últimas resenhas

Resenha - Cari Mora


Título: Cari Mora
Autor: Thomas Harris
N° de páginas: 238
Cortesia: Grupo Editorial Record
Skoob
Onde comprar: Amazon
Mais um mistério, outras surpresas. O novo livro de Thomas Harris, autor do clássico contemporâneo do suspense O silêncio dos inocentes.
Vinte e cinco milhões de dólares em ouro estão escondidos em uma mansão em Miami Beach, e seu dono está morto. Há anos homens implacáveis têm tentado encontrar essa fortuna, e agora é a vez de Hans-Peter Schneider. Motivado pela ganância, ele ganha a vida com atividades ilícitas, e a principal delas é realizar as fantasias mais doentias de homens ricos em busca de mulheres... peculiares.
Cari Mora, a caseira da mansão, é uma imigrante que fugiu da violência em seu país de origem. Ela vive em Miami, sempre com medo da sua situação com o Serviço de Imigração e Controle Alfandegário. Como o seu visto para os Estados Unidos não é permanente, Cari não pode prosseguir com os estudos, por isso é obrigada a ter vários empregos para se sustentar. Uma bela mulher, marcada por cicatrizes da guerra, Cari atrai o olhar de Hans-Peter quando ele se aproxima do tão desejado tesouro. Mas ela tem habilidades surpreendentes, e essa não é a primeira vez que seu instinto de sobrevivência é posto à prova. Monstros vivem à espreita na fissura que existe entre o desejo dos homens e a sobrevivência das mulheres. E nenhum outro escritor foi capaz de criar monstros tão tenebrosos e brilhantes como Thomas Harris. Cari Mora, seu sexto romance, marca o retorno à escrita desse verdadeiro mestre da literatura.

Uma casa de praia que abriga um tesouro há tempos escondido e que será a responsável por fazer com que os caminhos da forte e corajosa Cari Mora e do frio e sanguinário Hans-Peter Schneider se cruze de forma que no fim só um deles sobreviva.

Este é o chamariz para mais um livro escrito pelo incrível Thomas Harris.

Cari é uma mulher que já passou por poucas e boas em sua jovem vida. Desde muito nova ela teve que lutar para se manter viva e enfrentar as duras provações impostas pela violência de seu país. Vivendo em Miami ela bate de frente com Hans-Peter, um homem que trabalha realizando as vontades mais bizarras e grotescas de homens ricos.

"Hans-Peter é alto e pálido, completamente sem pelos. Sem os cílios, as pálpebras borravam o vidro do binóculo. Ele limpou as lentes com um lenço de linho.

Felix, o agente imobiliário, estava atrás dele de novo."



Trabalhando como caseira da mansão por não poder concluir seus estudos, Cari se depara com Hans, que está em busca dos vinte e cinco milhões de dólares em ouro que estão escondidos na casa. Só que além do ouro, Hans está decidido a levar Cari como um "brinde adicional" para tornar sua caça ao tesouro mais excitante e prazerosa. Porém, ele não faz ideia de que Cari é uma sobrevivente e que, como tal, ela irá lutar com unhas, dentes e habilidades das quais a mantiveram viva até então.

" - Se você machucar aquela piranha, ela não vai poder te ajudar - Avisou Felix. - Ela dorme na casa. Tem que dormir por causa do seguro contra incêndio. As vezes ela trabalha em outros lugares de dia. Espera e entra lá de dia."
Sem ter a mínima ideia de que sua vida corre perigo Cari vai vivendo e trabalhando na casa mais vigiada de Miami. Mas engana-se Hans-Peter se pensa que será fácil para ele conseguir enfim colocar as mãos nos milhões de dólares em ouro. Muito menos em Cari Mora, uma mulher que desde jovem fora treinada para matar, já que desde pequena o que mais presenciou em seu país foi uma completa e demasiada violência que a obrigou a fugir e tentar una nova vida em outro lugar.

Hans não tem nada a perder. Desprovido de todo e qualquer sentimento humano, ele se diverte e sente um prazer indescritível causando dor e medo em suas vítimas e ele está decidido que Cari será mais uma delas.



[- Minhas Impressões -]

A primeira impressão que tive de Cari Mora através da sinopse foi muito positiva, afinal, eu estava diante de um livro escrito pelo impressionante autor Thomas Harris, que escreveu o aclamadíssimo livro O silêncio dos inocentes, que por sinal eu li e amei. Diante desse fato e da instigante premissa iniciei a leitura muito entusiasmada e animada para me surpreender com mais uma super história, mas, infelizmente não foi isso o que aconteceu. Eu simplesmente não consegui gostar de nada do que estava lendo e eu juro que tentei. Pensei que talvez o começo fosse meio lento mesmo, mas a medida que fui avançando e conhecendo mais a fundo a história e os personagens, percebi que ainda assim continuava achando tudo muito chato, infelizmente.

O livro tem muita ação em alguns momentos e muitas mortes também, de várias formas e jeitos. Eu gosto de livro de ação, de personagens morrendo e tal, mas isso não foi o suficiente para me fazer gostar e mudar de opinião.

O lance dos milhões de dólares em ouro foi um gancho e tanto para chamar a atenção para a história, só que a forma como as coisas se deu sinceramente não me agradou. A cada novo capítulo eu pensava: será que é agora que esse livro vai ficar bom? E, no entanto, nada mudava. No entanto, quase no finalzinho da leitura aconteceram algumas coisas envolvendo a personagem da Cari que levou uma emoçãozinha para a história e aí, até que eu me vi envolvida pela trama e torcendo muito por ela, que diga-se de passagem é um personagem e tanto. Eu gostei dela de verdade, todavia, acredito que ela poderia ter crescido imensamente mais na história, pois, a meu ver, não foi devidamente tão bem explorado pelo autor. Senti como se tivesse ficado faltando mais coisas a serem feitas pela Cari e isso me incomodou demais.

Hans-Peter é um personagem nojento e asqueroso que não sente empatia e pena por ninguém e para ele matar é algo tão banal como amarrar os cadarços. Não existe pena, compaixão e muito menos arrependimento. Hans gosta de matar. O medo e o horror que ele suscita nas pessoas alimentam a sua alma amaldiçoada. E no momento em que ele decide se "divertir" com Cari, os dois travam um embate que me deixou totalmente sem fôlego tornando esse momento sem dúvida alguma a melhor de toda a história. Entretanto, isso não foi o suficiente para me fazer apreciar o livro , mas também não me trouxe nenhum tipo de arrependimento por tê-lo lido.

Tomara que a experiência de vocês que porventura leram ou ainda vão ler Cari Mora tenha sido, ou seja melhor que a minha, pois como costumo dizer, o que não foi bom para mim pode ser completamente o inverso para os outros. Espero que dê uma chance para a leitura!


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário