10 setembro 2018

Resenha - O Morro dos Ventos Uivante


Título: O morro dos ventos uivantes
Autor: Emily Brontë
Editora: Zahar
Páginas: 376
Skoob
Onde comprar: Amazon / Saraiva

Essa é uma história de amor e obsessão. E de crueza, devastação e purgação. No centro dos acontecimentos estão a irascível voluntariosa Catherine Earnshaw e seu irmão adotivo Heathcliff. Rude nos afetos e modos, humilhado e rejeitado, ele aprende a odiar, mas com Catherine desenvolve uma relação de paixão e simbiose, e também perversidade. Nada destruirá a essência desse laço, porém, quando ela se casa com outro homem, por convenções sociais, as consequências são irreparáveis para todos em volta. Caro leitor, você está prestes a adentrar o inferno. Mas não hesite: a viagem valerá cada segundo. Com um olhar agudo e sensível, Emily Brontë fez de O Morro dos Ventos Uivantes um estudo da degradação humana provocada pelas armadilhas do destino e um retrato comovente. Acompanhando a excelente tradução, essa edição traz apresentação, cronologia de obras e vida da autora, mais de 90 notas e ainda dois textos de Charlotte Brontë, escritos para a reedição do livro organizada por ela após a morte da irmã.



Definitivamente este é um livro memorável. Com certeza Emily Brontë deixou um legado magnifico com essa história e ela acertou em cheio em ser corajosa o suficiente para criar uma história que ia além de sua época, além de seus costumes e que consegue nos dar um vislumbre do que a alma humana pode ser feita, e o que ela pode se tornar ao ser moldada da maneira errada. Mas sem mais palavras difíceis, vamos a esta que será uma jornada seca, espinhosa, muitas vezes amarga, mas que dá um prazer em ler que é difícil de explicar!! Prontos?

A residência do Sr. Heathcliff se chama Wuthering Heights, um regionalismo que descreve bem a atmosfera tumultuosa a qual a localidade está sujeita.”   

Wuthering Heights, é o nome em inglês para Morro dos ventos uivantes, nada mais do que o nome da propriedade onde se passa a maior parte da nossa história. E esta descrição feita pelo nosso personagem Sr. Lockwood, não poderia ser mais precisa: lugar tumultuoso. Mas vamos ao que interessa, o enredo dessa jornada.


Este livro é uma história dentro de uma história. Nosso personagem inicial aluga um casarão bem afastado da cidade de Londres onde vive, a fim de dar um tempo da vida agitada da cidade, e ao conhecer seu locatário, encontra uma pessoa estranha, insólita e bastante mal humorada, o Sr. Heathcliff nosso “herói” da história. Lockwood alugará uma das propriedades dele, chamada de Granja Thrushcross e resolve dar um “oi” ao seu dono para confraternizar um pouco, e lá encontra uma moça bem bonita porém pelos poucos modos que pôde presenciar, bem amarga. Encontra também um rapaz desajeitado e bruto, que ele logo descobre serem Catherine Linton e Harenton Earnshaw.

A medida que o Sr Lockwood vai conhecendo um pouco destes dois, seu espanto vai aumento na mesma proporção, pois todas elas parecem partilhar da mesma amargura e espinhenta personalidade do dono da casa. Parece que ninguém naquele local tem um pingo de alegria em seu ser, até mesmo o criado do local Joseph, é insolente com seus patrões e todos vivem em um ciclo de insultos uns para com os outros.

– Velho hipócrita desgraçado! – replicou – Não tem medo de que o diabo o carregue, de tanto que fala no inferno? Estou avisando, pare de me provocar, ou acabo pedindo que ele o faça, como um favor especial! Espere, olhe só, Joseph! – prosseguiu ela, tirando um livro comprido e escuro da estante. – Vou lhe mostrar como progredi na magia negra. Em breve, vou ter condições de me livrar de todos vocês. A vaca vermelha não morreu por acaso, e o seu reumatismo não é uma benção dos céus!”     

Acho que já conseguimos perceber o nível de relacionamento que estas pessoas mantém, e é isso que vamos encontrar ao longo do livro todo, e para mim, isto só torna a história ainda mais interessante.
O sr. Lockwood em sua visita ao morro dos ventos uivantes, acaba percebendo que uma forte nevasca açoita a região e ele se vê obrigado a pedir um abrigo até que o dia amanheça, e acaba ficando com um dos quartos do local. Atormentado pela atmosfera pesadíssima do casarão pega um dos livros da prateleira e começa a ler (quem nunca?). 

Ele descobre se tratar do diário de Catherine, mas não daquela moça que conheceu a pouco, pois data de mais de 30 anos, e sim da dona antiga do quarto. Aí que já temos um vislumbre do que esta história estará a nos contar. São episódios de muitas queixas e que envolvem relação inclusive com Heathcliff. Ainda mais atormentado com aquilo tudo, ele resolve ir dormir por fim e ouve uma batida na janela. Ao abri-la, por pensar que alguém poderia estar perdido lá fora, uma mão gélida o agarra e um espectro se mostra a ele, dizendo estar perdido a 20 anos e que deseja entrar. Apavorado, solta um grito e Heathcliff aparece para ver o que se passa e para a surpresa de todos, ele parece conhecer muito bem aquele fantasma.

- Entre! Entre! – soluçava. – Cathy, entre. Ah por favor...uma vez mais! Ah, minha adorada! Ouça-me desta vez, Catherine, por fim!

A partir deste episódio beeeem estranho, mais do que depressa, o Sr. Lockwood sai daquele quarto e ao amanhecer não se demora a ir embora do casarão e ir a sua própria casa alugada, a Granja. Lá encontra Ellen Dean, a governanta do local e desabafa o episódio tenebroso pelo qual passou. Ellen diz ter crescido e trabalhado no Morro, e aí que a história que nos interessa realmente começa, pois ela vai nos contar o porquê daquelas pessoas agirem e serem do jeito que são.

- Bem Sra. Dean, seria um ato de caridade me contar alguma coisa de meus vizinhos. Sinto que não vou conseguir dormir se for me deitar, então seja gentil e fique conversando comigo por mais uma hora.

E no melhor estilo de senta que lá vem história, a governanta começa esta épica história de amor obsessivo e infernal que os protagonistas irão viver. A graça do livro todo é descobrirmos como o assombroso romance entre Heathcliff e Cathy terminou. Seria uma grande pena e revelar muita coisa daqui para frente, então não me alongarei muito.

Acredito que o importante a se saber sem estragar nada é que Heathcliff é um exemplo vivo de uma pessoa que pela justificativa dos maus tratos que sofreu em sua infância e adolescência deixou o ódio e o espírito de vingança o consumir e tentou arrastar todos a sua volta para o mesmo lugar. Ele foi adotado pelo Sr. Earnshaw, o antigo dono do Morro e que possuía dois filhos: Hindley e Catherine. O filho imediatamente após a adoção de Heathcliff o viu como um rival e Cathy por outro lado encontrou sua paixão.

Heathcliff é um ser moldado com ódio pelas pessoas ao seu redor e Cathy é sua cara metade. Só posso dizer que os dois não podem ficar juntos por motivos nada clichês e que acompanhar toda esta situação é instigante e agonizante. Os dois têm personalidades tão fortes e destrutivas que TODOS ao redor deles de uma forma ou de outra acabam por sofrerem consequências. Mas nunca um esquece o outro, e como pudemos presenciar, nem mesmo depois da morte.

- Qualquer que seja a substância das almas, a minha e a dele são feitas da mesma coisa.

A família anterior que morava na Granja onde Lockwood está, são os Linton e têm relação direta com Catherine e Heathcliff. E eles igualmente são arrastados em toda esta espiral de destruição. A Cathy que conhecemos no início da história é filha da protagonista, ex-nora de Heathcliff e Harenton é seu primo por parte de mãe. Agora descobrir como esses enlaces aconteceram é spoiler e deixo por conta de vocês descobrirem. 

Este romance não é nada parecido com a tradição de histórias do gênero e é exatamente isso que o faz tão especial. Sinceramente estes detalhes complexos e cheios de porem enriquecem e muito a narrativa, pois a deixam extremamente única. Garanto que é uma história de relacionamento que é muito difícil não querer acompanhar. Todos os personagens são muito bem trabalhados pela autora e descobrir de perto todos os detalhes vale muito a pena!


A edição da Zahar é muito bem-feita tanto pela qualidade visual quanto pelo conteúdo extra presente. Eu recomendo muitíssimo a leitura deste livro pois ele é um divisor de águas na história da literatura e merece ser lido!  Como é dito na contracapa do livro, você leitor está prestes a adentrar no Inferno, mas a viajem valerá cada segundo!

Inscrições Abertas !! Participe !!


6 comentários:

  1. Oi, Eduardo,

    Apesar de ter ouvido muito falar, nunca o li. Contudo, o mesmo consegue despertar uma pequena parcela de vontade de lê-lo, apesar de ser bem confuso.

    O enredo parece ser bem caracterizado, com analogias bem profundas - elevando seu nível conforme o leitor se envolve por completo na história.

    ResponderExcluir
  2. Olá! Eu li esse livro há quase 10 anos (eita que nem acredito que já faz tanto tempo) e simplesmente amei, foi uma leitura bem diferente, mas muito prazerosa e marcante, fiquei com o coração pequenininho por conta do que passaram Heathcliff e Cathy (que por sinal era bem mimada e egoísta hein). Além disso, todo o enredo de vingança é muito bem escrito e por muitas vezes me vi torcendo pelo Heathcliff (não me julguem), não posso negar que derrubei algumas lágrimas durante a leitura.

    ResponderExcluir
  3. Que história!!!
    Acredito que não tenha como começar a falar deste clássico, sem dizer que é sem sombra de dúvidas, uma das histórias maks complexas e linda dos últimos tempos.
    Cenário, peedonagens e oh,na adaptação do cinema, a trilha sonora também é impecável.
    Realmente a edição está lindíssima!!!
    Mais do que recomendado!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Oi Eduardo, tudo bem?
    Apesar de ja ter ouvido falar muuuuito sobre este livro, eu nunca li e sempre tive a impressão errada sobre ele.
    Adorei conhecer um pouco mais sobre a estória, os personagens e principalmente desmistificar minha visão de que era apenas um romance água com açucar, porque vai muito além disso.
    Adoro essa edição da Zahar.
    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Li mas em edição antiga.Essa da Zahar está muito bonita. Eu acho que O Morro é um livro difícil, não é definitivamente pra qualquer leitor. Leitura densa,pesada, sombria.Não tem esses artifícios usados para agradar a maioria, por isso acredito que tantas pessoas o abandonem. Eu amo essa história, amo Heathcliff ,odeio Catherine, a primeira vez que li chegava a sonhar com a propriedade. Uma história de amor arrebatadora. Grande Emily Brontë.

    ResponderExcluir
  6. Oi Eduardo!
    Foi um dos primeiros livros que li, história linda, já reli umas 5 vezes, amo demais a escrita da autora.
    Não conhecia essa edição, adorei a capa!
    Bjs!

    ResponderExcluir