09 maio 2015

Resenha - Boa Noite, Estranho





Para Kate Klein, que, meio por acaso, se tornou mãe de três filhos, o subúrbio trouxe algumas surpresas desagradáveis. Seu marido, antes carinhoso e apaixonado, agora raramente está em casa. As supermães do play-ground insistem em esnobá-la. Os dias se passam entre caronas solidárias e intermináveis jogos de montar. À noite, os melhores orgasmos são do tipo faça você mesma.
Quando uma das mães do bairro é assassinada, Kate chega à conclusão de que esse mistério é uma das coisas mais interessantes que já aconteceram em Upchurch, Connecticut, nos últimos tempos. Embora o delegado tenha advertido que a investigação criminal é trabalho para profissionais, Kate se lança em uma apuração paralela dos fatos das 8h45 às 11h30 às segundas, quartas e sextas, enquanto as crianças estão na creche.
À medida que Kate mergulha mais e mais fundo no passado da vítima, ela descobre os segredos e mentiras por trás das cercas brancas de Upchurch e começa a repensar as escolhas e compromissos de toda mulher moderna ao oscilar entre obrigações e independência, cidades pequenas e metrópoles, ser mãe e não ser.
   
432 páginas || Skoob || Cortesia: Editora Novo Conceito
Classificação: 
 
|| OndeComprar ||







Kate Klein está começando a se perguntar onde diabos se meteu ao concordar em se mudar para Upchurch. Pois ela com certeza se pergunta onde estão as olheiras, as roupas desleixadas e reclamações das mães ao levar seu três filhos ao parquinho do bairro.


Estampei um sorriso no rosto e fiz uma série de anotações mentais: descobrir onde comprar uma jaqueta de camurça de caimento perfeito; descobrir onde essas mulheres faziam escova, clareamento nos dentes, tiravam as sobrancelhas; e tentar localizar outras mães oprimidas e malcuidadas, maiores que um bujão, como eu, mesmo que eu tivesse que cruzar o limite interestadual para encontrá-las.

Ao sair do centro movimentado e se mudar para um dos residenciais mais caros do Estado, ela esperava encontrar mulheres com quem finalmente pudesse discutir as dificuldades de ser mãe e passar mais tempo com o adorado marido, mas não foi bem isso que aconteceu.

O marido está cada dia mais ausente, as mamães de Upchurch, mais parecem Barbies que qualquer outras coisa, vivem para os filhos e competem para ver quem é a melhor dona de casa. Cadê a independência dessas mulheres? Suas vontades? Ao que parece só ela não aguenta mais assistir Dora, a Aventureira e não liga se sua bunda não é mais tão durinha quanto antes das duas gravidezes ou para as roupas largas e confortáveis que ela e suas crianças vestem.

— Oi, pai. — Bati a porta do micro-ondas, apertei os botões, peguei os pratos no armário e guardanapos de papel na gaveta, olhei a sala, onde as crianças estavam alegremente vidradas em Bob, o Construtor, e torci para que ainda faltassem dezoito minutos.

Porém uma pequena luz de esperança surge quando Kitty Cavanaugh convida Kate para o almoço, será que ela finalmente teria uma amiga?

O destino pode ser bem estranho as vezes, Kitty realmente está em casa a esperando... Morta. E ninguém sabe quem poderia fazer isso, mas todas as mulheres agora estão preocupadas em serem as próximas, contudo Kate se preocupa com outra coisa, Kitty disse que elas tinham um amigo em comum e os números anotados num bloco de papel na cozinha de Kitty fazem seu sangue gelar, porque por mais que ela tivesse tentado e pensado tê-lo esquecido foi só avistá-lo para ela se lembrar claramente do dono e isso podia mudar totalmente sua vida, na verdade já estava mudando.


O livro é narrado em primeira pessoa e só posso descrever a Kate como sendo uma pessoa com um senso de humor sarcástico e áspero. Essa moça é realista quanto a muitas questões, e por causa disso, me peguei rindo em várias cenas e reconhecendo muitos dos desenhos e dramas que ela passa com seus filhos, e não meus caros leitores, eu não sou mãe, mas tenho dois irmãos mais novos que acabam de atingir a casa dos dois números, e por isso, consigo entendê-la bem até demais.

Sabe aquelas famílias perfeitas estereotipadas que por vezes aparecem em filmes hollywoodianos onde as famílias são ricas, moram em grandes casas, as crianças super talentosas se comportam como pequenos adultos e os homens passam o dia ganhando mais dinheiro enquanto a mulher fica em casa cozinhando, cuidando da decoração e filhos e fofocando com as amigas em chás da tarde onde se falam sobre quem possivelmente está traindo quem? Bem encontramos essas famílias nesse livro e elas são bem julgadas pela protagonista de língua e pensamentos ferinos.

Kate sabe o que é ser rica, linda e famosa, mas sabe também o que é abrir mão disso tudo pelos filhos e ainda o que é manter segredos e pessoas apenas no passado e se depender dela para sempre lá.

Contudo o assassinato de Kitty e o possível envolvimento dele faz com que Kate mude o rumo de sua vida e banque a detetive, sem envolver a polícia, mas o que a aguarda? E será que agora que ela está experimentando essa liberdade roubada anos antes ela conseguirá abrir mão novamente?

Não consigo deixar de pensar que apesar de não ser meu gênero favorito eu me peguei lendo agradavelmente e comparando o livro com Pretty Little Liars, uma vez que me lembra sim um pouco o esquema de ricos cheios de segredos. E mortes. E suspense. E sarcasmo. O livro contém uma escrita leve e passa rápido. Recomendo para quem goste de livros investigativos.

22 comentários:

  1. Oi Agatha..
    Eu já gosto muito desse tipo de livro. Apesar de não estar agradando muitas pessoas fãs do gênero, eu tenho vontade de lê-lo.
    Gostei de sua resenha e de saber da escrita, se bem trabalhado um suspense pode ser muito bom!
    Espero gostar quando ler.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Leh
      Então menina, eu não sei muito o que esperar desse tipo de livro pois não leio muito o gênero e assim não sou uma profunda conhecedora, mas não foi uma leitura desagradável, em grande parte pelo humor da protagonista, mas espero que a você goste da leitura.
      Bjs

      Excluir

  2. Oi Sil e Agatha,

    Eu adoro livros cheios de sarcasmo, mais suspense não é muito minha praia e este livro também não é meu estilo, eu gostei da sua comparação com Pretty Little Liars, não li, apenas vi alguns episódios da série, achei legal..

    Beijos Mila

    http://dailyofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Camila
      Livros com sarcasmo são ótimos quando bem escritos, do contrário o personagem só se torna chato kkkk.
      A série é boa, mas eu prefiro os livros eee se não gosta de suspense não acho que vá gostar muito do livro.
      Bjs

      Excluir
  3. Oi Agatha!
    Faz um tempão que eu estou querendo ler esse livro e pela sua resenha, ele parece bem legal!
    Adoro PLL, então seria um PLUS no livro hahaha
    Beijos

    LuMartinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Lu!
      Ele é legal sim menina, fica tranquila e kkkk, também adoro PLL, espero que goste muito da leitura!
      Bjokas

      Excluir
  4. Olá, Agatha.

    Esse livro nunca me chamou a atenção. A trama de suspense não me atrai. Essa leitura eu não arriscaria no momento. Quem sabe mais para a frente.

    Beijos.
    Visite: Paradise Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey Paula.
      Quem sabe né? Se um dia você quiser um livro leve de suspense, já sabe uma dica!
      Bjs

      Excluir
  5. Adoro esse tipo de livro, mas não achei a premissa tão instigante. Ainda assim, creio que posso dar uma chance para esse leitura, já que não conheço a autora. Vai que eu me apaixono, né? kkk Bjs

    http://territorio6.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi!
    Gostei do enredo e de sua resenha. Mães competindo, isso me soa familiar. em algumas escolas que trabalhei, era o que mais via... São características fortes do machismo e realmente, acho que não suportaria um vida dessas.
    Eu gostei da capa do livro e do título, creio que me agradaria da leitura.
    http://www.poesianaalma.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Esse livro me lembrou bastante "O Segredo do Meu Marido", cheio de intrigas, problemas, mentiras, fofocas e principalmente segredos do passado.
    Me interessei um pouco pela história porque gosto de investigações :)
    Gostei da resenha,
    Beijos!
    http://choqueliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oiiiii Linda.
    Olha, sua resenha está perfeita como sempre, mas o livro não me agradou não.
    Sempre tive vontade de ler, mas nunca tinha lido nada sobre ele de verdade e esse tema não me agradou de maneira alguma. Acho que vou sentir muita raiva com essas mulheres competindo por coisas fúteis e sem importância, ainda mais conformadas com esse modo antigo de vida kkkkkkkkk.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá Agatha!
    Adorei a sua resenha, você MW deixou bastante curioso em relação ao livro, gostei da tema que é abordado, esse fato das mulheres que são dependente e pensam em coisa que não tem tanto valor, e essa parte do suspense parece ser muito bom, principalmente por lembrar, como você disse, PLL.

    Abraços e até!

    lendoferozmente.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Olá Agatha,
    não sou muito fã de livro investigativo, mas fiquei curiosa em saber quem é o ele em comum e porque a Kitty morreu.
    Verdade, essa história de família e vida perfeita não existe, é muito hollywoodiano.
    Me interessei.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  11. Oi Agatha, tudo bem?
    UAU! Que premissa a desse livro!
    Fiquei bem curiosa com todo o mistério envolvido!
    BJs

    A. Libri

    ResponderExcluir
  12. Oi Agatha!
    Eu também não gosto muito de livros policiais, mas tenho visto tantos elogios a esse livro que vou acabar dando uma chance a ele.
    B-jusss!
    http://www.quemlesabeporque.com/

    ResponderExcluir
  13. Gostei da sua resenha. Eu estou com esse livro pra ler, mas acabei protelando por causa de outros que me pareceram mais interessantes rs.
    Mas já me identifiquei com a Kate, amo personagens com senso de humor sarcástico. Muito obrigada \o/
    Angel Sakura
    www.euinsisto.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oi Agatha tudo bem?
    A sinopse do livro é bem interessante, e sua resenha bem envolvente e descritiva, não leria o livro agora, mas certamente entrou para a minha lista
    bjos
    Pah
    Lendo e Escrevendo

    ResponderExcluir
  15. Nunca que por essa capa eu imaginaria uma trama tão rica e cheia de acontecimentos. Tem crime e mentiras igual PLL??? !!! Já quero ler. Sem falar que quando bem feito adoro personagens estereotipados (quando bem feitos é claro rs)

    Beijos
    Passaporte Literário

    ResponderExcluir
  16. Oi Aghata, tudo bem?
    Bom lendo sua resenha me lembrei do livro pequenas grandes mentiras... não o li ainda, mas li bastante resenha deles rs... eu gostei muito do que li aqui e mesmo que sua notinha tenha sido 3 estrelinhas eu ainda fiquei curiosa... acho que esse padrão investigativo e de mulheres ricas e aparentemente perfeitas está começando a crescer, então eu acho que teremos grandes histórias vindo por ai... xero!!

    ResponderExcluir
  17. Oi flor!
    Ao final da sua resenha fiquei muito interessada em ler o livro, apesar das 3 estrelinhas que você deu, fiquei curiosa para saber quem matou a mulher e quem é esse amigo em comum que elas tinham hehe....

    Beijocas da Deebs!

    ResponderExcluir
  18. Oi Agatha, tudo bem?
    Quando esse livro lançou ele foi muito mal divulgado, a marketing em cima dele foi muito pequena e por esse principal fator não busquei saber mais da história dele, mas agora vejo que é muito interessante e é uma história muito boa, Kate parece ser uma mulher bem louca, engraçada, e baita inteligente. A trama toda parece legal e espero agora ler o livro!!

    ResponderExcluir