últimas resenhas

Resenha - O Dia depois do Fora


Livro: O Dia Depois do Fora
Autor: Laura Conrado
N° de Páginas: 266
Cortesia:  Grupo Editorial Record / Editora Bertrand
Onde comprar: Amazon
Prestes a se formar em odontologia, primeira na família a conquistar um sonhado diploma, Melissa está no caminho certo. Boas notas, vários artigos publicados em revistas científicas, um namorado perfeito. Aos 23 anos, ela só consegue olhar para a frente.
Mas quando Fred, o fisioterapeuta que conquistou seu coração, resolve terminar tudo, o único futuro da menina parece estar ligado ao passado. Melissa fica presa em um looping temporal, fadada a reviver eternamente o dia depois do fora, até aprender com seus erros.
Agora Melissa precisa deixar de lado o motorzinho e investir em restaurações bem mais complicadas. A começar pelo relacionamento com a família, com quem sente não ter mais nada em comum.
Aos poucos, Melissa resgata a amizade com a irmã e o orgulho de ser filha de pais simples, mas batalhadores. E a vida profissional sofre uma repaginada, com a menina enfrentando, por fim, o medo da prática clínica.
Melissa também acha tempo para voltar às boas com a melhor amiga, a muambeira Luane, e encontrar o amor verdadeiro depois de descobrir o que é amor. Afinal, tempo agora é algo que Melissa tem de sobra. Será mesmo?


O que falar desse livro que devorei em pouquíssimos dias? Laura Conrado me pegou de jeito com seu humor e suas sacadas geniais acerca da realidade de uma jovem universitária que acabou de levar um fora e precisa se reconstruir. Achei simplesmente incrível!

Melissa é uma mulher de 23 anos que está se redescobrindo após levar um fora de quem pensava ser o amor da sua vida. Porém, após uma visita inesperada de um HINO de personagem - que já já falarei mais - sua realidade ganha um novo sentido, e ela começa a ver o tempo de outra forma. E um looping do dia em que levou o fora é a chave para uma evolução extremamente necessária - tanto nela quanto em nós, falando com sinceridade. -

Foi muito bom entender determinadas coisas acerca do universo que a Laura criou; tudo sobre o looping e sobre o tempo é muito bem explicado, sem pontas soltas. E quando Melissa enfim entende o que precisa para sair desse looping, a história ganha um rumo menos ficcional; conseguimos ver uma nova pessoa se formando, e eu me identifiquei muito com a história como um todo, porque estou passando por uma situação muito parecida com a da principal. E consegui entender o real significado da frase: "O tempo é capaz de curar."

Só que também dar ênfase à descrição quanto ao local em que Melissa mora, e como se sente em relação a isso. Pra quem é pobre, fazer um curso ainda muito elitizado - no caso dela, Odontologia -, ainda que numa faculdade pública, pode ser desafiador em termos de se sentir inferior, ou desprivilegiado.

Mel mora em uma vila afastada do centro da cidade, seus pais são de família humilde, e todos ali no bairro aparentemente não querem crescer academicamente, ou seja, ali, a nossa personagem se sente totalmente deslocada e acaba afastando todos ali por vergonha de suas origens. E é interessante como a autora abordou as características da pequena vila, e das pessoas; você consegue ver muito bem a realidade de um bairro muito modesto, com pessoas que precisam de muito pouco para viver, e que não têm interesse de sair daquela vida cômoda e estável. E será que isso é um problema? Ser feliz com pouco? Quantas vezes a gente já se perguntou se faculdade é algo estupidamente necessário para viver? Se você é feliz fazendo, ótimo; e se é feliz não fazendo, ótimo também. Tudo é um aprendizado, e não é porque temos diploma que somos plenos, ou melhor que os outros. A felicidade e a evolução constante é mais importante que tudo isso.

"O amor do meu pai me constrangeu. Sem uma palavra de acusação, aquele homem me ensinou mais do que qualquer professor vestido de branco e repleto de títulos. A inteligência não é feita no banco da escola, mas na janela da vida, me deu uma sábia correção sem jogar na minha cara meus meses de artimanha."

Agora, eu necessito desenvolver nesta resenha os HINOS de personagens que a autora criou para esta história. Ainda hoje, depois de mais de 2 semanas com o livro lido, estou completamente apaixonada pelos personagens secundários. A cada capítulo que passa, conhecemos mais e mais o pessoal que vive ao redor de Mel, e sério gente, é incrível o quanto eu me identifiquei com todos eles juntos! 

A começar pela família da nossa personagem principal; todos eles são muito bem construídos, e foi minha família também pelo tempo que li o livro; Melissa aprendeu muito nesse looping com essas pessoas tão simples e felizes, e vice versa. Cada um cresceu junto, e isso foi muito legal de se ver, porque cada interação era real; tiveram brigas, discussões, mas também teve muito amor envolvido, como eu desejo que tenha em qualquer ambiente familiar. Ri e chorei com todos eles, e sou muito grata pela experiência de ter vivido com Michele, Dona Glenda e Seu Raimundo.

E não poderia deixar de falar dos meus preferidos, né? A começar por nossa lindíssima Luane, aquela personagem que queremos como nossa melhor amiga no momento em que a conhecemos, e que amamos apesar de todas as loucuras! Ri muito com ela e com a Mel, e pra mim foi incrível a sintonia delas, porque fez uma diferença enorme a partir da metade do livro, pois a leitura, que já era fluida e divertida, ficou ainda melhor e mais gostosa. Arrasou demais, Laura Conrado!

"Lá está minha ex-melhor amiga e sempre melhor amiga querendo viver cinco anos em cinco minutos. Ainda há algumas coisas a serem acertadas entre nós, mas o mais importante já havíamos feito."

Ademais, vamos falar do nosso casal maravilha? Vamos sim! Se eu contasse pra vocês o quanto amei João Paulo, não caberia aqui nesta resenha, então tentarei ser breve. Lindo, inteligente, e de um coração - e uma maturidade - enorme, eu me surpreendi muito com o quanto o relacionamento deles parecia com o meu; algo leve, verdadeiro, baseado numa amizade mútua e sempre tentando fazer o outro crescer, seja acadêmica ou emocionalmente. João Paulo me fez ver o sentido das relações afetivas e do amor de uma outra maneira; a força que tinha em demonstrar sua sensibilidade me surpreendeu, e é por isso que falo com propriedade que, de todos os personagens masculinos que li ao longo do ano, tenho certeza que ele está entre os melhores. Muito obrigada, João Paulo, por demonstrar que nós, mulheres, não precisamos ser fortes o tempo todo, e que vocês, homens, também podem ser carinhosos, emotivos e sensíveis.

"Ai, João Paulo... Queria que você saísse do seu corpo e se visse como eu estou te vendo agora. Com um riso feliz nos lábios e um brilho no olhar; é como se eu pudesse enxergar sua aura. Eu me sinto como uma bailarina que acompanha o som da sua voz e se movimenta no ritmo certo da sua respiração."

Por fim, só quero frisar o quanto amei essa história, e todos os ensinamentos que ela meu deu. Agradeço imensamente ao Grupo Editorial Record por ter disponibilizado para nós esse livro incrível que a Laura escreveu, cheio de ensinamentos sobre relações, autoestima e como encontrar seu verdadeiro eu. Recomendo a adolescentes, jovens, adultos e idosos, porque creio que a literatura é viver uma história por vez, e essa merece ser vivida por todos! 

"A gente só ama aquilo que conhece, não é mesmo? Portanto, quero ficar o mais íntima possível de mim, para nunca mais me sabotar, como fiz até aqui."



Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário