20 outubro 2016

Resenha - A Santa Aliança





Eva Katz tenta recomeçar a vida após o fim de sua carreira como jornalista e a morte do namorado na guerra do Afeganistão. Em seu primeiro dia de trabalho numa creche em Copenhague, ela não resiste à tentação de investigar a verdade sobre um crime relatado em um desenho infantil. Entretanto, na busca da verdade, Eva acaba mexendo com instâncias muito poderosas da sociedade dinamarquesa, e o que antes parecia um incidente isolado se revela como parte de uma rede de segredos que remontam à formação da Santa Aliança, uma coligação monárquica criada no século XIX.





 Livro: A Santa Aliança
488 páginas | Skoob | Cortesia: Editora Tordesilhas | Onde comprar







A vida da jornalista Eva Katz não está no seu melhor momento. Em poucos meses, ela perdeu o noivo e o emprego. Seu noivo, que era militar, acabou falecendo pouco tempo após eles terem investindo e comprado uma casa, onde pretendiam morar e começar uma vida juntos. Como não eram casados, o governo entende que ela não tem direito a nenhuma herança e ela acaba perdendo também a casa que havia comprado. Sem ter perspectiva de vida, acaba sendo acolhida pelo sistema de assistência social do governo e recolocada para trabalhar em uma creche.

"Eva baixou os olhos. Estavam voltando ao passado, a tudo que a psicóloga tinha insistido repetidamente que desconsiderasse. Eva sabia que a terapeuta tinha razão. Era sua última oportunidade, não deveria olhar para trás; tal qual o Senhor disse a Lot: 'Não olhes para trás', para Sodoma. A mulher de Lot olhou e virou sal. Eva simplesmente desmoronaria, sumiria, se fizesse o mesmo."

No seu primeiro dia de trabalho na creche, como assistente de cozinha, ela conhece todas as pessoas e dependências do local. Num dado momento, Eva acaba ficando sozinha com uma das turmas dos pequenos, e, sem saber o que fazer, pede que eles façam um desenho sobre algo que viram no período da manhã. Entre os desenhos, ela percebe que um dos meninos faz um desenho um tanto quanto intrigante, onde um homem parecia estar sendo assassinado por outros dois homens. Ela tenta conversar mais com o pequeno, mas ele não responde diretamente suas perguntas, isso quando responde.

Ela prefere deixar isso pra lá, já que se trata apenas de uma criança, e, provavelmente, deve ser algo de sua imaginação. Mais tarde, já fora do trabalho, ela descobre que houve um suicídio em um parque próximo à creche. Ela chega a pensar se o suicídio teria alguma relação com o desenho do menino, mas não possui evidências para chegar a tal conclusão. Ao chegar em casa, ela percebe que alguém colocou o desenho dentro de sua bolsa, o que a deixa ainda mais intrigada com a situação. Sem conseguir se desvincular de sua mente investigativa, ela elabora várias hipóteses sobre uma possível relação entre o desenho e o suicídio, e assim decide que precisa tentar conversar com o menino mais uma vez.

"Quando nos vemos em meio a catástrofes, temos três opções: fazer o certo, fazer o errado, ou não fazer nada. As duas primeiras talvez nos salvem a vida. Não fazer nada sem dúvida vai nos custar a vida."



[ - Minhas Impressões - ]


O livro A Santa Aliança se trata de um romance investigativo que se inicia com uma cena de assassinato angustiante, narrada a partir do ponto de vista da vítima. O enredo é repleto de ação, perseguição, suspense, investigação e conspirações. Não espere encontrar amor, flores e
coraçõezinhos. É uma história dura e concreta sobre possíveis esquemas conspiratórios que podem acontecer na Europa há séculos.

A história é ambientada na Dinamarca, fato que achei muito interessante. Não sei quanto a você, mas eu mal aprendi sobre esse país na escola, tanto que nem me lembro de ter ouvido sobre ele. Por isso, quase tudo o que li foi novidade. Enquanto são narrados os fatos e a investigação corre solta, a leitura apresenta ao leitor diversos palácios dinamarqueses, assim como fatos históricos e culturais que remetem, principalmente, à realeza do país. A parte histórica, entrelaçada com o enredo do livro e aos fatos relacionados à família real da são tão envolventes, que você se pega imaginando se realmente são coisas que acontecem na vida real.

Ele é escrito em primeira pessoa e nos apresenta dois pontos de vista: o de Eva e o de Marcus. Eva, a jornalista, é uma adulta que tem passado certas dificuldades de adaptação em sua nova realidade. Para uma pessoa que se sentia realizada com sua vida profissional e amorosa, ela se pega em uma situação completamente diferente do que havia planejado para sua vida. E no meio de uma crise de sobrevivência que ela começa a viver fatos que nem sequer imaginava se ver envolvida. 

Em paralelo à visão de Eva, nos é apresentado Marcus, um ex-militar devotado, que vive uma outra realidade, mas que acaba cruzando o caminho de Eva. Ou melhor, Eva cruza seu caminho. Enfim, por um descuido em seu trabalho, ele se depara com uma série de pequenos "problemas" que precisam ser eliminados o mais rápido possível. Sua narrativa é o diferencial do livro, e eu ansiava por ler seus capítulos, já que eram os que mais envolviam ação.

O livro é um pouco longo, e eu acabei me perdendo em algumas partes, principalmente quando começavam as partes históricas. A tradução está boa, a escrita fluida e, apesar de ser um livro extenso, é lido com facilidade. Encontrei poucos erros de edição, é uma impressão leve, com as laudas levemente amareladas. Possui um bom final, mas fiquei com uma sensação de que podia ter sido diferente. Mas isso é a minha percepção, já que sou romântica assumida. No geral é uma boa leitura, para quando se cansa dos romances clichês. Recomendadíssimo para quem gosta de romances com ação e investigação.





15 comentários:

  1. Olá Heloisa
    Já tinha visto a capa desse livro, mas acredito que sua resenha é a primeira que leio a respeito. Parece ser uma leitura interessante e adorei poder conferir suas impressões e sobre os destaques na trama. Legal que há a narração de dois pontos de vista, eu realmente gosto quando isso ocorre. Fiquei curiosa também pelas partes históricas, por sou fascinada nesse contexto.. realmente espero ter a oportunidade em ler!
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Pela capa, eu chutaria que era fantasia ou sobrenatural e por isso, não me interessaria muito, mas saber que é um suspense investigativo, fez minha curiosidade crescer. Acho que nunca li nenhum livro que se passe na Dinamarca e isso só aumentou o meu interesse pela obra.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Eu não conhecia a obra, mas amei a premissa dela! Adoro livros do gênero e fiquei super empolgada por ser uma história de muita ação, suspense e conspirações!
    Gostei de saber que o livro possui dois pontos de vistas e fiquei curiosa especialmente pelos de Marcus.
    Adorei saber que o livro se passa na Dinamarca, porque nunca li nenhum que fosse ambientado lá e conheço muito pouco do lugar.
    Achei tua resenha ótima e com certeza vou ler o livro!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia o livro, mas fiquei bastante curiosa pra ler com sua resenha!
    Tô precisando mesmo ler algo que não seja amorzinho, seja bem duro, como esse que você disse que é. E eu nunca li nada que seja ambientado na Dinamarca, e não sei muita coisa sobre, então vai ser legal aprender algumas coisas!
    Tenho certeza que vai ser uma ótima leitura pra mim!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  5. Olá Heloisa,
    Ainda não conhecia o livro e confesso que não fiquei curiosa com relação a ele não. A única coisa que chamou minha atenção foi se passar na Dinamarca, pois, assim como você, nunca estudei muito sobre referido país.
    É uma pena que o final tenha te dado a impressão de que poderia ser diferente e que a leitura tenha sido longa e tenha feito você se perder em alguns momentos.
    Vou deixar a dica passar.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  6. Oi Heloisa,
    Eu não conhecia o livro, mas gosto muito dessa pegada que você descreveu que ele tem, infelizmente essa capa não atrai nem um pouco a fazer a leitura, mas eu estava conquistada pela sinopse e depois de ler a sua resenha tenho certeza de que eu adoraria fazer essa leitura.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oie, tudo bem? É a primeira resenha que leio sobre esse livro e fiquei bem interessada na premissa. Gosto muito do gênero, e ação e investigação é comigo mesmo!! Gostei de saber que apesar de ser narrado em primeira pessoa, possui dois pontos de vista. Adoro isso. Espero ter a oportunidade de realizar a leitura em breve :D
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. oi, elo, eu gosto de suspenses desse tipo em que nada é o que parece e fiquei bem intrigada por esse. Além disso o fato de termos uma série de partes históricas me deixou ainda mais atraída, pois gosto muito desses contextos, e só por saber que o desenho foi parar dentro da bolsa da jornalista já fiquei louca para saber o resto do desfecho. Espero poder ler em breve.

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Fiquei muito intrigada com esse livro, confesso que não sei quase nada sobre a Dinamarca também e estes fatos históricos entrelaçados com a história me chamou muito a atenção, achei muito interessante. Fiquei com muita vontade de realizar essa leitura.
    Beijos.
    http://arsenaldeideiasblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  10. Oie
    Tudo bem?
    Eu adoro romances investigativos e não conhecia esse livro parece ser bem bacana apesar de ser extenso o que me incomoda um pouco em livros desse gênero acho que quanto mais detalhes autor me dá fica difícil entender ainda mais se tratando de um romance "histórico".
    Amei a dica e a resenha.
    Bju
    Mary Reis

    ResponderExcluir
  11. Olá.

    Gostei bastante da premissa desse livro, mas só me incomodei dele ser longo. Eu não curto livros assim, pois quando chega nas partes boas eu fico meio saturada da leitura. Achei bem interessante a trama ser um romance investigativo e fiquei com vontade de ler. Fico feliz q vc tenha gostado e espero ler em breve.

    Beijos!
    www.anebee.com.br

    ResponderExcluir
  12. Olá!

    Nossa, a julgar pela capa eu deduziria outro tipo de enredo, um bem diferente desse.
    Confesso que gostei muito da trama, mas você me ganhou ao falar sobre a imersão na cultura dinamarquesa, eu adoro aprender sobre novas culturas através de história. Então acho que só por isso eu leria o livro, mas todo o resto trago por você me agradou bastante também. Obrigada pela dica.

    Ingrid Cristina
    Plataforma 9 3/4

    ResponderExcluir
  13. Oie
    Interessante esse livro! Parece mt com a escrita do Harlan. A diferença é a complexidade com que vc descreve a questão que há assassinatos e mt investigação. Pela capa eu n esperaria mesmo uma capa florzinha! E achei legal vc deixar isso claro porque tem leitores que não aguentam esse modo cru de se narrar.
    Gostei MT!

    ResponderExcluir
  14. Oi. Estou com esse livro para leitura que recebi em parceria, toda vez que começo, não consigo continuar, acho cansativo, pode ser o meu momento que não está propicio ao tipo de leitura. E olhe que não curto histórias de ‘amor, flores e coraçõezinhos’ como você cita na resenha. eu sempre paro na parte cinquenta, e como você, acabo me perdendo na leitura, simplesmente por não conseguir me concentrar, pois não é uma leitura que exige tanto.

    ResponderExcluir
  15. Quando comecei a resenha achei que seria um drama, mas veja só que mudança hem? Gostei bastante da ideia do livro e da forma como a história parece se desenvolver. Quando tiver oportunidade vou querer conferir e espero gostar! ^^

    ResponderExcluir