Resenha - Fanfic, A História Que Não Te Contaram


Livro: Fanfic, A História Que Não Te Contaram
Autora: Rafani Ferreira
Cortesia: Editora Coerência
Páginas: 251
Skoob
Onde Comprar: Editora Coerência

Uma terra sem leis. Onde garotas com coques frouxos malfeitos pegam uma maçã verde antes de sair para a universidade e ao virar a esquina de uma Starbucks encontram o amor da sua vida. Onde não há TPM, mau hálito, boletos a pagar e preocupações afins. É o lugar onde tudo pode acontecer. Mas, infelizmente, essa regra não é válida para Petúnia Desastre – como é conhecida pelos moradores da fanficlândia. Ela não teve o final feliz com o amor da sua vida. Na verdade, não teve nem bem um começo. Petúnia é aquele personagem esquecido por seu escritor, sabe? Quando descobre que há uma forma de ir ao mundo real encontrar sua escritora, embarca na jornada maluca onde leva consigo um relógio, uma foto, papéis e a coragem – que quase não tem–, vai descobrir lá fora um mundo totalmente diferente. Conhecer pessoas e sentimentos novos, aprender que existem opções e diversos caminhos a seguir. E no final, quando precisar tomar a maior decisão de sua existência, Petúnia irá descobrir que cada um escolhe como escrever a sua história.




Fanfic, A História Que Não Te Contaram é um romance fofo de ler! Não esperava encontrar um conteúdo tão sensacional quanto a sua parte externa, o que nos deixa contente em recomendar uma obra assim.

Petúnia é uma moradora desastrada da Fanficlândia. Criada para ser uma personagem diferente do padrão encontrado em livros, ela vive um grande problema: a escritora que a criou nunca finalizou a história. E junto da escolha da autora de engavetá-la, Petúnia agora é proibida de se candidatar a qualquer outro papel ou ser escrita por outra pessoa, até que essa sua primeira história seja finalizada — uma das regras da Fanficlândia. Por isso que no desespero, ela decide ir ao mundo real e confrontar a pessoa responsável pela sua narrativa incompleta, e verá que nada sairá como o planejado — além de que descobrir que sua autora não é como imaginava. Será que Petúnia enfim terá seu tão desejado final? Como ela reagirá ao mundo real?




Confesso que iniciei sem grandes expectativas, mas me vi de queixo caído com a criatividade da obra, que com certeza é o maior ponto positivo do enredo. Nunca encontrei histórias semelhantes com este tipo de assunto, e da maneira que foi elaborada me surpreendeu. Rende uma leitura muito fluida e que você devora rapidamente — principalmente por apresentar pitadas de comédia que fazem dar altas gargalhadas. A criação do universo da Fanficlândia tem todas as informações necessárias para nosso entendimento sobre o mesmo, o que nos faz acompanhar com gosto a aventura da nossa protagonista no mundo real. Saberemos de quais elementos ela sentirá falta e/ou notará diferença nesse deslocamento, até mesmo o que ela habitualmente conhece ou não conhece — o que não conhece renderá cenas hilárias, percebam.

Petúnia é uma protagonista que conquista. Desde a sua aparência diferenciada — ela tem cabelo branco com pontas rosas, o que chama atenção — e personalidade simpática, ela fará um caminho de autoconhecimento. Acho que a escolha de fazê-la se questionar, ser insegura e ter desconfianças fez com que nós leitores compreendêssemos suas dúvidas internas, podendo entender melhor seu receio inicial. Particularmente, consegui entender e captar todas as suas escolhas justamente por ter me sentido próxima dela — a narrativa ajuda muito nesta questão de adentrar o volume pois a narrativa em primeira pessoa aproxima.

"Eles não sabem quem sou eu de verdade. Se soubessem, achariam que sou louco e que essas coisas não existem. Mas a verdade é que por mais que o mundo real seja estranho e tenha que me acostumar com muitas coisas, consigo perceber o quão fora da realidade a Fanficlândia é." pág. 112

Sem falar dos personagens secundários que roubam um pouco a atenção em momentos oportunos, principalmente o que quero destacar: a amizade da Petúnia com a Joanne. Achei inicialmente que essa união aconteceu de forma muito abrupta — gerando até uma desconfiança minha de que poderia surgir problemas dessa aproximação rápida — entretanto depois que você percebe que foi uma forte identificação das duas. E se com Joanne mostra-se uma amizade verdadeira, com outro personagem vemos uma relação estranha que coloca nossa mocinha para baixo. Não cheguei a desconfiar que chegaria nesse nível, mostrando como as situações podem evoluir para o bem ou não.

E claro que não poderia faltar a dose romântica — em opinião própria, não acho que ele é o carro-chefe da obra. Ganha destaque quando necessário e cabível, o que dependendo do seu gosto literário pode agradar ou não — eu adorei pois assim o enfoque maior fica na jornada da Petúnia. E falando do assunto jornada, o final dessa trajetória me pegou de surpresa, no bom sentido. Apesar dos indícios da escolha final sempre aparecer uma vez ou outra, me impactei na forma como tudo se encaixou. Dentro do contexto foi algo maravilhoso e condiz com o que vinha-se sendo construído, além de ter um epílogo maravilhoso e que nos deixa de sorriso aberto!




De uma forma geral, se eu recomendo?! Demais! Uma literatura nacional que te conquista pelo diferente, pelo fator de apresentar elementos únicos e por ter uma ótima escrita. Venha se surpreender com Petúnia — e também dar muitas risadas.

Sobre a edição física: sem palavras! A capa condiz totalmente com o conteúdo, com as características físicas da Petúnia, o que a fez ser ideal para o exemplar. Amei, e fatidicamente é o primeiro chamariz. Sobre a parte interna temos uma diagramação diferenciada, cheio de detalhes e confortável de ler. Não encontrei nenhum erro de revisão aparente, e a narrativa, como já dito, é feito em primeira pessoa pelo ponto de vista da nossa mocinha.

"Dou um meio sorriso e não respondo. Meu coração dispara e parece que há borboletas dançantes em meu estômago. Tento me manter calma e fingir que não me abalei com o que ele disse, e mesmo prometendo a mim mesma que não me deixaria abalar pelo que estou sentido, sei que será muito mais difícil do que pensei." pág 160

Impactada estaremos durante a leitura, impactada ficaremos ao fechar o livro e ver o quanto fica um gosto de quero mais. Espero que tenham gostado!


Inscrições Abertas - Participe !!



Categorias:

8 comentários:

  1. Impactada fiquei com essa resenha !
    Desde a capa , os personagens ,principalmente Petunia (adoro), o enredo incrível, achei tudo muito interessante.
    Nunca pensei nisso, uma coisa inédita, um livro onde o personagem sai do imaginário e parte em busca do seu criador ( escritor) para resolver essa questão de terminar a história. ..muito doido e incrível. .
    Gostei do jeito fofo da personagem Petúnia, da narrativa ser em primeira pessoa, e também que a parte romântica é só isso mesmo, não é o centro da história.
    Mais um ponto positivo para a nossa literatura.
    Adorei a resenha!

    ResponderExcluir
  2. Em primeiro e segundo lugar: Que capa espetacular e título, idem!! Puxa, há tempos não via um livro tão lindo visualmente!
    Aí lendo a resenha, percebi que não só isso tudo é diferente, mas o enredo também. Trazendo uma personagem bem distante dos ditos normais não só para uma sociedade, mas até para o mundo fictício!
    Por isso, Petúnia já é vista por mim com olhos de amor..e carinho!
    E é o que sempre falo: literatura nacional precisa e merece ser colocada sempre em primeiro plano!!!
    Viva!!!
    E o livro? Vai para a lista de mais desejados.
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Nossa, estou surpresa!
    O enredo é mega criativo, e é tão bom ler algo que nos surpreende e nos traz um novo universo.
    A literatura nacional está repleta de talentos!
    Gostei do fato de ser um romance daqueles bem fofos.
    E sobre a capa, Coerência está arrasando muito nesse quesito.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Jura que o conteúdo é tao sensacional quanto a capa?? Guria, de cara achei muito louca essa historia, ela beira o "ame ou deixe-a", mas ao longo da resenha e comentários não deixa duvida que é uma surpresa mega positiva. Na tua confissão, tu descreveu exatamente o que eu estava pensando, certo que eu começaria sem expectativa, embora seja completamente inusitado. Achei de uma criatividade a personagem sair do livro e ir tirar satisfação com a autora, ahahahah deve ser cômico. A narrativa em primeira pessoa realmente aproxima o leitor, ainda mais se a ela te deixa bem familiarizada com o universo Fanficlandia, sem deixar pontas soltas. Certamente é um livro fofo, divertido, romântico E nacional!!!! QUE BAITA DICA. Já quero!!! (Num sorteio, que tal?)

    ResponderExcluir
  5. Olá! Definitivamente uma história bem diferente de tudo que eu ando lendo ultimamente o que torna a leitura ainda mais atraente, a capa está tão linda que já havia me conquistado, antes mesmo de ler a resenha (risos). O título também é bem peculiar e já mostra que vou rir muito durante toda a história. Achei essa soma (capa diferente e linda, título peculiar e enredo tão singular) bem difícil de resistir, e lá vamos nós colocar mais um nome na lista (risos).

    ResponderExcluir
  6. Oi, Caroline!
    Uma personagem com sua história inacabada que decidi ir atrás de sua escritora?! Assim como você também nunca tinha me deparado com uma trama desse tipo, achei genial e quero ler Fanfic, a história que não te contaram pra ontem!
    Gosto de histórias com pitadas de comédia, mas essas inseguranças de Petúnia é algo que acho bastante negativo, apesar de entender pois afinal a história é sobre autoconhecimento, não é mesmo?! Mas é bom saber que apesar desse ser o foco também há dose romântica na história, como prefiro mais romances eu NECESSITO que haja esse elemento nos livros!
    Enfim, valeu pela dica, anotada! Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Ah, que coisinha mais linda!
    Obrigada por ter aberto um lugar para Petinha e minha escrita, fico muito feliz em saber que se surpreendeu com a história quando começou sem expectativas.
    ��
    Espero que tenha tirado coisas boas e novas visoes. Sempre lembre que nós somos os donos da nossa história e o primeiro passo e semsem a melhor opção.
    Beijos,
    Fani ��

    ResponderExcluir
  8. Aaaa, que linda!
    Obrigada por abrir espaço em suas leituras para Petúnia e meu trabalho. Adorei saber que a história te surpreendeu quando começou desanimada.
    Nunca esqueca que somos donos da nossa propria historia e o primeiro passo é sempre a melhor opção.
    Beijos,
    Fani 🦋

    ResponderExcluir