18 julho 2016

Resenha - O Primeiro Telefonema do Céu




Como você se sentiria se um dia recebesse uma ligação de alguém que ama muito e que já se foi? Numa sexta-feira comum, o telefone de Tess Rafferty toca. É sua mãe, Ruth, que morreu quatro anos antes. Em seguida, Jack Sellers e Katherine Yellin recebem ligações semelhantes, do filho e da irmã, também já falecidos. Nas semanas seguintes, outros habitantes de Coldwater afirmam que estão em contato direto com o além, e que seus interlocutores lhes pediram para espalhar a boa-nova ao maior número possível de pessoas. A mensagem é simples: o céu existe, e é um lugar onde todos são iguais. Em pouco tempo, correspondentes de diversos meios de comunicação aportam na cidade para transmitir os desdobramentos do fenômeno que pode ser o maior milagre da atualidade. Visitantes do país inteiro começam a surgir, as vendas de telefone disparam e as igrejas se enchem de fiéis. Apenas uma pessoa desconfia da história: Sully Harding, ex-piloto das Forças Armadas. Após quase morrer num desastre aéreo, perder a mulher e cumprir pena por um crime que não cometeu, ele não acredita num mundo melhor, muito menos após a morte. E quando seu filho pequeno começa a esperar uma ligação da mãe morta, ele decide provar que estão todos sendo enganados. O primeiro telefonema do céu é uma história de mistério e, ao mesmo tempo, uma reflexão sobre o poder da conexão humana. Em uma narrativa que vai tocar sua alma, Mitch Albom prova mais uma vez por que é um dos autores mais queridos da atualidade.

Livro: O Primeiro Telefonema do Céu
288 páginas || Skoob || Editora: Arqueiro || Onde Comprar







"É preciso começar de novo. É o que todos dizem. A vida, no entanto, não é um jogo de tabuleiro, e a perda de uma pessoa querida nunca é como “recomeçar um jogo”. É acima de tudo, 'continuar sem."

Tudo começa na cidade de Coldwater, onde, misteriosamente, pessoas começaram a receber telefonemas de pessoas queridas já falecidas. O primeiro telefonema foi para Tess, que recebe uma ligação de sua mãe. Em seguida, foi a vez de Jack Selles, um chefe de polícia que recebeu telefonema de seu filho. Logo depois, Katherine, onde recebeu ligações de sua irmã.

O que aconteceu depois depende do tamanho da fé de cada um...

Além destas pessoas, outros habitantes começam a receber telefonemas de pessoas que faleceram e espalham para todos que o céu existe, causando grande comoção na cidade e também em todos aqueles que não acreditam.

Pessoas de várias religiões estão recebendo misteriosos contatos de um plano superior. Então as autoridades religiosas trabalham juntas para poderem tentar descobrir o que pode estar acontecendo. Tanto que acaba se tornando uma situação nunca vista anteriormente, porque desperta a curiosidade dos meios de comunicação, lotando Coldwater de repórteres para levar ao mundo o conhecimento desse misterioso fenômeno.

"Existe o momento de começar as coisas e também o momento de encerrá-las. É por isso que o ato de enterrar parece natural, mas o de desenterrar, não."

Amy é a primeira a chegar à cidade, uma jornalista que deseja sucesso na carreira, porém ela não acha que esta reportagem irá dar grande repercussão, muito menos lhe acrescentar algo, mas ela estava enganada. Porque após abrir ao mundo estes acontecimentos, a cidade começou a receber várias pessoas que acreditam que aquele é um lugar sagrado. Elas se aglomeram nos quintais das casas de quem recebe os telefonemas esperando também algum contato de parentes falecidos.

O único que não se conforma com os acontecimentos é Sully, que tem certeza que há algo errado nesta história toda, e ao ver seu filho de apenas 6 anos carregar sempre com ele um telefone azul, de brinquedo, tem esperança que sua esposa falecida, Giselle, entre em contato de alguma forma e a partir daí parte em busca da verdade que está por trás deste maravilhoso milagre.



"Deus ouve nossas preces?
Sempre
Quando receberemos as respostas?Vocês já as têm.
Vocês estão acima de nós?
Estamos bem ao seu lado" 


"O primeiro telefonema do céu" é um mix de amor, esperança e crença. Faz-nos refletir sobre a fé e sobre os pequenos milagres que podem unir as pessoas e transformar radicalmente suas vidas.

“E se o fim não for o fim?”





[ - Minhas Impressões -]

Mitch Albom fez uma trama muito bem estruturada mostrando o pior e o melhor do ser humano, porque ele conduz a história deixando o próprio leitor tomar a decisão do que quer ver, e então, nos leva a pensar em várias questões, tais como o que fazemos com a saudade e a falta daqueles que partiram?

Tudo o que acontece no decorrer da história nos mostra que a maioria de nós acreditamos que há muito mais além da vida, não importando a crença ou o caminho.

Os personagens da trama são bastante interessantes e singulares. A participação de cada um é essencial no desenrolar da história. O autor conseguiu criá-los em uma realidade tão perfeita que é impossível não envolver com cada um deles. Os personagens principais da história são Tess que recebeu o telefonema de sua mãe; Jack, que recebe o telefonema do filho e Katherine, recebendo de sua irmã. Todos os telefonemas recebidos foram de pessoas já falecidas. E por último, temos Sully Harding, um ex – piloto, que perdeu recentemente a esposa. Os demais personagens que compõe a trama são os líderes religiosos de cada crença, os habitantes da cidadezinha de Coldwater e os repórteres que investigam cada detalhe desta emocionante história.

Com uma narrativa em terceira pessoa, o desenvolvimento é dinâmico e de fácil compreensão. A trama do livro possui capítulos contabilizados em semanas, onde cada semana iniciada nos mostra a história de uma pessoa.

Um dos fatos mais interessantes desta obra, é que o autor menciona Alexander Bell, o inventor do telefone, o interligando na trama.

"Ninguém sabe ao certo quem inventou o telefone. Embora a patente nos Estados Unidos pertença a Alexander Graham Bell, que nasceu na Escócia, muitos acreditam que ele a tenha roubado de um inventor norte-americano chamado Elisha Gray. Outros afirmam que o crédito deve ser dado a um italiano chamado Manzetti, a um francês chamado Bourseul, a um alemão chamado Reis ou ainda a outro italiano chamado Meucci. O que pouco se discute é que todos esses homens, que trabalharam em meados do século XIX, estudaram a ideia de transmitir vibrações vocais de um lugar para outro. A primeira de todasas conversas telefônicas, no entanto, entre Bell e Thomas Watson, em duas salas separadas, continha as seguintes palavras: “Venha cá. Quero ver você.”. Nos incontáveis telefonemas dados desde então, esse conceito nunca esteve longe de nossos lábios. “Venha cá. Quero ver você.” "

A leitura de "O Primeiro Telefonema do Céu"  foi muito bem desenvolvida, além de ter um bom mistério sensibilizando os leitores de uma forma agradável. O livro foi muito bem escrito e enlaçou varias emoções ate o final, nos trazendo uma história bastante reflexiva, tendo como princípio a fé.

Recomendo, sem dúvidas, este livro. Excelente!

24 comentários:

  1. Nossa! Achei a história bem intrigante. Se várias pessoas ao meu redor tivessem recebendo ligações de pessoas já falecidas, no primeiro momento iria achar que eram loucas, depois acharia que seria o Apocalipse. Eu particularmente acho que depois que morre, não se volta mais, muito menos para uma ligação, mas ainda assim, o livro é interessante justamente por isso, para conhecer as diversas visões sobre o fato e no final, analisar como queira,o que é bem interessante. Sua resenha me despertou a curiosidade para saber o que realmente aconteceu nessa cidade milagrosa e as reflexões causadas pela experiência.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  2. Olá
    eu estou muito intrigada com essa sinopse e depois de ler suas impressões quero ler o mais rápido possível. Que bom que o desenvolvimento é de fácil compreensão e imagino mesmo que o leitor tende a refletir sobre essas questões. Diante disso, o que mais me deixou curiosa mesmo foi a ambientação e de como tudo foi finalizado, afinal de contas, me passam muitas teorias sobre esse mistério.

    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem?
    Primeiramente quero dizer que estou amando acompanhar o blog.
    Bom, eu nunca tinha ouvido ou lido nada sobre o livro ou o autor, mas após ler essa resenha já adicionei mais uma obra na minha lista de desejados. O fato do autor criar uma história totalmente do que estamos acostumados a ler já me ganhou, eu nunca tinha pensando em uma premissa dessa. Gostei muito de conhecer a obra, parabéns pela resenha!

    http://desencaixados.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá Amanda,

    Já havia visto este livro antes, mas não sabia que a premissa era tão impactante. Fiquei aqui cheia de pontos de interrogação querendo saber o porque desses telefonemas, o que essa poderá passar para mim e claro fiquei curiosa para ver todo o confronto em relação a fé. Você não mencionou na resenha, mas queria saber se o livro mostra um trecho do que cada 'ente querido' fala ao telefone. E claro, fiquei curiosa também para saber mais sobre a jornalista que terá sua vida modificada. Adorei sua resenha e me convenceu muito a conhecer a obra, me lembrou até mesmo do livro "As Intermitências da Morte" do José Saramago, que possui um enfoque parecido.

    Abraços
    oblogcaentrenos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. O titulo deste livro é bem atrativo e nos percebemos algo espiritual, mas os personagens são fortes e formam uma boa trama e equalizada, e isso é ótimo em um livro.

    ResponderExcluir
  6. Não consigo imaginar o que faria se recebesse uma ligação, mas com certeza iria ficar muito feliz por falar com minha tia, que faz muita falta em minha vida. O livro parece ser bem intrigante e nos dá aquelas perguntas simples e difíceis de responder: " Você crê?" "Se fosse com você, o que você faria?" " Quem você seria na história? Aquela que vai pra igreja e ora ou seria uma pessoa descrente?"
    Adorei e pretendo ler em breve.
    Beijos,
    Giih Rosendo.

    ResponderExcluir
  7. Olá Amanda,
    Eu quero ler esse livro desde o lançamento, mas ainda não tive a oportunidade, infelizmente. Esse misto de mistério que sensibiliza é tocante e novo. Eu fico imaginando como acontecem esses telefonemas e quais são os mistérios por trás dessa história, que parece ser extraordinária.
    Adorei ler sua opinião e vou levá-la em conta quando ler.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  8. Olá, Amanda.
    Embora eu esteja muito curiosa para realizar a leitura desse livro eu não sei muito bem o que eu vou achar da leitura. A premissa é realmente muito interessante mas tenho receio em alguns momentos, mas não posso deixar de dizer que sua resenha me deixou ainda mais curiosa para ler. Espero que ao ler, eu possa gostar da obra.

    ResponderExcluir
  9. Olá, geralmente não me interesso nada por livros que envolvam religião, mas esse diferentemente dos outros colocou o assunto de um jeito que eu achei muito curioso e estou morrendo de vontade de conferir essa história.
    bjs

    ResponderExcluir
  10. Já li dois livros do autor e ambos, me emocionaram bastante, mas este aqui eu ainda não conhecia. Confesso que o tema me deixa melancólica e não gosto muito de pensar na partida das pessoas que amo, mas pelo autor, eu leria.
    Curti demais a dica!!!
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá,
    Preciso ler esse livro! Fiquei bastante interessada na história e para saber mais de como acontecem esse telefonemas. Me parece a obra tem vários personagens e gostei de saber um pouco mais sobre os principais . A resenha ficou ótima e assim que tiver oportunidade quero ler!!
    Beijos.
    http://www.virandoamor.com/

    ResponderExcluir
  12. Ola Amanda engraçado que o tema desse livro nos faz refletir, o que dizer a alguém que perdemos será que o tempo seria suficiente para dizer tudo o que não foi dito, gostei da sua resenha destacando como a trama foi muito bem construída me deixando curiosa com todo esses acontecimentos na cidade, dica mais que anotada. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  13. Oi Amanda, tudo bem? Acredita que senti um pouco de tristeza ao ler o enredo desse livro?! Acho que porque há um tempo minha fé e minhas crenças não são mais fortes como antes e talvez a leitura desse livro me ajude a enxergar uma luzinha onde não estou vendo. Adorei conhecer esse livro através da sua resenha e vou logo procurar ele para ler.
    Bj

    ResponderExcluir
  14. Oi!
    Achei a premissa desse livro muito interessante, pois por mais que seja bacana isso de 'as pessoas receberem telefonemas do céu' iamgino o quanto deve ser frustante para alguns não receber esse tal telefonema, principalmente para as crianças.
    Adorei sua resenha, e deu pra ver que o mistério do livro é muito bem trabalhado, e que deixa o leitor bem instigado em saber o que realmente está acontecendo.

    ResponderExcluir
  15. Nunca havia ouvido falar do livro, mas adorei o plot. Gosto de histórias que tenham um mistério na trama, e acho que é um fato: todo mundo crê em alguma coisa. Isso também chamou minha atenção, apesar de não ter uma crença bem definida, gosto de ler livros que abordem esse tipo de tema.

    ;D
    Nelmaliana Oliveira

    ResponderExcluir
  16. Olá!! :)

    Nao conhecia o livro, ams achei a premissa interessante... Contudo, acho que este livro nao faz la muito o meu genero! :) ahah

    Mas achei bom que tenhas gostado e que ele tenha feito essa ligação! So nao gosto muito da narraçao na terceira pessoa!! ahah :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  17. Hey tudo bem?
    Achei sua resenha inspiradora, apesar de não gostar nenhum pouco de livros que envolvem religião. Se eu recebesse uma ligação de alguém que já morreu eu ia começar a orar morrendo de medo. Isso não deve ser nada legal.
    Abraços

    ResponderExcluir
  18. Oi querida,
    Não gosto muito do livros que falam sobre ligações do "Além". Mas até que gostei pois o autor fez um mix de mistério, crença e drama.
    A Capa é linda, e através da sua resenha conheci mais um livro da editora Arqueiro.

    Queria ler um trecho do livro, pois através dessa prova eu saberia se gostaria ou não*


    XoXo, Enjoy Books

    ResponderExcluir
  19. Olá! Tudo bem por aí?

    Eu ADOREI a premissa desse livro e com certeza vou colocar na minha lista de desejados. Não é um tipo de livro que eu costumo ler, mas chamou bastante a minha atenção. Fiquei bastante curioso, principalmente para saber como o Sully reagiu a tudo isso e o que ele fará para provar que tudo não passa de uma farsa. Parabéns pela resenha!

    Abraços!
    www.acampamentodaleitura.com

    ResponderExcluir
  20. Oi, flor.

    Confesso que não curtir a premissa do livro. Eu não curto muito livros que envolvam religião, então a obra não me despertou interesse. Fico feliz que vc tenha curtido o livro e que tenha se emocionado com a história. Quem sabe eu não leia mais p frente? Amei sua resenha ♥

    Beijos!

    ResponderExcluir
  21. Oii, tudo bem?
    Eu lembro que na época do lançamento esse livro agradou a muitas pessoas, eu inclusive já tinha o colocado na minha lista de desejados, mas com o tempo acabei esquecendo do livro. Mas a sua resenha me fez lembrar do livro, e me deixou ainda mais curiosa para saber a origem dessas ligações e tudo mais.

    ResponderExcluir
  22. Oi Amanda, tudo bem?
    Eu já tinha ouvido falar brevemente sobre esse livro, mas não sabia do que se tratava de fato. Fiquei bem feliz em ver que ele trás uma história marcante e bonita, que nos faz refletir. Amei a sua resenha e adorei conhecer o livro, com toda certeza eu darei uma chance a ele logo que tiver uma oportunidade. Adorei a sua resenha!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  23. oie!
    Eu já tinha visto esse livro, mas ainda não o li. Confesso que nem todos os livros do gênero me agradam, sempre fico sem entender o que o autor quer transmitir na narrativa. Mas quem sabe mais para frente eu faça uma leitura desse livro.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  24. Oiee, tudo bom?
    Olha, sua resenha deu um quê inspirador. Mas não curto muito esse tipo de história, que envolve religião e tal. Acredito que se acontecesse comigo eu ia morrer de medo. Nunca tinha visto o livro e nem nada sobre.
    Beijos

    ResponderExcluir