27 outubro 2016

Livro x Filme: Psicose








Livro que deu origem ao mais famoso filme de suspense de todos os tempos. Psicose conta a história de Marion Crane, que foge após roubar o dinheiro que foi confiado a ela depositar num banco. Ela então vai parar no Bates Motel, cujo proprietário é Norman Bates, um homem atormentado por sua mãe controladora. Belo suspense, de tirar o fôlego!

Livro: Psicose
240 páginas || Skoob || Editora: DarkSide || Onde comprar

Filme: lançado em 1960 | Duração: 1h 49min | Direção: Alfred Hitchcock
Gênero: Suspense, Terror









É possível que essa análise contenha spoilers do livro e filme.


Mary Crane trabalha como auxiliar de escritório e está descontente. Seu maior desejo é se casar com seu amado Sam, que trabalha numa loja de ferragens deixada pelo pai antes de morrer. O problema é que Sam também recebeu como herança muitas dívidas e ainda faltam mais dois anos para zerá-las. Mary não quer esperar tanto tempo para viver com o homem da sua vida e, quando um senhor aparece em seu local de trabalho numa sexta-feira com muito dinheiro na mão, ela vê uma excelente oportunidade. Ele quer depositar $40 mil dólares para presentear a sua filha, dando-lhe o valor de uma casa como presente de casamento. Mary, desesperada para viver com Sam, agarra essa chance. Ela elabora um plano mentalmente, diz ao chefe que está com dor de cabeça e foge com dinheiro. Acredito que no livro essa cena ficou bem mais detalhada, já que mostra os pensamentos e sentimentos da Mary sobre Sam e a ideia da fuga.


O plano era chegar até a cidade de Fairvale e inventar uma desculpa a Sam de como conseguiu o dinheiro para ele zerar as dívidas, mas, com a chuva, acabou se perdendo no caminho e foi parar em Bates Motel. Como ficou muito tempo dirigindo, decide passar a noite ali mesmo e, antes de dormir, aceita jantar e conversar com Norman Bates, o dono do motel. Gostei bastante dessa cena pois, é bem visível na tela para o espectador, o quanto o personagem se sente desconfortável ao conversar com uma mulher, devido às repreensões de sua mãe controladora. Norman conta a Mary que sua mãe mora na casa ao lado do Motel e, por estar doente, não pode descer do segundo andar para lhe fazer companhia. Ele explica a ela que sua mãe tem uma doença mental e que é o único que pode cuidar dela. Mary se comove com a situação do rapaz e sugere a ele que coloque a mãe no hospício de imediato, Norman reage de maneira estranha e um pouco agressiva, dizendo a ela que a única pessoa que uma mãe precisa é de seu filho.


Após a conversa, Mary decide voltar ao quarto e toma um banho. É claro que em seguida acontece a famosa cena do chuveiro. Uma cena muito marcante e inesquecível, afinal, não se veem muitas histórias sobre um assassinato durante o banho e, acredito que naquela época dos anos 60, após assistir ao filme, para muitos espectadores tomar um simples banho nunca mais foi a mesma coisa, acabando por se transformar em algo maior e preocupante. Porém, atualmente podemos perceber que não é uma cena muito bem trabalhada e nem tão assustadora assim. Gosto bastante dessa parte, mas acredito que no livro a tensão é maior, já que Mary tem a sua cabeça decepada.


Quando Norman percebe o que a sua mãe fez com a moça, fica completamente desesperado, mas sabe que se denunciá-la acabaria mandando-a para o hospício ou prisão e, provavelmente, também seria julgado como cúmplice. Para Norman, sua mãe não passa de uma mulher doente, então de imediato recolhe o corpo e seus pertences e os coloca no carro de Mary, levando-o para afundar no pântano que fica localizado próximo dali. Apagando completamente a presença de Mary no Bates Motel, Norman pensa estar protegendo sua mãe. O problema é que uma semana depois, a irmã de Mary vai atrás de Sam à procura de respostas para o seu sumiço tão repentino, acabando por descobrir que ele está tão surpreso quanto ela, e que também não sabe nada a respeito do desaparecimento de Mary. Com a ajuda de um detetive, eles investigam mais a fundo os rastros deixados por ela, e acabam descobrindo mais do que esperavam em Bates Motel.


O filme é um dos meus favoritos. É difícil encontrar clássicos de suspense tão bons quanto os livros, porém, Hitchcock me surpreendeu e fez um excelente trabalho. O livro e o filme têm suas particularidades, mas são iguais em sua essência. Os personagens apresentam poucas diferenças, como o fato de Mary ser chamada de Marion no filme e Norman ser visto como um homem gordo no livro. Entretanto, sabemos que é impossível uma adaptação conseguir captar tudo que está nas páginas, motivo pelo qual se faz importante a leitura do livro. Por meio dele, o autor consegue nos transmitir os pensamentos dos personagens com riqueza de detalhes. Ter assistido ao filme primeiro e saber o que ocorre no desfecho, não me atrapalhou em nada durante a leitura, o que para mim fez com que a leitura fosse ainda mais agradável, já que fiquei mais atenta a Norman e aos seus diálogos com a mãe controladora, que enxerga todas as mulheres como prostitutas. O livro nos permite compreender melhor o porquê de Norman ser um homem tão recluso, inseguro em relação às mulheres e suas características que se originam da forma que foi criado por uma mãe doente.

A editora DarkSide caprichou bastante na edição do livro, como era de se esperar, já que todos os livros publicados são igualmente impecáveis. O livro e o filme são incríveis e recomendo fortemente ambos!

19 comentários:

  1. Olá Amanda
    Preciso confessar que ainda não assisti ao filme e nem li o livro também, apesar de ter uma vontade enorme de conferir os dois. Tudo o que sei é de comentários que leio a respeito deles e especialmente porque acompanho a série televisiva Bates Motel, ao qual eu sou fascinada. Não sou muito de assistir clássicos, mas ainda quero tirar um tempo para assistir sim, e seus comentários me deixaram ainda mais motivada para isso.
    Beijos, Fer - www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Acredite ou não, mas eu ainda ano li esse livro, e confesso que um pouco foi por não querer mesmo rsrs. Sou muito fã das edições da Dark amozinho Side; e quero muito a edição foda de capa dura do livro, mas dinheiro é o que está me faltando no momento rsrs. Espero muito poder ler o livro. Mas fico feliz que você super recomenda o livro e o filme. Quanto ao filme, eu já assisti uma vez, mas já faz muito tempo, nem sei direito o que eu achei, então pretendo ver de novo o filme. Até mais vê
    Bjks

    ResponderExcluir
  3. Eu tenho muita vontade de assistir o filme e ler o livro, mas ainda não tive a oportunidade.
    Sempre vejo todo mundo falar do filme e só fiquei sabendo que tinha livro recentemente e pretendo ler antes e analisar as peculiaridades de cada um, e fico feliz que mesmo tendo diferenças na adaptação, o filme mantém a essência do livro.

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  4. Oie...
    Adorei seu post por completo! Apesar de ser aquela mocinha chata que só assiste comédias românticas, as vezes me bate uma vontade de assistir Psicose, pois, é um clássico que todo mundo já assistiu ou leu, menos eu... Mas, sempre acabo deixando de lado, pois, não sou fã desse gênero.
    Por mais que as adaptações possam ser muito bem feitas nós leitores sempre encontramos alguns errinhos, né?
    Não tenho dúvidas de que a edição da Darkside está de arrasar, pois, já é tradição deles ;)

    ResponderExcluir
  5. Eu nunca assisti o filme, me julgue! Mas li a obra e a história é muito boa! O desenvolvimento é rápido e o desfecho surpreendente. Vendo mais sobre a adaptação, acredito que o filme deva ser muito bom mesmo. Será que não rolaria um remake?
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  6. Olá, Amanda.
    Acho que eu nunca tinha tido coragem de ler algo completo sobre o livro e o filme, mas venci o meu medo e li sua comparação até o fim! Até que não foi tão assustador quanto eu pensei que seria, mas quando li que a mãe do Norman corta a cabeça da Mary eu fiquei boquiaberta.
    Abraços.

    Papel, Palavra, Coração

    ResponderExcluir
  7. Olá Amanda,
    Ainda não assisti nem ao filme, nem li o livro, mas sempre vejo elogios para essa obra. Achei legal saber que o livro e o filme são iguais em suas essências. Acho que é muito difícil fazer uma adaptação 100% fiel.
    Gostei de saber que o livro permite entender melhor a atitude reclusa de Norman.
    Adorei sua análise e vou tentar adquirir meu exemplar do livro logo para poder emitir uma opinião.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Não tem como não ler Psicose e não lembrar da famosa cena do chuveiro e sua música sinistra. Confesso que apesar de ter visto o filme e gostado, não tenho intenção de ler o livro, mesmo eles sendo fiéis em suas essências. Nem mesmo a série eu vi. Na verdade tentei, mas não gostei.
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Oi Amanda,

    Psicose é um dos meus livros/filmes favorito. Eu adoro tanto o enredo e perspicaz do Robert Bloch quanto a genialidade do Hitchcock. Adorei o seu post, porque é bem isso, ambos são muito bons e o filme é tão bom quanto o livro. É uma história de psicopata bem sutil.

    Deu saudade de rever o filme haha

    beijos <3

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bom?

    Psicose está na minha lista de desejos há muito tempo, pois amo o gênero.

    Não fazia ideia de que tinha o filme (que vergonha) e vou conferir sua dica para ontem kkk

    Histórias de psicopatas me encantam desde sempre e a DarkSide reina quando o assunto é este!

    Sua comparação entre livro e filme está perfeita e vou deixar todas suas opiniões guardadinhas para logo logo conferir!

    Parabéns pela resenha <3

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    O filme também é um dos meus favoritos, e como acompanho a série também essa leitura se torna muito interessante para mim. Acredito que saber o desfecho da história não me atrapalharia também e achei bem interessante ler o livro para fazer uma comparação que nem você fez com o filme. Muito legal a sua dica.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Oi Amanda, adoro terror, adoro Psicose! Ainda não li o livro, e tenho certeza que será uma leitura que vou apreciar. Até porque do filme e da série eu já gosto. Então entrar um pouco mais na mente dos personagens será um deleite! Sua resenha ficou ótima! Bjos

    ResponderExcluir
  13. Olá Amanda =)
    Esse filme é bem famoso, mas não sabia da existência do livros, não é de se surpreender. Apesar de ser famoso está disponivel para assistir a anos, eu nunca assisti. Eu não sou fã de terror, mas gosto de suspense e assusto relacionado a psicose. Vou bom saber um pouco da comparação do livro e filme. Vou anotar a dica. Beijos'

    ResponderExcluir
  14. Oi Amanda
    Acredita que nunca vi o filme?
    Tenho muita vontade de ler o livro com a edição da Darkside. Todos os livros dessa editora são maravilhosos e depois de ler sua comparação me deu ainda mais vontade.
    Vi que nesse caso, o livro completa o filme e é um clássico que merece ser respeitado.
    Amei as dicas
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  15. Helloo, Amanda! Tudo numa nice?!
    Eu nunca assisti Psicose, acredite. Nem li ao filme. Assisto Bates Motel, porém. E posso dizer que ao ler a sua resenha vi várias referências da série. Quer dizer, acho que deve ser o contrário. Alguns comportamento de Normam acabam fazendo sentido pelo que tu diz aqui bem como a série como um todo que eu amo. Não sei se assistiria ao filme por motivos de ser velho e não ter aqueles efeitos especiais. Sei que para a época era plausível, mas eu sou bem chata. O livro sim eu leria para conhecer de forma mais minuciosa a mente do Norman. E apesar dos spoilers eu ainda estou curiosa.
    Beijin...

    ResponderExcluir
  16. Olá Amanda, gostei bastante dessa sua postagem e da sua comparação do livro com o filme. Tenho que dizer que mesmo sendo famoso, nunca assisti o filme e tenho que dizer que nunca vou ler o livro porque eu sou uma pessoa muito medrosa hahaha

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  17. Eu vi o filme, me arrependo até hoje de ter deixado que me convencessem a assistir porque obviamente mesmo que eu tenha visto há mais de dez anos as imagens dele nunca mais saíram da minha mente... Rs... Eu odeio sangue, odeio ficar assustada, e claro que não posso negar a qualidade do trabalho, mas não queria conhecer essa história... Hehe... Nunca imaginaria o Norman gordo mesmo porque o conheci no filme também, interessante ele ser assim no livro. Que bom que achou o filme e o livro incríveis, mas não leria, ver já foi demais pra mim.

    ResponderExcluir
  18. Oi, tudo bem?
    Eu confesso que não costumo ler livros de terror e faz tempo que não vejo um filme do gênero também, mas eu tenho muita curiosidade com essa história, só que cadê a coragem? Era de se esperar que o livro fosse mais detalhado e tivesse algumas diferenças na adaptação, mas ao todo parece ser um ótimo filme mesmo, fiquei feliz em ver que é igual o livro em sua essência. Enfim, gostei bastante do post, não acredito que verei o filme, mas pretendo ler o livro algum dia e essa edição da Dark é linda.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  19. Oie
    Esse é um dos meus preferidinhos da Darkside nunca vi a adaptação mais já tenho o livro e pretendo lê-lo em breve.
    Adoro essa capa, amo suspense/terror e estou ansiosa para fazer a leitura.
    Bju
    Mary Reis

    ResponderExcluir