09 fevereiro 2016

Resenha - Memórias de Uma Gueixa





"Memórias de uma Gueixa" é um romance fascinante, para ser lido de várias maneiras: como um mergulho na tradicional cultura japonesa, ou um romance sobre a sexualidade, e ainda, como uma descrição minuciosa da alma de uma mulher já apresentada por um homem. Seu relato tem início numa vila pobre de pescadores, em 1929, onde a menina de nove anos é tirada de casa e vendida como escrava. Pouco a pouco, vamos acompanhar sua transformação pelas artes da dança e da música, do vestuário e da maquilagem; e a educação para detalhes como a maneira de servir saquê revelando apenas um ponto do lado interno do pulso - armas e mais armas para as batalhas pela atenção dos homens. Mas a Segunda Guerra Mundial força o fechamento das casas de gueixas e Sayuri vê-se forçada a se reinventar em outros termos, em outras paisagens.

Livro: Memórias de uma Gueixa
460 páginas || Skoob || Editora: Imago || OndeComprar








Eu duvido que qualquer pessoa viciada em leitura não tenha experimentado a sensação de bater os olhos em um livro específico e sentir um impulso enorme de lê-lo. Sabe, aquela vozinha na sua cabeça que lhe diz que tal obra irá mudar sua vida. As vezes essa voz acerta e as vezes ela erra. E no meu caso de amor com Memórias de Uma Gueixa, ela acertou em cheio. Eu não consigo expressar o quanto tenho a agradecer ao autor Arthur Golden. Eu leria qualquer coisa que ele escrevesse, sem dúvida. Isso porque o livro foi um dos melhores que tive a oportunidade de ler. Então, você é o cara Arthur.

E com certeza não posso deixar de dar uma salva de palmas á editora IMAGO, que fez esta capa excepcional. Muitas pessoas irão dizer: Ah, é apenas o rosto de uma oriental  de olhos azuis e com os lábios pintados de vermelho. E eu responderia: Esta capa retrata o rosto de uma gueixa, a cultura japonesa.

E não vou me fazer de entendida, porque antes de ler este livro eu não fazia ideia do que, ou melhor, quem eram as gueixas. Mas logo no começo da narrativa conheci Chiyo, uma menininha de olhos azuis que morava em uma casa bêbada (como ela mesma descreve) em uma província de pescadores no Japão. É o ano de 1929. O livro é contado em primeira pessoa, e podemos ver a vida da personagem muito bem. Sentimos até seu desespero quando a menina e sua irmã são vendidas a um japonês rico.

"Minha mãe dizia que era porque éramos feitas do mesmo jeito, ela e eu - e na verdade tínhamos os mesmos olhos peculiares que quase nunca se vê no Japão. Em vez de serem castanhos escuros como os de todo mundo, os olhos de minha mãe era de um cinza translúcido, e os meus são exatamente assim. Quando era muito pequena, eu disse à minha mãe que achava que alguém tinha feito um furo em seus olhos e a tinta escorrera, o que ela achou muito engraçado."

As duas garotas são levadas a Kioto, para okyias diferentes (lugares onde as gueixas vivem) para trabalharem. Chyio, infelizmente, acaba sendo colocada na mesma casa que Hatsumomo, uma das gueixas mais respeitadas das casas de chá. E uma das mais traiçoeiras também.

"-Acho que sou como um rio que topou com uma represa, e essa represa é Hatsumomo.-Sim, provavelmente é verdade. -ela disse, olhando-me calmamente. - Mas ás vezes os rios derrubam represas."

Ela é inserida em uma realidade totalmente diferente, onde pintar seu rosto de branco, tingir os lábios de vermelho, usar quimonos e andar elegantemente são as regras. Ela tem dificuldade para se adaptar , e num belo dia conhece o Presidente, um homem poderoso que a consola. Chyio ainda tem nove anos, e torna seu objetivo de vida ser uma gueixa para atrair a atenção do Presidente.

"Com os olhos bem fechados e as mãos unidas rezei para que me permitissem de alguma forma chegar a ser uma gueixa. Eu suportaria qualquer treinamento, qualquer dureza, por uma oportunidade de atrair outra vez a atenção de um homem como o Presidente. "

Então, Chyio se torna Sayuri. Entramos em uma cultura tradicional totalmente diferente. As gueixas, mulheres que vendem sua companhia (não sexo) para os homens, são um universo á parte. Elegantes, treinadas e misteriosas. Sayuri aprende a servir saquê revelando apenas o lado interno do pulso. Se torna interessante sem que tenha que vender seu corpo. Como o autor expõe bem, as gueixas são artistas.

"E de fato o "guei" de gueixa significa "artes", de modo que a palavra gueixa significa na verdade "artesã", ou "artista"."

Contudo, Sayuri tem que enfrentar dificuldades que vão desde a atenção indesejada de Hatsumomo á Segunda Guerra Mundial. Assim, Arthur narra a trajetória da gueixa mais respeitada do Japão, de uma forma interessantíssima.


[- Minhas Impressões -]

É obvio que eu amei este livro. Simples assim. Eu amei. Não mudaria nem uma vírgula de lugar. Bom, nós não temos o direito de modificar a história das pessoas, certo? E em específico, esta história já é tão envolvente que não necessita de nada mais. Então como irei me abster de comentários negativos, melhor começar a falar sobre os inúmeros pontos positivos deste livro.

A obra é como uma aula de história e cultura. Acreditem ou não, mas acertei uma questão de Geografia porque havia lido este livro e sabia bastante sobre o Japão. E a cultura que nos é apresentada é fascinante. Okyias, casas de chá, gueixas, saquês, generais, dança... É tudo como um sonho á parte. Tirando o fato que é a realidade de muitas pessoas até hoje.

Aprendi tantas palavras, termos e costumes novos com esse livro que me apaixonei totalmente pela diversidade cultural. Sim, foi por causa desse livro que acabou despertando minha vontade de conhecer o mundo. Mais uma vez, obrigada Arthur Golden.

Também, aprendemos o porquê dessas  mulheres virarem lendas, como a gueixa que conquistou o coração de George Morgan. Chyio passou de uma garota pescadora á uma mulher que poderia fazer um homem cair com apenas um olhar. Nos tornamos íntimos de um ambiente que é restrito para os japoneses. As gueixas não falam sobre suas experiências, sobre quem entretêm. São as esposas da noite. E é esse mistério que envolve a cultura  japonesa que nos faz apaixonar pelo livro. São memórias fictícias, como o autor conta em suas notas, de uma pessoa extremamente influente e encantadora. 

Contudo, apesar da ficção, Arthur diz que foi guiado por Mineko Iwasaki, uma das principais gueixas de Gion durante os anos de 60 e 70.  Se eu recomendo? Claro que sim. Memórias de Uma Gueixa vai despertar seu interesse por outras realidades e inseri-lo no mundo noturno das esposas da noite do Japão.


20 comentários:

  1. Tenho muita curiosidade de ler esse livro. assisti a adaptação para o cinema assim que ela foi lançada e adorei o filme. Mas creio que algumas coisas foram alteradas para ficar no gosto da industria do cinema.
    Outro ponto favorável para eu querer ler é ser ambientado durante a segunda guerra e por mais que seja um livro de ficção, me faz imaginar como as pessoas, nesse caso as gueixas sobreviveram a esse período.

    Bjs,
    Garotas de Papel

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Confesso tambem que eu sinto essa vozinha no meu ouvido dizendo isso. Kkk. Eu também não sei muito bem o que é uma gueixa, mas vou dar uma pesquisada sobre o assunto. O livro parece ser bem legal e a capa realmente é muito linda. Espero ter a oportunidade de ler.
    Abçs

    ResponderExcluir
  3. A bastante tempo atrás estava louca para ler esse livro, ele era muito bem falado na blogosfera o que acabou por me deixar desejosa. Maaas o tempo passou a vontade acabou diminuindo e consequentemente passando por completo. Ler uma crítica positiva depois de tanto tempo me fez lembrar o quanto eu quis ler esse livro e até despertou um pequeno querer novamente.

    Bjos
    Sou bibliófila

    ResponderExcluir
  4. Olá,

    Eu vi o filme a muitos anos atrás. Eu ganhei o livro de presente e pretendo ler em breve.

    ResponderExcluir
  5. Gostei tanto dessa história que teve um período da minha vida que cheguei a acumular 3 exemplares. A cultura japonesa é belíssima e fiquei completamente encantada com a narrativa! Adorei sua resenha. Um grande beijo!
    http://www.lostgirlygirl.com

    ResponderExcluir
  6. concordo plenamente com você em relação a capa deste livro , acho ela simplesmente belíssima.
    já tentei ler este livro por duas vezes e nas duas acabei abandonando por não conseguir me envolver com trama , mais pretendo fazer uma nova tentativa ainda mais depois desta resenha tão empolgante !

    ResponderExcluir
  7. Oi, Emilly! Também já li esse livro e realmente ele é maravilhoso. Além de falar sobre a cultura do país e a cultura das gueixas (desde todo o sofrimento e treinamento para se tornar um sucesso), traz a história de uma mulher muito forte, que viveu uma vida sofrida e não teve muita liberdade de escolha em sua história. Acho que todos deveriam ler esse livro um dia! Beijos

    ResponderExcluir
  8. Vi somente o filme, mas claro tenho que ler! ! ! Minha amiga resenhou esse livro e é apaixonada pela história.
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi Emilly, eu já conhecia a histórias das gueixas mas não conhecia o livro ainda. Parece ser uma história muito intensa e forte. Além de ter uma história fascinante, também é uma das épocas que eu mais gosto de ler, a Segunda Guerra Mundial, não por gostar das atrocidades, longe disso, mas por entender o que a mídia no revela.

    ResponderExcluir
  10. Li muitas resenhas desse livro, a sua foi uma das melhores e não estou dizendo isso porque faço parte do blog hehehhe e sim porque realmente sua resenha ficou muito boa mesmo.
    Eu assisti uma vez uma reportagem sobre as gueixa, isso foi a mais de 4 anos ou mais, então eu quase não me lembro, só lembrei da reportagem lendo sua resenha, acho que se um dia eu ler o livro vai ser por esse motivo... as gueixa. Tenho vontade de saber mais sobre elas, e esse livro também é muito elogiado, deu para perceber o quanto vc gostou dele.
    Amei sua resenha.

    ResponderExcluir
  11. Teve uma época que eu quis muito ler este livro, mas depois passou. Tive até a oportunidade de ver o filme e recusei porque queria ler o livro primeiro. Lendo sua resenha, me deu vontade novamente de conhecer essa história que apesar de ficção, é baseado em rituais e tradições que existem até hoje. Quero ler o mais rápido possível e apreciar tanto quanto você apreciou!!!
    Meu Amor Pelos Livros
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Eu nunca havia tido interesse em ler esse livro até agora. Mas a sua resenha foi tão cheia de paixão que me fez querer saber mais sobre esse universo das gueixas. Não faço ideia de como funciona essa parte da cultura japonesa e agora quero conhecer.
    Acho triste que uma menina de 9 anos tenha sido vendida como escrava, porém saber que elas vendiam ao homens, sua companhia e não seu corpo, já me deixa um pouco mais aliviada.
    Beijos!
    http://caindonacultura.com

    ResponderExcluir
  13. Oie!
    Confesso que não imaginava que a história seria assim. Na verdade, nunca tinha parado para prestar a atenção nesse livro. Sabe quando você olha para um livro e imagina que não vai gostar? Sempre foi assim quando olhava para livro. Agora fiquei interessada, e vou procurá-lo na minha próxima compra.
    Bjks!
    http://www.historias-semfim.com/

    ResponderExcluir
  14. Oii, tudo bem?
    Eu sempre vi esse livro em promoção, mas nunca cheguei a procurar sobre o que esse livro se tratava, e confesso que me arrependo muito. Eu adorei a sua resenha, o modo como você apresentou a historia e falou sobre a cultura japonesa. Com certeza está na minha lista de desejados.

    ResponderExcluir
  15. Oi Emilly!
    Eu já conhecia o livro e tinha curiosidade sobre ele e sua resenha me deixou ainda mais empolgada! Gosto quando livros nos fazem viajar para lugares com culturas diferentes e o Japão é simplesmente fascinante, imagino que deve ser uma leitura maravilhosa mesmo :)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Sempre tenho essa sensação "do livro estar me chamando para lê-lo..." rsrs
    Tenho curiosidade pra ler este livro, quem sabe consigo ler este ano!

    Adorei a resenha, parabéns.
    http://conchegodasletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Um ex colega de trabalho havia me falado dessa obra, e eu fiquei bem interessada na trama, mas agora lendo sua resenha mais completa com as informações, minha vontade de ler aumentou demais. Não sabia o que era uma gueixa, já vi em filmes, mas nunca soube o que elas faziam. Acho interessante aprender sobre outras culturas, essa deve ser uma leitura maravilhosa, quero muito conferir!
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  18. É tão bom quando encontramos um livro que nos agrada tanto assim, né? Tenho um exemplar de Memórias de uma gueixa há anos na estante, mas não tinha nenhuma atração especial por ele, foi compra de uma promoção em que precisava de mais um livro pra pagar 10 reais em cada...rs... Gostei do livro parecer uma aula de história e cultura, li um outro que falava das casas de chá e fiquei completamente fascinada com elas... a cultura oriental, no geral, é fascinante mesmo. Agora realmente me animei pra ler!

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  19. Mesmo tendo uma grande curiosidade em conhecer cada vez mais a cultura japonesa eu nunca me senti com uma grande vontade de ler essa história, e jurava que as gueixas eram companhias apenas para sexo, daí não queria conhecer esse lado da cultura japonesa. Mas que bom descobrir que o livro é uma obra maestral do autor.

    http://deiumjeito.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Nossa Emily
    Esse é um livro que estou super curiosa para ler e ainda mais agora após ler em sua resenha que você aprendeu mais sobre o Japão e sobre as gueixas que tanto fascinam.
    Sua resenha está maravilhosa. Parabéns.
    Beijos

    ResponderExcluir