Resenha: Um Dia em Dezembro


Título: Um Dia em Dezembro
Autora: Josie Silver
N° de páginas: 392
Editora: Grupo Editorial Record / Bertrand Brasil
Skoob
Onde Comprar: Amazon 
Uma história inesquecível, comovente e emocionante; para fãs de Jojo Moyes e David Nicholls.
Laurie não acredita em amor à primeira vista. Afinal de contas, a vida não é a cena de um filme romântico.
Mas, então, em uma noite de dezembro fria e com neve, o ônibus de dois andares em que voltava para casa para em um ponto. Ao olhar para baixo, ela o vê. Por um segundo transcendental, seus olhos se encontram... e então o ônibus começa a andar.
Depois de muitos meses com a esperança de cruzar novamente com ele, Laurie acha que nunca mais verá o homem do ônibus. No entanto, um ano depois, em uma festa de Natal, sua melhor amiga, Sarah, apresenta o novo namorado, o grande amor de sua vida. Para seu profundo desespero e surpresa, ele é ninguém menos que o homem do ônibus.
Determinada a esquecê-lo, Laurie segue com sua vida. Mas e se o destino tiver outros planos?



Um Dia em Dezembro aborda de forma realista e fiel sentimentos que passam a habitar o coração de Laurie a partir do exato instante em que ela coloca os olhos no homem que passará a dominar seu coração e mente desde o momento em que seus olhares se cruzam. Ela dentro do ônibus e ele, do lado de fora sentado em um banco no mesmo ponto em que o ônibus em que ela está para. Laurie não acredita em amor à primeira vista, mas como tudo tem a sua primeira vez...

"Nós nos encaramos, e não consigo desviar o olhar. Sinto meus lábios se moverem, como se eu fosse dizer alguma coisa, só Deus sabe o quê, e, de repente, do nada, preciso sair desse ônibus. Sou assolada pela necessidade urgente de ir lá fora, de ir até ele. Mas não vou. Não movo um músculo, porque sei que não existe possibilidade de eu conseguir passar pelo homem encasacado ao meu lado e abrir caminho por entre a multidão antes de o ônibus começar a andar."

Desse momento em diante Laurie vê-se completamente obcecada em encontrar o homem que se alojou irremediavelmente em seu íntimo, mas o universo não está conspirando a seu favor. Enquanto isso não acontece, ela e sua melhor amiga Sarah vão vivendo seus dias normalmente até que um belo dia Laurie é surpreendida pelo choque ao ficar cara a cara com o homem do ônibus, só que agora ela sabe o seu nome. Ele se chama Jack e, por incrível que pareça, é o novo namorado de sua melhor amiga que está completamente e irremediavelmente apaixonada por ele.

Laurie passa a sofrer desesperadamente toda vez que os vê juntos, mas decide que o melhor que tem a fazer é esquecê-lo, pois, por nada nesse mundo ela será capaz de magoar Sarah. Porém, como falar é muito mais fácil do que fazer, por mais que Laurie tente, ela não consegue esquecer Jack, até que acontece algo entre eles que não deveria ter acontecido sob nenhuma hipótese e é a partir daí que Laurie resolve abrir seu coração para novas possibilidades. Mas como bem diz a sinopse, e se o destino tiver outros planos?



[- Minhas Impressões-]

O livro Um Dia em Dezembro mostrou ser uma leitura bastante fluída, ágil e bem movimentada, pois muitas coisas aconteceram no decorrer da história que não permitiram que a trama se tornasse arrastada e enfadonha, já que a gente sabe que isso pode acontecer em uma leitura de quase quatrocentas páginas. Todavia, conforme fui avançando no drama de Laurie fui percebendo que a história não estava me agradando tanto quanto pensei que agradaria, porque eu já estava a par de que o livro estava fazendo sucesso e eu por minha vez não estava tão empolgada assim com ele.

Não tenho de fato nada contra o livro em si, mas penso que a autora em um certo momento levou a história por um caminho que não me agradou e isso por si só fez com que eu lesse sem muita animação, pois por mais que ainda tivesse história para ser lida eu sabia que estava indo em direção a algo que não iria me deixar contente.

Tenho certeza de que Um Dia em Dezembro irá agradar inúmeras pessoas assim como também sei que tantas outras não irão gostar, como eu.

A história teve altos e baixos na minha opinião, e não teve um personagem sequer que eu possa dizer que tenha sido o meu preferido. Não simpatizei com nenhum deles. Laurie era dotada de um ótimo senso de humor. E sua amizade que a unia a Sarah foi algo realmente muito bonito de se ler, mas achei de um tremendo mau gosto a autora usar do artifício de colocar duas melhores amigas apaixonadas pelo mesmo cara. E é claro que não restou outra opção a Laurie do que recuar e tentar esquecer Jack de qualquer forma.

Já a própria Sarah parecia uma alienada a meu ver, porque não tinha como ela não notar um clima muito estranho toda vez que Laurie e Jack estavam no mesmo lugar. E por fim o que dizer do próprio Jack que para mim foi um tremendo de um banana em toda a história. Aff!

Mas se tem uma coisa que precisa ser reconhecida e exaltada, é a bonita e forte amizade entre Laurie e Sarah, que mesmo assim passou por altos e baixos, mas se mostrou bastante sólida no final das contas.

O final do livro foi outra coisa que definitivamente não gostei. Eu não sei que mania é essa que os autores têm ao demorar um século para contar a história, mas correr igual o diabo da cruz quando chega na parte mais esperada e desejada por nós leitores, ficando portanto uma coisa sem graça, e o que é pior, fazer parecer que ainda está faltando alguma coisa. Isso é muito chato e eu acho um desrespeito com os leitores, mas sei que teve quem amou a história do início ao fim, porque uma amiga minha leu e deixou bem claro o que achou do livro. Ela amou!

Por tudo o que citei acima, vocês agora sabem o motivo de eu ter dado três estrelas para o livro e eu espero que vocês entendam minhas razões para tanto e que leiam para poder tirar suas próprias conclusões, pois como costumo dizer em minhas resenhas, o que não me agradou pode ser exatamente aquilo que venha agradá-los não é mesmo? Então tenham uma Boa Leitura!


Inscrições Abertas - Participe !!


Categorias:

6 comentários:

  1. Sei lá, penso eu que nem é preciso se justificar não quanto as estrelas. Cada livro é único a um leitor e se não funcionou com você, pode não funcionar a mim também e funcionar totalmente a outros né?
    Por isso, respeito ainda mais sua resenha!
    Eu já li muitas resenhas a respeito deste livro e como adoro livros temáticos, não vejo a hora de poder conferir este livro.
    Natal, romance e descobertas com certeza, deram um arzinho todo fofo ao livro e mesmo com os pontos negativos que você citou, eu pretendo ler esta obra o quanto antes.
    Capa maravilhosa!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Acho essa capa linda!
    Estava com muita expectativa para esse livro, mas... perdi o interesse.
    Sua resenha só confirma que não é uma leitura que eu pretendo fazer, pelo menos por agora.
    A premissa é interessante, original até, mas acho que falta um temperinho a mais né...
    E esse final corrido também não é legal, acho que esse momento precisa ser bem fechado.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi, Kaline!
    Também não curto histórias onde melhores amigos se apaixonam por uma mesma pessoa, assim como você acho isso de muito mau gosto... Não curto triângulo amoroso, pior ainda se envolve melhores amigos - como é o caso de Um dia em dezembro - ou família.
    E esse final tão esperado que acaba sendo apressado e sem graça?! Com certeza isso é muito frustrante quando acontece, eu me sinto tão iludida :(

    ResponderExcluir
  4. Olá! Posso até estar errada, mas esse enredo me lembrou e muito um filme que eu assisti há um tempo atrás (bem lá atrás mesmo), O casamento do meu ex (tive que recorrer ao Google para lembrar o nome, pois só lembrava que foi com a Katie Holmes), definitivamente não curti muito não o caminho que a história esta indo, triangulo amoroso, uma das pontas “bananona” e uma amizade de longo tempo que está arriscada (ai ai ai Yukito), mas esse destino tem que ser mais criativo hein.

    ResponderExcluir
  5. Gosto de livros e filmes (principalmente) que se ambientam na época do natal, sei lá o clima, os sentimentos que afloram, geralmente rendem historias lindas e emocionantes, porém essa é cliche demais, não que fosse um ponto negativo, gosto até, mais me pareceu uma historia sem muitas pretensões, a ideia é ler e ponto, sem esperar mais disso, alem do que 400 paginas é demais para um tema assim hahahah, ou seja, não me atraiu em nada. Pra não descartar totalmente, gostei da maneira como tu falou da amizade entre as meninas,deve-se tirar uma boa mensagem disso, mas é só.

    ResponderExcluir
  6. Eu gosto de tudo que se relaciona com Natal, mas essa capa acho muito sem graça ,quanto à resenha eu entendo o que você disse, o livro tem 400 páginas e no final é aquela correria de fatos e acontecimentos para serem narrados, me parece que a editora fica pressionando o autor com o prazo rsrsrs.
    Mas sobre a história, eu acho tudo normal, só questiono se Laurie não teria contado tudo a respeito do carinha que ela viu no ponto de ônibus e sei lá, amigas contam tudo, se Sarah não teria reconhecido em Jack o rapaz da amiga...bem ,acho que não.
    Na verdade fiquei intrigada pra saber se a autora vai dar ênfase para a amizade entre as duas ,ou vai colocar o amor sobrepujando a amizade...

    ResponderExcluir