22 julho 2016

Série [07] - Supergirl




Kara Danvers, ou Kara Zor-El, a prima do Superman. Kara chega à Terra aos 12 anos, depois de partir do planeta Krypton, e é adotada pela família Danvers - que a ensina a ser cuidadosa com seus poderes. Depois de represar suas habilidades por uma década, Kara é forçada a mostrar seus dons em público, durante um desastre inesperado. Motivada por seu heroísmo, ela começa a abraçar sua vocação para ajudar as pessoas de sua cidade.

Título: Supergirls - 1º Temporada
Lançamento: 26 de Outubro de 2015
Duração: 42min [ - Primeira Temporada - ]
Gênero: Drama, Ficção científica, Ação
Nota:





Quando Krypton estava para ser destruído Kal-El (Clark / Superman) foi mandado para terra numa nave. Essa é a estória que todos conhecem, o fato desconhecido é que sua prima, Kara Zor-El, foi manda junto para protegê-lo em outra nave, mas no meio do caminho Kara ficou presa na Zona Fantasma por anos, e quando chegou a terra, Kal-El já tinha se tornado Superman, e ela ainda permanecia com seus 12 anos.

Kara foi entregue a família Danvers para ser protegida, e assim viveu até sua idade adulta como uma pessoa normal, que tem uma irmã amorosa, ótimos amigos e trabalhando para a implacável Cat Grant. Isso até o avião no qual sua irmã estava caindo. Kara não teve outra escolha a não ser se revelar ao mundo para salvá-la. Ao fazer isso, ela descobre que jamais poderia voltar a ser uma pessoa normal quando pode ajudar a salvar vidas.

Com sua revelação ela descobre um mundo oculto. Sua irmã faz parte de uma divisão secreta onde controlam, e prendem, alienígenas que ameaçam a terra. Kara assume o papel de Supergirl ajudando a divisão a capturar aqueles que ameaçam National City, enquanto descobre mais sobre a destruição de Krypton.


Sou uma mega fã de super heróis, e nisso já tinha assistido outras séries como Flash e Arrow. As expectativas estavam nas alturas para Supergirl, principalmente por ser um ícone da força feminina. Elas foram caindo assim que assisti o episodio "supostamente" vazado meses antes da estréia. Ali já deu pra ver que o clima seria mais descontraído, em outras palavras, uma série para mulherzinha.

Mesmo com essa impressão inicial, a primeira temporada cumpriu seu papel inicial de trazer aos expectadores a imagem da Supergirl. Em cada episodio foi apresentado um vilão novo a ser enfrentado, com a problemática a ser superado, mas sempre temos aquela sensação que o dia será salvo. O ponto mais alto da produção são seus personagens.

Melissa Benoist trouxe leveza, diversão e envolvimento ao papel de Kara. Várias vezes me peguei rindo nas cenas desastradas dela, tudo foi com muito carisma e trouxe a afeição do público para a personagem. Supergirl estava aprendendo a ser uma heroína e ao mesmo tempo ainda administrava sua vida pessoal, que trás problemas reais, como uma chefe que pega no pé constantemente, um amor não correspondido e relacionamentos familiares. Esses fatores trouxeram humanidade a personagem e deixava claro quem Kara realmente é.

Os personagens secundários também foram muito bem construídos. Jimmy é amigo do Superman e quando Kara se assume ele vai a cidade para ajudá-la. Winn é um nerd expert em computadores que sempre foi apaixonado por Kara, e logo no primeiro episódio ela mostra que confia no amigo se revelando como a Supergirl a ele, juntos eles constroem a imagem da heroína.

Ele trouxe várias cenas engraçadas por falar coisas na hora errada deixando aquela vergonha alheia no ar. Também demostrou ser um companheiro a altura tendo que salvar a pele da amiga em diversos momentos.

Cat Grant é minha personagem preferida. Ela é forte e cresceu por seus próprios méritos. Mesmo tendo Kara em sua frente todo dia, mal suspeita que é a Supergirl. Foi também responsável pela imagem idealizada da heroína na cidade. O que mais gostei nela foi a sabedoria que trouxe a vida de Kara, foram conselhos sábios passados e ao mesmo tempo conseguia ser uma vaca como chefe exploradora.


A estória não possuí um grande aprofundamento em relação ao romance, ele permanece como plano de fundo onde vem a tona em poucos momentos. O que foi mais explorado é o passado da família de Kara e sua vinda a terra. Vamos conhecendo conforme aparecem alguns flashbacks contanto como foi sua chegada e envolvimento na terra, juntamente com o crescimento da sua relação com sua irmã Alex, isso é nítido a todo momento que as duas se amam independente de qualquer coisa

No geral a série cumpriu o propósito, mas comparado a outras séries do mesmo gênero, ainda tem muito a crescer, e acredito de verdade no potencial que possuí. Tem um elenco carismático e possuí todos atributos para se tornar grande. Agora com a mudança de emissora, sendo produzida pela The CW, não tenho dúvidas que receberá o investimento que merece.


Mesmo com todos os defeitos, Supergirl é gostoso de ser assistido, vale a pena conferir Kara se tornando uma grande mulher e ainda mais ver que a heroína necessita de seu amigos. Recomendo a todos que amem algo mais leve, e instruo aos fã de super heróis a irem com calma e acompanhar o desenvolvimento da Kara conforme ela cresce, pois ao final é reconfortante ver o crescimento da personagem.






11 comentários:

  1. Olá
    eu acompanhei a primeira temporada e confesso que tive uma relação de amor e ódio com os capítulos. Nos primeiros, tudo foi muito empolgante, mas depois as coisas começaram a ficar cansativas demais. Fui até o final, então vamos ver como será a segunda temporada... Também acho que a série cumpriu seus propósitos sim e apesar de todos os defeitos é mesmo ótimo acompanhar a evolução dela.
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Olá, Stefani!
    Assim como você, também gosto de super heróis e a minha série favorita nesse estilo é The Flash, mas sou bastante seletiva nesse quesito. Tenho uma pergunta: o que você quer dizer, exatamente, com "uma série para mulherzinha"? Tem a ver com a descontração?
    Pelo que você falou, Kara é uma personagem amável, pelo menos eu tive essa sensação ao ler seu texto. Achei bacana o fato de o romance não ter se sobressaído, deu mais espaço para o processo de construção de heroína em si.
    Levando em consideração o fato de que é impossível que exista algo por aí que seja perfeito, terminei de ler a postagem pensando: "estou com vontade de conhecer mehor Supergirl"!
    Um beijo.


    ResponderExcluir
  3. Oi Stefani, não me interessei muito em seguir a série. Mesmo adorando enredos com super herois, este não foi para minha lista.
    Bsj!

    ResponderExcluir
  4. Puxa, nunca ouvi falar dessa prima do Superman que ficou perdida na Zona Fantasma do espaço. Confesso que fiquei interessado apenas por ler esse parágrafo; assim como você gosto das histórias dos super heróis e, ainda mais, quando é algo novo, como o desenrolar de uma genealogia ao longo de novas séries!
    Te entendo quando disse sobre a expectativa pois também criaria uma apostando em um potencial exorbitante, mas, graças a sua resenha sei que o enredo ainda tem muito o que desenvolver.
    Vou me aprofundar mais para ver se a colocarei na minha lista de séries a assistir.
    Obrigado por compartilhar sua experiência conosco!
    Grande abraço para você e sucesso!
    Filipe Penasso - Pena Pensante

    ResponderExcluir
  5. Ah, que bacana. Eu ainda não assisti mas já conhecia. Não é bem algo que eu procure para assistir mas com certeza é algo que se eu por acaso parasse para ver, iria me agradar. Achei a premissa bem interessante e gostei de ver seus comentário. Gostei de sua dica.

    ResponderExcluir
  6. Olá Stéfani,
    Ainda não conhecia essa série e confesso que fiquei interessada, pois, mesmo tendo essa pegada mais mulherzinha, a série parece funcionar bem com a super heroína. Espero que a história receba o investimento que merece, pois parece que são poucas coisas a melhorar e isso é bacana.
    Vou adicionar o nome dessa série para assistir e espero fazer isso em breve.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Eu gosto muito de séries de super heróis, mas o que me desmotivou muito em ver essa foi o fato de ela ter uma pegada bem adolescente (a palavra mulherzinha pra mim é horrível, o que há de errado em mulherzinha?) tanto com os mistérios quanto em relação aos relacionamentos da protagonista.
    Enfim, não é algo que eu curta, mas acho bacana para os dessa idade para trazê-los ao universo dos heróis.

    ResponderExcluir
  8. Oi, flor.

    Eu gosto muito de assistir séries. Aliás, comecei a assistir essa a um tempo atrás, mas a trama não me prendeu. Concordo com vc que, comparado as outras do mesmo gênero, essa série tem muito que evoluir. Eu só assisti o primeiro ep., mas pretendo retomar a série.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    adoro assistir séries, porém por causa da faculdade dei uma parada com a quantidade que assito. Adorei saber que você gostou da série mas sempre me falam que os efeitos especiais são muitos ruins e isso me desanimou. Espero quem saiba, um dai vê-la!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Gosto de séries mas sou a pessoa mais desinformada quando se trata de super-heróis, por isso não despertou meu interesse, mesmo assim gostei de essa série ser diferenciada e mostrar uma protagonista feminina nesse universo cheio de vilões, com uma maneira mais divertida, achei bacana que o romance ficou em segundo plano, não tirando o foco, para os que gostam do gênero aparenta ser legal, espero que o investimento lhe de o sucesso que merece

    ResponderExcluir
  11. Oi Stefani,
    Eu sou louca por séries e assisti ao piloto dessa assim que vazou, mas a série não me empolgou, achei a personagem destoante da personalidade conhecida da Kara, a Supergirl ao contrário do primo é famosa por ser uma personagem badAss e isso é o mais legal nela, a dessa série ficou muito boazinha, pamonha na minha opinião pessoal o que me fez não querer acompanha-la.
    Beijos

    ResponderExcluir