22 dezembro 2015

Resenha - Star Wars: Estrelas perdidas e O despertar da força






Ciena Ree e Thane Kyrell se conheceram na infância e cresceram com o mesmo sonho: pilotar as naves do Império. Durante a adolescência, sua amizade aos poucos se transforma em algo mais, porém diferenças políticas afastam seus caminhos: Thane se junta à Aliança Rebelde e Ciena permanece leal ao imperador. Agora em lados opostos da guerra, será que eles vão conseguir ficar juntos?
Através dos pontos de vista de Ciena e Thane, você acompanhará os principais acontecimentos desde o surgimento da Rebelião até a queda do Império de um jeito absolutamente original e envolvente. O livro relata, ainda, eventos inéditos que se passam depois do episódio VI, O retorno de Jedi, e traz pistas sobre o episódio VII, O despertar da Força!

Livro:
Estrelas perdidas
446 páginas || Skoob || Cortesia: Companhia das Letras || OndeComprar ||










Ciena e Thane nasceram em uma Jelucan conquistada pelo Império e ambos, mesmo pertencendo a porções diferentes dos planetas, amam voar e mal conseguem esperar pelo dia em que o Império virá anexar o planeta da Orla Exterior e em que eles poderão entrar para a Academia onde poderão voar constantemente. Assim quando há a comemoração de anexação ambos não se contém e vão ao hangar ver as naves, pena que eles não eram os únicos a pensar assim, ou que bom, afinal foi isso que fez Ciena, a menina dos vales, se tornar amiga de Thane, da segunda leva.

Os anos passaram e eles cresceram juntos, se tornaram ótimos pilotos, estudaram e deram literalmente todo o tempo possível de suas vidas para entrarem na Academia, e assim o fizeram, por motivos completamente diferentes, como defender sua honra no caso de Ciena e fugir dos pais cruéis no caso de Thane, e ao mesmo tempo semelhantes, como o amor pelo voo e a expectativa de fazer parte de algo tão grande como o Império

Estamos ensinando crianças a aprovar a escravidão. Estamos ensinando a elas que crueldade é uma virtude.

Mas assim que eles se formam algumas coisas começam a mudar, Thane começa a ver o Império com outros olhos e a prestar atenção na Aliança Rebelde que é de longe muito mais perigosa do que eles transmitem para a população, começa a se ver em situações que todo seu corpo se nega a acreditar e quer parar mas que não pode por ser um Stormtrooper, enquanto isso Ciena sobe cada vez mais na hierarquia do Império, acreditando cegamente que essa é a melhor solução para toda a galáxia, assim amigos de infância, companheiros de voos e almas separadas veem seus caminhos irem para direções opostas e tudo o que eles podem fazer é acreditar que a Força trabalha de forma estranha.

Ler este livro foi uma experiência incrível! Aqui temos desde a expansão do Império até a sua queda, sob o ponto de vista de pessoas que cresceram em seu regime, e é claro o quando eles acreditavam estarem fazendo o bem e também o desespero de perceberem que na verdade só estavam propagando o mal.

Para os fãs esse livro é um banquete e para aqueles que nunca leram, o livro não é muito confuso e nem denso, o romance entre Ciena e Thane deixa tudo mais leve e o fato deles não serem nenhum dos personagens principais da trilogia deu uma liberdade de criação a Claudia Gray que foi bem utilizada aqui.

A escrita da Claudia também ajuda muito, nos mostrando mais centrados e objetivos quando necessário e se aprofundando nos personagens nos momentos certos, permeando situações chaves dos filmes, como a destruição de Alderaan e da Estrela da Morte logo em seguida, trazendo a tona personagens como Darth Vader e Luke Skywalker, que faz com que você inspire forte e fique "Ai meu Deus, eles estão aqui!", sim, eu tive pequenos chiliques com esses acontecimentos, foi estranhamente legal, porque cá entre nós Vader e Luke tem todo um apelo que os envolve; e para fechar com chave de ouro, o livro nos dá pistas sobre os acontecimentos de O despertar da Força.



Engraçado como um filme pode ser tão aguardado, é vívida em minha memória o quanto Star Wars fez parte de minha infância, lembro do barulho das naves, da empolgação das corridas, dos tiros altos durantes as batalhas, das guerras clônicas com seus soldados marchando firmemente, da voz calma do Yoda, do imenso espaço... e eu posso dizer que entrei na sala de cinema esperando poder reviver tudo isso, sentir novamente essa emoção e eu não saí desapontada.

O filme começa com o tão conhecido começo de Star Wars, o espaço como pano de fundo e as letras amarelas subindo, a nostalgia começou aí e não parou até o fim. J. J. Abrams e a Lucasfilm conseguiram mesclar magistralmente o novo com o antigo, deixando tanto os fãs mais velhos bem como os mais novos satisfeitos ao trazer toda a importância do passado e ao colocar como protagonista em Han Solo, Chewbacca e a Millennium Falcon e também uma protagonista sendo uma mulher forte e um Stormtrooper negro com um senso de humor característico e um alívio por estar fugindo que aos poucos se transformam em aceitação de seus destinos e determinação.

Mas não foi só isso que deu esse efeito nostálgico, o filme segue uma linha que me fez pensar na palavra paráfrase, era como ver um espelho nublado, onde você vê a semelhança mas enxerga a mudança, aqui encontramos o mesmo rumo épico dos outros filmes da franquia e por mais que isso não possa ser considerado algo negativo, em algumas situações senti que faltou um pouco de coesão para com os acontecimentos, mas dado o todo não se pode descontar muito por essas pequenas imperfeições.

Os efeitos especiais tornaram tudo mais grandioso e as escolhas dos novos protagonistas foi bem feita, Ray, a nossa protagonista, é uma catadora de lixo que sabe conectar muito bem peças de naves como tem uma pilotagem instintiva, ao encontrar um droide, BB-8, no deserto, ela se coloca na mira da Primeira Ordem, uma espécie de Império novo, que querem de todo jeito o mapa que levará até Luke, impedindo assim seu retorno e o equilíbrio da Força, mas o plano vai por terra quando Finn, um Stormtrooper que odeia mortes em vão e também um dos caras do saneamento, ajuda um dos pilotos da resistência a fugir e acaba por esbarrar em Ray, que está determinada a devolver o droide ao seu dono.



Em suma, o filme é de fato uma maravilha, me encantou, emocionou e tem uma trilha sonora espectacular, sinceramente? É de tocar o coração, de bater palmas no fim da sessão e de sair dali e ficar ainda matutando e sentindo os efeitos desse filme. Mais que recomendado.

18 comentários:

  1. Oi!
    Star wars è uma febre da qual não fui atingida. Não consigo assistir um dos filmes antigos inteiro, e por isso não assisti esse também. Acho que ficaria confusa.
    Mas ultimamente tenho ficado tentada em ler os livros para ver se com a leitura eu me envolva melhor com a história Mas quero começar desde o início. Você sabe me dizer qual a ordem?!
    Bjs
    Camila Bernardini Coelho

    ResponderExcluir
  2. Oi,

    Só comecei a ser fã da serie Star Wars, ano passado, devido a insistência dos meus amigos - muito obrigado -, e nossa como eu adorei esse universo, principalmente o Luke, que é o meu personagem favorito, mas sobre o novo filme, ele realmente tem o mesmo enredo de Uma Nova Esperança, só que de uma maneira que não nos decepciona. E sobre esse livro, ele já está na minha lista de próximas leituras, mas no momento to tentando terminar de comprar os da Editora Aleph.

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Sou nova no mundo de Star Wars então algumas partes da resenha não compreendi bem ainda! Acontece que acho ótimo unir vários tipos de experi~encia em uma só história, então vai ser legal ler este livro enquanto acompanho os filmes, que só comecei a assistir agora. achei legal saber que ele dá pistas sobre o novo filme que, aliás, fiquei mais ansiosa pra assistir agora que vc falou sobre ele! A história parece interessante de qualquer maneira, então vale a pena dar uma chance! | www.vivendovivi.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Assim como muitos, eu não tinha assistido á todos os filmes (apenas os mais recentes, mas nenhum inteiro, só por cima, sabe?) até esse ano, com o anúncio do novo filme. Então, assisti à todos os filmes e me apaixonei pelo universo, os filmes antigos são incríveis, uma verdadeira obra prima. Adorei de paixão o filme, e pretendo ler os livros o mais breve possível.
    Adorei a resenha, que a força esteja com você!!
    http://respiramoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Agatha!
    Eu ainda não li esse livro, ele está aqui na pilha para iniciar a leitura. Não é a primeira resenha que leio onde elogia essa trama, assim como a escrita da autora Claudia Gray, o que me anima consideravelmente para ler. Quanto ao filme, fui assistir na quinta feira e é ótimo!! Gostei muito e não vejo a hora de sair a continuação kkkkkk
    Bjks!
    http://www.historias-semfim.com/

    ResponderExcluir
  6. Oiie Agatha, como tá?

    Acho que sou a única que não foi picada pelo bichinho do Star Wars, não consigo gostar nem do livro quando do filme (mesmo não tendo assistido), só vejo resenhas falando coisas maravilhosas deles, as não consigo ler quando estão na modinha, só leio depois de muito tempo kkkkk (aconteceu com várias trilogias famosas). Sabe, sei que são vários livros e já me pedir na sequência. Mas você como sempre arrasando nas resenhas, e espero que logo a vontade de ler possa chegar haha

    Bjs

    http://amantesdaleiturablog.blogspot.com.br/2015/12/parceria-com-autora-nacional.html

    ResponderExcluir
  7. Oiiii
    Star wars lembra a minha infância!
    Cresci com os filmes. Apresentei aos meus filhos....E por fim fui traída. ..hehe....meu filho foi com a namorada assistir no dia do lançamento. ...Mas deixa....dia 28 eu que vou!

    Não conhecia esse livro e adorei a premissa....tua resenhasó ajudou a me deixar muito curiosa....

    Bjsss

    ResponderExcluir
  8. Olá, vou ser sincera com você, esse filme nunca me chamou atenção, tentei assistir algumas vezes mas nem passei da metade. Porém esse novo me deixou muito curiosa. Tenho visto o poco empolgado nas redes e até fiquei interessada para assistir o filme, mas quando aos livros eu sei que não vou conseguir ler, mesmo. Sua resenha ficou maravilhoso, me deu uma pontinha a mais de curiosidade.

    ResponderExcluir
  9. Oiee ^^
    Fico feliz que você tenha amado o livro e o filme, Agatha, mas eu, sinceramente, não tenho a mínima vontade de conhecer essa história *-* não gosto muito do gênero, e para mim parece ser muito complexo, não sei...
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br/2015/12/o-ultimo-dos-canalhas.html

    ResponderExcluir
  10. Olá, amei o post, ótimo de se ler!
    Eu só conheço o universo de Star Wars de ouvir falar, mas estou com muita vontade de ler livros sobre, e esse resenhado me parece muito bom. Os filmes ainda não vi nenhum.

    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Oi
    Confesso que não sei nada do universo de Star Wars e não sei o quanto gostaria de saber.
    Tenho uma certa preguiça de ver os filmes, que são tão confusos quanto a ordem e realmente é um tipo de ficção que não me atrai.
    Mas gostei de saber que o livro é um presente para os fãs da série e que não é de difícil leitura para quem não conhece.
    Infelizmente não é para mim.
    Valeu a dica!
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  12. Olá!!!
    Gosto Star Wars desde de criança, sempre fui apaixonada pelo Darth Vader, mas gosto dos três primeiros que foram lançados os outros assisti sem muito interesse. Estes novos lançamentos tanto do livro como do filme foram uma bela jogada e já é um sucesso. Quero assisti ao filme pela paixão.

    Carla Fernanda

    ResponderExcluir
  13. Oie,
    Nunca li nada a respeito de Star Wars, mas estou bem curiosa para ver a série já que só se fala nisso nos últimos tempos. Sua resenha está maravilhosa e não sei se gostaria de le os livros, mas quem sabe no futuro

    Beijos da Fê
    As Catarina´s

    ResponderExcluir
  14. Oi Agatha, tudo bem?

    Gostei bastante da sua resenha do livro e do filme, mas confesso que não me chama a atenção. Tentei ver Star Wars uma vez no cinema, e acabei dormindo na sessão.. mas enfim, sei que esse filme foi um presente para os fãs, e que bom que casou tão bem o passado e o presente, agradando tanto aos fãs antigos quanto aos novos. Imagino que a fotografia, o elenco e os efeitos especiais estejam ótimos.

    Quanto ao livro, gostei de saber que ele não é confuso, que por não se tratar dos protagonistas, alguém que nunca leu nada da franquia, não se sente completamente perdido. E nossa, essa sensação de imaginar que você está agindo para o bem, e na verdade está propagando o mal deve ser bem tenso!

    Beijinhos,

    Rafaella Lima || Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  15. Ai Agatha, estou tão louca pra ler esse livro e ver o filme novo! Sou fã de Star Wars desde sempre, meu coração dispara quando as letrinhas começam a subir com o espaço no fundo. Adorei saber que o livro mostra desde a expansão do Império até sua queda, pela ótica de pessoas que cresceram sob seu regime, e que legal que mesmo para não fãs as coisas não ficam confusas nem muito densas. Vou ver o filme no início do ano que vem, e espero conseguir ler o livro logo também.

    Beijo.

    Ju - Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  16. Olá! Nunca li nenhum livro de Star Wars, mas como você falou, a nostalgia deve ser imensa. Muitos falam que é modinha, mas a principal empolgação é da turminha das antigas, na qual eu me enquadro rsrsrs. Achei legal saber que o livro fala desde o início da trama e vai fazendo links até o filme atual...Nossa, imagino o quanto deve ser intensa a leitura. Parabéns pela resenha e que a força esteja com você! beijos

    http://livrosepergaminhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Olá!
    Confesso que estou ansiosa pra ver... não chegou a fazer parte da minha infância a série Star Wars, mas boa parte da minha adolescência foi só isso kkkkkkk Bom saber que não vai estragar todos os outros seis filmes, essa nostalgia me agrada bastante!
    bjssss

    ResponderExcluir
  18. Oi!
    Conheci Star Wars a pouco tempo, por indicação do meu marido, e ele já se tornou uma daquelas sagas que você não consegue viver sem e quer comentar com todo mundo o quanto é bom.
    Achei bem bacana essa proposta do livro, afinal narrar esses acontecimentos sob ponto de vista de duas pessoas que estão apaixonadas é bem inovador, e como te deu uma sensação de nostaugia com certeza vou querer ler tbm.

    www.gordinhaassumida.com.br

    ResponderExcluir