04 setembro 2018

Resenha - O Melhor de Você


Livro: O Melhor de Você
Autora: Mia Sheridan
Cortesia: Universo dos Livros
Páginas: 380
Skoob
Onde Comprar: Amazon / Saraiva

Uma mulher destroçada.Crystal aprendeu há muitos anos que o amor só traz sofrimento. Não sentir nada é muito melhor do que ser magoada de novo. Ela protege o coração ferido por trás de uma fachada impassível e traz dentro de si uma profunda desconfiança com relação aos homens, que, segundo sua experiência, só exploram e depois menosprezam as mulheres. Um homem necessitando de ajuda. A despeito de seu passado terrível e sombrio, existe uma inegável bondade em Gabriel Dalton. E, apesar de saber o preço dessa equação, Crystal se sente atraída por ele. O magnetismo dessa relação está derrubando suas defesas e a esperança a faz questionar tudo ao seu redor. Somente o amor pode reparar um coração partido. Crystal e Gabriel nunca imaginaram que o mundo, que roubara tudo deles, traria-lhes um amor tão arrebatador. No entanto, o destino só os conduzirá até certo ponto, e depois a escolha será deles: endurecer seus corações uma vez mais ou criar coragem para arriscar tudo pelo amor?



O Melhor de Você tinha tudo para cair no conhecido clichê dos romances contemporâneos, a começar pela sinopse. Mas, Mia Sheridan com uma destreza na escrita nos traz emoções, sentimentos à flor da pele e a esperança que um amor pode nos mudar.

Crystal, que tem como nome verdadeiro Ellie, sempre teve uma vida difícil. Desde pequena acostumada a situações sofríveis que culminaram na única oportunidade que teve até agora, ser stripper, acha que merece a vida que tem. Entretanto, tudo muda quando Gabriel Dalton entra na boate que trabalha, o Pérola Platinada. 

Ele de longe se destaca por não pertencer ao local. Sua bondade e sua personalidade esperançosa brilha chamando atenção de Ellie. Surpreendida quando ele lhe faz um pedido de ajuda — Gabriel tem um passado devastador que gerou um receio de se aproximar das pessoas — verá que esse trabalho a mais pode render-lhe além do dinheiro: pode trazer um amor e recomeço de vida. Será capaz de Crystal recomeçar sem as manchas do passado? Será capaz do Gabriel enterrar seus traumas?


Além do renome da autora, um motivo específico que me despertou o interesse em ler O Melhor de Você foi as escolhas de palavras na sinopse — me remeteu a algo poético. Se formos pensar no lado pragmático dos romances repito que é algo que beira o clichê notado em vários exemplares. E por mais que para alguns isso seja chato, acho que a mágica de transformar a obviedade em algo primoroso é o que surpreende o leitor. Você encontrará um desenvolvimento que saí do esperado pela escolha da escrita, pela escolha de palavras e pelas pequenas lições que se subentende em cada ação, cada cena inserida.

"Às vezes usamos tais rótulos limitadores e prejudiciais nesta vida, quer tenham sido designados por outros, quer por nós mesmos. Já me senti destroçado e arruinado antes, mas não me sinto mais assim. Sou ainda um trabalho em andamento, mas não sou uma vítima. Sou um sobrevivente." pág. 81

Não somente realizamos a leitura dos momentos transcritos, e sim os sentimos. É transpassado muitas emoções a medida que se desenrola o drama, e é difícil não se apegar ao casal principal e seus passados turbulentos — às vezes ocorrendo até identificação pessoal. Suas dúvidas e receios são mais comuns do que pensamos quando analisamos os problemas (de personalidade) atuais dos seres humanos, o que ajuda a trazer essa identificação leitor e história.

E o que para mim foi o ponto alto da narrativa, é o fato de tudo acontecer de forma cadenciada. Geralmente quando a química acontece de uma forma muito abrupta, tudo tende-se a acontecer de forma rápida. Encontraremos o oposto. Há a preocupação de uma construção de linha de pensamento vagarosa, onde cada passo é importante e cada ação é pensada. Isso é melhor captado quando um dos plots twists é formado justamente por essa escolha de evolução. Onde por mais que duas almas quebradas necessitem um do outro para crescer, sua confiança e seu amadurecimento próprio precisa vir antes da formação de um relacionamento.


Confesso que senti algumas partes mais estendidas que o necessário, que analisado dentro do contexto é tolerável e existirá leitores que gostem. Como falei, quanto mais se conhece os protagonistas mais empatia tem. E se alguém lê esperando um erótico forte, não encontrará. É sutil, e o modo como as cenas acontecem também é suavizado. O enfoque é realmente no amor, em acreditar e ter esperanças na fé de ser uma pessoa melhor e no que um envolvimento amoroso pode desencadear. Acredito que isso resuma bem o volume.

Temos personagens secundários que são importantes nas ações principais, influenciando até mesmo nas decisões. Alguns ganharão nossas raivas em atitudes questionáveis, no entanto de forma geral são acréscimos positivos. Não considero um enredo gatilho, só que prepare-se para pequenos choros e aos mais sensíveis angústias fortes com os temas trabalhados. Classifico-o mais como drama do que romance por quão tocante ele pode ser. Não quis me aprofundar muito no Gabriel e na Ellie pois acredito ser bacana a descoberta sobre eles acontecer ao passo que lê. A dupla é um livro aberto nas atitudes e nos pensamentos — afinal a narrativa nos faz entrar na cabeça de ambos — e com isso o legal é descobrir eles conforme passa as páginas.

"— Gratidão não é um band-aid, Ellie. Você ainda tem que viver seus sentimentos para processá-los. A gratidão foi feita para tornar as coisas suportáveis. Às vezes, ela faz você chegar ao fim do dia e, às vezes, apenas ao momento seguinte. É só isso." pág. 266


De uma forma geral, saio primorosamente feliz com o conteúdo. Alcançou todas as expectativas desejadas, e aqueles que se sentirem tentados a ler somente pela sinopse também terão seus desejos atendidos. Uma obra do gênero que se destaca por si só, e pela escrita maravilhosa da Mia Sheridan. Recomendadíssimo!

Na parte física, a capa é um dos primeiros atrativos. Tentei analisar a mensagem colocada aliada a parte interna, e é totalmente compatível. A delicadeza e o despedaçar da flor tem grandes significados. Na diagramação temos detalhes nos inícios de capítulos que dão um charme a mais, e não encontrei nenhum erro aparente de revisão. A narrativa é feita em primeira pessoa pelo ponto de vista do Gabriel e da Ellie.

Me encantei muito, e como já tenho A Voz do Arqueiro da autora em alta nas minhas leituras da vida — primeiro volume da série Signos do Amor — sei que futuramente só encontrarei coisas melhores. Espero que tenham gostado! 


Inscrições Abertas !! Participe !!


7 comentários:

  1. Como não conhecia o livro, gostei demais do que li acima. Sou apaixonada por romances assim, com histórias de vida. Com superações e com os sentimentos sendo construidos pouco a pouco, como todo amor deve ser.
    A participação dos personagens secundários também é muito importante e adorei ler que há eles no enredo.
    Mesmo com um pequeno pedacinho arrastado, quero muito poder ler a obra!!!
    Ah, capa linda!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Olá! Gosto muito da escrita da Mia e concordo com você, como é incrível o que ela faz com as histórias, que aparentam ser só mais um clichê, se transformarem em um livro que fica marcado para sempre depois de lido. Ainda não tive a oportunidade de ler esse em especial, mas só com a sinopse e a resenha, já fiquei muito tocada com a história da Ellie e do Gabriel, e como manteiga derretida assumida já preparei os lencinhos para quando for ler. Amo quando a leitura permite que possamos ficar mais próxima dos personagens, acho que torna tudo ainda mais especial e real.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Caroline,

    Esse fundo dramático que envolve ambos os personagens, é intrigante. Deixa o leitor na expectativa de ver o envolvimento dos dois. Sem falar que, a leitura contém traços envolventes, pois a autora fez uma boa união - em criar os personagens cada qual com sua bagagem emocional a ser carregada.

    ResponderExcluir
  4. Ooi! O livro já me chamou atenção pela capa e título, mas a premissa dele logo na sinopse é encantadora e, como você mencionou, tem rudopara ser clichê, no entanto, no decorrer da resenha, senti como um daqueles romances bem construídos que desconstrói o paradigma de que se tem um coração partido, não irá amar. Crystal claramente precisa de gabriel e vice versa, para mostrar outras vertentes do que e amar. Esse livro vai entrar na minha wishlist ja.

    ResponderExcluir
  5. Olá Caroline!
    Não conheço a escrita da autora ainda, pelo que andei acompanhando sobre esse livro, a leitura promete ser muito boa, li algumas resenhas mas foram bem positivas, o que me fez ficar ainda mais com vontade de conhecer o enredo.
    Espero ler em breve.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Oi Caroline.
    Não li nada da autora, mas vejo muitas resenhas positivas sobre seus livros.
    Achei interessante a autora descrever de forma diferente os sentimentos e o que acontece. Ter esse trabalho com a poética da escrita.
    O enredo parece bem clichê mesmo. Que bom que não é.
    Gosto de ser supreendida.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi Carol, tudo bem?
    Por mais que livros de romance/drama não me atraiam muito, fiquei bem interessada no livro por sua premissa. Ao ler a sinopse parece ser uma história realmente bem clichê, mas como você disse, ela vai além disso e foi o que despertou meu interesse.
    Beijos

    ResponderExcluir