17 abril 2018

Resenha: Encontro com o Acaso

Livro: Encontro com o Acaso
Autor: Elisete Duarte
Cortesia: Astral Cultural
Páginas: 448
Onde comprar:  Amazon

Annie Campbell é obcecada pelo esporte, uma paixão que fez dela uma triatleta de sucesso. Mas ainda faltava realizar o sonho de participar de uma Olimpíada. Aos 27 anos, e com o relógio biológico a todo vapor, ela acelera o processo para se preparar para esse evento. Uma loucura que custou uma vida inteira de dedicação. Afastada do que mais ama, sua vida perde totalmente o sentido e ela decide se isolar. Deixa tudo aquilo que a sufoca para trás e vai para Fernando de Noronha — lugar paradisíaco e belíssimo — em busca de superação e da chance de um recomeço. Por obra do destino — ou apenas um encontro com o acaso —, ela esbarra mais uma vez com aquele homem de olhar enigmático e intimidador. Um verdadeiro deus grego: músculos bem-definidos e ombros largos, mas é a arrogância em pessoa, um grosseirão sem papas na língua. Outro encontro inusitado e surreal, que causa um emaranhado de confusões em sua vida.



“Se perder a capacidade de sonhar, vai perder muito mais do que o combustível da vida: você vai desnutrir sua alma.”



Annie Campbell é uma atleta muito talentosa que se encontra cada vez mais próxima de realizar aquilo que se mostrava o seu maior sonho e desejo de carreira: a medalha olímpica, ou pelo menos era, até que a vida resolveu se interpor em seu caminho afastando de si aquilo que mais amava fazer: ser triatleta. 

“ – Você precisa entender minhas razões, fui banida do que mais amo nesta vida, mãe.” 

No entanto, tendo-se deparado com inúmeras opiniões que insistem em reafirmar que ela não pode voltar a competir, Annie se encontra sem esperança e sem nada que a faça desejar viver. Sendo apenas a sombra daquilo que ela foi um dia, ela não acredita que ira reencontrar aquilo que a fara sentir viva novamente, e com a sombra das consequências de seus atos a seguindo o tempo todo e lembrando a de tudo que perdeu e de tudo que não poderá nunca mais voltar a ter, ela tem certeza que é apenas um atraso de vida para todos ao seu redor. 

“ – Já tem muita gente cuidando de mim, entretanto ninguém resolve nada.” 

Enzo, por outro lado, é um medico apaixonado pelo que faz; cardiologista renomado e extremamente talentoso, além de dono do hospital em que trabalha, ele é aquele típico homem que chama a atenção não apenas pela sua beleza, mas pelo seu jeito de pensar no outro ainda que isso não venha gerar lucro. Muito ligado a família, ele sempre se preocupou com a segurança de todos, e quando seu pai ficou extremamente doente, ele se viu ainda mais preocupado em se manter ao lado dele e garantir que o faria viver por muito mais tempo. 

“Trabalhando há oito anos como cardiologista e convivendo todos os dias com a morte, percebo o quanto a vida é engraçada.
Afinal, a morte é a única certeza da vida. Um dia ela vem para todos, ninguém será eterno nesse mundo.” 

Mas quando ele se vê repentinamente sem uma das bases essenciais de sua vida e se culpando por ter escolhido ir até alguém que não valia seu esforço, Enzo se vê perdendo tudo aquilo que o faz ser quem é e sua essência. Precisando se afastar de tudo para se reencontrar, ele sai em busca da paixão que perdeu e principalmente da confiança em si mesmo que pareceu ter fugido de suas mãos desde que se mostrou incapaz de proteger aquilo que jurou fazê-lo. Ele só não esperava que a vida estivesse lhe preparando bem mais do que apenas um reencontro, mas sim um motivo para recomeçar... ou não. 

“(...), mas a real é que perdi o controle do meu corpo com o encontro de nossos olhos.” 

Enquanto Annie não se sentia animada com nada, nem mesmo com a perspectiva de estar em um dos lugares mais lindos de todo o Brasil, a vida irá mostrar mais uma vez que é apenas uma questão de perspectiva esse pensamento – principalmente ao fazer seu caminho se cruzar mais uma vez com um rapaz que a faz sentir coisas que achou que havia perdido para sempre... Mas seria possível que Enzo e Annie, cujos encontros sempre se mostraram repletos de história para contar poderiam ser aquilo que mudaria para sempre a vida um do outro? Quando a vida resolve se meter no caminho de duas pessoas não há muito o que se fazer, apenas viver e ver o que ela reserva para esses encontros! 

“- Aqui descobri que a grande experiência da vida está no tempo: ele pode não curar um coração ferido, mas com toda a certeza o conforta – emendei.”


[ - Minhas Impressões - ]

Encontro com o Acaso é uma daquelas obras que a gente até sente um pouco de dificuldade para falar pelo tanto que ela apresenta em suas páginas e pela profundidade com que Elisete Duarte foi capaz de colocar em uma estória repleta de emoção, paixão e reviravoltas. Com acontecimentos inesperados e um amor que não ocorre de uma hora para a outra, essa é uma daquelas obras para ser lida com calma e apreciada aos poucos e a cada novo acontecimento. De certa forma confuso pelos segredos não revelados logo no inicio da trama, esse é um romance que tira o folego e cativa com personagens que ao mesmo tempo em que parecem tão diferentes, se completam de forma única e inimaginável. 


Longe de ser perfeitos, seus personagens passam aquela sensação crível de realidade onde o leitor sente que a qualquer momento poderia realmente se deparar com eles na esquina de uma rua ou em uma praia enquanto eles vivem os melhores dias de sua vida. Diferentes e singulares no seu jeito de ser, tanto Annie – uma jovem que parece não ter esperança na vida desde que todos confirmaram que por uma consequência sua ela teria que deixar de fazer aquilo que mais ama –, quanto Enzo – um jovem medico apaixonado pelo que faz, mas que começa a duvidar de si mesmo depois de falhar com aquele que mais ama -, são protagonistas que não demonstram a perfeição tão abordada nos livros, assim como também apresentam um toque único em suas imperfeições e jeitos de ser. Construindo sua relação aos poucos, eles demonstram que a paixão e o amor vai além de uma simples troca de olhares para que tudo se mostre perfeito e certo, eles ensinam que é preciso conhecer e querer estar ao lado, que é estar preparado mesmo quando não se sabia estar, que o amor é devastador e ao mesmo tempo que é uma das melhores coisas da vida, que é necessário seguir em frente mesmo quando não se deseja fazer e que muitas vezes é possível encontrar a luz até mesmo em meio ao maior breu de sua vida. 

Construído de forma a caminhar para um clímax lento, mas necessário, essa é aquela obra que muitos subestimam sem ler, mas que se surpreendem e são arrebatados ao terem uma chance. Escrito em primeira pessoa, essa é uma daquelas obras que não se tem noção da profundidade até que se esteja envolvida nela, mas que é totalmente capaz de transformar vidas através de uma estória que apesar de ser fictícia acaba por acontecer diariamente por ai. Tratando sobre luto, perda, conquista e sonhos, essa é uma daquelas obras que é impossível não se sentir tocado com todo o seu desenrolar, ainda que em alguns momentos se mostre lento e até mesmo arrastado.


Com um diferencial que é impossível de ser colocado em palavras, esse é um daqueles livros que a gente nem sabia precisar ler até fazê-lo e que transforma de uma forma que se é incapaz de fazer com que as coisas sejam as mesmas após a leitura. De uma simplicidade absurda, essa é uma daquelas obras que não busca subterfugio para conseguir criar algo que realmente valha a pena; sendo apenas quem é, ela cativa de forma profunda e se mostra complexa mesmo que nem o notemos ao ler ao falar de muita coisa e ao mesmo tempo parecer não falar de nada, ainda que não retire a seriedade do que apresenta. Longe de se mostrar um drama exagerado, essa é uma daquelas obras que a gente sente mais do que lê e que se encanta de forma a se sentir dentro da narrativa como um encontro de velhos amigos que há muito não se viam, mas cujo carinho jamais deixou de estar ali. 

Outro ponto que eu não poderia deixar de falar é acerca da edição realizada pela Astral Cultural que demonstrou um zelo em sua preparação e na elaboração de uma capa que tem tudo haver com o que trata e que realmente remete a essência da simplicidade, pureza e amor da obra. Com uma revisão bem feita, foram poucos os erros encontrados por mim durante suas páginas, mas que em nada atrapalha a experiência enriquecedora que é essa leitura. Suas paginas amareladas e de qualidade também agregam uma sensação gostosa a essa leitura em que mal se vê o tempo passar. A diagramação por dentro segue o mesmo padrão de simplicidade, mas mesmo assim se revela um livro que faz valer a pena cada minuto (e valor pago). 


Encontro com o Acaso é uma obra que foi difícil para mim escrever sobre, não por não ter nada o que falar, mas por se mostrar algo muito mais em sentir do que dizer. Por mais que eu fale aqui por horas, só aqueles que lerem vão conseguir saber exatamente o que eu quis dizer, e apesar de não ser uma obra que entrou para as favoritas, se mostrou uma daquelas que você sente que precisava fazer e que te levou a se tornar alguém melhor...

Se mostrando aquela típica obra que vem para dar um choque de realidade e mostrar que não importa o quanto você ache que a sua vida está ruim ou complicada, existem problemas bem maiores e mais sérios do que as coisas tão pequenas que passamos no dia a dia e que fazemos questão de agir como se fossem o fim do mundo, mas que são extremamente insignificante perto da vida e do que ela é capaz de fazer. Com uma história de superação, de descobertas e principalmente da força do amor, essa é aquela obra que te surpreendi, destrói seu coração e o reconstrói na mesma intensidade. Bonito e bem escrito, ela não é meramente mais um romance em meio a tantos outros, mas sim uma história de como podemos escolher os nossos próprios caminhos e como uma escolha é capaz de afetar tudo.  Se eu recomendo? Com toda a certeza. Elisete Duarte foi capaz de criar uma obra que é mais do que uma mera estória, mas sim um ensinamento de vida que todos deveriam conhecer. Ainda que eu ache que poderia ter sido melhor, não posso dizer que não foi boa, visto que ela é aquilo que se propõe a fazer: uma trama onde iremos descobrir que muitas vezes o que precisamos pode simplesmente chegar em um acaso que irá mudar para sempre o rumo de várias vidas. Leiam e permitam-se sentir o quão profunda é essa estória que se mostrou mais do que capaz em me fazer enxergar a vida como ela verdadeiramente é: cruel, mas ao mesmo tempo bela! 

Se Inscreva e Participe!!!


10 comentários:

  1. Ah a literatura nacional! Que orgulho que dá!
    Ainda não conhecia o livro e nem o trabalho da autora, mas por tudo que li acima, ela arrasou na construção de seus personagens.
    Pela carga emocional de passado que ambos carregam, frustrações, mas sem perder aquela fagulha acesa por Recomeçar.
    E pelo que entendi, só um pode ajudar o outro a superar seus medos e a dor do passado, se concentrando em um presente vivido e um amanhã realizado.
    Vai para a lista de desejados com certeza.
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Oi, Bruna.

    Acho que esse tempo no qual a Annie ficou reclusa, foi bom para ela pensar e repensar em tudo que se dizia contrário à vida dela, pra ela ir avante e não desistir daquilo que ela tanto almeja com veemência, mesmo encontrando obstáculos que surgiram no meio do caminho.

    Além de ter tido a oportunidade de encontrar alguém como o Enzo, que acredito que será de grande incentivo nessa árdua jornada dela. Acredito também que, juntos, eles serão capazes de enfrentar tudo.

    ResponderExcluir
  3. Oi Bruna!
    Eu não conhecia a autora essa obra dela, como gosto muito de romance esse já vai para minha wishlist. Ah amo as resenhas e as fotos que vocês postam e também estou amando essa primeira experiência de comentar em blog, e muito inovador para mim. Bjs

    ResponderExcluir
  4. Oi Bruna.
    Esse livro parece incrível.
    Mostra dois pontos de vistas de personagens que tiveram seus sonhos despedaçados ou que perderam alguém importante e que encontram em uma pessoa alguém par se apoiar, amar e se curar. Já prevejo lágrimas e mensagens de superação.
    Adoro histórias assim.
    Gostei bastante da capa!
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi Bruna
    Entendo como é quando nos deparamos com um livro desses, que é feito realmente pra sentir a leitura e todas a reações que ela provoca no leitor.
    Acho que Annie e Enzo de fato para personagens não perfeitos mas reais e o que acontece na vida deles provavelmente é o que acontece ou já aconteceu na vida de alguns, os dramas a superar. Enfim realmente olhando só pra capa fiquei surpresa positivamente com a intensidade do livro.
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Olá Bruna!
    Mais um nacional, que maravilha, eu à princípio já admirei a capa, pra mim quanto mais simples melhor, e se ela representa mesmo a história fica perfeito. Fiquei curiosa com o que pode ter acontecido com Annie para que ela fosse impedida de participar da olimpíada, acho que vou ter que ler pra descobrir. É Enzo ser um médico tão bom e cometer uma falha, que na verdade só serve para fazer ele mais humano e através desse afastamento encontrar a revoltada Annie. Relacionamento que começa pela amargura de ambos e se solidifica aos poucos durante o desenrolar do livro, gostei,Uma história de superação e aprendizado, um amor construído.

    ResponderExcluir
  7. Olá Bruna,
    Me pegou de surpresa, esperava uma história clichê e me deparei com uma belíssima história de superação, é como se além do romance que irá surgir entre os protagonistas eles fossem uma salvação um para outro. Fiquei intrigada com os acontecimentos que levaram Annie a parar de competir, tive a impressão de foi culpa dela e imagino que acompanhar a personagem depois disso deve ter sido dolorido.
    Enfim, já me simpatizei com o livro logo de cara pela capa incrível e agora estou encantada, vai para os desejados, rs.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi, Bruna!
    Eu fico muito empolgada quando vejo literatura nacional, principalmente depois que li Dragões de Éter e superei a visão errônea de que os livros brasileiros não apresentam qualidade tão boa quanto os estrangeiros. Por ser um romance, não me atraiu tanto quanto aconteceria com fantasia, mas com a descrição do conteúdo, a perspectiva melhorou. Apesar de achar um pouco clichê as personagens "se encontrar" de novo na vida após conhecer um amor, a história da vida de cada um é bem forte e realista, indo para um lado sentimental do leitor, tornando os acontecimentos bem envolventes. Aliás, o detalhe do médico, da sua relação com o pai, é bem tocante; principalmente pensando que essa profissão lida com diversos traumas causados por alguma falha no tratamento ou diagnóstico. Com certeza vou ler :)

    ResponderExcluir
  9. Eu não conhecia o livro e pela capa julgaria como mais um romance clichê, o que não parece nada quando lemos sua resenha. Todo esse tom dramático e o encontro de duas pessoas que não parecem ter muitas esperanças, reabrindo a possibilidade e o risco de começar uma nova história, pode se transformar realmente em um enredo que surpreenda o leitor. Eu prefiro um enredo lento e bem construído do que uma narrativa rápida e sem nenhum aprofundamento. Gostei muito da resenha.

    ResponderExcluir
  10. Oi Bruna! Caramba esse livro mexeu mesmo com você! Não vi nada muito diferente, mas acredito que a autora tenho um jeito muito especial de transmitir a história para te fazer sentir tantas coisas e entrar tanto na narrativa e nos personagens. Os personagens, aliás, parecem super bem construídos, especialmente o médico pelo que me pareceu, com esse trauma da falha que ele cometeu.
    Beijos.

    ResponderExcluir