27 fevereiro 2016

Resenha - Samantha Sweet, Executiva do lar





Samantha Sweet é uma advogada poderosa em Londres. Trabalha dia e noite, não tem vida social e só se preocupa em ser aceita como a nova sócia do escritório. Ela está acostumada a trabalhar sob pressão, sentindo a adrenalina correr pelas veias. Até que um dia... comete uma grande mancada. Um erro tão gigantesco que pode destruir sua carreira. Samantha desmorona, foge do escritório, entra no primeiro trem que vê e vai parar no meio do nada. Ao pedir informação em uma linda mansão, é confundida com uma candidata a doméstica e lhe oferecem o emprego. Os patrões não fazem idéia de que contrataram uma advogada formada em Cambridge, com QI de 158, e que não tem a menor noção de como ligar um forno! O caos se instala quando Samantha luta com a máquina de lavar... a tábua de passar roupa... e tenta fazer cordon bleu para o jantar... Mas talvez não seja tão incapaz como doméstica quanto imagina. Talvez, com alguma ajuda, ela possa até fingir. Será que seus patrões descobrirão que sua empregada é de fato uma advogada de alto nível? Será que a antiga vida de Samantha irá alcançá-la? E, mesmo se isso acontecer, será que ela vai querer de volta? A história de uma mulher que precisa diminuir o ritmo. Encontrar-se. Apaixonar-se. E descobrir para que serve um ferro de passar.

Livro: Samantha Sweet, Executiva do lar
514 páginas || Skoob || Editora: Grupo Editorial Record || OndeComprar









"2. Sacos de aspirador - comprar
Pouso a caneta e massageio a testa. Realmente não tenho tempo para isso. Quero dizer, sacos de aspirador. Nem sei como esse negócio é, pelo amor de Deus, quanto mais onde comprar...
Um pensamento súbito surge. Vou comprar um aspirador novo. Certamente já virá com um saco instalado."

Samantha Sweet é uma mulher de 29 anos viciada em trabalho. Passando todas as horas possíveis em seu escritório, ela sequer sabe onde as coisas estão guardadas em sua casa, como funcionam os aparelhos mais básicos e como cozinhar as comidas mais simples. Também negligencia os cuidados consigo mesma e é completamente viciada em telefones e e-mails.

"- Samantha, Samantha... - Maya balança a cabeça. - Você está aqui para relaxar. Tirar um momento para você. Não para mandar e-mails. Isso é uma obsessão! Um vício! Tão maligno quanto o álcool. Ou a cafeína.Pelo amor de Deus, não sou obcecada. Quero dizer, isso é ridículo. Checo meus e-mails mais ou menos uma vez a cada... trinta segundos, talvez."

Em uma luta frenética para alcançar o posto de sócia do escritório onde trabalha, ela se sente em uma enorme pressão. E quando finalmente está com seu objetivo em mãos, ela descobre que cometeu um erro muito simples, que levou a perda de um contrato de milhares de dólares, e então vê tudo aquilo pelo que sonhou indo embora.

"- Fermento? Você coloca fermento no molho? Foi isso que ensinaram na... - Ele para e fareja o ar. - Espera aí. Tem alguma coisa queimando?Olho desamparada enquanto ele abre o forno de baixo, pega uma luva com gesto hábil e tira um tabuleiro coberto com o que parecem pequenas balas de espingarda pretas.Meus grãos-de-bico. Esqueci totalmente deles.- O que isso deveria ser? - pergunta Nathaniel incrédulo. - Cocô de coelho?"

Em choque, Samantha pega um trem sem destino, até que com uma série de acasos, vai parar em uma casa no interior da Inglaterra onde estão contratando empregadas domésticas. Querendo apenas um lugar para passar a noite, Samantha cria uma teia de mentiras e é contratada para o cargo. Porém no dia seguinte enquanto sua patroa, Trish Geiger, uma mulher bastante excêntrica e divertida, lhe passa todas as suas tarefas, Samantha se vê em um desespero crescente,  não conseguindo imaginar o que fará para cumpri-las, ao mesmo tempo que pensa em como desfazer o mal entendido e explicar para os patrões que na verdade é uma grande advogada.

Para isso, conta com a compreensão e a distração intensa dos patrões que veem seus desastres como peculiaridades da empregada especial, e com Nathaniel, o jardineiro que será uma fonte de grande apoio nessa fase.

Nessa aventura temos um grande número de risadas garantidas. Os desastres que a moça causa enquanto tenta aprender as tarefas mais simples e seu desejo sincero de conseguir são cativantes, e também podemos acompanhar a sua descoberta de tudo aquilo que realmente importa na vida. Em um chick lit empolgante, Sophie Kinsella leva o leitor a se identificar com as situações encontradas no livro e nos faz entrar no lugar de Samantha por alguns momentos, e ao seu lado, descobrir uma nova vida.

""- Não sei quem sou. - Eu expiro com mais calma. - Nem qual é meu objetivo... nem para onde vou na vida. Nem nada.- Não importa - diz ela em voz suave. - Não se critique por não saber todas as respostas. Nem sempre sabemos quem somos. Não é preciso ter o quadro geral, nem saber para onde estamos indo. Algumas vezes basta saber o que vamos fazer em seguida."


[- Minhas Impressões -]

Samantha Sweet é um livro que me causava muitas expectativas, e ao mesmo tempo um pouco de anseio, pois já mencionei em outra resenha de um livro da autora que a minha primeira experiência com ela não foi positiva. Li Becky Bloom e o exagero nas situações acabou me irritando profundamente e me levando a não concluir a série. Mas quando conheci o livro A procura de Audrey a experiência foi positiva e Samantha Sweet foi ainda mais divertido, o que me fez gostar de vez da autora. Em várias vezes, durante a madrugada me peguei lendo e dando muitas risadas com as situações pelas quais a advogada passava. Os acontecimentos, por vezes, podem ser considerados exagerados por alguns leitores, mas achei que todos foram muito bem encaixados e senti que os dramas culinários de Samantha serviram para aproximá-la muito de cada leitor, pois todos já passaram ou passarão por desastres enquanto aprendiam a cozinhar.

Todo o livro é muito positivo, apenas o final que quase me causou um ataque de nervos, enquanto eu via Samantha causando um grande desastre com as decisões de sua vida, mas Sophie Kinsella resolveu tudo a tempo e o final acabou sendo maravilhoso como todo o resto do livro.

Quase todos os personagens são totalmente cativantes, exceto aqueles que trabalhavam com Samantha no escritório de advocacia, que eram pessoas viciadas apenas em dinheiro. Os patrões, donos da casa onde ela vai trabalhar, Trish e Eddie são pessoas com um estilo de vida bastante peculiar e não são muito atentos ao que se passa ao seu redor, e possuem um grande coração.

Nathaniel, o homem que ajuda Samantha a passar pelas trapalhadas é simples e carinhoso, toda leitora acabará se sentindo um pouco apaixonada por ele durante a leitura. Outra personagem que merece destaque é Iris, a mãe de Nathaniel, uma mulher extremamente compreensiva, que está pronta para acolher e dar um colo a qualquer momento. E por fim temos Samantha, que é uma pessoa muito desastrada mas também determinada, que quer conseguir cumprir suas tarefas e objetivos custe o que custar.

O livro é dividido em 26 capítulos e todo narrado em primeira pessoa, o que deixa tudo ainda mais divertido, pois acompanhamos toda a crise de Samantha quando as coisas dão errado. Por vezes fiquei curiosa em relação ao que as outras pessoas estavam pensando sobre o seu trabalho como doméstica e suas tarefas fracassadas, mas acredito que saber só o ponto de vista de Samantha ficou ainda mais intrigante.

Recomendo para todos os leitores que gostam de uma estória divertida.
É um livro que é lido em um fôlego só, e não conseguimos parar até chegar a última página, e depois, ainda sentimos falta da vida de Samantha e queremos saber mais sobre ela.

19 comentários:

  1. Olá
    Já ouvi falar dessa autora, parece que comédia é a especialidade dela, não é isso?
    Eu gosto mt de comédia em filmes, nunca li um livro do tema, não sei se me agradaria kkk
    Esse livro parece ser bem extremista... os que trabalham com advocacia só querem saber de dinheiro e todos os outros não... esse foi o único ponto da resenha que fez com que eu ficasse com um pé atrás sobre ele.
    Vou procurar os livros dela pra começar a ler comédias. Espero não me arrepender.
    Gostei da resenha, querida. Beijinhos!

    ResponderExcluir
  2. Oi, tudo bem??

    Já lia Os segredos de Emma Corrigan e amei, dei muitas risadas lendo o livro, ainda não tive a chance de ler Becky Bloom, só assisti mesmo o filme, como só li um livro da autora e gostei dele, e lendo agora sobre esse livro, fiquei com muita vontade de ler e ver se gosto tanto quanto o da Emma Corrigan. Não sei se vou me decepcionar ou não, ,as vou arriscar a leitura. Obrigada pela dica!!

    ResponderExcluir
  3. Oie. Tudo bem?
    Nunca li nada da Sophie, mas sou louca para ler seus livros, só não começaria por esse. Não que eu não tenha gostado, pois eu realmente amei, mas acho que começaria por outro.
    Acho louco quando alguém resolve viajar para um lugar qualquer, muita coragem e loucura. Acho que vou sim me divertir muito com ela tentando aprender fazer coisas simples. Fiquei curiosa pelo final, que te deixou nervosa.
    Ah, que pena que não curtiu Becky Bloom, não vou começar por ele também kkkkkk
    Amei a resenha e achei a premissa bem divertida. ♥

    http://colecoes-literarias.blogspot.com/2016/02/resenha-cartas-para-voce.html

    ResponderExcluir
  4. Oi Tamara, eu amo a Sophie Kinsella e acho mega difícil dizer qual é o meu livro predileto entre todos os que ela já publicou aqui no Brasil, mas este aqui que você resenhou, com certeza é um dos que eu mais gosto e um dos que mais me divertiu enquanto lia. Concordo com você quando disse que o livro é lido em um fôlego só, foi assim que eu li também. Sua resenha me deixou com vontade de ler novamente!!!
    Meu Amor Pelos Livros
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Nunca li nada da autora...
    Vivo em constante anseio ja que os livros dela são super elogiados, que pena que sua primeira experiência não foi positiva e parabéns pela sua coragem de arriscar novamente, eu teria ficado receosa e talvez não dessa uma chance tão cedo. De qualquer forma a autora tem tantos títulos que nem sei por onde começar. Talvez por esse né? Quem sabe. Parabéns pela resenha.

    Abçs
    Sou bibliófila

    ResponderExcluir
  6. Oi Tamara!
    Eu tive esse mesmo problema com a autora, onde eu li Becky Bloom e quase dormi durante a leitura, e também li A Procura de Audrey do qual gostei da leitura. Ainda tenho um tanto de medo de ler outros livros da autora, e acabar não gostando. Vou deixar para fazer essa leitura outra hora.
    Bjks!

    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  7. Olá Tamara, tudo bem?
    Ainda não li nada da Sophie Kinsella, mas tenho muita curiosidade de fazer.
    Achei toda premissa interessante, exceto pelo final que você diz que ela causou um desastre, acho que isso também me incomodaria.
    Apesar desse ponto, Samantha Sweet, executiva do lar, é um livro que leria e, provavelmente, adoraria.
    Beijos,
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá Tamara,
    Já ouvi falar nessa autora por ai, mas nunca procurei saber nada sobre suas obras, inclusive também não li nada da mesma.
    A premissa deixou um pouco a desejar, então não sei se iria ler ele tão cedo, mas quem sabe um dia né?!
    Abraços,
    Gabriel Lucas | Frases, Trechos e Pensamentos

    ResponderExcluir
  9. Oi Tamara, tudo bem?

    Eu só li um livro da Sophie, mas foi o suficiente para me apaixonar pelas suas histórias. Recomendo muitíssimo "Fiquei Com o Seu Número". Haha.. se eu já ri com o primeiro quote que você colocou na resenha, imagina com toda a história, e com certeza vou conseguir me identificar com a Samantha... pois também sou péssima na cozinha... hahau.

    Gostei de saber que o final ficou maravilhoso quanto o resto do livro, e mesmo as situações sendo um pouco exageradas, fica tudo na medida certa. Parece ser um livro apaixonante!!

    Beijinhos,

    Rafaella Lima || Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  10. Olá Tamara!
    Também não tive a primeira impressão positiva da Sophie, o que me deixou com o pé atrás pra prosseguir nas outras obras dela. Sua resenha sobre o livro me causou o mesmo estranhamento que o último livro dela me causou: tudo muito forçado. Acho dificil imaginar uma situação plausível de uma advogada viciada em trabalho que vai para o interior de londres pra passar uma noite e pede emprego como empregada...... uai, onde fica o cabimento? Talvez a Sophie precisasse de um daqueles amigos parceiros que falam: amiga, você precisa por conteúdo nisso. ahahahha
    Sua resenha ficou muito boa!
    bjss

    ResponderExcluir
  11. Oi!
    Você não conhece a Samantha?! Prazer sou eu. Rsrs
    Eu tenho 27 anos e não sei cozinhar e nem cuidar muito bem da casa. Quando vou para cozinha sempre faço uma trapalhada e a maioria das vezes ocorre um desastre. Rsrs.
    Eu quero ler esss livro e tenho certeza que vou me identificar e muito com as histórias vividas pela personagem e dar boas gargalhada.
    Bj
    Camila Bernardini Coelho

    ResponderExcluir
  12. Amei sua resenha, Tamara!! A melhor que li sobre o livro até agora. Me deixou totalmente empolgada para realizar a leitura. Sou grande fã do gênero e esse parece ser um exemplar maravilhoso do mesmo. Nunca li nada da autora, mas quero muito e tudo indica que começarei por esse :D
    Quero me divertir com as trapalhadas da Samantha também!! :D
    Beijos lindona!

    Gaby
    http://umaleitoravoraz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oie! Já li muitos comentários positivos acerca das obras da autora e cada vez fico mais empolgada para conhecer a escrita de Sophie. Acredito que o primeiro assunto abordado pela autora - o vício pelo trabalho - seja algo bastante impactante, por mais que não seja tratado desse jeito. Esse vício é algo sério que, infelizmente, acontece com muitas pessoas e pode levar a problemas muito maiores... Adorei saber que, depois disso, vem uma trama cheia de humor e isso me deixou mais ansiosa. Com certeza eu daria boas risadas com os fracassos da personagem na cozinha, hahah.

    Beijos,
    Fernanda F. Goulart,
    Império Imaginário.

    ResponderExcluir
  14. Parece um livro bastante engraçado, de leitura leve e agradável... Se tirarmos, é claro, o quase ataque de nervos que te deu no final.
    Gosto quando a obra é em primeira pessoa, acho que aproxima mais o leitor do personagem. Nunca li nada dessa autora e este me parece um bom livro para começar.

    ResponderExcluir
  15. Olá, tudo bom?

    Diferentemente de você, eu comecei com um livro muito bom: "Fiquei com o seu número". Se você não leu, pode começar, pois realmente vale muito a pena. Depois eu li "Lembra de Mim?", que foi bom, mas não chega aos pés da minha primeira leitura. Com isso, fiquei receosa que os outros livros dela não fossem tão engraçados assim, porém depois de ler essa resenha, fiquei com uma vontade imensa de ler o livro! hahaha Adoro situações engraçadas, mesmo que sejam exageradas, sabe? Pode ser exagero, mas eu não estou ali para julgar e sim para ler e me divertir! O que parece ser o caso nesse livro...

    Obrigada pela dica, então ;)

    Beijos.

    http://instantesmemoraveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Olá. Menina eu ainda não conhecia o livro e gostei bastante dessas desventuras kkkk Quase não leio livros do gênero mas gosto bastante. Achei a premissa desse bem bacana e fiquei bem curiosa com o final por ter te deixado com esses nervos. Parece que tem mesmo boas risadas garantidas e uma leitura bem leve.

    ResponderExcluir
  17. Oi Tamara, sabe que eu nunca li nada da autora mas eu morro de vontade e curiosidade de ler suas obras, pela sua resenha esse parece ser um livro muito cativante e divertido, quem sabe seria interessante eu começar por ele, talvez eu goste tanto quanto você!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  18. Oi!
    Eu adoro a Sophie e seus livros! Acho eles super alto astrais e impossíveis de não se divertir durante a leitura. Já li Samantha Sweet e adorei o desenvolvimento dessa protagonista que ao contrário de outras protagonistas da Kinsella tem um vida profissional e uma carreira forte e crescente! Atualmente estou lendo outro livro dela e já estou ansiosa pelas próximas leituras ^^
    Beijos,
    Andy - http://starbooks.com.br

    ResponderExcluir
  19. Achei interessante saber que Becky Bloom é uma série cheia de exageros, pois a premissa da série não me salta aos olhos. Bom saber que Samantha Sweet tem os mesmos exageros só que melhores colocados, pois eu gostei dessas loucuras que ela passa quando é do lar e só sei dizer que preciso ler algo da Sophie!

    http://deiumjeito.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir