31 outubro 2015

Resenha - Vinte Mil Pedras no Caminho




Fabian Nacer, brasileiro de classe média, ex-usuário de crack. Usou todo tipo de droga pesada, durante mais de vinte anos. Atingiu o fundo do poço quando foi morar na Cracolândia, nos anos 1990. Foram seis anos de rua, consumindo crack sem parar. Fabian estima ter fumado 20 mil pedras de crack. Dormia num bueiro. Chegou a pesar menos de 40 quilos. Foi internado 25 vezes. Convivia diariamente com a violência, a prostituição e a miséria a céu aberto, na maior metrópole do país. Sobreviveu por um milagre. Até hoje não entende como seu cérebro não fritou. Em parceria com o jornalista Jorge Tarquini (responsável por dar vida ao best-seller 'O doce veneno do escorpião - Bruna Surfistinha'), Fabian conta com exclusividade a sua história, pontuada por muitas polêmicas e revelações chocantes. Hoje, Fabian é um dos maiores nomes do país no estudo e prática das políticas de reabilitação.


Livro: Vinte Mil Pedras no Caminho
373 páginas || Skoob || Cortesia: Geração Editorial || Onde Comprar








Antes de tudo, vou falar a parte mais importante: essa história é verdadeira. Fabian Nacer cresceu em uma família conturbada, seus pais se separaram quando ele era apenas um bebê e até os treze anos ele viveu com sua mãe, seu padrasto e o irmão mais novo. Na época, a mãe e o padrasto participavam de um centro de umbanda que acontecia em sua própria casa, então logo cedo Fabian teve contato e começou e aprender o que era a macumba.

A mãe e o padrasto viviam em pé de guerra, estavam sempre brigando e quando faziam as pazes começavam cenas mais quentes na frente das crianças mesmo, eles nem se davam ao trabalho de não mostrar isso aos filhos. Até que se separaram e a mãe não teve mais condições de criar os filhos, que então foram morar com o pai. Morando com o pai, a madrasta e dois meio-irmãos. Fabian e o irmão começaram a ter uma vida mais "família", o pai se importava com eles e sempre tentava fazer o melhor para ter uma educação boa.

Desde muito cedo, Fabian fazia sucesso no meio dos amigos. Ele era muito cobiçado pelas meninas e todos queriam estar perto dele sempre, até que ele conheceu alguns amigos que lhe ofereceram a maconha. Já que a maconha não é tão forte, ele resolveu experimentar a primeira de muitas. Fabian entrou para o mundo das bebidas, da maconha e logo depois começou com a cocaína para depois ir para o LSD e o crack.

"Passados tantos anos, me pergunto: por que entrei nas drogas? Pelo assédio? Pela curiosidade? Pela vontade de pertencer? Pelo prazer que a droga me apresentou?"

Resultado: Fabian começou a roubar de casa para conseguir dinheiro para sustentar o vício, os pais não aguentavam mais serem roubados, até que ele decidiu que iria embora do Brasil. Ele iria para os Estados Unidos para tentar se livrar do vício e realizar um sonho que tinha desde criança: ser piloto de avião. Por um tempo funcionou, ele começou a aprender a pilotar, foi qualificando o seu inglês, arrumou um trabalho. Mas as coisas começaram a ir por água abaixo quando teve uma de muitas das recaídas.

Fabian voltou para o Brasil e viveu nas ruas por seis anos pedindo esmolas nas sinaleiras, sua família sempre tentando ajudar para que ele saísse dessa vida. Ele foi internado por vinte e cinco vezes, fugiu das clínicas mais de vinte vezes para só nas últimas começar a dar esperança. Foram vinte e dois anos de vício, doze quilos de maconha, dez quilos de cocaína, vinte mil pedras de crack, duzentas e cinquenta LSD's, incontáveis heroínas, lança e cogumelos.

''Vinte Mil Pedras no Caminho'' conta uma história de vida trágica e triste, mostra o quanto uma pessoa pode entrar no fundo do poço e ir cada vez mais fundo. Mas acima de tudo, mostra a força de vontade para sair de uma vida de vícios, recomeçar do zero. Fabian conta com uma linguagem simples a sua história, pelos seus olhos o leitor consegue ver um homem vivendo nas ruas de São Paulo, passando por coisas terríveis só para sustentar um vício. Fabian sempre foi manipulador, ele deixa bem claro a quantidade de vezes que manipulou e enganou seus pais. Desde cedo ele manipulava com conversinhas para ganhar o que queria, seja roupas novas e caras até uma moto. Ele conta que nas ruas usava o mesmo truque para ganhar dinheiro, ele era contra o roubo, então o que sobrava era manipular e enganar as pessoas para dar-lhe dinheiro.

"Dependente químico não se aguenta. Essa é a verdade. Dependente químico é um cara que sofre de autopiedade. Só que também é um manipulador, um mentiroso. É inimigo dele mesmo, pois tem um ego completamente destruído, um ego doente."


Assim como todo viciado tem um motivo para entrar no mundo das drogas, normalmente eles vêm de famílias desestruturaras, ou apanhavam e sofriam muito quando eram crianças, não tinham pais amorosos e presentes. Apesar de Fabian ter os pais separados, no começo é muito visível o quanto a mãe errou com os filhos, talvez por isso Fabian culpe ela pela vida que ele levou, mas depois ela se converteu a Deus e tentou fazer de tudo para compensar o tempo perdido com o filho. O pai dele sempre fez de tudo para ajudar, deu uma vida boa e tranquila. Aparentemente Fabian não tinha motivos para entrar nesse mundo, apenas aconteceu e ficou nela por muito tempo.

Esse é um livro excepcional, acredito que deve ser lido por todos. Porque além de contar a história real de um ex-morador de rua e sobre um assunto importante que é o vício de drogas, o livro é um ensinamento. No final ele conseguiu arrancar lágrimas de mim, é um livro duro e pesado, o tempo todo fazendo o leitor refletir sobre a vida, como tudo pode cair em apenas alguns segundos e sem saber se terá um recomeço.

15 comentários:

  1. Olá, Kétrin.
    Eu geralmente não gosto de livros com histórias reais. Prefiro ler ficção. Mas mesmo tendo um empecilho que é a parte que envolve religião lá no começo, achei a história dele muito interessante e se der eu vou ler esse livro. São de mais histórias assim que precisamos.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  2. Oi Kétrin, estou bastante curiosa por esse livro. Gosto de histórias com relatos reais e é sempre enriquecedor conhecer o outro lado de uma pessoas que vai para essa vida. Sem julgamentos, somente para entender a percepção que ele teve para permanecer tanto tempo nesse caminho.
    Adorei a resenha.
    Bjim!

    Tammy
    Livreando | Facebook

    ResponderExcluir
  3. Oi Ketrin!
    Não se faria a leitura desse livro... acredito que quando começar a conhecer sobre o vício dele, e tudo o que passou, vou sofrer muito e vou acabar trazendo isso para o meu dia a dia....
    Gostei muito da sua resenha, apenas o livro que não me chamou a atenção...
    Bjks!
    http://www.historias-semfim.com/

    ResponderExcluir
  4. Parece ser um livro muito emocionante, com certeza vou querer ler um dia. Gosto muito de estórias reais e essa parece ser bem tensa. Bjs

    ResponderExcluir
  5. Oi Kétrin,
    O livro me pareceu bem forte mesmo, mas é a realidade de muitas pessoas. Não conheço uma só pessoa que não tenha um caso familiar de drogas, muitos não vão longe a ponto de se tornarem viciados e roubar para usar. É difícil, pois como há muitas pessoas que conseguem seguir pelos bons caminhos, sempre há os que desviam e caem nessa, mesmo sabendo que é errado. Fiquei curiosa com a obra....e feliz de saber que ele se recuperou.

    Bela resenha....beijos elis
    http://amagiareal.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá! Apesar de não gostar muito de livros assim, acho que a leitura desse é válida. Histórias de superações reais são sempre bem vindas. mostram que quando queremos, podemos mudar a nossa realidade! Beijos!
    http://livrosepergaminhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olá,
    nossa que história, esse livro deve ser uma grande lição de vida. Realmente as drogas podem acabar com uma pessoa e a levar ao fim dopoço, infelizmente são poucos os que conseguem se reerguer depois disso. Bjus!!!
    http://www.lendoaestante.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Oiee ^^
    Por mais que eu goste de histórias fortes e reais, não sei se leria esse livro, ou, pelo menos, não sei se o leria agora. Parece ser interessante, mas a premissa não me chama a atenção, e eu não sei por quê. Fico feliz que você tenha gostado :)
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Olá! Já li Christiane F que também aborda esses temas e Garota Interrompida, são livros que gostei bastante e também recomendo. Até sua resenha não conhecia esse título, já anotei e pretendo lê-lo futuramente, seu comentários me deixaram bastante curiosa.

    beijos e boas leituras!

    ResponderExcluir
  10. Ooi,
    Não conhecia esse livro, nunca tinha visto, mas apesar de ser uma história forte e real acho que não leria no momento, não estou, muito no clima para coisas tão fortes.

    ResponderExcluir
  11. Oláá
    Parece ser uma leitura bem interessante e válida, não sei se leria por agora mas despertou minha curiosidade e sua resenha está ótima

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. É uma história muito triste, fiquei bastante comovida. É o tipo de livro que não podemos ler em fases mais tristes da nossa vida. Gostei muito da tua resenha, parabéns! Beijos!
    http://leituras-compartilhadas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi Kétrin, sua linda, tudo bem
    Acho esse livro perfeito para ser usado como material didático nas escolas. Os jovens precisam ter contato com histórias reais, para saber no que a vida deles pode se transformar se escolherem esse caminho. Espero de coração que ele e todos os outros, que possuem histórias similares, consigam sair dessa vida. Gostei muito da sua resenha.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi Kétrin, tudo bem?

    Nossa, sua resenha ficou excelente. Imagino que seja um livro bem difícil de ser lido (não faz muito meu estilo, mas me interessou). Ver o quanto as drogas podem acabar com a vida de uma pessoa, mudando não só fisicamente, mas toda a sua personalidade... mas acima de tudo, mostra a vontade de se recuperar, se livrar do vício. Espero que ele tenha conseguido se recuperar e não venha a mais ter recaídas. Vou procurar o livro para ler em algum momento.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  15. Oi, flor.
    Eu fiquei bastante sensibilizada com a história do autor. Infelizmente, as pessoas não levam a sério o uso da maconha e querem até sua legalização. Acho o cúmulo. A maconha pode ser uma porta de entrada para outras drogas. Por ser um depressor, age de um modo a levar o usuário a se sentir relaxado, despreocupado… Daí ao uso de uma droga mais pesada é um passo. Afinal, onde se obtém maconha pode se obter outras drogas. Enfim, é triste ver o quão fundo uma pessoa pode cair. Anotei a dica de leitura.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir