Resenha: Valsa Maldita


Título: Valsa Maldita
Autora: Tess Gerritsen
N° de páginas: 328
Editora: Record
Skoob
Onde comprar: Amazon
No ambiente sombrio de um antiquário em Roma, a violinista americana Julia Ansdell depara com uma partitura intrigante - a valsa "Incendio" - e é imediatamente atraída pela peculiar composição. Carregada de paixão, tormento e de uma beleza arrepiante - e aparentemente inédita aos olhos do mundo -, a valsa parece ter vida própria. Já de volta à Boston, quando Julia começa a tocar a melodia, algo sinistro é despertado: a música parece exercer um efeito inexplicável e macabro sobre sua filha pequena. Convencida de que a melodia hipnótica está desencadeando uma maldição, Julia decide investigar a história por trás da partitura. Suas buscas a levam à milenar cidade de Veneza e a um antigo segredo terrível envolvendo uma família poderosa que fará de tudo para impedir que ela revele a verdade ao mundo - custe o que custar.




O livro "Valsa Maldita" conta a história de Julia, uma violinista talentosa que ama o que faz e mais ainda sua família. Tudo vai bem em sua vida, seja na profissional ou particular e até então, não tem do que reclamar. De férias em Roma ela se depara com uma partitura que atrai logo a sua atenção, e a medida que seus olhos percorrem as notas carregadas de paixão, sofrimento e intensidade Julia tem certeza que a valsa cujo nome é "Incêndio" tem que ser sua.

De volta à Boston e de posse da música, Julia não vê a hora de enfim poder tocar suas notas, solfejos e staccatos e, assim que encontra um tempo disponível, começa então a tocar a gloriosa melodia. Tudo vai bem, mas, de repente, sua filha Lily parece estar sendo influenciada por uma força macabra que foge a compreensão de Julia. À princípio ela acredita ser um fato isolado, embora tenha ficado bastante impressionada com a atitude da filha, e ainda não sabe o que pode ter desencadeado tal comportamento na menina.

Os dias passam e Lily é de novo a sua filhinha doce, meiga e carinhosa. Julia decide tocar novamente a valsa, e depois de preparar um lanche para a filha ela dá início ao ensaio. E é então que algo aterrorizante acontece, o choque é tão grande que Julia começa a temer que Lily esteja desenvolvendo algum tipo de reação à melodia.

"Ergo a cabeça quando a lembrança se forma em meio à névoa do Vicodin. Uma tarde quente, abafada. Lily sentada no quintal. O arco deslizando nas cordas do violino. Foi quando tudo mudou. Foi quando o pesadelo teve início, quando toquei Incendio pela primeira vez."




Convencida de que a música seja a responsável pela mudança de todo o comportamento ocorrido com sua filha, Julia parte em busca da verdade que está escondida por trás de Incêndio e volta ao local onde tudo começou. Roma. É lá que Julia acredita que encontrará todas as respostas e conseguirá salvar Lily, do que quer que seja.

"Não sei mais quem ela é. Lily virou outra pessoa. Olho para minha filha e vejo uma desconhecida, alguém que quer me fazer mal. E tudo começou quando toquei  a valsa."

Julia começa sua investigação particular com o dono do Antiquário que lhe vendeu a partitura, mas descobre enquanto ainda estava em Boston que o senhor idoso morreu assassinado. Transtornada com a descoberta e temendo que venha a descobrir algo macabro envolvendo Incêndio, Julia sabe que para salvar Lily ela precisará enfrentar todos os perigos que envolvem a verdade sobre a melodia. Suas buscas a levam à milenar cidade de Veneza, a Lorenzo e a uma família perigosa, que fará qualquer coisa para manter seu segredo escondido e o mais longe possível do conhecimento das pessoas. E para isso eles estão dispostos a matar se preciso for.




Valsa Maldita foi uma surpresa extraordinária! Livro e enredo com uma pegada aparentemente voltada para o sobrenatural, e tendo como chamariz uma capa impactante e um personagem principal que toca violino, meu instrumento favorito. Ah, não teve como, meus olhos foram atraídos para a sinopse como um ímã e lá fui eu correndo devorar a história. E que história! Muito bem escrita e desenvolvida, com personagens ricos e interessantes, repleta de ação, suspense, revelações e reviravoltas surpreendentes que me fizeram grudar os olhos nas páginas do livro torcendo para que chegasse ao fim apoteótico, mas ao mesmo tempo não querendo que o livro acabasse, de tão bom que foi.

Confesso que fiquei triste quando a história se encaminhou para o sobrenatural, pois eu não podia conceber a ideia de que a Lily, uma criança tão amorosa e carinhosa com os pais estivesse se transformando em algo diabólico e maligno, porém, quando fui conhecendo mais a fundo a história torci para que a Julia conseguisse desvendar o mistério e assim poder salvar sua garotinha.

O desenrolar dos fatos e a verdade que estava escondida por trás da valsa Incêndio foi algo tão triste e comovente de ler que eu fiquei com os olhos marejados. Achei a trama extremamente bem escrita, cheia de ação e também adrenalina. Afinal, teve perseguição, assassinato, fugas desesperadas e um final diferente de tudo o que eu poderia imaginar e nem por isso menos apoteótico.

Todos os personagens foram muito bem constituídos e desenvolvidos, mostrando a relevância de cada um para tornar Valsa Maldita um livro digno de ser lido e bem aceito no mundo literário. E faço o possível de sempre dizer aqui o quanto gosto de suspense e reafirmo que não me decepcionei nem um pouco com a história e com a maneira como a mesma foi contada pela autora, que por sinal, eu ainda não conhecia.

Após então ter terminado a leitura, posso dizer que me tornei sua fã. E por isso mesmo eu super indico Valsa Maldita para vocês e espero que após terem lido a sinopse, resenha e minhas impressões sobre a obra tenha sido despertado em vocês o desejo e a vontade de conhecer o terrível segredo que habita a melodia de Incêndio!


Inscrições Abertas - Participe !!



Categorias:

7 comentários:

  1. Estava lendo a resenha e já imaginando tudo isso em uma adaptação daquelas!!! Oh, daria um filmão!!!
    Como não conhecia o livro, adorei tudo que li acima e como comentei em um post anterior a este, adoro um bom thriler e muito mais se não for só o suspense,mas também o sobrenatural e esse lance de investigação sempre trazendo segredos à tona!
    Com certeza, o livro vai para a lista de desejados!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Também não sou fã do sobrenatural, é um gênero que não tenho o menor interesse - grande parte é o medo.
    Mas a princípio, achei a premissa boa, mas essa mudança quebrou o clima.
    É muito bom quando um livro nos surpreende.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá! Ai ai ai que de primeira, fiquei foi com medo da história e da resenha, esse título tá bem assustador, já me lembrou filmes, como O iluminado, que fique registrado que eu fujo de histórias assim (S.O.C.O.R.R.O), mas lendo adiante pude ficar mais tranquila (pelo menos eu acho) e percebi que a história tende mais para o suspense do que o terror (espero que esteja certa), e claro como curiosa mais que assumida, fiquei intrigada em saber como nossa protagonista vai salvar sua filhinha desse destino tão assustador, deu para perceber também que a história é bem dinâmica, o que me agrada e muito, então depois de um “sustinho”, estou animada em conferir toda a história.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Kaline!
    Também gosto de violino, ele é sem dúvida um instrumento encantador, mas sou completamente apaixonada pelo piano 😍
    Em relação a Valsa Maldita, eu sinceramente não curto tramas sobrenaturais que envolvem coisas sombrias e malignas, lendo sua resenha e descobrindo o que se passa com a filha de Julia, a pequena e doce Lily, me veio na mente aqueles filmes de terror/suspense que eu assistia bastante na adolescência mas que não me atrai mais hoje em dia...
    Mas confesso que fiquei muito curiosa para descobrir o fato triste por trás da melodia de incêndio, acho que se a oportunidade de ler Valsa Maldita surgisse eu só o leria por causa disso... Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Interessante esse livro, mesmo não sendo o gênero que leio com frequência, a història é bem chamativa. Gosto de histórias com um pouco de sobrenatural, assim largo um pouco os livros de época. E que capa linda!

    ResponderExcluir
  6. A cada dia o universo da leitura me encanta, digo isso, pois como uma capa chama atenção a ponto de se ler a sinopse, o oposto também ocorre. A principio relutei em ler essa resenha, o titulo remete obviamente ao sobrenatural, mas para o seu lado pejorativo, pelo menos para mim, tipo colheita maldita (definitivamente não gosto desse gênero), poreeeeeeem ao ler a resenha tudo mudou, e como mudou, foi uma surpresa positiva ver que me enganei. Achei a historia super criativa, inusitada e uma pitada de mistério bem diferente do que estou acostumada a ler. Outro ponto que me deixou com pé atrás que foi se desfazendo ao logo dos teus comentários foi sobre a escrita da autora, embora tenho desejo em ler Jardim de osso, ainda não tive oportunidade, ou seja serão dois coelhos com uma cajadada só. Adorei a dica e estou super entusiasmada para ver como essa violinista vai desvendar o mistério sombrio e salvar sua filhinha. Espero muito suspense e reviravoltas hein?!

    ResponderExcluir
  7. Eu fiquei muito intrigada com esse livro, achei linda a capa, e a resenha revela um suspense de tirar o fôlego.
    Li dessa autora O Jardim de Ossos e gostei muito. Acho que esse livro tem todos ingredientes para ser um sucesso, daqueles que não se consegue largar antes do final.
    Imagino a angústia da personagem Júlia tentando entender e salvar a sua filha Lili ( onde entra filhos...) um thriller envolvente, com mistérios ,Uma busca incessante pela verdade ,fora essa parte do violino e da partitura com poderes do mal, acho que só a leitura pra esclarecer o que acontece nesse livro.

    ResponderExcluir