é um "romance" mágico e fantástico sobre nossa essência humana que demonstra que nossa natureza nunca pode ser silenciada, porque somos frágeis emocionalmente.

Só que o crescimento de nosso narrador não se dá apenas no tamanho, mas visivelmente com suas escolhas pessoais após quarenta anos dos acontecimentos marcantes de sua vida e no grande sacríficio de sua amiga Lettie fez para dar uma nova esperança à ele.

A diagramação do livro é muito boa, a fonte é de um bom tamanho e as folhas são brancas que aliás não dificultou em nada em minha leitura. A arte da capa nos transmite todo o simbolismo e encantamento do livro e nos leva a um mundo de silêncio e reflexão.

 É un livro que recomendo que leiam!


12 comentários:

  1. Olá Joanice, sempre tive muita curiosidade em ler esse livro, inclusive já li vários comentários positivos a respeito. Entretanto, acho que a sua resenha foi a que mais me transmitiu confiança para querer fazer mesmo a leitura. O texto que você desenvolveu aqui está muito completo e eu não sabia nem da metade dos acontecimentos. Parece ser curioso e fascinante demais, ainda mais por instigar o leitor a pensar sobre nossos próprios monstros interiores.
    beijos, Fer

    ResponderExcluir
  2. Oiiê, tudo bem contigo?
    Eu, acredite ou não, nunca li nada desse cara. Meus colegas me cobram muito isso é eu até me culpo também, acho o enredo dessa obra bem bacana e me prece ser bem envolvente. Adorei a sua resenha, ela foi bem explicativa e me deixou bem curioso para conhecer mais, tanto a escrita quando essa história, desse autor. Até mais vê
    Bjks

    ResponderExcluir
  3. Gente eu pensei que esse livro era de outro assunto totalmente diferente,pensei que era algo dramático sobre alguém preso dentro de si ou um romance sem ser recíproco.Aí vocês me escrever essa resenha maravilhosa e eu vejo que é totalmente misterioso com um criatura e mistério,sempre peguei ele na mão mas nunca me interessei por achar que fosse outro assunto mesmo,agora já sei qual é uma das próximas leituras adorei...

    Bjo bjo

    http://rillismo.blogspot.com.br/p/resenhas.html?m=1

    ResponderExcluir
  4. Ei Joanice, tudo bem?
    Eu ainda não li nenhuma obra do Neil, ele é um autor renomado e muitos adoram seus livros. Eu tinha um certo interesse em ler Um Oceano no Fim do Caminho, mas as opiniões que li sobre o livro, são tão diversas. Uns adoram e indicam, assim como você, e outros definitivamente não gostam, mas não demonstram o que realmente não gostaram. A sua resenha foi bem detalhista e muito descritiva, e eu acho que conseguiu me transmitir e me informar, realmente sobre o que o livro fala. Eu jurava que ele era um trillher/assustador e esse era o motivo de algumas pessoas não gostarem. Eu acho que dessa vez, vou dar uma oportunidade para o livro do Gaiman, espero ser imersa pela história e devaneios obscuros do protagonista.

    Bjs bjs bjs Mih! :)
    Paradise Books || @ParadiseBooksBr || @Mih_Francielle

    ResponderExcluir
  5. Oie Jo.
    Menina Neil Gaiman é sensacional e sempre faz isso, coloca verdades duras e cruéis do mundo atrás de dramas e fantasias, eu o amo, e amo Um oceano no fim do caminho, por sua complexidade e pelo maravilhamento que ele nos proporciona, é meio dark, triste, sombrio e um tanto quanto tocante.
    Lembro de ter lido muito rápido depois que ele começa a voltar no tempo e de ter chegado ao fim da leitura exausta e com um nó na gargante. Também acho a apresentação errada, não é bem isso que se passa né?
    E não sei você, mas eu fiquei com um medinho ao ler kkkk.
    Bjokas

    ResponderExcluir
  6. Olá Joanice,
    Li esse livro há bastante tempo e não me recordo exatamente da história, mas me lembro que me senti mais madura ao concluir a leitura, como o narrador.
    Lembro que, na época, achei o livro triste e fiquei com medo de encontrar meus 'monstros', pois espero que eles estejam sempre guardados no fundo da mente.
    Adorei sua resenha e a forma como você abordou o livro, me fez pensar no que senti e isso me deixou muito satisfeita.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  7. Ola, tudo bem??

    Já li diversas resenhas desse livro, e sempre fico encantada com a forma que o narrador é abordado. Tenho muita curiosidade de ler, principalmente por esse tom reflexivo na história. Gostei da resenha! Uma pena que a sinopse não transmite muito bem o que se passa no enredo... mas a nossa sorte é que temos resenhas pra conhecer melhor a história antes de adquirir o livro, não é mesmo?! hehe

    XOXO
    umnovo-roteiro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oiee Joanice ^^
    Esse também foi o meu primeiro contato com o Neil, mas eu acabei não gostando muito desse livro. Confesso que não tinha expectativas, mas eu esperava encontrar uma coisa, e acabei lendo outra completamente diferente, então desanimei com as outras obras do autor. Mas fico feliz que você tenha gostado tanto do livro, infelizmente, para mim não deu.
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oiii Jo! Que bom que gostou do livro <3 É um dos meus favoritos da vida!
    Não sou uma pessoa que chora fácil, mas derramei uma ou duas lágrimas no primeiro capítulo desse livro! Simplesmente maravilhoso. O autor cria metáforas fantásticas que podem significar tanta coisa! Tantos medos, angústias, receios, traumas... Eu lembrei tanto da minha infância que era doloroso de ler; um misto de nostalgia e aperto no peito que me invadiam a cada passar de capítulos. Adorei sua resenha!! <3
    Beijos beijos e mais beijos
    Gaby
    http://umaleitoravoraz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oie!
    Esse foi o primeiro livro que li do autor, e foi uma experiência positiva. Foi uma leitura agradavel, a trama foi bem envolvente, e a diagramação do livro está perfeita. Adorei essa capa escolhida, e para mim, tem a ver com a trama. Gostei tanto da leitura, que depois dela comecei a procurar mais do autor.
    Bjks!
    histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  11. Oi Jo *--*

    Sabe que só vejo maravilhas as obras do autor mas nunca tive a oportunidade de ler nada dele. Esse em especial vi que divide bem as opniões já que alguns como você amam e outros nem tanto. Gostei de saber que o livro é mais puxado pro romance do que pro psicológico é um atrativo a mais pra mim .

    Bjos
    http://rillismo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Olá,
    Eu já li um livro sobre Neal Gaiman, que foi Coraline e vi o quanto genial ele era. Sobre Um Oceano no Fim do Caminho, eu fiquei com receio de ler por causa da sinopse, mas depois que eu li a sua resenha eu fiquei extremamente curiosa para ler e conhecer mais desse mundo e personagens.
    Beijos,
    Delírios Literários da Snow

    ResponderExcluir