07 outubro 2016

Resenha - Nem tudo será esquecido



Um dos suspenses psicológicos mais elogiados nos Estados Unidos Tudo parece perfeito na pequena Fairview, em Connecticut, até a noite em que a adolescente Jenny Kramer é violentada durante uma festa. Nas horas posteriores, ela é medicada com uma droga controversa para que as memórias da violência sejam apagadas. Mas, nas semanas que se seguem, enquanto se cura das dores físicas, Jenny percebe que guardou nuances daquela noite. O pai, obcecado por sua incapacidade de descobrir quem abusou de sua filha, busca justiça, enquanto a mãe tenta fazer de conta de que o crime não abalou seu mundo cuidadosamente construído. Segredos da família e do círculo próximo começam a vir à tona durante a busca incessante pelo monstro que invadiu a comunidade – ou que talvez sempre tenha estado lá –, guiando este thriller psicológico para um fim chocante e inesperado.

Livro: Nem tudo será esquecido
288 páginas || Skoob || Cortesia: Editora Planeta || Onde Comprar









"ELE A SEGUIU PELA MATA atrás da casa. O chão estava coberto de vestígios do inverno, folhas secas e galhos que tinham caído nos seis meses anteriores e se acumulado embaixo de uma camada de neve. Talvez ela tenha escutado ele se aproximar. Talvez ela tenha se virado e visto a máscara de lã preta cujas fibras foram encontradas debaixo de suas unhas. Quando caiu de joelhos, o que tinha sobrado dos galhos quebradiços estalou como ossos fracos e arranhou sua pele. Como seu rosto e seu peito foram pressionados com força no solo, provavelmente com a parte externa do antebraço dele, talvez ela tenha sentido as gotículas dos irrigadores de jardim umedecendo o gramado a menos de seis metros de distância. Seu cabelo estava molhado quando a encontraram."

Jenny Kramer era uma adolescente feliz e descontraída. Até o dia em que foi a uma festa na casa de um colega, onde estavam todos os seus colegas de escola. Ansiosa para encontrar o garoto de quem gostava, ela toma um choque ao vê-lo com outra menina. É então que começa a beber e precisando de um tempo, corre para a mata localizada atrás da casa, para chorar e ficar um pouco sozinha. Porém, o que Jenny não imaginava era que aquele momento mudaria a sua vida. Na mata, havia alguém a espreita com uma máscara de esqui, e esse alguém estuprou a garota brutalmente por uma hora, abandonando-a ali ao relento, em choque e desesperada.

"Fico voltando ao mesmo pensamento quando reflito sobre aquela semana. A criança com os fósforos, achando que tinha idade o bastante para manuseá-los. Acendi o fósforo e lancei. O fogo pegou. Eu não poderia ter previsto, de jeito nenhum, o vento forte que sopraria, dando força a ele, e um poder que eu não seria capaz de conter."

Quando foi encontrada por um casal da festa, Jenny foi imediatamente levada ao hospital, passou por cirurgias que lhe repararam os estragos feitos pelo estuprador e também passou por uma espécie de tratamento que a fez esquecer as memórias daquele dia terrível. Porém, mais tarde, Jenny continua sentindo internamente os efeitos do trauma, mesmo que com as memórias esquecidas ela não saiba de onde exatamente vem aquelas reações dolorosas, até o dia em que ela se coloca em uma situação que faz finalmente com que os pais percebam que os efeitos daquele dia ainda estão presentes na vida da família.

"Ninguém, nenhum de nós, se mostra por completo para outra pessoa. Se você acha que se mostra, então se faça estas perguntas: alguma vez você já fingiu gostar de algo horrível que seu parceiro cozinhou? Ou falou para sua filha que ela estava linda num vestido feio? Você já fez amor com seu parceiro e fingiu um suspiro quando seus pensamentos estavam em outra parte, na lista de compras, talvez? Ou elogiou o trabalho medíocre de um colega? Você já falou para alguém que tudo ia ficar bem quando sabia que não ficaria? Você sabe que sim. Mentiras leves, mentiras sombrias, um milhão de mentiras, várias vezes a cada dia, em todo lugar, por todos nós. Estamos sempre escondendo algo de alguém."

Ao mesmo tempo, Charlotte, a mãe, tenta fazer com que a família volte a normalidade a todo custo e o pai, Tom, se vê fora de órbita, querendo apenas uma punição para o homem que fez tudo aquilo com a sua garotinha.

Em um thriler psicológico criado como um quebra-cabeças, onde cada fio vai se juntando aos poucos, para montar uma teia de segredos, acompanhamos a devastação de uma família e descobrimos que as motivações humanas podem ser extremamente egoístas nos momentos mais inesperados.

"Com lágrimas caindo e a voz ecoando o choro com aquele som horrível, ela finalmente foi ouvida e, então, salva. Desde aquela noite, ela se perguntou sem parar por que nada dentro dela - seus músculos, sua razão, sua vontade - tinha sido capaz de deter o que aconteceu. Ela não sabia se tinha tentado lutar contra ele e gritar por ajuda ou se apenas desistira e deixara acontecer. Ninguém a escutou até que estivesse acabado. Ela disse que agora entende que, ao final de cada batalha, restam o conquistador e o conquistado, o vencedor e a vítima, e que aceitara a verdade: ela fora total e irrevogavelmente derrotada."


[ - Minhas Impressões - ]

Eu gosto muito de thrilers psicológicos, embora seja um gênero que não tenha tantos livros, e sempre que vejo um enredo que parece promissor, imediatamente adiciono a minha lista de livros desejados, e isso aconteceu também com o livro Nem tudo será esquecido. Porém, enquanto mantinha várias expectativas, também fiquei com receio por no ano passado ter lido outro thriler que prometia algo parecido com esse enredo, chamado Sonhos Partidos,  e acabou se mostrando diferente do que eu imaginava. E a medida que comecei a leitura do livro Nem tudo será esquecido,  percebi que realmente ele não alcançaria minhas expectativas, mas apesar de tudo foi sim uma leitura deveras interessante, e conforme eu evoluía nos capítulos não conseguia parar a leitura, pois a curiosidade de chegar ao final era maior.

Os pontos que mais me atraíram nesse enredo foi a construção da história, cheia de pecinhas que em alguns momentos eu imaginava que não se encaixariam e depois percebia que todas faziam parte de algo maior. Além disso, o modo como a autora criou a trama, cheia de segredos familiares, que sempre se mostravam bastante interessantes e naturais, sem que houvesse nada forçado. Além disso, como o gênero é thriler psicológico, temos uma série de nuances psicológicas tratando das atitudes humanas e de sentimentos crus, como o egoísmo, a necessidade de aceitação, as marcas que os traumas nos deixam, a ganância, dentre uma gama de outros sentimentos.

Porém, o que mais me incomodou no livro foi o foco da história. Durante boa parte da obra eu sentia que o foco ali não era a garota e seu estupro, apesar de vermos falar muito a respeito, mas sentia que era muito focado na história do narrador, cuja identidade não revelarei, uma vez que ele é muito importante para o desfecho, mas ele nos enreda em um círculo de tramas e manipulações e foi isso que acabou quebrando minhas expectativas, e ao final me deixou descrente se os sentimentos da garota e de sua família ali descritos eram os verdadeiros, ou se o narrador-observador passava ao leitor apenas aquilo que desejava.

Como já mencionei, a narração é toda feita em primeira pessoa. Esse narrador começa a nos apresentar os fatos da história da garota, como alguém observando de fora, e é mais ou menos no capítulo dez que ele se apresenta para o leitor e se envolve também na história. Nesse caso, creio que uma narração em terceira pessoa, com imparcialidade, teria me agradado mais. Além disso temos 36 capítulos de um tamanho razoável e não encontrei erros durante a leitura.

A personagem que mais me chamou atenção foi Jenny, a garota que sofreu o estupro, pois era apenas uma garota indefesa que lutava para fazer os seus dias parecerem normais, quando ela sabia que não estavam, e fiquei desejando intensamente conhecê-la melhor. A mãe de Jenny, Charlotte, é uma mulher que não me agradou desde o começo, mesmo depois que sua história de vida é apresentada para o leitor. Já Tom, o pai, foi um homem que me despertou certo sentimento de tristeza, por toda a sua vida e por sua falta de autoridade. O narrador foi um personagem que a medida que foi evoluindo na trama me fez desgostar dele e ao final senti que ele poderia ter sido alguém muito melhor. Os personagens secundários também foram bem construídos e todos tem personalidades marcantes e motivações muito bem explicadas.

Recomendo o livro para quem gosta de tramas psicológicas, sem tanta ação, mas que acabam prendendo o leitor e nos leva a criar uma dezena de hipóteses, só para vermos elas se desmanchando nos próximos capítulos. É realmente um livro onde nada é o que parece e que mostra que por mais que tentemos esquecer as coisas ruins em nossa vida, ao final nem tudo será esquecido.

28 comentários:

  1. Olá
    Adorei poder conferir suas impressões a respeito desse livro. Confesso que, em primeiro momento, essa trama não chama muito a minha atenção, mas de qualquer modo, percebi em suas premissas, alguns aspectos curiosos.. e com certeza gostaria de saber mais sobre os personagens.
    Boas leituras (sempre <3)!
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Adorei suas impressões sobre a obra. Sou fissurada nesse gênero e essa obra se mostra como algo que entra no fundo da mente e que não fica só no foco do estupro, e sim amplia a direção da história. Pena que a obra não te interessou num todo.
    Beijos,Lari.
    Segredosdeumacerejeira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Tamara, tudo bem?
    Apesar de ter curtido muito a sua resenha não curto esse gênero, por isso não vou ler. Mas fico feliz que vc tenha curtido a leitura. Bjs
    http://www.facesemlivros.com/

    ResponderExcluir
  4. Eu também adoro tramas desse tipo, mas tenho poucos livros do gênero. Eu confesso que se fosse sua resenha nunca pensaria em procurar saber mais sobre a obra, a capa não me chamou nem um pouco a atenção. Gostei da premissa, parece bem intensa e já fiquei ansiosa para saber quem é o estuprador. Quero ler a obra ainda esse ano! *-*
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  5. Nunca tinha ouvido falar nesse livro, confesso que apesar dessa sua resenha ele não me chamou tanta atenção... Mas obrigado pela dica e continue assim.

    Atenciosamente Um baixinho nos Livros.

    ResponderExcluir
  6. Olá...
    Ultimamente ando curtindo bastante trillers psicológicos, mas, é uma pena que tenhamos tão poucos no mercado. O que mais gosto nesse gênero é que o autor conduz a história de uma forma tão envolvente que fica impossível largar o livro até a última página.
    Fiquei muito interessada nesse livro em questão, e apesar das suas ressalvas ainda quero ler, pois achei o tema central bem forte e acredito que irei gostar.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá Tamara,
    Gosto muito do gênero, mas desanimei totalmente perante esse livro, sério, não parece ser nada bom.
    É uma pena que você tenha se decepcionado e que o foco não tenha sido o estupro, mas, sim, a história do narrador. Apesar de ter ficado curiosa para conhecer quem é o narrador, não fiquei curiosa para ler esse livro e vou deixar a dica passar.
    Tenho certeza que esse livro agradará muitas pessoas.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  8. Faz um tempão que não leio nada de trhiler psicológicos, apesar de gostar muito. Gostei muito da premissa do livro, apesar de você ter narrado alguns probleminhas com o foco da história pretendo ler em breve. beijos

    ResponderExcluir
  9. Oii!

    Que pena que o livro não lhe agradou no total; Comecei a ler thrillers psicológicos a pouco tempo e tenho gostado bastante do gênero.

    beijos!

    ResponderExcluir
  10. Olá, Tamara.
    Eu me arrepiei toda enquanto lia sua resenha. É enredo muito forte e pesado, que acho que o gênero consegue dar conta, mas acho que eu não conseguiria da conta da leitura.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  11. Eu fiquei curiosa com a sinopse, mas alguma coisa me segurou na hora de colocar o livro na lista de leituras. Acontece que o estilo não é exatamente o que mais leio, então ler sua resenha me deixou com a sensação de que foi uma boa não ter solicitado o livro. Acho que o fato do narrador ser colocado dessa forma e de fazer parte da história levanta muito essa questão de até que ponto ele está imparcial aos fatos ou contando somente o que quer que acreditem. Se fosse de forma mais imparcial, acredito que teria tudo para ser um livro incrível.
    Uma das colunistas está lendo ele, espero que ela pelo menos aproveite um pouco a leitura :)
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
  12. Olá,
    Ainda não li muitos suspenses psicológicos, mas a premissa desse livro me deixou muito curiosa principalmente por conta do remédio ministrado para que ela Jenny pudesse esquecer tudo que havia acontecido e fiquei chocada quando li que ela precisou passar por cirurgia para reparar os danos causados por tamanha brutalidade.
    Fiquei curiosa para saber quem foi o autor do crime!!

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oie!
    Nossa, eu esperava mais dessa história. Mas tem uma trama interessante, pena que não gostou. AInda não me decidi se vou ler esse livro, mas vou anotar seus comentários sobre ele, assim sei o que esperar da história.
    Bjks!
    Histórias sem fim

    ResponderExcluir
  14. Olá, Tamara! Acho que já havia lido sobre o livro, mas somente agora ele me chamou a atenção. Não sei ainda se me jogaria nesta leitura, mas enquanto lia a sua resenha fui me interessando or ela e imaginando um filme.
    Parabéns!

    Olá, Nicolle!
    Certamente esta edição belíssima agrada muitos corações! Lembro de ter visto o bonito numa livraria com um amigo e os olhinhos dele brilharam diante da novidade! rs
    Gostei muito do seu post e suas fotos estão incríveis!

    Beijos,
    Yohana Sanfer
    http://www.papelpalavracoracao.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Oi!
    Adorei a premissa do livro, mas é uma pena que ele não tenha atendido todas as suas expectativas e que não tenha focado tanto na protagonista em si, já que o trauma dela é um excelente tema a ser explorado. Ainda assim achei a trama muito instigante, principalmente por conta do narrador misterioso e como adoro o gênero já o adicionei à minha lista de desejados.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Duas coisas me chamaram a atenção em respeito a esse livro:
    Um tema pesado como o estupro e o fato da menina ter as memórias apagadas, mas ainda assim continuar sofrendo.
    Fiquei muito curiosa em como se deve o enredo.
    Mas estou com um pé atrás sobre o narrador.
    Como você mesma disse, o fato dele ser presente na história nos traz a sensação de que talvez ele esteja omitindo certas partes, ou não tenha conhecimento mesmo.
    Estou em dúvida se leio ou não.
    Sua resenha está muito bem escrita. Parabéns.
    Bjs, Mila

    http://a-viagem-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Olá, tudo bem? Assim que voce começou a descrever o livro eu pensei: "opa, mais um pra lista", mas conforme você ia desenvolvendo a resenha eu vi que talvez o livro não fosse tudo aquilo que eu esperava e talz sabe? Eu sinceramente amo livros que envolvem estupro e outros temas polêmicos, mas odeio me decepcionar com qualquer um deles, então sinceramente não sei se leria o livro... mas vou deixar anotado, quem sabe um dia ne...

    ResponderExcluir
  18. Gosto de tramas psicologísticas, elas conseguem repassar toda trama envolvente do enredo. Fiquei curioso com esse narrador misteriosos e o quão ele é importante para a narrativa. Preciso ler esse livro e ver se tenho as mesmas impressões que você teve.

    ResponderExcluir
  19. Eu tinha expectativas altíssimas a respeito desse livro, então claro que fiquei decepcionada quando você disse que ele não atingiu suas expectativas. Gosto muito do gênero e fiquei louca pra ler quando vi o lançamento, pelo menos posso me consolar sabendo que ainda assim ele prendeu sua atenção e você achou interessante, mas irei com menos sede ao pote, já que ele será uma das minhas próximas leituras. Espero que o foco não me incomode.

    ResponderExcluir
  20. Oi, tudo bem? Eu não tenho tanto costume de ler esse gênero, mas decidi um tempo atrás que deveria pesquisar alguns livros e dar uma chance a histórias diferentes. A premissa envolvendo um trauma desse tipo e o livro abordando também assuntos como conflitos familiares me chama atenção, uma pena esse não ter alcançado suas expectativas, de certa forma me desanimou, não sei se leria agora, mas mesmo assim vou guardar anotar aqui e pesquisar mais a cerca da obra, pois apesar de tudo fiquei bem curiosa em relação a esse narrador. Beijos.

    ResponderExcluir
  21. Olá! Acho que nunca li thrilers psicológicos , ou se já li não sabia que se tratava desse gênero. Gostei muito da resenha e achei tudo muito interessante. Vou colocar na minha lista de leitura. Abraços!

    ResponderExcluir
  22. Oie
    não conhecia o livro mas é um gênero que gosto bastante e tem um enredo legal, que pena que a autora pecou em alguns momento mas sua resenha ficou ótima, parabéns

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  23. adoro livros do gênero, to com ele aqui prra ler e espero ler ainda esse mês, mas to ansiosa depois da tua resenha, poq sinopse é uma coisa ler sobre a impressão de quem já leu a obra é outra coisa kkk

    ResponderExcluir
  24. Oi!!
    Confesso que fiquei com vontade de ler o livro. Mas tenho medo de acabar me decepcionando, mas gosto dessa coisa de nos levar a acreditar em uma coisa, só para mais tarde nos mostrar que estávamos errados.
    Não sei se lerei o livro, mas com certeza gostei da dica.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  25. Oiii!!!
    Não conhecia o livro e confesso que depois de ler sua resenha fiquei bem interessada.
    Li um livro que tinha um enredo parecido. Espero ter a oportunidade de ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
  26. Oi,Tamara. Tudo bem?
    Eu também gosto muito de thrillers,adoro esse suspense e agonia que fica rondando os personagens.Mas estupro é um tema que me deixa com certo medo de ler, pois não sei como a autora abordou isso, sabe? Claro que a premissa da obra chamou minha intenção, então algum dia vou ter que conferir. Beijos <3

    ResponderExcluir
  27. Oi!!
    Opa, eu gosto de suspense psicológico e essa capa chamou a minha atenção, vou colocar o livro na minha lista de desejados.
    Trama com segredos familiares sempre rendem um suspense ótimo. Agora eu fiquei mega curiosa para saber mais dos personagens.
    Dica de leitura anotada e já vou ver se acho ele na livraria.
    Beijão!

    ResponderExcluir
  28. Essa temática é muito delicada :~~ já deixei de ler um livro porque aparecia uma cena de estupro, e fiquei tão mal que não deu pra seguir. Não sei se consigo ler uma história cujo foco principal seja esse...

    ResponderExcluir