12 outubro 2015

Resenha - Nós





Certa noite, Douglas Petersen, um bioquímico de 54 anos apaixonado pela profissão, por organização e limpeza, é acordado por Connie, sua esposa há 25 anos, e ela lhe diz que quer o divórcio.
O momento não poderia ser pior. Com o objetivo de estimular os talentos artísticos do filho, Albie, que acabou de entrar para a faculdade de fotografia, Connie planejou uma viagem de um mês pela Europa, uma chance de conhecerem em família as grandes obras de arte do continente. Ela imagina se não seria o caso de desistirem da viagem. Douglas, porém, está secretamente convencido de que as férias vão reacender o romance no casamento e, quem sabe, também fortalecer os laços entre ele e o filho.
Com uma narrativa que intercala a odisseia da família pela Europa — das ruas de Amsterdã aos famosos museus de Paris, dos cafés de Veneza às praias da Barcelona — com flashbacks que revelam como Douglas e Connie se conheceram, se apaixonaram, superaram as dificuldades e, enfim, iniciaram a queda rumo ao fim do casamento, Nós é, acima de tudo, uma irresistível reflexão sobre a meia-idade, a criação dos filhos e sobre como sanar os danos que o tempo provoca nos relacionamentos. Sensível e divertido, com a sagacidade e a inteligência dos outros livros do autor, o romance analisa a intrincada relação entre razão e emoção.


Livro: NÓS
384 Páginas || Skoob || Editora: Intrínseca || Onde Comprar









Nós, que amamos incondicionalmente. Nós, que nos doamos sem pedir nada em troca. Nós, que ignoramos o sentimento do outro, que achamos saber qual o melhor a se fazer, mesmo sem esperar a opinião necessária. Nós, que pensamos ser tudo perfeito. Nós, que achamos que os fatos são imutáveis, nós que não admitimos perder, que não aceitamos falhar, que não aceitamos sermos contrariados. Nós, tão humanos, tão cheios de erros, tão surpreendidos quando tudo não sai como esperávamos, nós tão prontos para quebras e reconstruções. Nós, um único nós vivendo uma vida de relacionamento e de amor. Em nós há tantas palavras não ditas, tantos silêncios construídos, em nós há um milhão de nuances para que possamos nos manter de pé.

"- Pensei... Isso nunca passou pela minha cabeça... Sempre imaginei... - Exausto, eu estava tendo alguma dificuldade para me expressar. - Sempre tive a impressão de que estávamos juntos porque queríamos estar juntos, e porque éramos felizes a maior parte do tempo. Eu pensava que nós nos amávamos. Eu pensava... Evidentemente eu estava enganado, mas estava ansioso para envelhecermos juntos. Eu e você, envelhecermos e morrermos juntos."

Douglas e Connie são casados há vinte e cinco anos quando em uma madrugada ela acorda o marido e lhe diz, como se já tivesse decidido há muito tempo que não quer mais viver junto com ele. O marido, espantado, tenta entender o que levou a esposa àquela decisão aparentemente tão inusitada e se sente perdido, pois ama a mulher e não quer e não pode se imaginar longe dela. Porém, com uma viagem marcada pela Europa há algum tempo, a fim de que o filho de dezessete anos do casal, Albie,  conheça museus e outros lugares que os pais consideram importantes, eles resolvem manter os planos como uma viagem de despedida para eles mesmos e para o filho.


"- Eu lhe direi quando for a última vez. Tocarei um sino. Vestirei uma mortalha e tocaremos uma lenta marcha fúnebre. - Nós nos beijamos. - Prometo que, quando for a última vez, você saberá."


Durante a viagem, tudo o que Douglas esperava não se concretiza. A relação com o filho, Albie, que sempre fora complicada continua se mantendo da mesma forma, as tentativas de concertar o casamento e mudar a opinião de Connie não são bem sucedidas e o bioquímico se vê em uma onda sufocante de tentativas a fim de concertar seus erros.

Ao mesmo tempo, Douglas e Connie, enquanto viajam,  reúnem uma centena de lembranças de suas viagens do início do casamento, de sua lua de mel, dos tempos em que foram muito felizes e ao mesmo tempo tristes com os acontecimentos da vida. Passam por hotéis onde estiveram juntos, monumentos e museus e em cada um deles reencontram uma parte antiga de si e percebem tudo o que mudou.

"Mas o problema de viver o momento é que o momento passa. O impulso e a espontaneidade não levam em conta o longo prazo, as responsabilidades e obrigações, dívidas a pagar, promessas a cumprir. Eu perdera de vista as pessoas com quem me importava e era vital que, mais uma vez, eu voltasse a atenção para a tarefa que tinha em mãos, resgatando meu filho e reconquistando minha mulher."

Nessa saga de tentativa, redescobrimento e dor, Douglas é capaz de aprender muito sobre si e sobre os que o cercam. Sobre nem sempre estar certo, saber pedir perdão e sobre aceitar aquilo que não se pode mudar.


[-Minhas Impressões-]

Minha primeira observação é que eu acho bastante difícil resenhar um livro do qual não gostei. Tenho aquela vontade de simplesmente apresentar todos os pontos que me fizeram odiar, mas ao mesmo tempo também algo me chama e me faz perceber que preciso apresentar para os leitores os pontos bons da história que também existem, pois nem todos terão a mesma opinião que a minha.

O livro, com o título Nós, ilustra muito em uma única palavra. Ele fala sobre o Nós como casal, como pai e filho, sobre quando passamos a ter de pensar em alguém não perdendo nossa própria individualidade, é uma pequena palavra com uma dezena de significados durante a história, é como um suspiro final cansado, nós... e não havia uma melhor escolha de título.

A história é dividida em 180 capítulos bastante curtos e em nove partes. O tamanho reduzido de cada capítulo é um dos primeiros fatores que me atrapalhou, pois cada vez que eu começava a me encaixar e me sentir confortável com o capítulo e o fato que estava sendo contado vinha um novo, com algo diferente. E a história acabou tornando-se muito extensa, podendo ser reduzida pela metade que creio que o conteúdo não seria perdido.

Além de ser dividido em vários capítulos, o livro também viaja entre o passado e o presente, o que é um ponto muito bom da obra, nos possibilitando conhecer como começou o casamento e como terminou, o antes e o depois, uma comparação de erros e acertos.

Já os personagens Douglas, Connie e Albie acabaram não se tornando tão cativantes para mim. Douglas é um homem que é meticuloso e objetivo, seguindo roteiros pré-estabelecidos e não lidando muito bem com os imprevistos e as coisas naturais que surgem pelo caminho. Enquanto no início do casamento ele fazia de tudo para mudar pela esposa, depois ele jamais mudava algo pelo filho. Connie é uma mulher que eu classificaria como esqueceu de crescer. Enquanto Douglas é rígido e poderia ser um pouco mais flexível, ela poderia se tornar mais rígida, pois em certos momentos se sente uma adolescente perto do filho desejando ir com ele a bares e festas. Albie é o filho e talvez quem mais me gerou uma pequena afinidade. Ele é um adolescente, com todas as crises e dúvidas características dessa idade e tentando agradar um pai que ele imagina que sempre o odiou, e sendo então carente e aproveitando o máximo de amor que a mãe tem a lhe dar. Albie é um alguém perdido em meio ao turbilhão do casamento dos pais.

Gostei bastante das descrições dos lugares por onde os personagens passaram, principalmente da Itália, que é um lugar que me deixa muito interessada por si só e pelos olhos pensativos de Douglas ficou muito fascinante.

A narração é em primeira pessoa o que também foi bastante interessante a medida que podemos conhecer profundamente todos os anseios de Douglas e sua saga tentando mudar os acontecimentos, mas ao mesmo tempo fiquei bastante curiosa para ver um livro com o ponto de vista de Connie e Albie, saber como eles se sentiam e poder presenciar a diferença de pensamento e entendimento de um para o outro.

Confesso que o final foi bastante original, sem qualquer clichê e gostei dele. Talvez minhas duas estrelas apenas tenham sido bastante rígidas, mas na reunião de todos os fatos não consegui chegar a uma nota maior. O mais apropriado aqui seria 2,5 estrelas.

Recomendo para todos aqueles que gostam de um livro que mexe com a sensibilidade, nos faz pensar em nós mesmos e em nossa situação. E para aqueles que gostam de histórias com fatos, sem tanta ação.


54 comentários:

  1. Oiee,
    Pera, um livro com pouco mais de 380 páginas com 180 capítulos, oi? Ok o autor tem dessas coisas, porque Um Dia também tem disso.
    Eu ainda não li Nós, vejo que as resenhas do livro são bem dividas entre gostar e não gostar. Acredito ser um livro bem especifico mesmo.
    Tenho curiosidade em ler, apesar de ter odiado o final de Um Dia...

    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, achei uma divisão bem chata. Não sei especificar, mas se a gente for dividir daria umas duas páginas para cada capítulo, claro que uns são maiores e outros menores.
      Ainda não li Um dia, espero que minha experiência com ele seja um pouco melhor. E espero que você possa gostar da leitura de nós mais do que eu, eheh.

      Excluir
  2. Oi linda,

    Sabe o que é engraçado? Eu indiquei David Nicholls nos meus comentários no meu blog(Eu, Alex Cross) justamente por causa da leveza.

    Eu sou apaixonada por Nicholls e sua escrita, mas Nós é o livro mais criticado dele. Ainda não o li, então não sei bem o que dizer. Entretanto, se esse for seu primeiro livro dele, pode ser que goste de Um Dia e Resposta Certa que são hilários, doces e trágicos e são a marca registrada de David na Literatura.

    Vou ler Nós!

    Gostei de sua resenha e achei super positivo sua sinceridade em relação aos erros do livro. Tem livros com 80 páginas que passam sua mensagem de forma divina enquanto livros com 800 não conseguem.

    Beijos

    poesiaqueencantavida.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, fico feliz que você tenha gostado da resenha, mesmo com as minhas críticas.
      Espero que ele funcione melhor para você, e já ouvi de muitos que leram Um dia e Nós que ambos são muito diferentes, então agora minha próxima tentativa será Um dia.

      Excluir
  3. Oi, Tamara, tudo bem?
    Enquanto você não gostou das capítulos pequenos, afirmo que talvez isso fosse o que mais me atrairia nele. Essa coisa de uma mãe não se por no seu lugar de mãe e querer agir como filho sempre me irrita.
    Douglas parece ser um grosso, tapado. Já não gostei dele. Mas gostei do desenvolver da história e de tudo o que você falou sobre ela. Adorei saber que os lugares por onde a família passa são bem detalhados.
    Gostei demais da sua resenha, sério! Mesmo que você não tenha gostado da história e só tenha dado a nota que deu mais pelo final que pela história inteira, eu fiquei bem curiosa para saber o que aconteceu.
    Beijos,
    http://www.entreleitores.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, Jessica. Fico feliz por ter conseguido passar a essência da história, mesmo que não gostei. É importante passar o bom do livro também.
      É, os personagens são tremendamente irritantes, mas vale a pena conferir.
      espero que você goste da história, e fico feliz que gostou da resenha.

      Excluir
  4. Olá!

    Parabéns pela sinceridade ao escrever sua resenha. Já tentei ler David Nichols, mas não dá. A escrita dele não me convence. Esse eu não leria, ainda mais porque vejo que não sou só eu que não aprecia a escrita dele.

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie.
      Pois é, Nichols parece ser do tipo "Me ame ou me odeie". Eu ainda quero ter mais uma experiência com ele, para garantir, mas não sei como ela será.

      Excluir
  5. Que pena que você não gostou do livro, é bem chato mesmo, já passei por isto de ter que resenhar um livro que não gostei. Achei bem legal o passeio por locais 'de arte', era o que me chamava a atenção nele, mas realmente, pelo menos pela sinopse, o que o livro passava era uma estória sem futuro, um amontoado de coisas.
    Acho que vou tentar ler, para conhecer o bioquímico, vamos ver.

    www.poyozodance.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, Dani. Assim que eu vi o lançamento a sinopse me deixou super interessada, mas a medida que conhecidos foram lendo e falando que era péssimo, já comecei ele com um pé atrás e foi o que me falaram. Mas vale a pena conhecer o bioquímico, nem que seja para ele ir para a lista de personagens tapados, aahaa. Boa leitura.

      Excluir
  6. Oi, estou com muita vontade de ler o livro, pois é de um autor que gosto muito, mas sua resenha me fez ficar com um pé atras com o livro, já li várias resenhas negativas sobre o livro, mas ainda tenho esperança de gostar dele.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie. Já encontrei bastante gente falando mal, mas li também resenhas super positivas de gente que amou. Acho que realmente vale a pena conferir.

      Excluir
  7. Eu particularmente não gosto da escrita desse autor. Geralmente ele traz um bom conteúdo mas sem proximidade e profundidade. "Nós" realmente parece ter um enredo interessante, mas não leria pelo simples fato de talvez não criar uma conexão com a história como aconteceu em "Um Dia". Quem sabe um outro tempo eu dê essa oportunidade.
    Bjim!

    Tammy
    Livreando | Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie. Então, eu não vi tanto problema assim na escrita dele, mas senti tédio, muito tédio. A todo tempo pedia para que acabasse logo.
      Um dia parece ter um tema que me interessa, vamos ver se conseguirei ficar presa por ele.

      Excluir
  8. Olá, Tamara.
    Eu não conhecia esse livro ainda. E estava toda empolgada, achando que o livro era ótimo, mas depois de ler suas impressões, me desanimei hehe. Mas ainda assim se tiver a oportunidade, lerei porque fiquei curiosa com esse final que você citou. E assustei agora com o tanto de capítulos hehe.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie. Pois é, esses capítulos.. ficaram bem esquisitos. Não sei se nos outros livros ele conduz dessa forma.
      Até nem ligo para o tamanho, se o livro me prender o que não foi esse caso.
      Boa leitura e espero que possa gostar um pouquinho mais do que eu gostei ee.

      Excluir
  9. Oi, Tamara!
    Eu não conhecia o livro, mas já um outro livro do autor e não gostei muito do jeito como ele conduz a história, o estilo do autor não me agrada. Então esse é um dos autores que não tenho vontade de ler novamente. :)

    Beijos,

    Rafa [ blog - Fascinada por Histórias]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie.
      Quando a primeira experiência com o autor é ruim a gente não tem vontade de ler novamente, né?
      Eu lerei um dia por causa do tanto de elogios que sempre ouvi. Mas já começarei com um pé atrás.
      Qual foi o que você leu?

      Excluir
  10. Menina que resenha maravilhosa foi essa, preciso urgentemente ler esse livro.
    Quero muito ler esse livro apesar de não ter gostado de Um dia do mesmo autor.
    Beijo
    http://www.livricios.com/2015/10/resenhas-ferias-infernais.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie. Fico feliz que tenha gostado da resenha e o livro tenha interessado você. Espero que possa gostar da leitura.

      Excluir
  11. Oi, tudo bem?
    Acho que não seria um livro que eu fosse gostar. Como fala sobre final de uma relação eu acabaria por ficar deprimida e não gosto de livros assim. Além disso, o primeiro contacto que tive com esse autor tmb não foi bom - tentei ler Um Dia, mas não consegui passar dos primeiros capítulos.
    Beijo~
    www.fofocas-literarias.blogspot.pt

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse autor é assustador. Só nesses comentários já vi tantas críticas a um dia que não estou mais tendo certeza se será uma boa ideia tentar lê-lo, risos.

      Excluir
  12. Oiii!

    Eu tô com um livro do autor aqui mas não consegui ler ainda. Acho que é um defeito dele, esse monte de capitulos curtos. Eu particularmente gosto, mas quando há uma linha, não quando são temas diferentes ><
    Todas as resenhas que já li para o livro foram negativas e é realmente dificil fazer uma resenha positivaquando a obra não nos atrai não é mesmo?
    Enfim, gostei da sua sinceridade e não vou adicionar na lista!


    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito difícil escrever sobre um livro que não gostamos, mas fico feliz que todos estão achando que passei minha impressão de uma forma legal.
      Pena não ter acontecido química com o autor, mas acontece, é impossível gostarmos de tudoo.

      Excluir
  13. Oie.
    Li apenas Um Dia e não sei se vou ler outras obras do David. O primeiro me deixou engasgada e a forma como ele escreve não me cativa muito e depois de ver apenas duas estrelinhas aí foi que fiquei mais pé atrás também.
    Parabéns pela resenha

    Beijos
    Amor Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, fico feliz que gostou da resenha. Identificando certo problema no David e com medo de ler outras obras, ee.

      Excluir
  14. Olá

    Fiquei curiosa pra ler, livros que falam de relacionamentos como nesse livro,eles na maioria das vezes são difíceis de ler e de dar sua opinião sobre eles,não sei porque,mas tive a impressão que a leitura do livro lembra Come,rezar e amar, quando comecei a ler a resenha lembrei desse livro,vou tentar ler depois.

    Bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, nunca li comer, Rezar e amar, mas livros de relacionamentos são difíceis mesmo.
      Espero que goste da leitura.

      Excluir
  15. Olá Tamara,
    Esse livo também não funcionou pra mim. Acho que esperei demais dele.
    Gostei bastante do Douglas e também acho que poderia ser mais flexível ao passo que a Connie podia ser mais madura e rígida, entretanto, não gostei do Albie, achei um menino extremamente mimado, arrogante e cheio de si. Achei sua resenha muito pertinente e gostei da sua opinião, pois me fez ver com outros olhos alguns pontos.
    Beijos
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie
      Que bom encontrar alguém que já leu e que não gostou tanto, não sou a única, risos.
      Pois é, acredito que toda a família poderia ser um pouco diferente.
      O que mais me irritou no Douglas foi o passado, quando ele e Connie eram jovens e parecia que ele mudava tudo, só por causa dela e ela não cedia tanto, e isso norteou o casamento deles.
      Fico feliz por ter gostado da resenha.

      Excluir
  16. Eu comecei a ler esse livro. E parei mais ou menos na metade. Não sei por que eu não dei continuidade na leitura pois o livro é muito bom. Mas vou voltar a ler em uma outra oportunidade. A história parecia ser muito real.
    Bjss

    http://livrosemarshmallows.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie. Que bacana que você estava gostadndo. Acho que se gostou do começo vai gostar do resto, pois não vai ter tantas alterações assim no estilo do livro.
      Boa continuação de leitura.

      Excluir
  17. Não conhecia o livro, mas também de primeira assim não sei se leria. Eu acho que é complicado quando lemos algo que tem potencial, mas que não desenvolve, não cativa e não agrada. Não adianta apresentar um final bom e original se a construção não foi feita de forma adequada. Parabéns pela resenha sincera, apontando os pontos negativos e positivos. :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, um final bom não compensa um livro inteiro ruim. É bom quando é tudo interessante.
      Fico feliz por ter gostado da resenha.

      Excluir
  18. Eu tenho muita vontade de ler esse livro, até cogitei comprá-lo na Bienal mas eu não sei ao certo mas bate uma preguiça. Deve ser porque eu me arrastei lendo um dia porque eu fiquei perdida em algumas partes, rs. Mas é só ele ficar em promoção que eu vou comprar e devorar haha
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aha, mais uma opinião um pouco negativa sobre um dia.
      David Nicholls parece levantar bastante dúvidas, risos.
      Mas espero que você goste do "Nós".
      Boa leitura.

      Excluir
  19. Oi Tamara, parabéns pela sua resenha! Eu tenho muita vontade de ler esse livro, eu gosto do gênero e ainda melhor se mexe com os sentimentos. Parece um livro bom, ainda quero ler para ver que nota dou a ele :D

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee.
      Que ótimo que você gostou da resenha.
      Espero que goste da leitura, e depois quero saber sua opinião. :)

      Excluir
  20. Oie flor.
    Eu amei sua introdução da resenha.
    A premissa do livro é interessante, mas parece ser daqueles livros que precisamos ler com calma, no tempo dele para não tornar uma leitura chata e arrastada. Eu não tenho boa experiencia com o David, comecei a ler UM DIA e nem consegui terminar de tão parado que o livro é. Mas enfim;.
    Tenho que te dar os parabéns, pois você não curtiu muito o livro, mas não o criticou negativamente, destacou todos os seus pontos positivos e para falar a verdade esses pontos me convenceram a lê-lo e a dar uma segunda chance ao David.
    Amei sua resenha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Tati!
      Fico super feliz por você ter gostado da resenha, adoro suas opiniões por aqui.
      Que pena que um dia não funcionou para você. E realmente, esse livro deveria ter sido lido devagar, mas o probllema é que se eu deixasse ele de lado um pouquinho nunca mais ia querer retomar, risos, só continuei para resenhar por aqui.
      Espero que goste da leitura de "Nós".

      Excluir
  21. Oi Tamara!
    Flor esse autor é muito famoso pela UM Dia, essa obra que vc apresentou na resenha, eu nem conhecia, Nós, parece muito parado para mim, já tenho vários problemas com os livros estilo Nicholas S, e esse me parece no estilo, achei que vc foi bem rígida na nota, mas opinião é opinião e nós blogueiros sabemos como é complicado!
    Beijos
    Paulinha Juliana
    Overdose Literária - http://overdoselite.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie.
      Acho bem diferente de Sparks.
      E realmente, pensei bastante sobre a nota, mas quando a gente realmente não gosta de um livro fica difícil de dar uma nota alta, seria injustiça dar uma nota três, que é igual a que dou para vários livros que gosto. Em fim.
      Que pena que não chamou sua atenção.

      Excluir
  22. Olá
    Tudo bem?
    E uma Pena Você não ter gostado do livro, acredito que não existe nada mais chato do isso!
    as vezes estamos com uma expectativa tão grande e derre pente, o livro se torna uma droga a gente não sabe o que fazer ficamos completamente perdidos, ainda pessoas como nos que apreciamos a leitura o desgosto e maior! o livro não me atraiu na verdade, acho que mesmo se fosse realmente bom eu Não leria não faz meu tipo, geralmente Historia simples que possui ao meio monótono precisa ter algo que realmente nos chame atenção, eu tenho azar que maioria dos livros curtos que leio não são bons HAHAHAHA
    O QUE E UMA PENA! mas enfim adorei sua Resenha minha linda.
    Beijos até a Próxima.
    http://resenhaatual.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie.
      Fico super feliz por você ter gostado da resenha.
      Verdade, é difícil mesmo quando a gente tem expectativas, e eu tinha em relação a esse, mas acontece infelizmente, risos.
      Eu uma época fui super preconceituosa com livros curtos, achava que eles não dariam conta de passar tudo, mas percebi que não importa muito o tamanho. Enquanto Alguns são grandes e poderiam ser diminuídos, alguns são pequenos e dão conta, ou poderiam ser maiores.

      Excluir
  23. Oi Tâmara sua linda, tudo bem
    Primeiro preciso dizer: gostei muito da sua postura, apesar de não ter se conectado com a leitura, você resenhou muito bem, expôs a historia e seus pontos positivos, apenas não era para você. Já li alguns comentários positivos e outros negativos sobre esse livro o que me deixou em dúvida, sinceramente não sei se leria.
    Beijinhos.
    Cila.

    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Cila!
      Que bom que eu consegui não envolver tanto minha opinião pessoal. Fiquei super preocupada em relação a isso quando estava escrevendo a resenha. Gosto de apresentar os pontos para que as pessoas possam saber se iriam gostar ou não.
      Pena que não te chamou atenção. :*

      Excluir
  24. Eu iria gostar bastante só pelo fato do livro ter uma boa descrição, porém realmente é chato ter muitos capítulos pequenos também me sinto assim como você, quanto do me sentido confortável no capítulo ele acaba. Acho também que em um livro que tem mais de um personagem vale a pena a aprofundamento nos outros personagens.
    Esse livro não chamou muita a minha atenção.
    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena que não chamou sua atenção.
      Realmente, primeira pessoa é legal, mas as vezes fica muito centrado em um só personagem e isso acaba não dando um bom resultado.

      Excluir
  25. Olá.
    Tudo bom?
    É difícil realmente fazer uma resenha negativa, pois a vontade é só falar mal, mas sinceridade, mesmo você apresentando todos os pontos, não me interessei pela história e passarei longe desse livro.
    Adorei sua sinceridade.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, que bom que consegui transmitir na resenha o que eu senti.
      Pena que não te interessou, mas é assim mesmo, nem todos nos interessam, eehe.

      Excluir
  26. Oii, tudo bem?
    Eu confesso que fiquei bem curiosa em relação ao livro quando ele foi lançado, mas as resenhas que estão saindo me desanimaram um pouco, e pelo que que estou vendo, acredito que não iria gostar do livro :(

    www.fonte-da-leitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também senti a mesma animação que você, pena que acabou não fluindo a minha leitura.

      Excluir
  27. Confesso que fiquei bem confusa em relação a divisão de páginas com os capitulos. Amo livros que tem capitulos curtos, mas assim já é demais kkk. Nunca me senti curiosa em relação a esta obra, até porque já li Um dia e não me cativou. Mas mesmo assim irei dar uma chance e ver se minha impressão é diferente.
    Beijos ^^

    ResponderExcluir
  28. Eu ainda tentaria ler esse livro, prometo que se um dia eu chegar a lê-lo e odia-lo, viria aqui dizer, Voce tinha razão...kkkk
    Mas parece que a historia seria do meu interesse!

    Parabéns pela sinceridade!

    Beijos

    devoreumlivroeoufilme.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir