06 setembro 2018

Luz, Câmera e Ação [56] - Com amor, Van Gogh


Título: Com amor, Van Gogh
Data de lançamento: 30 de Novembro de 2017
Direção: Dorota Kobiela, Hugh Welchman
Elenco: Douglas Booth, Chris O' Dowd, Saoirse Ronan, Jerome Flynn
Gênero: Animação/Biografia
Produção: Hugh Welchman, Ivam Mactaggart e Sean M. Bobbitt
Duração: 1h 35m
Indicado ao Oscar de melhor filme de animação
Nacionalidade: Reino Unido/Polônia


1891. Um ano após o suicídio de Vincent Van Gogh, Armand Rolin (Douglas Both) encontra uma carta escrita por ele enviada ao irmão, Theo, que jamais chegou ao seu destino.
Após conversar com o pai, carteiro que era amigo pessoal de Van Gogh, Armand é incentivado a entregar ele mesmo a correspondência. Desta forma, ele parte para a cidade francesa de Arles na esperança de fazer contato com a família do pintor falecido. Lá, inicia uma investigação junto às pessoas que conheceram Van Gogh, no intuito de decifrar se ele realmente se matou.




O filme retrata a história e vida do genial pintor Vincent Van Gogh e nos apresenta, através das pessoas que tiveram contato com ele, um homem totalmente diferente na visão de cada um. Vincent é descrito por cada uma das pessoas com quem teve contato na cidade de Arles como uma pessoa feliz, solitária, amargurada, fracassada, doente, infeliz e extremamente sofrida e perturbada.

Desde pequeno, Vincent desejou estar a altura de seu irmão mais velho, que também se chamava Vincent, já falecido. Sua mãe não conseguiu se refazer da perda do primogênito e, por causa disso, tanto Vincent quanto Theo, o irmão caçula, eram deixados de lado por seus pais.

Vincent cresce e torna-se um homem totalmente carente de afeto e atenção. Sem muita sorte em sua vida profissional após ser demitido de vários empregos, ele decide sair de casa e se esforça para se tornar um pintor de talento reconhecido e aceito. Mas antes que isso aconteça, Vincent tem um surto e simplesmente corta a própria orelha fora e a dá para uma prostituta, pedindo-a que tome conta dela. Após este ato deliberado de violência contra si mesmo, Vincent decide por conta própria se internar para se tratar. Algum tempo depois aparentemente curado, ele retorna a Arles e parte em busca do Dr. Gachet, o médico que o tratou na clínica, uma vez que eles se tornaram grandes amigos. E lá chegando Vincent aluga um minúsculo quarto em uma espécie de hospedaria e começa a pintar tudo que lhe chama a atenção, variando entre pessoas, paisagens, flores, pássaros e etc.

Margaret Gachet, filha do Dr. Gachet e Vincent, parecem desenvolver uma relação, mas seu pai chama sua atenção dizendo que ela atrapalha a concentração de Vincent e o retarda na caminhada para se transformar em um pintor famoso. Desse dia em diante Margaret afasta-se de Vincent e para de vê-lo. O distanciamento de Margaret e a discussão com seu grande amigo Gachet e mais a revelação que ele lhe faz ao contar que Theo, o irmão querido de Vincent, sofre de uma doença que pode matá-lo, é demais para o atormentado Van Gogh, e poucos dias depois ele atenta contra a própria vida e dá um tiro em sua barriga. Porém, Armand Rolin, o encarregado de entregar a carta que Vincent escreveu para o irmão, Theo, não consegue acreditar que ele tenha tentado o suicídio e daí começa sua própria investigação.

À princípio Armand se ressente de ter que entregar a carta ele mesmo, mas a medida que vai conhecendo Vincent pelos olhos das pessoas que conviveram com ele e fizeram parte de sua vida de alguma forma, Armand vai mudando sua maneira de pensar e não consegue acreditar que simplesmente Vincent tenha atirado em si próprio. Todavia a verdade parece ser essa mesma, já que após ler uma das várias cartas que Vincent escreveu para o irmão, Theo, e também a última carta, que por sinal é a mesma que o próprio Armand se esforçou tanto para que chegasse às mãos dele fica comprovado o quão solitário e infeliz era Vincent Van Gogh.


"Eu vi neste ceifeiro a imagem da morte.
  Mas nesta morte nada é triste, acontece em
  plena luz do dia com um sol que inunda tudo
  com uma luz de ouro fino."
                    Vincent van Gogh




A minha intenção ao assistir "Com amor, Van Gogh" era somente em matar minha curiosidade em ver um filme todo feito em animação. Jamais imaginei que fosse conhecer mais profundamente a mente por trás dos mais de 800 quadros pintados em sua curta vida, já que Vincent morreu com a idade de 37 anos somente.

O filme é lindo de todas as maneiras possíveis que possam existir, uma vez que pude ver com meus próprios olhos sua beleza, sentir sua força através desse trabalho extraordinário realizado com tanto talento, esmero e dedicação.

Vincent Van Gogh sempre foi para mim uma figura humana rodeada de mistério e sofrimento, mas a partir do filme pude conhecê-lo um pouco e ainda assim continuo pensando da mesma forma. Só que agora eu sei mais a seu respeito e digo que mesmo assim ele ainda continua um mistério para mim, pelo menos no que consiste à causa de sua morte. Não sei se acredito realmente que ele tenha se matado dando um tiro em sua barriga. Acho bastante estranho, até porque ele não morreu instantaneamente e sim alguns dias depois.

Gostaria de falar um pouco mais a respeito da qualidade do filme e a técnica de animação que resulta nas mais de 400 pinturas que Van  Gogh fez ao longo de oito anos. São pinturas a óleo fenomenais, que revisitam através da animação locais e pessoas que passaram por sua vida.

Estou totalmente deslumbrada com tanta beleza que vi ao longo do filme e também muito emocionada e solidária com  a triste existência que levava Van Gogh. Ele parecia ser tão exageradamente intenso e sensível, e por isso mesmo parecia não haver lugar no mundo para ele no qual ele se sentisse bem consigo mesmo.

"Eu quero tocar as pessoas com a minha arte.
 Quero que digam: ele têm sentimentos, ele tem ternura.
                                                     Vincent van Gogh"



Inscrições Abertas !! Participe !!


10 comentários:

  1. Oi, Kaline,

    Essa seria uma magnífica oportunidade de obter conhecimento sobre esse brilhante artista - que me deixa intrigada.

    E, a ideal criada em narrar a trajetória do Van Gogh através da animação não deixa de ser genial, pois atinge um público formidável.

    ResponderExcluir
  2. Este filme é maravilhoso!!!!
    A gente sempre teve uma ideia de Van Gogh desta forma, o homem melancólico, recluso em si mesmo e neste filme parece que a gente vê a alma do artista. Sua forma simples, seu jeito menino tímido.
    Uma animação mais do que recomendada não só a quem curte arte, mas a todos os amantes de um bom cinema!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Olá! Nossa, só vendo o trailer já fiquei com vontade de assistir ao filme, que alias é bem diferente de tudo que eu já vi até aqui, o que o torna ainda mais especial. Além disso, vou ter a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a história desse grande pintor, que já deu para perceber não teve uma vida fácil hein.

    ResponderExcluir
  4. Olá Kaline, tudo bem?
    Eu não sou muito conhecedora de arte, mas com certeza ja ouvi falar de Van Gogh e vi suas incríveis pinturas.
    Também sempre tive a impressão de que ele fosse uma pessoa depressiva, devido ao fato de ter se auto mutilado. Não sabia da existência desse filme e fiquei bem curiosa para assistir. Vai para a lista. Ótima recomendação.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi Kaline.
    Esse filme parece ótimo.
    Também fiquei com muita vontade de ver o filme por ser feito em animação. Mas depois dessa sua crítica fiquei extremamente curiosa para saber mais sobre a vida do artista.
    A causa da morte é realmente controverso e misterioso.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá Kaline!
    Tenho muita curiosidade em conhecer a história de Van Gogh, sempre fui interessada desde a escola, ouvia falar muito sobre...
    Não sabia do filme, vou tentar ver o quanto antes.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  7. Oi, Kaline!
    Animação é o meu gênero preferido, mas não curto biografia, e sinceramente nunca tive curiosidade em saber mais da vida de Vincent Van Gogh, apesar de apreciar suas obras... provavelmente por isso não me interessei em assistir Com amor, Van Gogh... Abraços!

    ResponderExcluir
  8. Sempre ouvi muito sobre Van Gogh, as pinturas dele são maravilhosas, mas conheço a história de vida dele só por cima, sabe? Esse filme vai me ajudar bastante a conhecer mais o mundo dele s2

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Acredito que todo tipo de filme, livro, ilustrações sobre esse artista sempre será pouco. Li um livro que trás toda correspondência entre Van Gogh e seu irmão Théo. Muito triste, depressivo e solitário, ele mantinha uma relação de amizade afetuosa e até de dependência emocional e financeira com Théo.
    Não assisti esse filme, mas quero ver, as pinturas dele são maravilhosas, uma arte expressiva ,colorida, acho que tudo o que ele sentia está estampado nos seus quadros. Pena que os grandes gênios só o são assim considerados depois de mortos. Obrigada por trazer essa resenha dessa animação e biografia de Van Gogh.

    ResponderExcluir
  10. Eu ainda não conhecia esse filme de animação, mas como admirador da obra de Van Gogh e conhecendo tão pouco sobre a vida dele, fiquei muito interessado em assistir. Todo o trabalho gráfico e a técnica utilizada parecem incríveis. A situação envolvendo a morte é mesmo estranha. Fiquei bastante curioso.

    Evandro

    ResponderExcluir