25 abril 2016

Resenha - A Hospedeira




Nosso planeta foi dominado por um inimigo que não pode ser detectado. Os humanos se tornaram hospedeiros dos invasores: suas mentes são extraídas, enquanto seus corpos permanecem intactos e prosseguem suas vidas aparentemente sem alteração. A maior parte da humanidade sucumbiu a tal processo. Quando Melanie, um dos humanos “selvagens” que ainda restam, é capturada, ela tem certeza de que será seu fim. Peregrina, a “alma” invasora designada para o corpo de Melanie, foi alertada sobre os desafios de viver dentro de um ser humano: as emoções irresistíveis, o excesso de sensações, a persistência das lembranças e das memórias vívidas. Mas há uma dificuldade que Peregrina não esperava: a antiga ocupante de seu corpo se recusa a desistir da posse de sua mente. Peregrina investiga os pensamentos de Melanie com o objetivo de descobrir o paradeiro dos remanescentes da resistência humana. Entretanto, Melanie ocupa a mente de sua invasora com visões do homem que ama: Jared, que continua a viver escondido. Incapaz de se separar dos desejos de seu corpo, Peregrina começa a se sentir intensamente atraída por alguém a quem foi submetida por uma espécie de exposição forçada. Quando os acontecimentos fazem de Melanie e Peregrina improváveis aliadas, elas partem em uma busca incerta e perigosa do homem que ambas amam.

Livro:
A Hospedeira
560 páginas || Skoob || Editora: Intrínseca || OndeComprar








Se você leu a série Crepúsculo da Stephenie Meyer, vai se surpreender com esse livro. Eu achei notável o amadurecimento dela na escrita, a emoção que conseguiu transpassar em cada página e a evolução dos personagens durante a trama são incríveis.

Nesse livro nosso planeta está sob ataque: os humanos estão sendo dominados por alienígenas invasores que se hospedam em nossos corpos e assumem as nossas vidas – as Almas. Incapazes de serem violentos, de realizarem crueldades e de mentirem, os parasitas acreditam que estão fazendo isso pelo bem maior para cuidar melhor do nosso planeta. Porém os humanos perceberam a invasão e criaram algumas resistências. Melanie Stryder é uma humana que ainda não foi capturada e que está fugindo com seu pequeno irmão Jamie e seu namorado Jared, a quem ela ama com todas as forças.

Porém, Mel acaba sendo perseguida e capturada e Peregrina é a alma designada para o seu corpo, mas ela não consegue se livrar da consciência de Melanie , pois ela é uma humana muito forte que quer resistir e deixar apenas a Alma viver ali.

''Peregrina se assustada com a quantidade de emoções que Melaine passa para ela e aos poucos começa a amar as pessoas da lembrança do seu corpo hospedeiro.''

Obviamente o livro gira em grande parte de seu tempo em torno do romance, mas é algo diferente, que vai além de aparências e da superficialidade. A autora aborda variados tipos de amor diferentes. E uma das coisas mais interessantes que Meyer fez nesse livro, foi colocar todas as emoções humanas em um microscópio para análise. A forma como Peregrina se espanta com a quantidade de sentimentos diversos que ela sente ao mesmo tempo em algumas situações e a repulsa que ela sente em outros momentos quando sente ódio, raiva ou inveja, mesmo sabendo que ela está errada, nos faz pensar e até mesmo rir de nós mesmos ao longo do livro. É engraçado ver a personagem analisar o comportamento humano e lidar com ele. Raiva, compaixão, dor, amor, a hospedeira de Melanie sente tudo de forma extrapolada, tornando tudo muito intenso.

O mais legal é que a forma como a autora nos conduz na história não tem como você torcer para que Melaine consiga voltar para seu próprio corpo e ter total controle sobre ele e nem torcer para que a Peregrina vença a batalha, porque as duas ao longo da história se tornam aliadas para proteger os que amam e os humanos resistentes que ainda não foram encontrados.

''Duas almas habitando o mesmo corpo, juntas tentando viver e resistir nesse novo mundo.''
"Você é a criatura mais nobre e pura que já conheci. O universo será um lugar mais negro sem você"

Os personagens secundários também não deixam a desejar nesse livro. Jared, namorado de Melanie, vive refugiado ao lado de vários humanos na caverna para onde as duas seguem.  Ele é um homem que endureceu com a vida, a princípio é rude com Peg, mas quando percebe que Mel ainda habita aquele corpo, ele passa a deixar a amargura de lado e permite que o amor por Mel fale mais alto, porém, sempre mantendo um pé atrás.

Eu confesso que teve momentos em que eu me irritei muito com Jared, principalmente pela forma como ele tratou a Peg no começo, chegando a ser agressivo. Eu até entendo que não deva ser nada fácil descobrir que o corpo da pessoa que você ama esta tomado por um ser alienígena. Mas é nítido o quanto Peregrina é boa e só os tenta ajudar desde que chega ao abrigo.

Jammie é uma graça, com apenas 14 anos, é um garoto extremamente adulto. Desenvolve um relacionamento com Peg desde a primeira vez que a encontra, não somente por ela estar no corpo de sua irmã, mas também por gostar dela própria e de suas histórias. Não se deixa levar quando os outros lhe advertem para tomar cuidado, sabe muito bem o que quer e, assim como a irmã, corre atrás disso. E essa amizade que ele desenvolve com a Peg é muito bonita e tem uma cena entre eles que me fez chorar.

Ian já foi um dos personagens que mas me cativaram, pois ele sempre foi gentil com Peg, tentando ajudá-la e protegê-la das outras pessoas do abrigo que não gostavam dela ou sentiam medo dela. Foi um dos primeiros membros do grupo (depois de Jammie) a aceitar a alma e defendê-la quando os outros tentaram matá-la. Ian é descrito por Peg como um homem bonito, forte e extremamente amável. Quando se apaixona por Peg, se mostra muito devotado, mas em momento algum lhe falta ao respeito.

Nesse livro não esperem extraterrestres malvados querendo acabar com o mundo. Até porque a Meyer sempre tenta ver o lado bom de tudo seja nos vampiros ( me deu até saudade de Crepúsculo agora) ou nos extraterrestres.

O livro traz muitas emoções e é difícil não chorar com ele ou ir se surpreendendo ao longo da história. Acho que o maior ponto positivo dele é justamente a reflexão sobre as emoções humanas.Os personagens são envolventes e não tem como não amá-los ou odiá-los. É uma leitura intensa!

A Editora Intrínseca também caprichou na diagramação, a capa está linda e chamativa, as páginas são amareladas que facilitam bastante a leitura, mesmo sendo um livro de quase 600 paginas no qual eu devorei em um pouco mais de um dia.

21 comentários:

  1. Oi Camila, tudo bem?
    Faz muito tempo que li esse livro e me lembro que gostei bastante do enredo, apesar de achar algumas cenas un pouco arrastadas. De qualquer maneira, concordo com você sobre as emoções e de como a gente se surpreende também. A diagramação está linda mesmo. E realmente, todos os personagens merecem destaque...
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  2. Oi, camila. Primeiro devo te parabenizar pela resenha, ficou ótima. Em segundo lugar adorei saber mais dessa obra que eu sempre ouvia falarem do título mas não sabia bem o enredo, e adorei isso de as emoções humanas serem bastante examinadas, e deve ser bem estranho isso de a pessoa ter um corpo e a mente invadida. Gostei de saber que não devemos esperar extras terrestres malvados e fiquei com muita vontade de ler essa história. Entrou para a lista.

    ResponderExcluir
  3. Oi Camila,
    Lembro que assisti o filme que é baseado no livro na época em que foi lançado, achei a premissa interessante, mas não gostei do filme, planejava até fazer a leitura do livro mas estou sempre adiando. Sou dessas que sabe que não podemos julgar um livro pelo filme, mas estou esperando reaparecer a vontade para ler esse livro. Acredito que ter duas almas habitando um corpo deve ser extremamente confuso e principalmente pela quantidade de sentimentos que vivemos ao longo do dia, eu achei bem interessante essa análise dos sentimentos humanos que a autora propõe no livro.
    Parabéns pela resenha!
    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Oii Camilla, tudo bem? Gostei muito da tua resenha! Esse também foi um livro que adorei ler e me diverti bastante, além de ter ficado com o coração apertado em muitos momentos de tensão. Confesso que não simpatizei muito com a Melanie desde o começo, e não foi muito diferente com a Peg também :/ Mas da metade pro final acabei por simpatizar com elas! Realmente a escrita da autora está bem diferente nesse livro.

    Beijos!!
    http://umaleitoravoraz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Camila, li este livro em 2009, quando a autora era apenas conhecida em função da saga Crepúsculo. Eu adorei a história e fiquei impressionada com a originalidade da abordagem dos alienígenas. Achei mega válido você mencionar na resenha que não é para o leitor esperar só maldade da parte deles!!!
    Adorei relembrar a história, me deu até vontade de ler o livro outra vez.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi, como vai?

    Eu tenho um sério problema com a autora, então quando fui tentar ler Hospedeira foi um desastre. Não consegui enxergar os pontos positivos que tu citou, então foi bem frustrante. Particularmente fico feliz que tenha gostado, porque é isso que importa, o que cada um sente diferentemente em relação a um livro e uma história. Eu acho meio chato essa romantização que a autora faz com seres sobrenaturais, acho meio excessivo. Mas enfim, a tua resenha tá ótima e fico feliz (reforçando) que tu tenha se emocionado e gostado do livro. :3

    beijo!

    ResponderExcluir
  7. Ola Camila lindona eu confesso que a premissa do livro não me chama atenção, alguns livros com alienígenas não são de meu agrado, mesmo assim gostei dos pontos altos ressaltados em sua ótima resenha, como a valorização dos sentimentos humanos e o romance que amo. Quem sabe de uma chance ao filme em uma tarde qualquer. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  8. Olá Camila,
    Adorei sua resenha! Você me fez pensar sobre como me senti ao ler o livro e gostei disso. De fato, há um grande amadurecimento na escrita da autora e é um livro que nos deixa emocionalmente abalados, pois, ao passo que gostamos da Peg, gostamos da Melanie. Também me senti cativada pelo Ian, pois ele sempre a tratou de forma humana.
    Amei sua resenha, obrigada por ter me proporcionado isso.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  9. Oi Camila *--*

    Tenho um serio problema com essa autora, nada do que eu pego pra ler dela flui. Tentei ler esse livro e também Crepusculo achei ambas as estórias massantes que nem consegui ir até o fim. Fico super feliz que pra você tenha funcionado e ainda mais por ter sido muito bom pra você pois pra mim foi um fiasco. Adorei a resenha como sempre tu arrasa.

    Bjos
    http://rillismo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi Camila
    Muito bom quando um livro nos prende desta forma! 600 páginas em praticamente um dia? Devorou mesmo.
    Confesso que perdi o Time para ler esse livro. E agora não consigo mais pensar em ler.
    Mas que bom que foi tão legal para você!
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  11. Olá Camila!

    Eu tenho esse livros a anos e nunca li!! Só vi o filme, que gostei apesar de alguma coisas.
    Eu não sou uma fã da autora, só li Crepúsculo e não dei continuidade a série. Mas pude sentir que ela realmente gosta de dar enfase as emoções humanas. Muito legal isso.
    Então, me parece que esse livro pode ser melhor que Crepúsculo e talvez eu leia ele finalmente! rs

    Bjus
    Blog Fundo Falso

    ResponderExcluir
  12. Oiii!

    Que delicia de resenha! Sabe, eu não li nada da autora, uma vez que não sou fã de Crepusculo, lembro que muita gente criticou a autora dizendo que ela tinha perdido a mão, mas acho que isso foi por que todos estavam comparando com o livro anterior, o que eu acho extremamente errado.
    Gostei da sua resenha, como disse não é minha autora nem estilo favorito, mas gostei de saber mais por você.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  13. Oi Camila, sabe que eu nunca li nada da autora, mas sempre senti uma certa curiosidade com Crepúsculo, várias pessoas já me disseram que nesse livro ela amadureceu muito e por isso tenho bastante vontade de ler ele, apesar de e já ter assistido ao filme um tempo atrás e gostei bastante. Adorei a dica!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  14. Oi, Camila! Tudo bem?
    Olha, eu confesso que tenho um grande receio em ler algo da Stephenie Meyer novamente, afinal estou entre as pessoas que leram "Crepúsculo" e detestaram o livro. Já tinha ouvido falar sobre "A Hospedeira", mas ainda não conhecia o enredo da história. Admito que agora, após ler sua resenha, fiquei pensando que esta deve ser uma história bem mais complexa que "Crepúsculo", o que me deixa muito feliz. Ainda não tenho vontade de lê-lo por enquanto, mas fico feliz que a leitura tenha te agradado. Beijos! ^-^

    ResponderExcluir
  15. Oi Camila!
    Realmente a evolução na escrita da autora ficou bem clara em A Hospedeira, que foi um livro que relutei para ler, mas que acabou me conquistando completamente. A primeira parte não me prendeu, mas depois que Peg encontra com os humanos da resistência o livro tem um ritmo ótimo. Os personagens são muito bem construídos e essa ideia de não ter uma protagonista superior a outra, Peg ou Melanie, deixa tudo ainda melhor.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Olá! Eu ainda não li nenhuma obra da Stephenie Meyer, mas as adaptações me deixaram com bastante receio de conhecer a escrita da autora. Na biblioteca da minha escola tinha uns três exemplares de A Hospedeira, com a capa original, e diversas vezes pensei em pegá-lo para tentar leitura, no entanto acabei desistindo. O enredo de A Herdeira parece ser bem mais evoluída e fiquei curiosa para conhecer como os personagens reagem na presença da Peregrina. Gostei da indicação e, quando a oportunidade surgir, tentarei ler a obra novamente. :3

    Beijos,
    Fernanda Goulart.

    ResponderExcluir
  17. eu nunca li nada dessa autora. Não que falte interesse, só não tive oportunidade mesmo. Lembro-me que esse livro me interessou desde o seu lançamento, mas acabei não lendo até hoje. A sua resenha conseguiu reascender aquele velho desejo de fazer essa leitura. ;)

    Tatiana

    ResponderExcluir
  18. Há um tempinho atrás eu tinha muita vontade de ler esse livro pois gostei muito da premissa, mas eu li um conto dela e gostei de nada e uma galerinha reclamando do quanto esse livro é meio lerdão que tirei da wishlist, pela sua resenha fica bem claro que o que tinha me chamado a atenção no livro é bom: os aliens que não vieram para serem do mal, pelo visto você entrou muito bem na história hein? Quase 600 páginas em um dia :o

    http://deiumjeito.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Olá!
    Eu era apaixonada por Crepúsculo rs' mas nunca tive vontade de ler essa obra da Meyer, não sei porque, mas sua resenha está muito boa e me deixou curiosa. Que bom que a narrativa melhorou, e a história foi bem desenvolvida. Isso é muito bom para a autora.
    Vamos ver se pelo menos que assisti ao filme.

    Beijos!
    http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Olá!

    Já faz um bom tempo ele li essa livro, simplesmente apaixonei. Realmente é uma leitura bem mais madura que Crepúsculo, porém de início achei a leitura bem devagar... Mas depois a coisa ficou mais dinâmica e a leitura fluiu melhor. Ian é mesmo um amor, meu personagem favorito nisso tudo. Jared me deu muita raiva viu... Tipo muita mesmo. É compreensível e tals, mas Peg é Peg né? E Peg é um amorzinho. Ótima resenha, adorei!

    Beijinhos!
    Cantinho Cult

    ResponderExcluir
  21. Ooi
    Ótima resenha!
    Morroooo de vontade de ler esse livro. Desde a época do lançamento ele está na minha lista de desejos. Parece otimooo!
    Um dia ainda vou ler haha
    Beijoos!
    www.estantemineira.blogspot.com

    ResponderExcluir