19 outubro 2017

Resenha - As Sobreviventes

Título: As Sobreviventes
Autor: Riley Sager
Editora: Gutenberg
Páginas: 336
Skoob / Goodreads 
Onde comprar: Amazon / Saraiva 

Um bloqueio na memória de Quincy não permite que ela se lembre dos acontecimentos daquela noite, e por causa disso a jovem seguiu em frente: é uma blogueira culinária de sucesso, tem um namorado amoroso e mantém uma forte amizade com Coop, o policial que salvou sua vida naquela noite. Até que um dia, Lisa, a primeira sobrevivente, é encontrada morta na banheira de sua casa com os pulsos cortados; e Sam, a outra garota, surge na porta de Quincy determinada a fazê-la reviver o passado, o que provocará consequências cada vez mais assustadoras. O que Sam realmente procura na história de vida de Quincy? Quando novos detalhes sobre a morte de Lisa vem à tona, Quincy percebe que precisa se lembrar do que aconteceu naquela noite traumática se quiser as respostas para as verdades e mentiras de Sam, esquivar-se da polícia e dos repórteres insaciáveis. Mas recuperar a memória pode revelar muito mais do que ela gostaria.





Quincy viu todos os seus amigos mais próximos serem mortos bem à sua frente durante a noite de um final de semana que prometia ser um breve descanso do ano letivo dos jovens universitários. No qual prometia ser uma divertida viagem para todos em uma cabana localizada em uma densa e escura floresta, longe de toda a agitação da cidade e provas da faculdade, mas que acabou sendo o pesadelo e a sentença de morte do grupo.
"Todos os outros estavam mortos. Ela era a única sobrevivente."

Exceto Quincy, que fugira do Chalé Pine a tempo de salvar a própria vida. Naquela noite que marcaria os anos seguintes de sua vida, Quincy teve a sorte de encontrar Coop, um policial que patrulhava as matas ao redor do Chalé Pine, e ter em seu abraço a salvação. Quando se deparou com Coop sabia que estaria finalmente à salvo, após todo o terror que passara ao ver seus amigos serem massacrados.

"Sou criação dele, forjada em sangue, dor e no aço frio de uma lâmina."

Hoje ela tem uma vida normal, mesmo que aquele episódio não tenha se apagado de sua memória. Coop, quem a salvara, continuava ajudando-a sempre que necessário, mesmo dez anos depois da fatídica noite na floresta. Encontrara um namorado compreensivo que entendia o que ela havia passado e que dava-lhe amor e carinho. Tinha um blog no qual podia trabalhar sua paixão – a culinária – e ainda compartilhar com seus seguidores as receitas que preparava rotineiramente. Sua vida estava indo bem, até que chegara a ela a notícia da morte de Lisa Milner.

O trio de garotas, que incluí Lisa, Quincy e Samantha, ficou conhecido na mídia por Garotas Remanescentes. Cada uma delas passou por um episódio diferente, sobrevivendo a pessoas que marcaram suas vidas com lembranças e perdas terríveis.

Lisa, sendo uma delas, sobrevivera a um dia de terror no dormitório da faculdade quando um homem adentrou o local e atentou contra a vida de quem ali estava, ela foi a primeira Garota Remanescente, e agora estava morta.

Já não bastasse ter a atenção da mídia novamente voltada para ela, Quincy recebe uma visita inesperada: Samantha, a única Garota Remanescente além de Quincy que estava viva agora. A suposta ligação que existia entre elas foi o argumento que Sam usou para instalar-se na vida de Quincy, depois de tantos anos que passou escondida dos repórteres e sem sequer tentar entrar em contato.

Agora a sua repentina aparição não era o único motivo para desconfiar de Sam, mas seu comportamento indicava que ela planejava coisas maiores do que apenas uma aproximação de alguém que entendesse seu trauma do passado.

"Demos muito azar, querida. A vida nos engoliu, depois cagou e todo mundo só quer que a gente supere e aja como se nada tivesse acontecido."

Quincy precisava se livrar do seu bloqueio de memória que por tantas vezes agradeceu ter, assim não lembraria dos fatos ocorridos no Chalé Pine, mas que agora a impedia de desvendar as intenções por trás da proximidade suspeita de Samantha.

"Estou cercada, esmagada e convulsionando sob as lembranças que vêm a mim, uma atrás da outra. Todos aqueles sons e imagens que mantive reprimidos durante muito tempo. Eles estão todos de volta, alojados na minha cabeça, inabaláveis, repetindo-se sem parar em uma sequência sem fim."
                



[-Minhas impressões-]

Escrito brilhantemente por Riley Sager, a trama de As Sobreviventes leva o leitor para um universo de medo e apreensão, onde as lembranças do passado podem ter aspectos positivos e negativos. Talvez em algum determinado momento as assombrosas lembranças voltem para atormentar você, te transportando para um terrível cenário de dor e perdas irreparáveis. Mas também pode vir a ajudar quando o que se precisa é saber o que aconteceu, desvendando mentiras e farsas daqueles que, aproveitando-se de um trauma, usam disso para manipular toda a vida de uma pessoa.

Superar, além de seguir em frente, é a luta diária de Quincy, que vê sua estabilidade ir aos ares com o suposto suicídio de Lisa Milner, e logo mais com a chegada de Samantha em seu apartamento no Upper West Side, Nova York. Não só era completa surpresa a aparição da Jovem, como também era suspeito.

O leitor percebe as más intenções da garota por trás do comportamento falsamente amigável. Porém, o clima tenso não é construído somente por ela, como também por todos os outros personagens secundários. Uma mãe negligente, que abandona sua filha que sobrevivera a um quase assassinato para seguir a vida ao lado de um novo marido, com novos filhos, deixando para Quincy o peso de estar sozinha. O namorado, que mesmo esforçando-se para ser gentil e amável, transparece em alguns momentos sua insatisfação com a situação real em que a namorada vive.

Os capítulos intercalam entre os lapsos de memória e o que Quincy consegue recordar da noite de mortes no Chalé Pine junto com os acontecimentos do presente. Acredito que essas memórias auxiliam o leitor a entender o que aconteceu no dia que a jovem perdeu não só os colegas, mas a "normalidade" de sua vida, sendo sujeita por muito tempo ao assédio dos repórteres e familiares que, como todos que a conheciam anteriormente, passaram a tratá-la de maneira estranha e indiferente.

Esse com certeza é um livro capaz de levar o leitor a situações jamais imaginadas, mantendo por todo o enredo um clima de suspense nos levando a seguir para os próximos capítulos até que possamos chegar aos momentos finais e ter uma grande surpresa.

Eu, particularmente, não esperava o que viria acontecer no desfecho desse livro. Embora todo leitor, após certa quantidade de obras lidas, já imagina e tenta descobrir o que irá ocorrer no final da obra, mas nesse livro é realmente surpreendente. E mesmo que outra pessoa mais atenta consiga capturar os breves momentos que eu deixei passar, em que a autora disponibiliza pequenas pistas e traços do quebra- cabeça que monta o mistério, acredito que o final consiga ser quase que igualmente chocante. Não que seja um cenário completamente inovador, mas sim pela natureza dos fatos.

Eu não poderia de maneira alguma desvendar isso a princípio, pois a forma como a trama foi traçada me levou a imaginar algo totalmente fora do contexto verdadeiro da história.

Enfim...

Quanto a diagramação do livro, achei que a arte da capa está incrível e com o cenário exato do momento em que Quincy foge do Chalé Pine, indo de encontro a uma vida diferente da que levava antes.

Recomendo MUITO! Se você gosta de tramas bem elaboradas, onde a história consegue ser tão incrível quanto a premissa insinua ser, este é um livro perfeito para você!



Se Inscreva e Participe!!!






11 comentários:

  1. Emily!
    Fico sempre impressionada em como a maldade pode dominar uma personagem.
    Parece um enredo cheio e dor, confrontos e dramas para Quincy.
    E gostei de ver que o livro mostra o passado, o moneto e o futuro, assim dá para ter uma visão mais abrangente de como tudo se desenrolou.
    “É melhor saber coisas inúteis do que não saber nada.” (Sêneca)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE OUTUBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  2. E a primeira vez que ouço falar desse livro falando a verdade, tramas envolventes amo demais. Mais um livro para minha imensa lista de livros para comprar. Beijos♡

    ResponderExcluir
  3. Adoro ler histórias desse gênero, suspenses bem elaborados. Ouvi falar desse livro a uns dias atrás e me interessei muito em ler, fico imaginando quem será o assassino e o que a Quincy pode lembrar do dia do crime, pois isso pode fazer diferença no desenrolar da historia! A capa do livro ficou bem bacana também, sem dúvida, digno de leitura!!

    ResponderExcluir
  4. Só de ter uma recomendação do Mestre king, já teria valido a pena.rs
    Não conhecia o livro, mas estou fascinada com o enredo e a resenha.
    É um gênero que gosto por demais, mistério, suspense e crimes.
    Se bem escrito, esta mistura rendo uma história muito boa, o que parece ser o caso, por tudo que li acima.
    Vai com certeza para a lista de desejados!
    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Oi Emilly.
    Eu adoro livros que tenham suspense, porque eu me sinto instigada a lê-lo até o final de uma vez só. Senti ao ler a resenha que este seria um livro desses para mim, porque eu já fiquei super curiosa para saber mais sobre essas garotas e o que acontecerá com elas.
    Já vou adicionar aos desejados.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá Emilly!
    Quando vi o nome de Stephen King na capa, já imaginei ser um bom livro.
    Tenho um fraco por mistérios do passado que atormentam a vida presente dos personagem, tendo eles que enfrentar seus traumas antigos para poder viver em paz. Todo o suspense e mentiras que vão se destrinchando parecem ser muito bem dosados.
    Muito legal também a estória mostrar os flashbacks, assim vamos tendo uma visão "panorâmica" de todo o enredo.
    E o melhor: tem um final surpreendente que se afasta dos clichês que existem aos montes por aí.
    Está confirmadíssimo na minha lista de desejados!

    ResponderExcluir
  7. Oi! Tenho que dizer que eu não vejo a hora de ter o livro em mãos. É a segunda resenha que leio e que diz que o final não é nada esperado, e isso ta me deixando bem curiosa. Fora que se o próprio King disse que o livro é bom, deve ser um suspense que te prende até as ultimas paginas hahaha Não me vem nada em mente ao tentar adivinhar o que Sam poderia querer com más intenções, então esse é mais um motivo para ler o livro. Deve ser bem dificil ver uma protagonista com uma estabilidade emocional horrível depois de tudo o que passou, mas com certeza isso deve contribuir para deixar a narrativa ainda melhor. Enfim, quero muito ler! Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá! Adoro finais imprevisíveis e surpreendentes! Como leitores assíduos, costumamos estar saturados de finais clichês porque geralmente já sabemos o que vai acontecer antes mesmo de chegarmos ao desfecho. Que ótimo saber que aqui algumas surpresas nos aguardam no final do livro. Fiquei bem curiosa para saber como a história vai se desenrolar.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Oi Emilly ;)
    Ter ninguém menos que o mestre King dizendo que foi um dos melhores suspenses do ano... já sei que quero muito ler e já foi para a lista de leitura! Kkk
    Pelos seus comentários a Quincy parece uma personagem bem complexa e misteriosa, acredito que quando mais vamos lendo o livro descobriremos mais sobre ela.
    Adoro livros de suspense que são assim, imprevisíveis. Tenho certeza de que quando for ler vou imaginar mil e uma teorias e nada vai ser verdade haha
    Muito obrigada mesmo pela indicação quero ler pra ontem!
    Bjos

    ResponderExcluir
  10. Olá Emilly,
    Não sou fã desse gênero e não planejo ler esse livro.
    Depois de ler a resenha gostei de saber que a autora ainda conseguiu surpreender os leitores com o final do livro e pelo que parece não seguiu o esperado.

    ResponderExcluir
  11. Gosto demais de livros meio psicológicos, atualmente estou lendo Claros sineis de loucura, e mesmo sendo uma personagem infantil, ela tem pensamentos que gosto muito de ler. Creio que gostaria bastante de ler este livro.

    ResponderExcluir