23 maio 2015

Resenha - Delírio



Muito tempo atrás, não se sabia que o amor é a pior de todas as doenças. Uma vez instalado na corrente sanguínea, não há como contê-lo. Agora a realidade é outra. A ciência já é capaz de erradicá-lo, e o governo obriga que todos os cidadãos sejam curados ao completar dezoito anos.
Lena Haloway está entre os jovens que esperam ansiosamente esse dia. Viver sem a doença é viver sem dor: sem arrebatamento, sem euforia, com tranquilidade e segurança. Depois de curada, ela será encaminhada pelo governo para uma faculdade e um marido lhe será designado. Ela nunca mais precisará se preocupar com o passado que assombra sua família. Lena tem plena confiança de que as imposições das autoridades, como a intervenção cirúrgica, o toque de recolher e as patrulhas-surpresa pela cidade, existem para proteger as pessoas.
Faltando apenas algumas semanas para o tratamento, porém, o impensado acontece: Lena se apaixona. Os sintomas são bastante conhecidos, não há como se enganar — mas, depois de experimentá-los, ela ainda 

                                               352 páginas || Skoob || Cortesia: Editora Intrínseca
                                             || Classificação: || OndeComprar ||

Logo antes de o sol nascer há um momento em que o céu ganha uma cor pálida, inexistente, não é bem cinza, mas um pouco branca, de que sempre gostei porque me faz lembrar de esperar que alguma coisa boa aconteça.








Há pouco mais de seis décadas o amor foi anunciado como uma doença que precisava ser erradicada e como tal foram tomadas várias medidas e inúmeros testes foram feitos e foi assim que surgiu a intervenção. Um procedimento cirúrgico feito em todas as meninas e meninos ao completarem dezesseis anos, depois disso eles são considerados membros ativos da sociedade e são designados para suas áreas e parceiros ideais. Só assim as coisas podem se manter em ordem, só assim podemos conviver em sociedade, mas a intervenção tem seu preço, ela muda as pessoas, para melhor? É o que todos aqueles que vivem em paz na sociedade dizem. Mas há aqueles que preferem morrer há ser curado, esses são os Inválidos.

É o mais mortal entre todos os males: você pode morrer de amor ou da falta dele.


No dia da avaliação de Lena ela se sente inquieta, não desconfortável mas não bem exatamente, mas ela não pode demonstrar isso, não com seu histórico familiar, não com o Deliria contaminando seus pais. Mas isso não impede que suas mãos suem ou que seus dedos tremam. Ela está apavorada com a possibilidade de ir mal, de não passar, mas isso seria impossível não? Afinal ela não está contaminada.

Mas quando as caretas vão se formando a cada resposta que ela dá o medo acaba que tomando conta de Lena, e rapidamente é substituído por esperança ao ver um Inválido invadir a sala adiando assim seus testes e a salvando de algo bem maior que apenas um mico.

Lena não conta a ninguém o que aconteceu e o que viu naquele dia. Tudo tem que ser mantido em segredo. Porém quando ela e Hannah - sua melhor amiga - são pegas além dos limites de uma área restrita, Lena não consegue se segurar pois o rapaz que está a sua frente, não muito mais velho que ela e totalmente uniformizado, é o mesmo jovem que a salvou no outro dia e ela apostaria sua vida nisso.

Então quanto ele admite baixinho que ela está certa e propõe que se encontrem ela não hesita, pois por mais que ele tenha a salvado a cicatriz de três pontas atrás de sua orelha indica que ele é um curado e não há lei que a impeça de conversar com um jovem curado. Ela não corre perigo de se contaminar, certo? Mas então o que explicaria os choques que a percorrem toda vez que eles sem querer se esbarram? Ou então a maneira como seu coração se acelera quando ele sorri?

Imagine uma sociedade onde abomina o amor. Onde as crianças crescem vivenciando a segregação dos sexos. Onde os adultos são como professores e não como pais. Onde o que você gosta é substituído pelo que é prático.

Esse é o mundo que Lena conhece e que ela respeita, depois de ver o Deliria consumir seus pais, o que ela mais quer é se ver curada e longe das possibilidades de ser contaminada, porém tudo isso muda quando ela o vê, algo dentro dela se liberta.

Lena nunca foi uma criança comum, nunca teve as mesmas ideias que os outros e ela sabe disso, tenta mascarar pois pensa que é errado, mas e se não for? E se eles estiverem errados? E se tirar a capacidade de amar tirasse tudo mais junto? Afinal como o que ela se pega sentindo pode ser considerado algo ruim? E como ter filhos ser considerado um dever, apenas uma obrigação para a prosperidade da raça, é bom?

Lena não sabe, mas está disposta a descobrir.

Enquanto estou deitada ali, com a dor penetrando meu peito e a sensação ansiosa e doentia se agitando dentro de mim e um desejo tão forte por Alex que é como uma faca rasgando meus órgãos e me dilacerando, tudo que consigo pensar é: Isto vai me matar, isto vai me matar, isto vai me matar. E eu não me importo.


O livro todo é narrado do ponto de vista de Lena, em primeira pessoa e todo começo de capítulo tem alguma citação que nos remete e nos coloca na realidade do mundo no qual os personagens habitam.

E só posso dizer uma coisa, serei sincera agora, o que me chamou a atenção para esse livro anos atrás foi sua linda capa, é azul galera, brilhante, é linda, mas quando eu li sua sinopse...foi amor.

Como conceber um mundo onde o amor é uma doença? Temida e erradicada sempre que possível? Para mim é difícil pensar em algo assim, para mim imaginar uma vida sem amor é igual a imaginar uma vida sem cor, sem cheiro, sem som, sem todas as coisas que nos fazem vibrar e ser mais... É meio triste e foi essa expectativa de ver como seria isso que me fez querer tanto ler esse livro e foi encantador ver como é de fato mágico ver o amor nascer e surgir. É meigo e sincero. É intenso e inesperado.

Isso sem falar dos personagens principais, Lena consegue ser incrível e forte e Alex....bem digamos apenas que eu quero um rapaz desse para mim, ele é muito fofo e o fato deles terem tido formações tão diferentes é intrigante, pois podemos ver com mais clareza quando seus mundos colidem. Eles não te enjoam, pelo menos para mim.

Amor: uma única palavra, algo delicado, uma única palavra que não é mais larga ou longa que uma lâmina. É o que ela é: uma lâmina, uma navalha. Ela corre pelo centro de sua vida, cortando tudo em duas partes. Antes e depois. O restante do mundo cai em ambos os lados.
Antes e depois — e durante, um momento que não é mais largo ou longo que uma lâmina.

Apesar de ser uma distopia, Delírio não é como nada que leram. Não esperem encontrar mortes, dramas e rebeliões armadas neste primeiro volume, talvez por se tratar de um tema como o amor as coisas estão mais voltadas para esse sentimento, contudo temos uma introdução a um mundo com novos conceitos e percepções, apesar de o livro ser lindo e eu adorá-lo tenho que alertar que não há muita ação e que o romance não é melado. Ele é meio incrível para mim.

35 comentários:

  1. Delírio é um livro que me chamou atenção por sua premissa e me conquistou com sua narrativa. Infelizmente não tive a oportunidade de dar continuidade à trilogia, coisa que ainda pretendo fazer, mesmo com muitos comentários negativos acerca dos livros seguintes. Espero, ao contrário dessas pessoas, gostar da leitura, uma vez que minha experiência com o primeiro livro foi bastante prazerosa.

    Beijos!
    www.palavrasradioativas.om

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie.
      Eu já li a trilogia e só posso dizer que o fim me chocou bastante, mas isso não me impediu de vê-los como algo bom, afinal a trilogia teve seus momentos e me passou mensagens e a Lauren é assim! Espero que possa ler sim as continuações e que não se fruste como eu vi pessoas fazendo e não condene a trilogia por seu fim inesperado!
      Bjokas!

      Excluir
  2. O nome da Lauren na capa foi o maior motivo de atração para mim! Depois que li Antes que eu vá quero devorar tudo que ela assina! Adorei sua resenha, realmente não tem como não sentir vontade de conhecer a proposta desse livro. Como assim uma sociedade sem amor ? Isso me intriga demais e só me faz querer cada vez mais ler esse livro!
    Beijinhos

    Paixão de Leitora

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu li Antes que eu vá depois de ter lido Delírio e só posso dizer que assim como você o nome dela me atrai agora, espero loucamente que ela escreva mais coisas kkkk.
      Fico feliz que tenha gostado da resenha e espero que possa ler ele logo.
      Bjinhos

      Excluir
  3. Oláaa Agatha!!
    Eu sempre tive vontade de ler esse livro porque:
    1- É uma distopia, eu amo distopias.
    2- A capa é maravilhosa.
    3- E que sinopse é essa? Encantadora!!
    Tenha duas amigas que leram esse livro e amaram, não sei porque eu ainda não comprei. Depois da sua resenha eu tenho a total certeza que eu irei amar caso ler, coisa que eu pretendo fazer em breve. Acho que será um livro de distopia bem diferente dos demais que eu li, e quero coisas novas!!! Adorei sua resenha :3
    Beijos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiii Ana! Como você está?
      A capa é mesmo maravilhosa e a premissa intriga, espero que possa ler logo, afinal por ele ser um livro "velhinho" ele não se encontra caro se souber onde procurar e vale a pena para fãs de distopias como eu sei que você é.
      Bjokas menina e obrigada!

      Excluir
  4. Realmente, essa capa é fascinante, tbm me atraiu muito. Eu gostei dessa distopia ser diferente das que estamos acostumados a ver, pois trata do tema amor de uma forma inimaginável. Gostei muito de conhecer a obra, e apesar de ser uma saga(?) acho que seria o tipo de livro que eu gostaria de acompanhar. Bjs

    Território nº 6

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gleyce, olá, na verdade é uma trilogia.
      Sim, num geral ela é bem diferente das distopias que estão na "moda", e eu acho isso interessante, que bom que gostou da dica, fico feliz!
      Bjs

      Excluir
  5. Eu sou louca ´para ler o livro, acho que desde o ano passado, mas não tive a oportunidade de ler.
    Amo distopia.
    Fiquei aqui tentando imaginar uma sociedade que abomina o amor, e menina... Deve ser horrível.
    A eu quero esse livro.
    Amei a resenha, perfeita como sempre.
    Beijos

    Coleções Literárias

    ResponderExcluir
  6. Essa é a autora do "antes que eu me vá"?Tava doida pra ler esse livro, ainda estou! Infelizmente estou sob um corte de gastos e não estou lendo lançamentos, apesar de querer. Meus amigos que leem mais são de outra cidade, não dá nem pra fazer uma troquinha. Mas ainda quero ler esse livro e depois da sua resenha quero ler esse também! Não sou a maior fããzona de distopias, mas essa parece ser inovadora, né? Curti!

    ResponderExcluir
  7. Olá
    eu sou muito fã dessa serie, ams nunca consegui terminar ela, achei os livro muito caros "para mim" rsrs, mas pretendo ver o desfecho da história
    Bjks
    Passa Lá No meu Blog, Tem Resenha Nova - http://ospapa-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oie! Tudo bem?

    Confesso que sempre babei nessa capa, mas nunca tive interesse em ir atrás pra saber do que se trata o livro... Nossa, nunca imaginaria que o amor tratado como doença fosse o tema dessa distopia!! Eu não gosto de livros com romances melados, então, ponto positivo. Em contrapartida, AMO ação. Ponto negativo. Estou indecisa agora =((

    Beijos,

    Juliana Garcez | Livros e Flores

    ResponderExcluir
  9. Agatha, acho que pela primeira vez na minha vida fiquei com vontade de ler uma distopia.
    Estou abismada.
    Seria um horror viver numa sociedade onde o amor é uma doença, onde pais mais parecem professores e ter filhos parece ser uma obrigação, mas gostei de como você mostrou que o amor acontece com a Lena e se torna algo mágico, que na minha opinião é o que o amor saudável e verdadeiro é.
    Definitivamente quero ler esse livro.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  10. Eu comprei esse livro pela capa na bienal de São Paulo e tinha acabado de ler a serie Feios e achei muito parecido. Até gostei, mas levando em conta a trilogia toda, não é algo que eu indicaria para outras pessoas comprarem. Mas conheço gente que ama.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  11. Eu tentei ler esse livro, eu falo eu tentei. A protagonista me irritou tanto que nem passei da página 100
    Fazer o que? kkk

    Beijos


    http://penelopeetelemaco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Uma distopia sem mortes e ação? Agora fiquei mais curiosa ainda para ler!
    Já conhecia a série, mas ainda nao tive oportunidade de ler.
    Adorei saber sobre o que se trata, e certamente lerei assim que der! *-*
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Confesso que este livro só me atrai pela capa. :(
    A história em si não despertou meu interesse e por mais que eu leia ótimas resenhas, como a sua, ainda não consigo me sentir atraída!

    Bjs

    ResponderExcluir
  14. Oi tudo bem ?
    Parece ser um livro bem interessante, eu nunca tinha ouvido falar dele, mas depois que li sua resenha e a sinopse fiquei com vontade de ler, sem contar que a capa é muito linda <3 .
    http://literaturaparaosaber.blogspot.com.br
    Amei seu blog e já estou seguindo e curtindo

    ResponderExcluir
  15. #morri como assim,o amor uma doença? Nem eu que sou azeda aceitaria essa ideia hahahahhaha E essa capa linda? intervenção? que enredo louco... :O já gostei, creio que a indicação mais criativa que vi hoje! simplesmente fabuloso! Já vi outra resenha do livro, mas não foi apresentado como você fez, deu pontos para desperta a curiosidade mesmo :D
    http://www.poesianaalma.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Em primeiro lugar, amo distopias, então o livro me interessou logo de cara.
    E após ler essa excelente resenha, fiquei mais do que curiosa para conhecer a história de Lena, principalmente por ela ser uma protagonista forte.
    A premissa é bastante interessante e acredito que o livro tem tudo para me encantar, assim como o Alex.. rs
    Beijos.

    Li
    Literalizando Sonhos

    ResponderExcluir
  17. Oi, Agatha!
    Eu já li muitos comentários positivos desse livro e eu até gosto de distopias, mas acabei adiando a leitura. Sua resenha me deixou com muita vontade de ler logo e já vou incluí-lo nas próximas leituras. A capa é mesmo linda! :)

    Beijos,

    Rafa [ blog - Fascinada por Histórias]

    ResponderExcluir
  18. Oiiii!
    Eu já conhecia o livro somente pela capa e não tinha noção do que se tratava, agora sei que preciso ler!
    Gostei muito dessa distopia e acho que realmente deve ser uma experiência curiosa ler sobre um mundo sem amor.
    Já quero saber como a história se desenrola e como o romance entre Lena e Alex foi desenvolvido.
    Anotei a dica, beijão!

    ResponderExcluir
  19. Gente como assim o amor é uma doença e precisa de intervenção? eu não conhecia esse livro e já nesse seu primeiro comentário me bateu uma vontade enorme de ler, distopia não é meu gênero preferido, mas esse livro com certeza eu quero ler!

    http://vocedebemcomaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Olá flor, tudo bem??
    Amei a sua resenha porque amo esse primeiro livro, mas devo te confessar que amo mais Pandemônio rsrsrs... já li a trilogia e esse primeiro livro é mais uma apresentação de como as coisas funcionam, ou quando se é "contaminado" desandam... Assim como você acho Lena forte e corajosa mesmo nos momentos em que ela aparenta fraquejar... amo Alex... ele neste livro é o meu preferido, gosto do seu jeito. a forma como age querendo mostrar seu mundo para Lena, mas sem dar a esperança de que esse mundo é tão prático e fácil quando ao mundo que Lena pensa que existe... o final foi de me fazer chorar... eu me emocionei e quase tive um surto, mas vamos que vamos que temos história... xero!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  21. Não leio muito distopias, mas essa é uma trilogia que sempre tive muita curiosidade em ler. Saber que não é meloso me deu ainda mais vontade, quero conhecer essa protagonista, parece ser uma personagem diferente e forte. Gostei muito da sua resenha :)
    Beijos
    http://umaleitoravoraz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Já fiquei curioso para lê esse livro, um mundo onde o amor é errado, tirado das pessoas! Nossa, o que mais me deixou intrigado, foi saber como são os adultos nesse "novo mundo", e saber ainda que não tem tanta ação e não é meloso, me deixou mais ainda intrigado para conhecer esse mundo! Parabéns pela resenha, está muito bem escrita!!

    Abraços e até!

    lendoferozmente.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  23. Sobre esse livro: preciso ler <3
    Cansei de ver esse livro na livraria, mas nunca me interessei pois achei que era apenas uma capa bonitinha. Mas agora, depois de saber um pouco mais do que se trata estou apaixonada haha Tomara que eu consiga ler nessas férias de junho/julho.

    Parabéns pela resenha, beijos
    http://bibliotecacolorida.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  24. Oi,
    Esse livro tem um história em minha vida, lembro que assim que foi lançado logo me empolguei, foi amor a primeira vista, depois comecei a ler as resenhas e a certeza que seria um dos meus favoritos só aumentou hehe
    No fim com tanto medo que eu estava, acaba lendo somente nesse ano, e posso falar valeu a pena, a história aqui é totalmente do que eu imaginava, diferente de tudo que já li, realmente a autora trata de forma diferente, uma leitura que fluir, com personagens cativantes ...
    Parabéns pela resenha.
    Beijos



    Mari - Stories And Advice

    ResponderExcluir
  25. Olá! Tudo bem?
    Eu já ouvi falar tanto desse livro, mas, nunca quis dar uma oportunidade a ele antes. Isso mudou hoje com a sua resenha. O livro parece ser incrível e esses quotes que você separou é um mais lindo do que o outro.

    A história parece ser muito bonita e daquele tipo que te prende. Já vou procurar pra comprar agora mesmo!

    Parabéns pela sua resenha, está linda e muito bem escrita!

    Beijos e até!
    http://www.dreamsandbooks.com

    ResponderExcluir
  26. Oie, tudo bom?
    Eu tinha muita vontade de ler esse livro, mas minha curiosidade foi diminuindo aos poucos. Eu não me importo com a distopia focar um pouco mais no romance, mas aquela vontade de conhecer a narrativa não existe mais. Assim como você, eu também me interessei pela bela capa.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  27. Olá! geralmente fico muito curiosa quando o tema é distopia, mas esta não me chamou a atenção. sua resenha está muito bacana, detalhes interessantes do livro. A capa sensacional, mas não me prenderia não.

    Um abração!
    Pensamentos Valem Ouro

    ResponderExcluir
  28. Oi. Tudo bem?

    Gostei bastante da sua resenha, soube contar pontos positivos que despertaria com certeza a curiosidade dos leitores que curtem o gênero. Fiquei curiosa para saber como terminará a história, se os dois vencerão as regras do amor ser uma doença e ficarão juntos. Mas ainda não sei se o leria, tenho a impressão que o livro não me prenderia tanto assim.

    Estou mais na vibe de ler clássicos, biografias e livros com menos ficção sabe? Mas gostei da sua resenha, muito bem feita.

    bjs

    ResponderExcluir
  29. Oie Agatha! ^^
    Resenha incrivel a sua! Nunca tinha tido curiosidade em ler esse livro até o momento, agora me vejo pensando em ler para ter uma ideia formada sobre a história! Vou dar uma chance!

    Beijos e até logo! ^^
    https://worldofmakebelieveblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  30. Olá, já li esse livro e apesar de ter gostado muito, ainda não fui atras de ler os outros da série.

    Glaucia Matos
    --> www.leitorait.com

    ResponderExcluir
  31. Uau que resenha animada!
    Já faz um tempo que minha amiga me pede para ler Delírio, nunca me animei pela leitura não, mas agora lendo sua resenha me interessei pela premissa da história e pelos personagens.
    Vou dar uma chance e colocar ele na meta de leitura.
    Adorei sua resenha!
    Beijocas da Deebs!

    ResponderExcluir