15 junho 2015

Resenha - O segredo de Indie






O que você faria para se encaixar em padrões estabelecidos?
Mais do que qualquer outra coisa, Indigo Russell anseia para se encaixar. E se ela não pode fazer isso, então ela vai se contentar em esconder-se no fundo, o que ela conseguiu fazer muito bem ao longo dos últimos anos. Para a maioria de seu colégio, o Ridgemont High, ela é apenas mais uma adolescente andando pelos corredores, rabiscando em seu caderno durante a aula, sem nunca levantar a mão. Um aluno médio. Isso é o que ela gostaria que você pensasse. Mas Indie não é média; ela é diferente. Ela tem visões, e visões que lhe permitem ver o futuro. Somente sua família e sua melhor amiga, Lacey, sabem sobre isso. Mas quando ela vê o namorado de Lacey com outra garota, Indie tem de decidir se passa a confiar em seus instintos ou em suas amigas. Como ela se aproxima de John, um solitário e enigmático garoto, recém-transferido para sua escola, as visões se intensificam, ameaçando não só para alterar a vida dos outros, mas também expor seu segredo tão bem guardado até agora.
                                                               
                                                               Livro: 
O segredo de Indie
                             296 páginas || Skoob || Cortesia: Editora Butterfly || OndeComprar ||


— Você alguma vez já pensou na questão do que somos de verdade e do que adqueirimos vivendo em sociedade? — ele perguntou, em tom formal. — Estamos estudando isso nas aulas de psicologia. É um assunto muito interessante. Será que estamos destinados a ser quem realmente somos? Ou acabamos sendo produto da meneira como fomos criados ou do meio em que vivemos?






Como se não bastasse seu nome ser Índico, sim, o mesmo que a cor, ela ainda tem que ser a estranha da família, ela ainda tem que ser assombrada por fantasmas, e visões que dificultam seu dia a dia e a fazem saber de coisas que não deveria...e não podemos esquecer das vozes em sua cabeça, que insistem em falar com elas nos momentos mais inoportunos, a fazendo de fato parecer louca...mas ela não é, ou é?

Esses estranhos dons, como sua mãe chama já que para ela está mais para maldição, começaram quando ela era pequena ainda, e Indie aprendeu sua lição sobre compartilhar com o mundo suas estranhezas, elas se assustam, vão embora, te negam e então vem a pior parte, o isolamento, a zombaria. Decidida a não deixar isso acontecer outra vez, Indie não compartilha com ninguém além da família suas visões e encontros fantasmagóricos, a não ser com Lacey, sua melhor amiga.

Porém as coisas começam a sair de seu controle quando ela vê o namorado de sua melhor amiga a traindo em uma visão e decide ir atrás dele para impedi-lo de ser tão babaca, as coisas não saem exatamente como o planejado, ela acaba bêbada e falando com John, o cara por quem ela é apaixonada e se esquece de ver se Burke traiu ou não Lacey.

Mas na segunda-feira todos estão comentando sobre isso e Lacey está arrasada, magoada e irritada com Indie, John parece finalmente tê-la percebido e ela descobre que ele tem mais que interesse por pessoas como ela, e seus dons parecem estar mais na ativa do que nunca... Indie terá que escolher entre ser quem ela quer ser ou quem ela está destinada a ser.

— Já lhe disse que acredito na teoria do caos? Todo movimento no mundo gera mudanças e nada é previsível. É tudo questão de matemática, não de sonhos.



Narrado pelo ponto de vista de Indie, temos um acesso enorme a tudo o que lhe acontece e em nenhum momento vi dificuldades para entender seus dons, tudo é bem esclarecido e explicado, de forma fluida e continua, de uma maneira que se entrelaça perfeitamente a história.

Foram poucos os livros que li e que tratam desse tema, mas podem ter certeza que foi a primeira vez que li algo que tratava de todos, visões futuras, sons e cheiros que te trazem informações, falar com os mortos e ainda por cima deduzir coisas sobre as pessoas, só posso me perguntar como a Indie consegue se manter tão calma em alguns momentos, deve ser horrível ser bombardeada com tantas informações a respeito de tantas pessoas!

Mas com certeza o que mais me surpreendeu é que Indie não tem um propósito maior para seus dons - e quando eu digo isso eu quero dizer que ela não tem que salvar o mundo ou algo assim -, o enredo todo é pautado em nosso bom e velho cotidiano, sem monstros, sem um apocalipse iminente, sem grandes dramas e responsabilidades sabe? É isso foi chocante é gratificante ao mesmo tempo.

Chocante pois é incomum um livro apenas tratar de um assunto assim tão gratificante pois...bem o fim explica tudo!

Recomendo a leitura - que é super rápida - para todos que gostem de temas assim, que gostem de mediunidade, que gostem de pessoas dotadas de uma sensibilidade maior ou que apenas queiram saber mais sobre o assunto, pois claro, este livro é sim um romance, mas por mais que ele o seja, ainda não consigo ver ele como o foco da narrativa.

20 comentários:

  1. Oii :)
    Fiquei bem curiosa com esse lançamento da Butterfly *-*
    Achei a história bem diferente e confesso que a sinopse me conquistou ♥
    Quero ler!! Ainda mais você recomendando ♥

    Beijão!!
    http://cupcakedeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Ana.
      A trama é bem diferente mesmo, espero que você goste viu? E que seja uma boa recomendação!!
      Bjokas

      Excluir
  2. Oi Agatha, tudo bem?

    Quando li a sinopse no site da editora, pensei ser um livro com uma história mais densa e foi isso que me impeliu a anotar o nome para lê-lo mais pra frente. Mas depois de ler a sua resenha eu tive a impressão que a história é mais por cima do sobrenatural, bem mais leve e sem muita ação né?

    Não sei se agora eu o leria, fiquei na dúvida. Enfim, curti muito a sua resenha, bem feita e objetiva.

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Simeia, estou bem sim e você?
      A história não é muito densa não viu? Como são adolescentes, acho que tudo fica mais light, porém não tem nada daquele sobrenatural que estamos acostumadas nos outros livros, tem uma linha de pensamento diversificada sabe?
      Obrigada, fico feliz em saber que gostou dela!!
      Bjs

      Excluir
  3. Oi, Agatha! Você acaba de me apresentar três coisas diferentes: um autor, um livro e uma editora. Eu nunca havia ouvido falar de nenhum deles! Eu fiquei com uma vontadezinha de ler o livro, mas tenho a mesma dúvida que a Simeia, que comentou antes de mim: O livro chega a ser superficial?
    Um abraço,
    www.literasutra.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Monalisa.
      Então, a trama não é superficial no sentido de não ter sentido ou se aprofundar, pois tudo é bem explicado, mas os acontecimentos são narrados diferentes daqueles livros com os quais eu estou acostumada, tem profundeza, mas não é nada que lhe deixará nos picos sabe? Não sei se estou sabendo explicar, mas fico feliz que agora você pelo menos conheça os três!
      Bjokas

      Excluir
  4. Amiga primeiramente tenho que confessar que eu nem sabia direito do que o livro se tratava, mas gostei bastante de tudo que você contou sobre a história, pois deu para ter uma ideia e agora me interessei bastante em conhecer, porque me parece ser um livro leve e muito diferente do que estou acostumada a ler. Mas mesmo assim interessante. Espero ler em breve...Quem sabe né? Mas qualquer coisa tu me avisa, já sabe o que gosto de ler hahahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Sil.
      Que bom que você gostou amiga e que se sentiu motivada a ler, espero que goste da leitura pois eu acho que combina contigo.
      Bjinhooos

      Excluir
  5. Oi, flor!
    Confesso que nada sabia sobre o livro além da sinopse e capa, que acho bonita. Gostei de saber que se trata de uma garota com dons sobrenaturais. Mas, poxa, nem um objetivo bacana para tudo isso? Eu não digo "mudar o mundo", esse lance é mesmo clichê e incômodo. Mas assisti a muitos animes e acho incrível quando histórias como Ghost Hunter e Shinrei Tentei Yakumo abordam apenas jovens com dons que os usam até para ganhar dinheiro. Francamente, se eu visse espíritos, no mínimo trabalharia com isso. Hahaha. Por que a cultura oriental não influencia histórias como essa?

    Ensim, apesar disso, concordo com você que o livro é interessante. Mas, infelizmente, não me animei a lê-lo.

    P.S. Recomendo esses animes para você, Agatha!

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Fran.
      Então menina, sim, não há nenhum objetivo como nesses animes e eu adoraria ver alguns livros influenciados pela cultura oriental, seria fantástico pois eles tem costumes e crenças muito ricos, e a dica está anotada!!! Assim que tiver um tempinho extra assistirei, afinal eu sou doida por tudo deles kkk.
      Bjokas

      Excluir
  6. ooi
    A capa do livro é maravilhosa. E pelo que você disse esse livro lembra um pouco da série imortais e A Mediadora. Eu li as duas séries e amo! Adorei a premissa desse e realmente acho que vou muito de ler.
    beijos
    http://mytinybooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie.
      A capa é mesmo linda, que bom que gostou da premissa mas aviso, esse livro mão tem nada que me lembre essas duas séries que eu inclusive já li, a única coisa em comum provavelmente é ver fantasmas, de resto...Bem não crie expectativas, mas espero que goste caso venha a ler!!
      Bjinhos

      Excluir
  7. Oi, tudo joia?
    Então eu não sei nem explicar com palavras o quanto a editora Butterfly me surpreende, a qualidade dos livros deles são sensacionais. Eu estou namorando esse livro a alguns dias, estou morrendo de vontade de ler. Achei a caba muito bonita e muito bem trabalhada,mesmo o gênero sendo um pouco fora do padrão normal que costumo ler estou super curiosa. Ótima resenha;

    Beijos;
    http://intoxicadosporlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Joice.
      Então, eu também me surpreendi, isso é um fato kkk. Espero que a leitura seja gostosa viu?
      Bjs e obrigada.

      Excluir
  8. OI Agatha...
    Vi muitos elogios já da obra, e tenho vontade de ler. Você parece ter gostado da personagem.
    O bom é quando o livro não deixa pontas soltas e conseguimos compreender tudo, com uma ampla visão.
    Gostei da resenha e daria uma chance ao livro.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Leticia.
      Como vai menina? Então, eu gostei e não gostei, estou travando uma batalha épica dentro de mim sobre esse livro, mas ainda sim não deixo de recomendar para quem gosta do gênero, fico feliz que tenha gostado e espero que goste caso venha a ler.
      Bjinhoos

      Excluir
  9. Achei a capa linda! Infelizmente não tenho tempo para ler e nem muita disposição. Estou me acabando em filmes e séries. Mas tenho anotado as suas indicações para em um futuro próximo eu poder ler! haha

    http://anneandcia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oie! Tudo bem?

    Infelizmente, não é a temática que me atrai e apesar da capa ser linda, eu ainda não leria a obra. Mas minha mãe adora esse lance de mediunidade e sensibilidade, pois ela é espírita e adora ler sobre isso. Vou indicar pra ela :)

    Beijos,

    Juliana Garcez | Livros e Flores

    ResponderExcluir
  11. Oi Agatha, tudo bem?
    É muito interessante para mim no momento ler sua resenha desse livro, pois acabei de ler uma resenha completamente negativa sobre ele.
    E dai fiquei na dúvida agora se vale ou não a pena ler e conhecer essa história.
    Apesar de você ter recomendado como uma leitura leve e rápida eu acho que não vou me arriscar já que não curti tanto a premissa do livro!

    Beijo :*
    http://livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  12. Olá! Tudo bem?

    Eu já tinha visto a capa desse livro por aí, mas, nunca tive interesse em saber mais. Na verdade, nem o nome tinha guardado.

    Agora que li sua resenha fiquei surpresa! O livro parece ser ótimo! *O*

    Eu não curto muito isso de dons e tal, mas, achei esse livro em especial bem interessante.

    O que mais me agradou foi o fato de a Indie não ter que ir correndo salvar o mundo, ou algo assim. Como você mesma destacou.

    Eu até consideraria lê-lo, apesar do gênero.

    Beijos e até!

    www.dreamsandbooks.com

    ResponderExcluir