11 junho 2015

Resenha - Cova 312





Menos de dois anos depois de seu surpreendente bestseller de estreia, “Holocausto brasileiro”, Daniela Arbex volta com mais um livro corajoso e revelador. Escrito como um romance, nele se conta a história real de como as Forças Armadas mataram pela tortura um jovem militante politico, sumiram com seu corpo e forjaram um suicídio. Daniela Arbex reconstitui o calvário deste jovem, de seus companheiros e de sua família até sua morte e desaparecimento. E continua investigando até descobrir seu corpo, na anônima Cova 312 que dá título ao livro e ainda apresenta uma revelação bombástica para mudar um capítulo da história do Brasil. Uma história apaixonante, cheia de mistério, poesia, tragédia e sofrimento.





Livro: Cova 312
344 páginas || Skoob || Cortesia: Geração Editorial || Onde Comprar ||








Cova 312 é um livro onde mostra a jornada da repórter Daniela Arbex para derrubar uma farsa sobre um guerrilheiro que sofreu durante a ditadura. A jornalista narra a história de pessoas que passaram e viveram na Penitenciária de Linhares durante o regime militar.

Milton Soares de Castro foi um integrante do primeiro grupo de guerrilha, que teve início na Serra do Caparaó. Esse foi o caso mais importante durante a narrativa, e é com esse acontecimento que a Daniela começa a sua jornada, pois a sua morte foi um mistério das mais bem guardadas durante essa época. Milton foi encontrado morto, e de começo tratou-se de um suicídio.

- Infelizmente, a informação que trago não é boa. Seu irmão, Milton, se matou hoje de manhã em Juiz de Fora. Meus pêsames. Mas vamos fazer de tudo...
O pintor interrompeu o comandante:
- Isso não foi suicídio, senhor. Assassinaram o meu irmão- gritou o preso.


Porém, Daniela foi persistente e investigou sobre o caso. Provou que não foi bem isso que aconteceu, por isso lutou e foi atrás de pessoas que pudessem comprovar que ele não tinha se suicidado. Achou cópias inéditas da necropsia de Milton e com ajuda de um médico e alguns amigos, provou que ele não se suicidou, mas que foi assassinado.

Quase cinquenta anos se passaram para que a verdade pudesse ser reconstituída no caso de Milton, um trabalho de pesquisa cercado de reviravoltas [...] descobri que a última parte da jornada era apenas o começo da história.

Vemos que a história verdadeira é bem diferente, e graças à Daniela nós percebemos que essa foi mais um tentativa falha de esconder o passado, como grandes autoridades queriam. A verdade um dia sempre será revelada.


O livro é dividido em partes:


A primeira parte fala sobre o começo de tudo, desde a jornada dos guerrilheiros até a morte de Milton. Então aqui encontramos a narração em terceira pessoa. Gostei disso porque, antes de iniciarmos a leitura, conhecemos um pouco sobre a vida das pessoas retratadas durante o resto do livro. Logo depois nós temos o primeiro contato da Daniela com a investigação. Aqui nós temos a narrativa em primeira pessoa que relata os procedimentos que ela usou para iniciar as buscas.

Levantei da cadeira e passei a tarde toda com aquela frase do PC na cabeça. Algo diferente, algo diferente.... Ora, conseguir os nomes das pessoas da cidade que estavam pleiteando a indenização e contar a história delas já não seria algo diferente? Mas ao me provocar, o PC sabia que poderia me faze ir além do óbvio.

Uma coisa que me incomodou e que virou um ponto negativo foi na quantidade de nomes de pessoas que aparecem ao longo da narrativa. Eu particularmente não vi necessidade, já que em algumas páginas a frente eles não tiveram tanta importância e simplesmente sumiram. Isso fez com que eu ficasse meio confusa durante a leitura, infelizmente.

A primeira coisa que eu perguntei a Sil quando ela me mostrou esse livro foi: ''é de terror??". Não, pessoal, não é de terror. A capa pode passar impressões erradas, mas é só a realidade de uma penitenciária.

As páginas são brancas e as letras bem legíveis, com isso não tive nenhum problema. Além disso, não encontrei erros durante a leitura, a revisão realmente ficou impecável. Por dentro do livro nós encontramos imagens em preto e branco sobre esse caso, o que eu achei uma coisa bem interessante.

Acho que se não tivesse isso a história ficaria um pouco chata, pois assim podemos ter noção de como foi aquela época de grande repercussão. Aqui encontramos fotos da penitenciária de Linhares, da necropsia feita, da cova 312 que foi a primeira descoberta do caso, e até mesmo a foto do seu enforcamento ou suicídio - se podemos considerar como um suicídio, chame como quiser. Claro, entre outras imagens que são inúmeras para relatar.

O tema desse livro pode ter uma pegada pesada pois se trata de um episódio de muita discussão e que ainda é mal resolvido na história do brasil. Porém, Daniela conseguiu tornar esse tema tenso e o transformou em uma história poética, interessante e em alguns momentos até mesmo cômico. É muito curioso e intrigante a maneira de como os fatos vão se ligando aos poucos.

No começo do livro eu estava boiando, tenho que confessar isso, mas depois eu comecei a pegar no ritmo e peguei o gosto da leitura, já que é um livro bem rápido de ser lido.

Esse livro é uma ótima recomendação para quem gosta de história, principalmente a do Brasil. Eu fui uma curiosa e quis ler o livro, mesmo não entendendo muita coisa do regime militar, mas eu pude perceber que aprendi muita coisa. Para quem procura uma história com romance, nem pegue esse livro, pois é totalmente jornalístico e nessa questão pode se tornar algo relativamente desgastante :D

32 comentários:

  1. Oi Ana
    Eu tinha visto este lançamento e quando vi a capa e o título logo nem li a sinopse pensando ser terror também. Mas agora lendo sua resenha eu fiquei mega curiosa para ler o livro. Eu não entendo muito da ditadura também, e acho que no começo eu ia boiar também. E você tem razão, é um assunto um tanto delicado até hoje, e acho que tem muuuuita coisa, mas muita mesmo que ainda nao foi descobertas, digo, farsas.
    Amei sua resenha, e leria o livro com certeza, vou até adicionar no Skoob. Uma história assim, só podia ser em formato jornalistico mesmo.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lê!
      Sim, eu fico curiosa a respeito das farsas. Imagine o tanto de pessoas que sofreram naquela época? É um pouco curioso.
      Eu fico feliz que tenha gostado, eu espero que leia e que goste do livro também!!!

      Excluir
  2. Oi, Ana.
    Estou super interessada por esse livro, e na semana passada quando adquiri já coloquei na listinha, mas preciso de um clima para lê-lo, porque não há como começá-lo com a cabeça fora de foco, é um livro que aparentemente requer bastante atenção.
    Já li outro livro da Daniela Arbex e gosto bastante do modo de escrever dela.
    Sua resenha conseguiu me deixar mais curiosa ainda, principalmente quando cita que é dividido em partes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Tamara!!
      Sei como é isso de foco, sempre acontece aqui. Demorei um pouco para ler esse livro exatamente por causa disso, mas quando começa é rapidinho!
      Da autora eu só li esse livro, mas vi os outros e parece ser muito interessante, ainda mais você dizendo que gostou, acho que irei gostar também!! *-*

      Excluir
  3. Oi Ana , fui na mesma que você achando que se tratava de um livro de terror, que bom que não é kkkk ( sou medrosa).
    Esse tipo de livro mexe muito comigo e eu sempre protelo para ler, acho que muita coisa ruim acontece dentro de penitenciárias e reformatórios, estou lendo Capitães da Areia que é um livro antigo , mas certo momento o líder dos Capitães da Areia uma menino de 16 anos é levado ao reformatório e Deus sabe como eu sofro lendo essas páginas de pura tortura. Sinceramente penso que de nada adianta, o indivíduo sai desses lugares pior do que ele entrou ou morto. Enfim , o que devia ser feito para o bem nem sempre funciona.
    Gostei da sua resenha e o livro parece ser muito bom, mesmo com a quantidade de nomes que você citou.
    Beijinhos e boas leituras futuras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oláa,
      Sou medrosa também, que bom que me entende, hehehe
      Já li Capitães da Areia e achei o livro sensacional, até porque se trata de um livro bem realista, ainda mais envolvendo crianças/ adolescentes. Achei genial.
      Fico feliz que tenha gostado *-*
      Beijos!

      Excluir
  4. Oii minha querida!
    O livro não é do meu tipo, sua resenha ficou ótima e parece ser bem interessante, uma história bem diferente, gostei da ideia da foto dentro do livro. Sua foto de perfil ficou linda <3
    Beijos
    www.doceliterario.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oláaa,
      Fico feliz que tenha gostado!!! Obrigada.
      Beijos

      Excluir
  5. Olá! O livro parece ser bem interessante. Adoro livros com fundamento histórico :). Parabéns pela resenha! Conseguiu despertar minha curiosidade haha
    Beijos, Helo.

    ResponderExcluir
  6. Oi Ana,
    a primeira vista também achei que o livro tratasse de terror, obrigadaaaa por me dizer que não é bem assim. Fiquei meio WTF quando você disse que se trata da realidade de uma penitenciária, mas prestando um pouquinho de atenção podemos perceber que é mesmo. Enfim... que jornalista maravilhosa essa <3 Leria o livro só por ter essa mulher, adorei a personalidade dela. Beijos,
    http://www.entreleitores.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,
      Maravilhosa mesmo, com o livro deu para ver a sua trajetória e posso dizer que ela foi bem persistente e não desistiu para alcançar seu objetivo! Espero que leia o livro :D
      Beijos!

      Excluir
  7. Eu sou louca para ler os livros dessa autora! Adoro livros que saiam da minha zona de conforto (e provavelmente ficarei confusa igual você com tantos nomes, sou péssima com nomes rsrs). Em breve irei ler.

    Beijos
    Passaporte Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siim, esses nomes me confundiram, mas você acostuma com o tempo. Leia e comente comigo o que achou :D
      Beijos

      Excluir
  8. Adorei sua resenha, Ana! Parabéns. Confesso que não estava muito curiosa com a leitura, até achei que fosse bem chato, mas agora vejo que é um bom livro para quem gosta do gênero, e eu gosto. É sempre bom estar por dentro do que acontece no nosso país, principalmente esses tipos de acontecimentos, que muitas vezes a mídia esconde e a gente acaba não tendo acesso.
    Beeeijos
    http://umaleitoravoraz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Gabi!! Fico feliz que tenha gostado :D
      É sempre bom procurar novas coisas, né? Também não sou mt fã desse gênero, mas esse livro chamou a minha atenção, e adivinhe? Eu amei!
      Beijoss

      Excluir
  9. Eu gosto muito de História, e já pesquisei bastante sobre a ditadura pra fazer um trabalho. Mortes como a do Milton, que foram divulgadas como suicídio quando na verdade foram sob tortura aconteceram e muito. Infelizmente, eu não leria o livro porque fiquei meio que traumatizada depois de vários relatos que li de pessoas que sofreram tortura (não gosto nem de ver as imagens). Mas o livro com certeza vai ser muito interessante para outras pessoas.

    http://www.thaisnacidade.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu entendo perfeitamente, Thais.É um pouco chocante, né? Nunca iria imaginar que poderia ter acontecido isso aqui. Mas é uma pena, mesmo!
      Beijos

      Excluir
  10. Esse será a minha próxima leitura. Espero gostar do livro. Parece ter uma história bem marcante. Admiro autores que escrevem livros com esses relatos.
    Bjss

    http://livrosemarshmallows.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que goste da leitura, porque eu simplesmente amei!! Depois me conte o que achou...
      Beijos

      Excluir
  11. Oi, Ana!
    A premissa parece interessante. Conhecer de verdade toda a realidade de um presídio é bem curioso. Mas não é nada que chame muito minha atenção, portanto, não sei se o leria por agora.
    Adorei a resenha.
    Beijos

    Construindo Estante || Curta a fan page
    #MêsDosNamorados do Costruindo Estante. Concorra a 1 vale presente de R$ 50,00 da Saraiva.
    Participe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Lia!
      Fico feliz que tenha gostado. É uma pena que não tenha chamado a sua atenção no momento, mas caso queira ler comenta comigo o que achou, hein?
      Beijos

      Excluir
  12. Oi Ana, tudo bem??
    A principio quando eu vi a capa me senti instigada porque achava que se tratava de um suspense, terror ou romance policial, mas lendo a sua resenha percebi que não se trata disso e sim algo mais histórico e eu não curto tanto assim desvendar esses mistérios, claro que não posso negar que sim é algo bem importante para quem gosta do tema e ainda mais pela história contada. Sua resenha ficou ótima... parabéns... Xero!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Diana!
      Eu tenho que concordar com você. Eu não gostava muito desse assunto, mas resolvi tentar, né? E gostei bastante, mas é questão de gosto. Se não vai gostar, melhor nem forçar, hahahah
      Beijos!!!

      Excluir
  13. Oi, Ana!
    Gostei muito da sua crítica. Adorei a pergunta "é de terror?!", haha. Infelizmente, pode até ser, mas o terror da vida como ela é. Acho incrível um trabalho como o da jornalista Daniela. Uma pena que seja um ato de coragem isolado, não menos importante por isso, que não deveria ser necessário. Afinal, acobertar mortes e outras violências é triste e horrível demais… Eu torço para que um dia não haja injustiças como essas.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fran!
      Realmente, agora você tocou num ponto que eu não tinha pensado. Não vivi aquela época e nem sei como foi, mas imagino que foi um tremendo terror. Achei um trabalho super bem feito o dela, e que nasça mais gente assim no Brasil, não é mesmo? Para tentar combater essa injustiças :)
      Beijos!!

      Excluir
  14. Olá! Tudo bem?

    Nossa, que intrigante esse livro!

    Parece ser muito interessante. Eu gosto muito de história e ainda mais desse período sombrio do Brasil.

    Essa capa é realmente assustadora. E passa mesmo a impressão de ser um livro de terror.

    Também não curto quando citam muitos nomes e acabamos ficando perdidos, é mesmo chato. Ainda mais quando eles não tem taaanta importância para a história.

    Apesar de achar bem interessante, eu não leria agora. Estou numa época em que procuro outros tipos de leitura.

    Beijos e até!

    www.dreamsandbooks.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo ótimo e com você??
      Esse é um bom livro para você que gosta de história, faz entender um pouco mais as coisas também, principalmente sobre essas mortes injustas.
      Anota a dica, vai que você queira ler no futuro? Acho que você vai gostar :D
      Beijos!

      Excluir
  15. Oie Ana!
    Nunca parei para ler um livro jornalistico, mas tenho interesse em alguns. Não sei como a leitura iria ocorrer, se lenta por ser fatos que realmente ocorreram o que me deixa muito pensativa ou rápida por curiosidade.

    Beijinhos e até logo! ;)
    https://worldofmakebelieveblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Amanda!
      Só resta tentar ler para saber, né? Foi o meu primeiro livro nesse gênero e eu gostei da experiência :D
      Beijos!

      Excluir
  16. Oiii!!
    Parece ser de terror mesmo, suspense, ou algo como "caso 39", mas me interessei pelo livro mesmo que seja jornalístico. Agora acho que não leria, mas quem sabe mais pra frente?! Fiquei curiosa!
    Beijos
    http://www.vivendonoinfinito.com/

    ResponderExcluir
  17. Oii!
    Gosto muito de livros que são ambientados em algum momento histórico verídico. O livro parece muito instigante e bem eletrizante. Com certeza daria uma chance ao livro, caso a oportunidade surgisse.

    Beijos!

    ResponderExcluir