26 abril 2016

Resenha - Espíritos de Gelo





Um homem acorda acorrentado numa sala de tortura sem se lembrar de nada.
Um baixinho com uma camiseta do Black Sabbath o interroga, enquanto os capangas - "dois sujeitos vestidos com roupas de couro apertadas, compradas em algum sex shop de baixa qualidade para simular o mais próximo possível de um clube sadomasoquista" - o auxiliam. Eles querem que o homem conte o que aconteceu - detalhadamente - antes de chegar até ali. Querem que ele explique como foi parar dentro de uma banheira cheia de gelo.
O problema é que seu inconsciente está bloqueando essas informações por causa de um trauma.
Numa narrativa emocionante e misteriosa, Raphael Draccon conduz o leitor ao universo desse homem acorrentado pelos próprios erros e dramas. Sexo, magia e vingança se misturam para criar uma trama surpreendente.

Livro: Espíritos de Gelo
176 páginas || Skoob || Editora: Leya || Onde Comprar







''Espíritos de Gelo'' nos mostra a visão de um homem que ao acordar, percebe que está acorrentado numa banheira. Há um homem esquisito com uma blusa do Black Sabbath que deseja arrancar informações dele sobre o que aconteceu nos últimos dias e dois capangas com roupas de couro que o acompanham. O problema é que esse homem, preso na banheira, não consegue se lembrar de nada, e toda vez que ele afirma isso para o interrogador, os capangas começam a torturá-lo sem piedade.

A história é em primeira pessoa e narrada por um homem sem nome, que está com amnésia por ter sofrido um trauma intenso. Por algum motivo misterioso, os homens estranhos precisam que ele libere as informações bloqueadas e toda vez que recebem uma resposta negativa, começam a espancá-lo e torturá-lo com soco inglês, marreta, taco de beisebol e tudo que puder imaginar.

“Se você não se lembrar do que aconteceu nas últimas horas, nós faremos com que sofra ainda mais, como se estivesse em um dos Nove Círculos do Inferno...”

Essas cenas de torturas causam aflição e nos faz questionarmos o porquê desses caras agirem de tal maneira, afinal, qual seria a lógica de fazer algo tão absurdo com uma pessoa que não consegue se lembrar de nada? Felizmente posso dizer que esse livro não é daqueles que nos enchem de questões; a resposta nos é revelada no final com muita maestria!

Conforme o personagem principal recebe danos, os fragmentos de suas memórias vão sendo liberados aos poucos, nos permitindo conhecer a sua história de vida e mostrando o que deu de tão errado para se encontrar naquela situação desagradável. Ele é um homem que cresceu se espelhando no pai, o qual lhe ensinou tudo que sabe e desde adolescente o prepara para trabalhar na sua empresa.

Em sua perspectiva, sua vida estava completa: sua autoestima estava nas alturas, era popular entre as mulheres e os negócios iam bem. Até que o inesperado acontece: seu pai morre, deixando-lhe a empresa e, consequentemente, tirando o sentido de sua vida.


A história começa a se desenvolver quando em seu momento mais frágil, ele conhece Mariana, uma mulher muito bonita. Ela o ajuda a se recuperar da morte do pai ao apresentá-lo à um templo muito estranho, onde os casais ricos frequentam para praticar rituais sexuais com pessoas desconhecidas por meio da espiritualidade. Quem não tiver a mente aberta, provável que se incomode com essas cenas eróticas, mas acredito que essa parte conte como ponto positivo, é interessante ver a abordagem que o autor utilizou para dar rumos tão imprevisíveis na história.

“Era bom preencher o vazio que havia em mim, há tempos, com algo digno de nota. Com algo que se sentia, porque, afinal, toda pessoa com um buraco interno, inicialmente, precisa urgentemente de algo que a faça se sentir viva.”

Vale ressaltar que o personagem toma várias atitudes típicas de um machista, o que pode acabar incomodando alguns leitores, portanto, recomendo que não deixem essa característica afetar a leitura, pois ela tem uma grande importância para a trama. Na realidade, nenhum personagem do livro é carismático, o autor fez questão de deixar todos com seus defeitos bem acentuados, revelando-nos a verdade nua e crua sobre eles.

“No fundo, tenho certeza de que ela gritou meu nome. O mundo ainda era ruim. Mas, se ela tivesse realmente gritado, haveria alguma esperança nele.”

Os capítulos são curtos e alternados entre as cenas em que ele se encontra preso na banheira lidando com os torturadores e com as suas lembranças, que vão sendo recuperadas até o final. Como se não bastasse o fato do livro conter pouquíssimas páginas, o tamanho das letras é grande, portanto, não tenha expectativas de uma leitura longa, você pega o livro uma vez e logo finaliza a leitura. Sim, é algo triste, mas não deixa de ser uma leitura extremamente proveitosa, recomendo muito e destaco que vale a pena! Quando o comprei, confesso que desanimei com o tamanho dele, mas a história é tão boa que compensa isso, e muito. Não deixem de ler essa obra!

19 comentários:

  1. Oi Amanda, eu não conhecia esse livro, mas só ao ler a sinopse já despertou minha curiosidade. E sua resenha demonstra que vale muito a pena ler esse livro. E pelo visto é uma leitura bem rápida mesmo né?! Só a capa que não me agradou muito, se eu nao lesse nada a respeito, talvez nem chamaria minha atenção. Mas vou procurar mais informações para adquirir logo.
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  2. Oi Amanda... faz tempo que queria ler algo do Raphael e acho que agora achei um livro dele que chame a minha atenção: ainda mais quando sua avaliação é nota máxima + favorito! Amo histórias que envolvam tortura, então, com certeza eu me apaixonaria por esse suspense. Capítulos curtos são uma tendência que incentivam e deixam o leitor curioso, de forma a deixar o livro atraente. Anotei aqui para conhecer o livro, que até então, eu nem tinha ouvido falar... é um lançamento?
    beijos

    ResponderExcluir
  3. Oie amanda, a princípio o livro não me chama atenção, mas como sou uma grande curiosa fico intrigada com qual seriam os tralmas do personagem e porque sofrer tanta agressão, por isso acho que eu daria uma chance para o livro. Essa história da banheira de gelo também é muito intrigante e o título do livro me chama atenção. Então se tiver oportunidade vou conferir.

    ResponderExcluir
  4. Comprei esse livro na última bienal, mas ainda não li. Eu gosto da premissa dele, mas sendo bem sincera não sei se vou gostar das explicações para a tortura, tenho a leve impressão de que vou achar as justificativas meio forçadas. Mas vamos ver, espero me surpreender :)

    Um Metro e Meio de Livros

    ResponderExcluir
  5. Gente, deve ser angustiante ir acompanhando as torturas que o personagem sofre e os fragmentos de sua memória voltando. Eu fiquei curiosa para saber o que é tão importante que ele tenha que se lembrar e que necessite de toda essa tortura.
    Vou colocar esse livro na minha lista de leituras com toda a certeza
    bjs

    ResponderExcluir
  6. Olá Amanda,
    Adorei sua resenha, parabéns.
    O livro me pareceu bastante angustiante e deixa o leitor com bastante medo. Essa cenas de tortura iriam me incomodar muito durante a leitura. Entretanto, não posso dizer que não fiquei curiosa com a leitura, pois essa ideia de liberar fragmentos da memória me deixou instigada.
    Acho que é uma leitura legal, porque foi feita com maestria.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  7. Oie!
    Acredita que nunca li nada desse autor? Até tenho alguns livros dele, mas sabe quando você nunca para para ler? É o que acontece comigo. Gosto dessa característica de enredo de fantasia, e vou anotar também esse nome para conferir. Com certeza será uma leitura bem rápida.
    Bjks!
    Blog Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  8. Oiee Amanda ^^
    Acho que já tinha visto esse livro antes, mas, como não é o tipo de livro que eu costumo e gosto de ler, nunca dei muita bola. Ele ainda não me fisgou *-* saber que os personagens não agradam muito me desanimou, pois eu gosto de ler um livro e me identificar com alguém, ou encontrar algum crush, sabe? hehe' Não sei se o leria :/
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Fui lendo a sua resenha e imaginando a estória como um filme e mesmo não sendo de um gênero que costumo ler fiquei curiosa, ainda mais por vc ter gostado e recomendado. Achei vários aspectos que vc citou da obra bem diferentes e gostaria de ver como foram inseridos no livro, caso eu leia espero gostar tanto quanto vc!
    Beijos,
    Andy - StarBooks

    ResponderExcluir
  10. Oi Amanda
    Apesar da sua resenha incrível, o livro não chamou minha atenção.
    Achei um pouco clichê sabe. Um homem preso em uma banheira passando por situações aterrorizantes? Não me empolga.
    Mas adorei todos os pontos que você citou. Esclareceu muita coisa.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  11. Oi Amanda!

    Embora a leitura seja curta, esse não é um livro que faça muito o meu gênero literário. Até mesmo pq tem tortura, não sei qual o ponto chave, mas saber que o autor deixou os personagens parecidos com as características reais é bem positivo, pois temos defeito e a leitura tem por virtude enaltecer as qualidades. Que bom que tudo a envolveu, beijos

    ResponderExcluir
  12. Ola Amanda achei achei a trama do livro bem interessante, mas confesso que estou fugindo de livros com cenas violentas, ando tão assustado com violência que darei um tempo de livros com temas fortes como espancamento. Mas fica anotada a dica para ler em um momento mais calmo. beijos

    https://www.skoob.com.br/livro/563982ED565942

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem?

    Eu já tinha ouvido falar desse livro, mas, nem sabia que é do Raphael Draccon.

    Achei a premissa bem interessante e fiquei muito curiosa com respeito ao segredo e onde os torturadores se encaixam nisso. Mas, não sei se eu conseguiria lê-lo. Não suporto livros com nenhum tipo de tortura.

    Beijos e até mais!

    www.dreamsandbooks.com

    ResponderExcluir
  14. Olá *--*

    Já tinha visto o livro mas nunca parei mesmo pra ver sobre o que fala. A capa também não me agrada mas vendo sua resenha vejo que a leitura vale muito a pena. A premissa é diferente do tudo que já li e acho que seria uma boa pedida de leitura.

    Bjos
    http://rillismo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Olá!! :)

    AInda bem que gostaste assim do livro! ;:) Bem, pode ser um livro pequeno.. (ainda nao sei se isso e bom o mau!! ahah).

    Ainda bem que achaste o livro proveitoso... E eu adorei que as narrações tenham sido alternadas! :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  16. Oi Amanda, tudo bem? Adorei muito sua resenha! Não sabia nada sobre o livro e fiquei bem curiosa, apesar de achar que não irei gostar tanto do personagem... nunca li nada do autor e acho que irei começar por esse mesmo.
    Sobre esse teor machista: com certeza iria afetar minha leitura :/

    beijos!

    ResponderExcluir
  17. Hi Amanda!

    Eu estou me envolvendo nesse mundo mais macabro kkkk ... Eu não conhecia o livro, mas a capa me chamou bastante atenção! O inicio da sua resenha já me fez criar várias teorias... O seu questionamento sobre o pq eles continuavam torturando a pessoa mesmo ela dizendo que não se lembrava, o mais lógico é pq eles pensavam que ele estava mentindo.. Isso é muito comum em filmes kkkk. Bom, mas agora eu quero saber o pq e se ele conseguiu fujir! Obrigada pela dica e comprarei com toda certeza!!

    http://soubibliofila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Olá
    Eu sempre pensei que esse livro contava uma história de terror, daquelas horríveis e mesmo querendo muito ler o livro, acabava adiando a leitura por ser medrosa, mas adorei a premissa e dá para encarar. As cenas de torturas devem ser horríveis mesmo e agoniantes quanto mais narradas em primeira pessoa, mas como uma vez li um livro sobre a segunda guerra mundial onde nazistas torturavam um judeu, acho que nada poderá ser pior do que aquelas torturas.
    Fiquei curiosa para saber o que esses caras querem e carambaaaa só é revelado no final??? Mas enfim... gosto de personagens sem memoria então vou amar o livro.
    Adorei a resenha

    ResponderExcluir
  19. Acho que em livros curtos o autor precisa envolver mais do que nunca o leitor, e eu só escutos elogios para o Raphael. Infelizmente, não faz nem um pouco o meu estilo de leitura e mesmo acreditando em você de que o livro vale a pena, eu passo a indicação. Acho que não chegaria ao final dele pelo simples fato de já ter ficado angustiada na resenha, imagina durante a leitura?
    Beijinhos,
    Lica
    http://amoreselivros.com.br

    ResponderExcluir