27 outubro 2016

Resenha - O Menino que Desenhava Monstros




Jack Peter é um garoto de 10 anos com síndrome de Asperger que quase se afogou no mar três anos antes. Desde então, ele só sai de casa para ir ao médico. Jack está convencido de que há de monstros embaixo de sua cama e à espreita em cada canto. Certo dia, acaba agredindo a mãe sem querer, ao achar que ela era um dos monstros que habitavam seus sonhos. Ela, por sua vez, sente cada vez mais medo do filho e tenta buscar ajuda, mas o marido acha que é só uma fase e que isso tudo vai passar. Não demora muito até que o pai de Jack também comece a ver coisas estranhas. Uma aparição que surge onde quer que ele olhe. Sua esposa passa a ouvir sons que vêm do oceano e parecem forçar a entrada de sua casa. Enquanto as pessoas ao redor de Jack são assombradas pelo que acham que estão vendo, os monstros que Jack desenha em seu caderno começam a se tornar reais e podem estar relacionados a grandes tragédias que ocorreram na região. Padres são chamados, histórias são contadas, janelas batem. E os monstros parecem se aproximar cada vez mais. 


Título: O Menino que Desenhava Monstros
256 páginas || Skoob || Editora: DarkSide || Onde Comprar










“A Síndrome de Asperger é um Transtorno Global do Desenvolvimento (TGD), resultante de uma desordem genética, e que apresenta muitas semelhanças com relação ao autismo.”

Qual criança nunca teve medo de, no meio da noite, olhar embaixo da cama e se deparar com um monstro? Com o nosso personagem da vez não é diferente! Jack, um garotinho com dez anos que sofre da Síndrome de Asperger, é obcecado por certos assuntos e principalmente por monstros. Devido à síndrome, os pais de Jack o levam em especialistas, e um deles encoraja o garotinho a desenhar para poder se expressar melhor. Mas ele leva isso a sério demais.  

“Na casa dos sonhos, o garoto ouvia o som do monstro debaixo de sua cama.”. 

Como toda criança, Jack possui fases e com tempos intercalados, sua obsessão é voltada para determinadas coisas, tais como histórias em quadrinhos e jogos, mas sua maior obsessão se tornou os monstros. A situação começou a ficar complicada depois que Jack e seu (único) amigo, Nick, filho de uma casal amigo da família, quase morreram afogados, agravando ainda mais os transtornos do menino: os “monstros” que Jack desenhava começaram a assombrar seus sonhos, o que preocupava ainda mais os pais de Jack, pois o garotinho não parava de repetir: “eles querem entrar. Não podem deixá-los entrar”. A mãe de Jack não sabia mais como lidar com a situação e com tantas violências do filho nos momentos de crise. O pai também não sabia ao certo como agir. 

“É que às vezes ele é estranho.
Estranho? Um pouco excêntrico, mas somos todos, não? Estou firmemente convencido de que todo mundo tem algo errado aqui.”.

Quando achavam que estavam na pior situação, uma surpresa: Jack e Nick, começam a ver vultos na casa e escutam vozes vindas do além. O que todos achavam ser fruto da imaginação de Jack, veio para realidade e começou a assombrar toda família. Será que os monstros de Jack se tornaram reais ou era apenas uma família desesperada e sem saber o que fazer com as crises do filho? Coincidência ou não, Jack conseguiu dar vida aos monstros e cabe agora ter coragem para se jogar na história e se preparar para as peripécias que o destino reservou.  

“Não tenha tanta certeza sobre as coisas que não pode ver. A mente conjura o mistério, mas é o espírito que fornece a chave”.



[ - Minhas Impressões - ]


O Menino que Desenhava Monstros é narrado em terceira pessoa, dividido em cinco partes e com capítulos intercalados com pontos de vista dos personagens principais. No início da história, me perdi um pouco até pegar o fio da meada, mas logo se desenrolou bem, pois, com esta divisão de percepções, proporciona diferentes olhares e experiências sobre os mesmos acontecimentos contados.

No decorrer da história, acompanhamos Jack com seus desenhos monstruosos e acontecimentos inexplicáveis. Há um mix entre realidade e ficção que infelizmente o garotinho não consegue discernir, o que faz com que ele desencadeie inúmeras séries de transtornos. 

“Nada pior do que tentar manter do lado de fora alguma coisa que quer entrar.”

Tim Keenan, pai de Jack (ou Jip, como ele o chama), é incapaz de aceitar o filho nas condições que o cerca e a mãe, Holly, a cada dia que passa, vai perdendo, mais e mais, o controle sobre o ele e suas crises constantes. Este aspecto da própria família sobre o problema do filho intensifica ainda mais a história e leva cada vez mais o leitor, ao abismo do drama.  

É uma narrativa que possibilita o leitor a escapar da realidade e viver uma aventura única!

Como imagino que seja de percepção de todos, venho esclarecer um ponto importantíssimo: não se trata de um terror em si. O Menino que Desenhava Monstros está mais voltado para um suspense/drama, o que nos emociona ainda mais com a história, por se tratar mais uma vez de criança. 

Keith Donohue conseguiu surpreender com sua obra. Em 256 páginas entrelaçou o ápice do suspense e a agonia do drama perfeitamente, e possibilitou um desfecho surpreendente e arrepiador, que só os fortes conseguirão desvendar. 

O Menino que Desenhava Monstros é uma singela narrativa que personifica o medo e principalmente, o medo das crianças. 

“Os ossos estavam dançando em sua imaginação desde a véspera do Natal. De onde vinham aquelas imagens insistentes, Jack Peter não sabia. Às vezes, uma imagem surgia do nada, e ele se sentia obrigado a colocá-la no papel o mais rapidamente possível. Outras vezes, ele desenhava coisas apenas porque queria, e essas eram as imagens que controlava. Mas, nos últimos tempos, essas imagens surgiram sem ser convidadas”.

Esta edição de capa dura esta incrível. As folhas amareladas e as letras no tamanho ideal para leitura, apresenta o charme que só a editora consegue proporcionar. Sem falar no marca páginas em fita de cetim da mesma cor dos detalhes/diagramação da obra, e no espaço reservado especialmente para o leitor desenhar os próprios monstros!

A DarkSide sempre dá um show quando o assunto é capricho e horror. A Editora está se tornando um fenômeno de sucesso e competência. 

“Uma história de horror clássica e hipnótica... O menino que desenhava Monstros vai muito além, mistura realidade e ficção com uma narrativa hipnótica que nos ajuda a enxergar o que está fora do nosso campo de visão.” – Time Out (New York). 

19 comentários:

  1. Olá Amanda
    Nossa que loucura!! Essa é a primeira resenha que leio a respeito desse livro, que só conhecia a capa mesmo. Já fiquei fascinada ao ler a sinopse e gostei muito de conferir suas impressões. A Darkside sempre se destaca em suas obras mesmo e não tenho dúvida quanto ao capricho. Gostaria muito de poder conferir também!
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Oii!
    Já tinha visto esse lançamento da DarkSide, mas admito que não sabia muito sobre a história!
    Adorei sua resenha, já que ela respondeu muitas das perguntas que eu tinha haha
    Gostei de saber que não é um terror, e sim um suspense/drama, o que me incentiva muito a ler. Além disso, achei toda a temática do medo infantil da criança se tornar o drama central da história. Isso aliado ao fato do livro também tratar de temas importantes como síndrome de Asperger. Não preciso nem comentar que a edição está sim linda mesmo e que a Darkside vem fazendo um trabalho sem igual nesse país <3
    Vou ver se consigo comprar o livro mês que vem, você me deixou bem animada com a ideia :)
    Beijos!

    www.beyondbluedoors.com

    ResponderExcluir
  3. Ainda não li nada da Darkside, mas tá bem difícil resistir à essas capas maravilhosas, viu?
    Mesmo não sendo de terror de verdade, como imaginei a princípio, fiquei bastante curiosa pra ler um livro com essa temática e a síndrome de Asperger, nunca li nada sobre ela, então vai ser interessante.

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  4. Olá
    Eu já vi essa edição e realemtnenela é muito linda (pena que não pude levar pra casa) Quanto a resenha... Eu já vi diversas e a maioria sempre são super bem elogiadas pela bela história que o autor criou! Eu tenho muita vontade, mas minha situação financeira no momento não me permite adquiri-la kkkkk. Gostei de saber que a narrativa é bem singela no que diz respeito! Até mais vê
    Bjks

    ResponderExcluir
  5. Oie...
    Adorei sua resenha!
    Confesso que quando vi essa capa por aí já torci o nariz e não quis ler,pois, achava se tratar de um livro de terror. Porém, ao parar para ler sua resenha fiquei muito interessada pela história, ainda mais, quando você mencionou ser uma história capaz de tirar o leitor da realidade e o levar para uma experiência única... Ando precisando um pouco disso, e por isso, vou botá-lo na frente de meus desejados.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá Amanda,
    Estou muito curiosa com relação a esse livro e já sabia que não se tratava de uma história de terror, em si.
    Sempre tive medo de monstros embaixo da minha cama e acho que muitas crianças passaram por isso. Achei muito bacana você dizer que esse livro resulta em uma grande aventura.
    Esse mix de realidade e fantasia parece ter dado muito certo nesse livro.
    Dica super anotada.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Realmente não é um livro voltado para o terror, o que no início eu me decepcionei, mas depois acabei gostando. Confesso que sentia medo do garoto de vez em quando, sabe aquela sensação de que algo horrível vai acontecer a qualquer momento? rsrs E aquele final? Perfeito! Essa edição está muito linda! <3
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  8. Eu conheço o livro, mas confesso que não estava tão interessada no enredo, mas com as resenhas que estou lendo, comecei mudar de ideia. Que tenso que deve ser esta narrativa. E para a família acompanhando está loucura? Não acredito que seja apenas um delírio, pois está afetando muita gente ao mesmo tempo.
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Oi Amanda, tudo bem?
    Esse é só mais um dos livros da minha lista de desejados da editora DarkSide, sempre vejo muitas pessoas falando bem do catálogo deles e a minha vontade de conhecer as obras só aumenta. Adorei ler a sua resenha e descobrir um pouco mais sobre o que se trata essa história, pela capa havia deduzido que se trataria somente do terror, mas não imaginava que o drama e suspense seriam os gêneros principais. O legal desse livro é que poderemos compreender bem a doença de Jack e os seus medos profundos. Quero muito ler esse livro em breve.

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  10. Oi!!

    Esse livro dividiu opiniões na internet. Houve quem amou e quem odiou. Eu fico curiosa, porque amo a premissa e essa edição é incrível. Fico feliz em saber que você gostou e que a autora te surpreendeu e criou um suspense bem bacana de acompanhar. Quero ler o livro logo. <3


    beijos =)

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Eu tenho muita curiosidade em ler esse livro justamente pelo protagonista ter essa síndrome de Aspenger. Agora que você falou que os capítulos intercalam entre os protagonistas, fiquei ainda com mais vontade e curiosidade de ver como a família lida com toda essa situação. Sei que não tem muito a ver com a história, mas esse livro me lembrou muito o filme O Amigo Oculto, por toda essa carga de suspense que contém. Adorei essa dica.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Oi Amanda, fiquei encantada com sua resenha desse livro. Juro que eu imaginava que seria um senhor livro de terror, mas pelo que você relatou, ele vai muito além dessa premissa. Adorei saber que o personagem tem síndrome de Asperger e espero gostar da leitura tanto quanto você! Abraços

    ResponderExcluir
  13. Oi Amanda
    Adoro os livros da Darkside e esse está na minha lista de leituras.
    Legal ver essa personificação do medo e a forma como o personagem lida com ela. Com certeza deve ser angustiante e repleto de cenas de suspense. Interessante ele ter essa síndrome.
    Adorei suas considerações e espero ler em breve!
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  14. Helloo, Amanda! Tudo numa nice?!
    Eu já tinha visto esse livro antes mas não tinha me interessado muito. Sei lá. Acho que a capa me repeliu. Mas a sua resenha me convenceu que é uma estória muito boa. O autor explorar os nossos medos de quando criança é tão plausível e interessante. Lembro que quando era criança mesmo eu olhava para porta, não me lembro de olhar debaixo da cama, mas de qualquer modo era um modo que se aprisionava no meu quarto. Acredito que o Jack se afundou demais nesse mundo. Esse livro parece ser bem instigante.
    beijin...

    ResponderExcluir
  15. Não sei o que pensar desse livro... Você disse que não se trata de um terror em si, mas também disse que a narrativa personifica o medo, principalmente o medo das crianças, e não gosto de livros que me deixam com medo nem levemente assustada... Rs... Mas, por outro lado, curto muito personagens com síndrome de Asperger, normalmente são muito interessantes e intrigantes. Vou tentar arrumar coragem pra conferir a história.

    ResponderExcluir
  16. Olá, Amanda.
    Deu para perceber que este é um livro que prende completamente o leitor. Eu imagino o desespero da mãe ao perceber que cada vez mais perdia o controle sob o filho e também deve ser desesperador para o leitor com todo o suspense envolvido na história.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  17. Olá Amanda =)
    Não gosto de história aterrorizante. Mas esse livro parece ser muito bom, em varias resenha que li dele tem elogios. Que bom que você achou que o desfecho foi surpreendente. Realmente a edição está linda. Beijos'

    ResponderExcluir
  18. Oi, tudo bem?
    De cara devo falar que adorei seu post, porque até agora eu não tinha lido nada sobre esse livro, mas tinha curiosidade. Imagino que seja uma história que emocione mesmo, por ser sobre uma criança e fiquei bem curiosa com essa coisa dos monstros que ele desenha saírem para a realidade. Enfim, acredito que é uma história que vai me tirar da realidade mesmo e eu espero ler em breve.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  19. Oi
    Tudo bem?
    Então este é o livro da DarkSide que eu mais quero e o que ainda não tenho :( sempre que faço compra acabo passando outros na frente e ele fica para depois. O enredo já não ´[e surpresa para mim ainda assim fico louquinha para ler e ter um pouquinho da emoção e surpresa que você descreveu.
    Amei a resenha
    Bju
    Marry Reis.
    Ps: Eu achava que era livro de terror.

    ResponderExcluir