23 outubro 2017

Resenha - Provence


Título: Provence
Autora: Bridget Asher
Cortesia: Novo Conceito
Skoob / Goodreads
Páginas: 368
Onde comprar: Amazon / Livraria Cultura

A vida de Heidi com o filho Abbot tornou-se um jogo para manter viva a memória de Henry, bom pai e marido exemplar. Manter uma vida normal em um mundo em que Henry não existe mais está cada dia mais complicado. Heidi precisa lidar com o filho que se tornou um verdadeiro maníaco por limpeza e com a sobrinha Charlotte, uma adolescente problemática. Uma casa em Provence, na França, que pertence à família de Heidi há gerações, é rica em histórias de amor e surpreendentes coincidências. Heidi e sua irmã mais velha, Elysius, passavam os verões lá quando crianças, com sua mãe. Mas a casa, as lembranças e os segredos de Provence haviam ficado no passado, mas agora, com o incêndio na propriedade, a casa precisa ser salva por Heide. Ou será que é Heide que precisa ser salva pela casa? Uma história de recomeço, amor e esperança em face à perda, onde uma pequena casa na zona rural do sul da França parece ser a responsável por curar corações partidos há anos.




Depois da morte de seu marido, Heide nunca mais conseguiu voltar totalmente à sua vida. Sua relação com Henry era única, aquele amor com que todos sonham e quase tudo é perfeito, e esse amor foi interrompido por um acidente de carro que mudou tudo. Dois anos depois, com Abbot, seu filho de oito anos, ela tenta dar o seu melhor e manter a memória do pai viva para ele, mas Abbot tem desenvolvido manias que a preocupam e a levam a se questionar se está fazendo a coisa certa.

Agora com o casamento iminente de sua irmã Elysius, muitas memórias voltam à tona, tornando tudo mais difícil (se é que isso é possível). No dia do casamento de sua irmã, a mãe de Heide lhe conta que houve um incêndio na casa de Provence onde Heide e Elysius passaram boa parte da infância. Mas esta não é qualquer casa, ela está na família há gerações e possui muitas histórias mágicas por trás.

- Aquela casa é incapaz de queimar – Tia Giselle me disse. – Ela apenas deseja as coisas. Como se fosse uma criança. Ela quer atenção.

Heide é convencida a viajar até Provence para verificar os estragos e reformar a casa. Charlotte, a filha adolescente de Daniel (marido de Elysius) que não tem a melhor das relações com o pai e a madrasta, acompanha Heide e Abbot na viagem para a França. O início da viagem guarda muitos contratempos, mas ela ainda vai trazer muitas mudanças e surpresas não só para a família de Heide, mas também para ela mesma.

Abbot terminou seu relato com a seguinte frase:
- Minha avó costuma dizer que, quando as coisas dão errado, isso é um presente de Buda.



[ - Minhas Impressões - ]

Provence é um romance doce e real, mas longe de ser “água com açúcar”, é doce como comer um bolo de sorvete gelado em uma confeitaria em uma tarde quente. Alguns romances começam com uma história de amor linda e possuem finais tristes com algum acidente trágico, mas este não, este é um romance sobre o que vem depois da tragédia. E depois da tragédia, a vida continua.

O amor é infinito. A tristeza pode levar ao amor. O amor pode levar à tristeza. A tristeza é uma história de amor contada de trás para a frente, da mesma forma que o amor também é uma história triste contada do fim para o início. Toda boa história de amor tem muitos outros amores escondidos dentro dela.

O livro é dividido em duas partes, a primeira se passa nos momentos antes da viagem para a França e a segunda começa com a viagem em si. Achei a primeira parte um pouco maçante, a autora é detalhista com os aspectos da vida dos personagens (o que é ótimo, porque enriquece muito a narrativa) e descreve muitas memórias com o Henry que, apesar de ter morrido, está tão vivo quanto poderia na memória de Heide. Ela consegue passar muito bem como ele nunca deixou de fazer parte da vida dela, mas acabou se tornando 110 páginas dela se lamentando de como ainda não superou a morte dele.

No entanto, quando vira para a segunda parte, o ambiente da história muda totalmente e foi aí que o livro me prendeu. A interação entre os personagens fica interessante, os acontecimentos despertam a curiosidade e a história fica cheia de surpresas. No fim, acho que eu realmente me apeguei a essa família que poderia ser tão real quanto a nossa.


Apesar de algumas coisas serem previsíveis, nada é forçado e é muito divertido acompanhar como elas acontecem. Um dos pontos que mais gostei é de como as histórias se entrelaçam, tudo está conectado e leva até Provence. A ambientação faz com que você realmente se sinta lá e viva a magia por trás da casa da família. Mais alguém também querendo ir para a França depois desse livro? (risos)

- Por acaso você está flertando comigo, Monsieur Dumonteil?
- Eu? – ele repetiu. – É claro que não. Estou muito deprimido.
Ele então sorriu, virou-se em direção à porta e desapareceu.

Resumindo, o livro é lindo e supera as expectativas. Vai muito além de uma história de superação e de amor, os laços são os detalhes mais importantes e te conquistam pouco a pouco. Consigo me imaginar comprando ele várias vezes para dar de presente e compartilhar essa história com as pessoas. A edição está super caprichada, achei a capa muito bonita, a diagramação é confortável e temos receitinhas no final que eu pretendo tentar (se minha habilidades culinárias permitirem). Este é um livro imperdível para quem ama histórias familiares e um bom romance.


Se Inscreva e Participe!!!







10 comentários:

  1. Adorei sua resenha!
    Concordo com tudo que você disse: o livro vai além do amor e da tragédia. Foi uma das melhores leituras que tive esse ano.

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderExcluir
  2. Oi Luana ;)
    Não conhecia a autora ainda, mas como adoro livros de drama gostei demais da premissa e da sua resenha!
    Realmente muitos romances mostram uma linda história de amor e depois a tragédia, acho que nunca li um que falasse sobre o que acontece após a tragédia em si. E que lindo que se passa na França S2
    Gosto muito de autores que sabem descrever os lugares em que o livro se passa, fazendo com que o leitor sinta que está lá junto com os personagens!
    Quando a gente ama um livro da vontade mesmo de sair indicando pra todo mundo né kkkkk te entendo. Já está na lista de leitura *-*
    Bjos

    ResponderExcluir
  3. Fiquei curiosa sobre esse livro mas ao mesmo tempo com receio, pois ficar páginas e páginas falando da mesma coisa não me atrai muito, gosto de detalhes na história, claro, mas gosto quando flui. Porém como fala de um lugar num país que deve ser tão lindo de conhecer, me deixa curiosa, acho que pode valer a pena ler o livro!!

    ResponderExcluir
  4. Foi engraçado ler a resenha deste livro. Me parecia estar lendo algo de Lucinda!rs Ironicamente, até a capa do livro remete aos livros da autora(que amo). E adorei muito isso.
    Essa brincadeira de misturar tempos, histórias..e fazer elas irem se encaixando pouco a pouco me agrada muito.
    Amo detalhes e fiquei feliz de ler que há muitos detalhes.
    Vou colocar o livro na lista de desejados e espero poder conferir em breve!
    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Olá Luana,
    Não conhecia esse livro e tbm gosteisinopse e da capa.
    Gostei de saber pela sua resenha que a estória é mais do que o esperado e que diferente da maioria dos romances que acabam com uma tragedia esse fica mais no depois, e ainda na França ( que como tenho vontade de conhecer acaba sendo mais pontos para ler esse livro)
    Já coloquei na minha lista.

    ResponderExcluir
  6. Oi Luana, tudo bem?
    Gostei da premissa, apesar de não gostar muito de romances. Adoro livros que se passem na França, tenho muita vontade de viajar para lá. Não sei se eu teria paciência para a personagem se lamentando, mas só lendo pra saber.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Luana!
    Até gosto de livros com dramas familiares e romance, e saber que talvez Julien e Haiden tenham uma química tão boa, me deixou bem interessada...queria saber mais sobre a obsessão de Abott e se ele consegue superar...
    Amei a capa, super linda!
    Semaninha de muita luz e paz!
    “Todo o nosso saber se reduz a isto: renunciar à nossa existência para podermos existir.” (Johann Goethe)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE OUTUBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  8. Olá! Não sou muito fã de romances, mas gostei de saber que esse não é "água com açúcar"! Isso já me animaria mais a ler o livro. Me pareceu ser muito descritivo, mas se você não encontrou muitos problemas com isso eu talvez também não fosse encontrar. Parece que não atrapalhou o ritmo da sua leitura, o que é bom. Não sei se eu procuraria o livro pra ler, mas leria se caísse nas minhas mãos.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Oi! Olha, com certeza a minha vontade de ir pra França já existia muito antes de ler a resenha desse livro hahaha Apesar de não gostar muito livros de romance, parei pra pensar que eu nunca li algo em que o final feliz aconteça depois de alguma trajédia. Fiquei curiosa para conhecer a obra justamente por isso. Beijos

    ResponderExcluir
  10. Olá Luana!
    Esse livro já está na minha listinha, é lindo o enredo, me prendeu mto a atenção e espero conseguir ler e conhecer a obra da autora que tanto ouvi flar bem.
    Bjs!

    ResponderExcluir