14 outubro 2016

Resenha - Menina Má




Rhoda, a pequena malvada do título, é uma linda garotinha de 8 anos de idade. Mas quem vê a carinha de anjo, não suspeita do que ela é capaz. Seria ela a responsável pela morte de um coleguinha da escola? A indiferença da menina faz com que sua mãe, Christine, comece a investigar sobre crimes e psicopatas. Aos poucos, Christine consegue desvendar segredos terríveis sobre sua filha, e sobre o seu próprio passado também.

MENINA MÁ é um romance que influenciou não só a literatura como o cinema e a cultura pop. A crueldade escondida na inocência da pequena Rhoda Penmark serviria de inspiração para personagens clássicos do terror, como Damien, Chucky, Annabelle, Samara, de O Chamado, e o serial killer Dexter.




Livro: Menina Má
272 páginas || Skoob || Editora: DarkSide || Onde Comprar









“A psicopatia se desvela como um tipo de comportamento social em que os sujeitos são desprovidos de consciência moral, ética e humana, possuem atitudes descompromissadas com o outro e com as regras sociais, caracterizam-se por uma deficiência significativa de empatia.”. 

Rhoda é uma pequena garotinha com oito anos de idade e uma carinha que encanta a todos. Ela se mostra auto suficiente se vestindo sozinha, trançando os próprios cabelos e com uma disciplina que encanta a todos.  

Com todo carinho, Christine, mãe de Rhoda mantém a casa de pé enquanto o marido serve ao exército. Tudo ia bem, até ela começar a desconfiar das atitudes estranhas que Rhoda tinha, pois ela não agia normalmente como as outras crianças e não entendia como seu convívio era melhor com pessoas mais velhas. Mas na verdade, sua maior reocupação era a causa de estranhos acidentes que sempre aconteciam quando Rhoda estava por perto.

"Qualquer um dos incidentes talvez pudesse ser minimizado com um desses infortúnios inevitáveis que acontecem em toda parte e com todo mundo, mas, tomados juntos, comparando-se as semelhanças entre ambos os mistérios, o efeito era mais forte, mais difícil de ser relevado pelo simples raciocínio lógico."

Assustada e sem saber como lidar com a situação, ela procura ajuda com um amigo, que possui inúmeros artigos sobre assassinato e conhece bem do assunto. Então, logo passa a estudar todos os casos e descobre que a filha pode ter uma espécie de sentimento maligno e questiona se a maldade é algo genético ou se a sociedade molda os seres a ponto de adquirirem a maldade. 

Com todo cuidado de uma mãe, Christine se vê presa entre defender sua querida filha com unhas e dentes ou tomar uma drástica atitude para proteger a sociedade das maldades dela. E além das atitudes dissimuladas da filha,  ela ainda se surpreende pelos segredos do passado e do que ela esconde por trás de seus abraços e da tão falada ''cesta de beijinhos''

A história é chocante do começo ao fim e a trama e gira sempre ao redor de Rhoda, uma personagem com um grau incrível de complexidade. Menina Má é uma leitura completamente profunda que trata de diversos assuntos que geram polêmica e até os assuntos taxados ''proibidos''. Com o decorrer da leitura, sentimos exatamente isso, por estar lendo algo proibido, impuro, ainda mais por se tratar de uma criança.

"Crianças também matavam ou ela estava certa em presumir que só adultos acometiam esses atos terríveis?"

Todos os personagens da história possuem personalidades duvidosas, tais como Leroy, Srª. Daigle, Emory, o que gera um ar macabro que é envolto na trama do começo ao fim. A DarkSide trouxe à atualidade um clássico. A edição está incrível, com capa dura, marca páginas de fita de cetim e ilustrações que dão mais realidade a história. 

March teve o cuidado de escrever o livro ao olhar materno, cercado pelo amor incondicional, mas que também nos proporciona adquirir outra visão ao decorrer dos acontecimentos e é exatamente este ''choque de percepções'' que provoca o ápice do suspense que acompanha a história. A escrita é fluida dando um aspecto de agilidade à história, mesmo tendo diálogos “ultrapassados” levando em consideração a época no qual o livro foi escrito. 

O desfecho da história é assustador. Não há nenhum caminho a seguir se não continuar a historia e se deparar com um infeliz destino. 

“Mais tarde naquele verão, quando a sra. Penmark olhava para trás e se recordava, tomada por um desespero tão grande que sabia que nunca encontraria uma saída, sem ver solução para as circunstâncias que a atormentavam, lhe parecia que o 7 de junho, dia do piquenique da Escola Primária Fern, fora o dia em que sentiu felicidade pela última vez, pois, desde então, nunca mais soubera o que era alegria ou paz.”

A psicopatia é genética ou é atribuída ao indivíduo? Menina Má satisfaz esta questão. É um dos livros que compõe a coleção Crime Scene da editora DarkSide, voltada para Serial Killers e assassinatos. Com diagramação incrível e 272 páginas amareladas, o livro é assustadoramente interessante e prende o leitor do começo ao fim. 

 “Será a maldade uma espécie de semente que carregamos dentro de nós, capaz de brotar na mais adorável das crianças?”

Se você curte o bom e velho suspense e tem coragem para enfrentar uma doce e dissimulada garotinha, esta leitura é mais do que indicada!

13 comentários:

  1. Oi Amanda, coitada desta mãe, pois não deve ser fácil para ela. Já pensou, ela fica entre a cruz e a espada. Ainda não li este livro, que desde o seu lançamento está na minha lista de leituras.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Olá!! :)

    Eu ainda há poucos minutos ouvi falar sobre este livro e queria ler uma opinião! :) Veio mesmo a calhar!! :) ahah

    Adoro o suspense, claro, e ainda essa questão da genética/característica da pessoa... E amo esse tipo de finais, que tem de ser enfrentados!! :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  3. Oi, Amanda!
    Eu tenho muita curiosidade de ler esse livro, mas não sou muito forte para o terror é um gênero que ainda não consegui enfrentar. Estou de olho no livro faz tempo, mas a coragem de compra e ler ainda não me pegou. Mesmo assim quero ler um dia!

    Beijos,

    Rafa [ blog - Fascinada por Histórias]

    ResponderExcluir
  4. Oi Amanda,

    Eu to bem ansiosa para ler esse livro, pois psicopatia é um assunto que me deixa muito curiosa e tento consumir todos os livros possíveis que abordam esse assunto. Quando se trata de uma criança, o impacto é maior né? E é bacana como esse livro parece trazer a tona essa discussão. Eu adorei a sua resenha e espero ler ainda este ano!

    beijos =)

    ResponderExcluir
  5. Olá Amanda,
    Estou muito curiosa para ler esse livro e saber sobre esse final assustador que todos falam.
    Não sei se conseguiria ver a Rhoda, uma criança, fazendo algo ruim, mas acho que está em sua mente e é parte principal de seu ser. Gostei de saber que os personagens secundários são duvidosos e estou me perguntando como eu me sentirei em relação a isso.
    Adorei sua resenha e posso dizer que estou mil vezes mais curiosa.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  6. Olá, Amanda.
    É surpreendente o quanto é explorado da maldade humana e isso com foco em uma criança, que faz com que os leitores se sensibilizem mais. Mesmo que fiquemos inclinados a pensar como a mãe, não dá para ignorar as coisas ruins que a Rhoda provoca.

    ResponderExcluir
  7. Oi Amanda, acho o tema deste livro muito forte e interessante. Gostei de saber que o autor desenvolveu a narrativa sob o olhar da mãe, que ama apesar de tudo e acho que será uma leitura tensa, mas ainda assim, quero fazer. Fiquei pesando no seu questionamento no final da resenha sobre a psicopatia... pertinente.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá,
    Ainda não li a obra, mas tenho muita curiosidade para conferir o que Rhoda é capaz de fazer mesmo sendo tão nova e como sua mãe irá lidar com toda essa situação envolvendo maldade e segredos.
    A DarkSide sempre surpreende com a diagramação e esse livro está na minha lista de desejados a algum tempo.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Psicopatas adultos já me assustam horrores, agora uma história com psicopatia infantil é algo que com certeza me atrai menos ainda. Li uma sem saber, e fiquei completamente enlouquecida e neurótica, sem entender como as pessoas tinham coragem de se arriscar a ter um filho sabendo da existência disso. Não acho que dê conta de um enredo desse tipo, tenho até medo de descobrir o que acontece no final, com certeza acabar bem essa história não acaba, o desfecho deve ser mesmo assustador e o destino não tem como não ser infeliz.

    ResponderExcluir
  10. Olá
    Eu não curto muito terror/Suspense, essa capa e linda, mas me assusta um pouco. Esse livro me desperta uma curiosidade, pois a premissa me lembra de um documentário que vi na época da escola que chama : irá de um anjo .Gosto de assuntos que são trajados como proibidos.Vejo muitas pessoas falando muito bem desse livro desde a narrativa até o desfecho espero em breve ( quando eu tiver coragem kk) poder ler esse livro.Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Oi, amanda, esse livro está na minha lista de futuras leituras. Parece algo bem intenso e é bacana ver o ponto de vista dessa mãe e também outros pontos.

    ResponderExcluir
  12. Oi, Amanda! Apesar de não curtir muito o gênero, gostei de saber mais desse livro. As questões, os mistérios... Parece um filme de terror/suspense, daquele bons!rs Gostei muito da sua resenha e de conhecer melhor sobre esse livro através dela. Já havia lido sobre ele, mas apenas agora ele me pareceu mais interessante. Parabéns!

    Bjs,
    Yohana Sanfer
    http://www.papelpalavracoracao.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Estou com esse livro aqui, mas ainda não li pois estou seguindo uma sequência, mas ele é apaixonante desde a diagramação. Gostei dele ser repassado por de uma forma amorosa, assim, conseguimos perceber o quanto profundo o autor quis chegar na maldade da personagem.

    ResponderExcluir