23 abril 2016

Resenha - Sempre, A Redenção




Esta é uma história de lealdade e amor. É uma história sobre alcançar a redenção – mesmo quando tudo parece perdido.
Carmine DeMarco é forçado a jurar lealdade à Máfia para salvar a garota que ama – Haven Antonelli –, e a privar-se da vida ao lado dela no momento em que é mandado para Chicago a fim de trabalhar para a organização criminosa Cosa Nostra. Contudo, ao ser imerso nesse novo mundo repleto de mortes e crimes terríveis, Carmine compreende que sobreviver a tudo isso, sem ela, é mais do que pode suportar. E Haven, sentindo-se magoada e aturdida ao ser deixada por Carmine, agora precisa trilhar seu caminho sozinha, em uma nova cidade. Seu coração dói com a perda, mas, pela primeira vez, ela tem a chance de fazer as próprias escolhas e concretizar sonhos que acreditava serem inalcançáveis. No entanto, ela ainda é assombrada pelo passado à medida que descobre segredos perversos acerca da família que a escravizou anos antes. Como consequência, a garota percebe não só o seu lugar nessa teia de mentiras, mas também que muita dor e sofrimento ainda podem recair sobre ela e Carmine. Agora, ambos devem enfrentar tais adversidades para alcançarem a redenção.

Livro: Sempre, a redenção
512 páginas || Skoob || Editora: Universo dos Livros || Onde comprar








A dor era algo que Haven conhecia muito bem e, por isso, sempre fora bastante resistente, mantendo a cabeça erguida enquanto enfrentava torturas inimagináveis. No entanto, o sentimento que agora fermentava dentro dela era diferente. O aperto no coração e o temor sufocante eram mais que suficientes para fazê-la perder o chão. Ela já havia se sentido assustada antes, com certeza, mas era a primeira vez que ela realmente se sentiu perdida. Até então, sua vida tinha sido um ciclo interminável de faça-isso-e-faça-aquilo; havia sempre uma tarefa, sempre um propósito, sempre uma intenção. Mas tudo isso ficara para trás. Seu futuro estava vazio. Era uma tela em branco. Não havia nenhum lugar para o qual ela pudesse escapar. Não havia ninguém olhando para ela.
Ela percebeu que estava livre, afinal, mas aquela liberdade a aterrorizava.

Antes de começar a resenha propriamente dita devo dizer que para quem não leu o primeiro livro a partir de agora pegará alguns spoilers meio chocantes e que irão tirar um pouco a graça da leitura inicial, sendo assim se gostou leia a resenha de Sempre  - Clicando aqui ok?

Corrado finalmente acordou, depois de dias em coma, ele voltou da morte, mas voltou diferente, homens como ele não temem nada, nem mesmo o fim da vida, mas isso não significava o vazio visualizado não o mudou, mudava a todos. E isso vale para aqueles que apesar de não serem quem puxa o gatilho, ainda sentem como se o fossem só por presenciar a vida de alguém se esvaindo diante de seus olhos.

Essa é a sensação  de quem toma conta de Haven e Carmine todas às vezes que eles se lembram das pessoas que morreram diante de seus olhos, sem que eles pudessem fazer nada para impedir, mas a vida dentro da La Cosa Nostra, funcionava assim, ou você mata ou é morto, ponto. E isso aterroriza Carmine, pois essa é sua vida agora, e ele não sabe como fará para fazer isso, como sobreviverá, pois a única pessoa que o mantém realmente vivo terá que ser deixada para trás, ele não pode levar Haven com ele, não quando ele sabe que esse tipo de vida vai acabar com ela, sua mãe é um bom exemplo disso.

Assim ele parte e deixa para trás apenas palavras em um papel, Haven está sozinha, por conta própria, ou quase, já que Corrado assumiu a responsabilidade por ela, eles devem tomar algumas precauções, contudo o mais importante é que Haven está livre para viver como quiser, ela pode pela primeira vez decidir que passos tomar, mas isso é difícil e muitas vezes assustador, ela nunca pôde fazer isso e agora que pode não sabe muito bem se quer ou como fazê-lo.

E para fermentar as coisas ainda mais para o casal, segredos começam a vir a tona com o desenvolvimento do julgamento contra Vicent e Corrado, segredos que ninguém gostou de descobrir e que provocaram a morte de alguns; Sal continua a não dar trégua para Carmine que a cada dia se afunda mais e mais na depressão que sua nova vida impõe e Haven finalmente consegue começar a caminhar, mas uma coisa fica clara, não importa o que aconteça, não importa quem tente se pará-los, não importa nenhumas dessas merdas do mundo, ambos sabem que são um do outro, sempre, mesmo que para isso eles tenham que enfrentar a máfia e a polícia.
O tempo cura todas as feridas, Il tempo guarisce tutti i male. Esta frase já foi dita inúmeras vezes, mas o que ninguém menciona são todas as terríveis cicatrizes que ficam para sempre. O que eles não falam é que, de tempos em tempos, essas feridas infeccionam quando são ignoradas.
O que começou com um arranhão, que mal podia ser visto, pode se transformar num corte profundo que, com o tempo, se alastra e rasga a carne, até que tudo que lhe reste seja uma massa exposta de nervos desgastados e órgãos corroídos. A dor exige ser sentida, mas você não a percebe até que seja tarde demais. Até que ela o paralise e o coloque de joelhos.
Eu já sabia que iria amar esse livro, e que ele seria triste e pesado e que meu coração iria se apertar porque eu sabia que os protagonistas passariam por maus bocados, porém eu não esperava todo o resto, essa continuação guinou para um rumo que eu nunca pensaria.

Após ter entregado sua vida para a máfia italiana em troca de vida de Haven, Carmine se encontra em maus lençóis, ele terá que fazer serviços que ele nunca quis e nunca mais poderá tomar uma decisão sem que antes ela passe por um monte de aprovações, e isso está matando ele. O mundo dentro da La Cosa Nostra não é fácil, tem muitas regras, intrigas e burocracia, ele não suporta nada disso e estar longe de seu beija-flor não ajuda em nada, todos seus dias são horríveis e ele não sabe quanto do homem que ele já foi vai sobreviver.

E ainda nem falamos do drama envolvendo a polícia e segredos dentro da máfia, há traidores e uma guerra entre as máfias russas, italianas e irlandesas quase explodindo, algo precisa ser feito e a polícia está quase pegando dois peixes grandes, enquanto isso acontece que Haven está tentando se integrar ao mundo, mas isso é muito difícil para ela, tudo é novo e ela está sozinha.

Esse livro é sobre superação e muito amor. Haven e Carmine me lembraram muito Jessica Jones, cada um uma faceta dela, a Haven a menina que precisa se integrar ao mundo depois de anos de abuso e escravidão, muitas vezes é assustador e triste e ela se sente sufocada e como se estivesse morrendo, mas ela tenta por ela e por todos aqueles que perderam algo por sua liberdade. E Carmine o lado em que ela se afoga na bebida para esquecer todas as merdas que ela fez, Carmine está lidando com o lado obscuro do mundo e isso não tem sido fácil, porque ele não quer ser assim, mas se não for uma bala se alojara na base de seu crânio depois de uma boa surra para lembrar quem manda antes de morrer.

Esse livro é sobre a vida e suas dificuldades, ao longo do livro me peguei refletindo sobre muitas coisas, boas e ruins, sobre liberdade, sobre escolha e sobre sonhos, sobre lutar por aquilo que você acredita e sobre ter que se dobrar ao mundo pois senão ele te dobra por mal, sobre amar verdadeiramente e sobre o que de fato é justiça, honra e crimes.

Galerinha, é um livro sobre a máfia e como tal é impossível não se apaixonar pelos personagens principais, mesmo eles sendo bandidos, contudo isso não muda o fato de que eles são maus, eles roubam, matam e subornam, isso quando não torturam, mas ainda sim, você vê a humanidade deles, você vê o amor pela família, a lealdade com a causa, a honra e morrer lutando por algo que acreditam, de não matar crianças, de não ferir inocentes, de não matar ninguém que não mereça, de subornar apenas as pessoas necessárias e de apenas ameaçar, mortes... só se necessário. Parando para pensar isso é meio estranho.


Me peguei falando "É muito estranho notar que eles tem mais honra do que muita gente por aí, que eles se amam tão profundamente e que respeitam as leis da sociedade sem maiores problemas, é meio deturbado o senso deles", e é, mas ao ler esse livros, vemos que o mundo é meio deturbado e muito variado para sairmos querendo matar todo mundo que parece ser uma pessoa cruel e má, só me fez pensar mais uma vez que tudo tem dois lados de uma mesma moeda, que a vida não é fácil para ninguém, que temos que nos responsabilizar pelo que fazemos e que se dermos sorte vamos encontrar alguém para caminhar por essa bagunça cuidando para que você não se perca nela.
O ar gelado aguilhoava seu rosto e a fazia lembrar-se de que ainda estava viva. Não importava o quanto isso a machucasse, ou o quanto ela sentisse como se estivesse morrendo por dentro. Não estava. Ela ainda respirava, e a cada vez que soltava o ar dos pulmões reafirmava essa realidade com uma nuvem de ar quente que se formava à sua frente. E enquanto ela ainda estivesse respirando, tudo estaria bem.

24 comentários:

  1. Oi Agatha, eu não conhecia esses livros, mas fiquei bem interessada só ao ler a sinopse desse. Gostaria muito de ter a oportunidade de fazer a leitura dos dois, pois é um gênero que me agrada bastante. Eu também curto ler sobre a máfia e todo o seu desenvolvimento e detalhes da ambientação. Do jeito que eu sou, com certeza estarei me apaixonando pelos bandidos também hahaha. Mas é interessante saber que ainda é possível fazer algumas reflexões durante as cenas.
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Fê.
      Moça, é meio impossível não se apaixonar por eles, espero que tenha sim a oportunidade de ler ambos, é muito rapidinho e tocante, e meio maravilhoso também kkk.
      Bjokas

      Excluir
  2. Olá
    Eu ainda não tinha visto resenha do livro dois rsrs. Eu já conhecia os livros publicados aqui, não sou muito fã desse gênero de livro, ache que todos vocês sabem rsrs. Mas pareceu ser bem bacana o enredo. E nesse livro ódio acontece muitos "vuco-vuco" e isso envolve a leitura de mais. Até mais vê
    Bjks

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Manuel.
      Super te entendo,mas não acho que envolva toda a trama,tem muito mais por trás e foi por isso que amei ler um livro que nem é meu gênero costumeiro, mas quem sabe um dia né?
      Bjs

      Excluir
  3. Oi Agatha, tudo bem?
    Pra não sofrer com os spoilers, não pude ler sua resenha completa (sniff sniff). Mas é um livro de máfia, então já estou curiosíssima. Pela sinopse, eu definitivamente já sei que vou gostar. E já adicionei o primeiro livro na minha lista de 'Quero Comprar', vou aproveitar e ler sua resenha do livro um, só pra eu ficar com mais vontade de comprar logo. :)

    Bjs bjs bjs Mih! :)
    Paradise Books || @ParadiseBooksBr || @Mih_Francielle

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Mih.
      Ai menina que ótimo!!!! Nossa estou muito feliz, depois você me conta o que achou sim? E pega ele numa promo, já vi ele bem baratinho ;)
      Bjokas e boa leitura

      Excluir
  4. Oi Agatha, não li muitos livros envolvendo a Máfia, mas adorei a premissa desse. O que mais me chamou a atenção na sua resenha, foi o fato da leitura ter feito você se envolver com os personagens, mesmo ele sendo maus. O poder de um livro sobre nós é impressionante. Temos valores tão bem argumentados, aí vem um livro, com um bando de gente malvada e ainda assim, nos afeiçoamos à elas. Adorei a resenha e as suas considerações!
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Ivi.
      Sim moça, o poder de um livro é enorme e até mesmo os governantes sabem disso, um livro muda a mente e a mente é a maior arma do ser humano. Não posso dizer muito, eu sempre tive um quê de advogada pública lkkkkkk.
      Espero que goste da leitura.
      Bjokas

      Excluir
  5. Olá Agatha,
    O único livro que li que retrata um pouco da Máfia foi A Morte de Sarai e, confesso, curti bastante. A premissa desse livro não tinha chamado minha atenção até eu ler a frase: "O tempo cura todas as feridas". É exatamente isso que você disse, ele cura, mas ninguém fala das cicatrizes que ficam.
    Adorei a tua resenha e a forma como você falou do livro. Já anotei a dica da série. Espero me apaixonar por esse livro de superação e amor.
    Beijos ♥
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Bruna.
      Nunca li esses, mas concordo contigo, o tempo cura mas a cicatriz sempre te lembra daquilo que a memória não vai apagar, e é inútil pensar que esquecemos, a gente só aprende a conviver com a dor,ponto, ela se esmaece, mas não some.
      Espero que adore, de verdade.
      Bjokas e uma boa leitura!

      Excluir
  6. Olá, tudo bem??

    Estou apaixonada por essas capas!! E a diagramação parece estar super caprichada. Outra coisa que me conquistou foi o enredo, esse negocio de máfia com amor e superação, super me conquistou! Uma pena é essa quantidade grande de páginas :/ atualmente eu tento fugir de livros maiores por motivos de: cursinho. Mas quem sabe ano que vem?! Gostei da resenha :)

    XOXO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie N.
      kkkkkkk, menina eu te entendo, mas se acostume, pois a facul não colabora com tempo não viu? Eu me desdobro e quase entro em colapso de vez em quando....
      Boa sorte moça, tomara que passe na facul?
      Bjokas ;)

      Excluir
  7. Oiee Agatha ^^
    Primeiro: eu AMEI essas capas ♥ acho que eu compraria os livros só por causa disso, mesmo se não tivesse gostado da premissa. E eu gostei ♥ foram poucos os livros sobre máfia que eu li, e este me pareceu interessante (e você o favoritou!), sem contar que a máfia é italiana...hehe' eu tenho uma paixão por tudo o que é italiano *-* Confesso que eu dei uma pulada na sua resenha, por ainda não ter lido o primeiro, mas dei umas espiadas..hehe'
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Dryh.
      Kkkkkk, adorei menina, adorei mesmo! E sim, não tem como não favoritar, sério, eles pegaram meu coração e roubaram! Espero que ame de paixão, e eu sou descendente de italianos, sei como é esse amor *-*
      Bjokas

      Excluir
  8. Oii Agatha, tudo bom?
    Eu não li o primeiro livro, então fui dar uma olhadinha na sua resenha do anterior para voltar para essa. Caramba! Fiquei encantada com a premissa dos livros e fiquei bem entusiasmada para lê-los. Quando o autor nos faz simpatizar com mafiosos e enchergar humanidade neles sabemos que ele escreve bem! hahaha
    Beijos!
    http://umaleitoravoraz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Gaby.
      Menina e não é? Ela arrasa demais! Espero que ame a leitura e acho que posso ser convencida e dizer que você vai né?
      Bjokas e boa leitura moça, tá bem?

      Excluir
  9. Oie!
    Eu livro incrível! Uma das minhas melhores leituras para o ano de 2016! Não sabia que esse livro era tão intenso assim! Eu li os dois livros em sequencia, e vibrava e sofria pelos personagens a cada capítulo. Uma história intensa e emocionante!
    Bjks!
    histórias sem Fim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Carla!!!
      Ai que amor, você serve de confirmação!!! Eu li os dois no lançamento e posso dizer que sofri com a espera do segundo viu? Ainda mais com aquele final né?
      Bjokas e vamos torcer por mais livros dela ;)

      Excluir
  10. OLha pra ser sincero não são bem livros que eu tenho muita paciência para ler,então realmente vou deixar esses de lado para dar prioridades a outros que com certeza eu devoraria com mais rapidez,mas vlw.

    Bjo Bjo
    http://rillismo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Éverton.
      Super compreendo, faz bem na verdade, temos que ler aquilo que nos prende, simples, odeio ler algo e sentir que estou perdendo meu tempo que poderia estar lendo outra coisa.
      Bjokas e boas leituras.

      Excluir
  11. Oi *--*

    Adorei o primeiro livro e vendo sua resenha percebi que também irei amar. Sério a carga que o livro trás é palpável e é bem questionavél mesmo eles terem mais honra que muita gente por ai. Estou doida pela continuação e me doi não ter lido ainda =(.

    Bjos
    http://rillismo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Stefani.
      Siiiim menina, é engraçado de pensar,espero que possa ler logo e que ame viu?
      Bjokas

      Excluir
  12. Olá,
    Eu não conhecia o livro e logo de cara não gostei da capa. Eu sou do tipo de leitor que escolhe o que lê pela capa, mas a sua resenha me agradou muito e mostrou aspectos do livro que eu queria ler e entender. A questão da máfia, da lealdade aos seus parentes, que você disse, e outros como matar somente quando necessário, me deixaram curiosas.
    Beijos,
    Delírios Literários da Snow

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Carolina.
      Fico feliz de ter te deixado curiosa mesmo você não curtindo a capa, espero que dê uma chance ao livro e que goste.
      Bjos

      Excluir