27 fevereiro 2015

Resenha - Insígnia




Considerado um fracassado por todos, com uma aparência pouco digna de atenção e uma vida cheia de incertezas, Tom Raines é um garoto de 14 anos que possui apenas uma habilidade – jogar videogame. Durante anos perambulou de cassino em cassino com seu pai, um jogador sem sorte, que fazia de seu vício um meio de sobrevivência e, a cada dia, iniciava uma jornada em busca de um “lar”, mesmo que isso significasse um quarto qualquer pago com um pouco de dinheiro ganho em apostas.
Certo dia, ao ter seus combates virtuais monitorados por um general, Tom é convidado para integrar a elite do Exército e usar seu talento para ajudar o seu país a vencer a Terceira Guerra Mundial. Neste combate, os oponentes são empresas multinacionais e não há vítimas humanas. Sediada no sistema solar, a disputa principal é o controle sobre os direitos de mineração e recursos naturais em extinção. Os combatentes são, na verdade, máquinas controladas pela força da mente dos adolescentes, através de dispositivos implantados em seu cérebro. Tom então percebe que essa será a oportunidade de tornar-se alguém importante e conquistar sucesso, amigos e um amor de verdade.

502 páginas || Skoob || Cortesia: EditoraVergara & Riba ||
 Classificação:  || Onde comprar







Só pela capa já queria ler esse livro, depois que descobri que se tratava de uma Terceira Guerra Mundial onde a luta se passava no espaço e adolescentes controlavam as máquinas na batalha, a vontade só aumentou.

S. J. Kincaid fugiu completamente do cenário que estamos acostumados a ver nas distopias, aqui o protagonista masculino vive em um mundo dominado pelo capitalismo. Acompanhamos a trajetória de Tom, que não possui moradia fixa pois seu pai, viciado em jogos, muda de lugar constantemente. Por conta disso, Tom não vai bem na escola, é motivo de zoação entre os colegas de classe, e a única coisa em que ele é bom são os jogos eletrônicos. Tom é um excelente jogador e isso abre as portas para ele ser alguém na vida, alguém que um dia poderá lutar pelo seu povo. Mas para chegar lá há muitos obstáculos no caminho, além de pessoas que não são confiáveis e que tem outros planos para ele.

Insígnia é para um público mais jovem, o protagonista tem apenas 14 anos e age de acordo com a idade, embora muitas vezes esqueçamos que ele é tão novo. Isso deixou a tensão no mundo criado por Kincaid mais leve e descontraído. A maneira que ele e os amigos encontram para ir contra 'os inimigos' são bem infantis e nos arrancam risadas, mas não digo isso de forma ruim. Com tantas distopias intensas Insígnia mostrou que apesar de todos os problemas ainda é possível se divertir em cima disso.

Os personagens a princípio parecem estereotipados, mas conforme vamos conhecendo percebemos que tem muita coisa por trás e que nem todos são o que mostram ser. Há muitas reviravoltas, não sabemos quem é confiável e quem está dizendo a verdade. Há um pouco de romance mas nada muito significativo. O protagonista não me conquistou tanto quanto o enredo em si. No meio de tantos adolescentes inteligentes achei meio forçado o fato dele ser o gênio e 'herói' apenas por ter uma habilidade nos jogos.


A distopia no livro está presente o tempo todo e não é muito difícil enxergar isso acontecendo no mundo em que vivemos. Como todo cenário distópico, a sociedade não consegue resolver os problemas e conflitos e buscam formas para solucioná-los. Apesar do plot ser interessante não espere ver a guerra acontecendo logo de cara, nesse primeiro livro vemos mais o lado 'colegial' por conta de todos esses jovens presos em um lugar só.

Nesse primeiro volume da série entendemos o que aconteceu com o mundo, os motivos da guerra são explicados e o livro possui um final satisfatório. Apesar de deixar um gancho para nos matar de ansiedade, o desfecho é intrínseco e dá a sensação de que tudo acabou bem. Mas ainda há muita coisa para se explorar e não vejo a hora de ler O Vórtex Negro.

Eu amei tudo nesse livro, a premissa, a narrativa, os personagens, os plots paralelos, o desfecho, a diagramação que está impecável, não tenho do que reclamar. Só não se torna um livro favorito pois apesar de ter gostado muito da leitura não chega a ser tão emocionante e instigante quanto outros livros do gênero. Isso não é um ponto negativo mas para mim um livro chegar a ser favorito tem que me causar diversos tipos de emoções e não foi o caso de Insígnia.

Enfim, super recomendo vocês lerem Insígnia, principalmente aqueles que tem vontade de ler alguma distopia mas ainda não sabem por onde começar. Esse é uma distopia mais leve que vai te introduzir aos poucos no gênero e acredito que é um bom começo. Mas se você gosta de mais ação, suspense e drama não é uma boa pedida. Como eu disse é um livro para um público mais jovem e as atitudes do protagonista condiz com a sua idade de 14 anos.

“Seu país precisa de você na Agulha Pentagonal. A pergunta é: será que você é homem o bastante para ganhar uma guerra para nós?”

E então, já leram Insígnia? O que acharam? Se não, ficaram com vontade de ler? Eu estou louca pela continuação o/

24 comentários:

  1. Andressa primeiramente quero te dar os parabéns pela sua resenha, porque eu sinceramente estava com um receio danado de ler esse livro e não gostar, mas depois que li tudo que você falou eu fiquei até interessada em dar uma conferida e conhecer o personagem. Porque só de saber um pouco do que se trata já chamou bastante a minha atenção. E outra coisa, adorei o modo direto com que você falou do livro e sinceramente tenho que confessar que isso ainda me dá mais saudade das suas resenhas. APARECE !!! hahahaahaha

    ResponderExcluir
  2. Oi, Andressa! Tudo bem?

    Parabéns pela bela resenha! Ao contrário de você, não fiquei com vontade de ler o livro pela capa não... rsrs Achei bem feinha! Porém, a temática envolvendo uma Terceira Grande Guerra me chamou a atenção. Muito bacana a premissa! Eu adoro distopias e esse realmente parece ser bem leve pra quem quer começar =)

    Beijos,

    Juliana Garcez |Livros e Flores

    ResponderExcluir
  3. Oi!
    Adorei a resenha, Insígnia é um livro super desejado por mim e espero gostar bastante da leitura, amo distopias e espero ler esse em breve =)
    Um abraço!
    http://leituraforadeserie.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oii

    Gosto de livros com temas adolescentes, pois me levam para outro espaço onde me divirto e me surpreendo com as fantasias. Nunca tinha lido nada sobre essa história, mas gostei. Ótima escolha para a sexta à noite.

    http://mundo-restrito.blogspot.com.br

    Twitter: @rs_juliete

    ResponderExcluir
  5. Uh não conhecia o livro, mas parece ser muito maneiro, gosto muito de distopias mas até elas tem ficado um pouco clichê ultimamente. Essa pareceu fugir bastante do que tenho viso por aí, espero ter a oportunidade de lê-la em breve! Bjo
    http://www.sigolendo.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Andressa, realmente a capa é muito bonita.
    O livro me agradou e não me agradou.
    Agradou porque deve ser muito legal imaginar um bando de adolescentes controlando máquinas de batalha, já o que não me agradou tanto foi a parte de se passar no espaço.
    Sinceramente não sei se daria uma chance ou não.
    Sua resenha me deixou dividida.

    http://lisos-somos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olá!

    Não sou muito fã do gênero, mas gostei da premissa do livro.

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oi andressa!
    Poxa, não gosto de distopias ainda mais com personagens tão novos assim. Acho que não leria o livro, mas a sua resenha está ótima, consegui ter uma ótima visão do livro.
    Beijos

    www.lumartinho.blogspot.co.br

    ResponderExcluir
  9. Eu gosto muito da capa desse livro mas nunca fui atrás de saber muito não, sabe?
    Tanto que essa é a primeira resenha que leio e embora tenha me despertado uma certa curiosidade, distopias não são meu estilo favorito...
    Teria que pensar muito antes de colocar ele na lista de leituras, seria aquele tipo de livro que se ganhasse até leria, entende?

    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
  10. Oi xará! Tudo bom?
    Li ano passado essa distopia e achei muiito legal, ainda mais por se passar um pouco no espaço.
    Estou curiosa para ler o segundo, mas vi algumas pessoas comentando que ele é bem chatinho, então estou bem com o pé atrás, mas mesmo assim irei ler. rs
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  11. Oi Andressa, gostei muito da premissa desse livro, apesar de eu não ser muito fã de distopias, li apenas um livro de distopia até hoje e não gostei muito, mas quem sabe com esse dê certo né? :D

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com

    ResponderExcluir
  12. Comecei a gostar de distopias, por causa da seleção e apesar de não curtir muito a premissa desse livro, aprendi a não julgar um livro pela capa e é isso que vou fazer.

    Inquietudes Secretas

    ResponderExcluir
  13. Oi Andressa!

    Primeiro: eu amo distopias e estou louco para ler uma diferente das que li.

    O começo da sinopse me lembrou o cruel passado de Abby em Belo Desastre, mas creio que a história é totalmente diferente - claro, é distopia.

    Você falou tão bem do livro que, além da sinopse por si só já ser instigante, fiquei mais curioso ainda! Já está na minha enooormeee lista de prioridades!

    Parabéns! Adorei a resenha ♡

    Bjs!

    http://leiturasilenciosaoficial.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oi Andressa, não curto distopias, mais sua resenha me deu vontade de ler, a temática envolvendo uma Terceira Grande Guerra me chamou a atenção. Muito bacana a premissa! Parabéns pela resenha.

    Beijos

    http://paraisodasideas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Não sei se seria um livro que eu leria, apesar da premissa ser bem interessante, acho que o enredo em bem juvenil e como eu já passei dessa fase, acho que me incomodaria um pouco com o fato de o personagem ser um adolescente. Ainda assim, adorei a resenha, gostei muito da forma como você nos apresentou ao livro. Bjs

    ResponderExcluir
  16. Oi oi, tudo bem?

    Estou lendo A Garota Que Você Deixou Para Trás, e envolve um poua da guerra... E quero continuar lendo livros deste gênero... Obrigada pela recomendação, já anotei o nome agora é só aguarda um pouco e comprar/ler/ser feliz hahaaa.


    Beijoos
    jeehsts.wordpress.com

    ResponderExcluir
  17. Oi Andressa, gostei muito da sua resenha. Você nos coloca dentro da história e nos mostra o que gostou e não gostou na leitura sem nos dar spoilers.
    Eu não sou muito fã de distopias, por isso não sei se leria, mas vou colocá-lo aqui na lista.
    Quem sabe um dia desses resolvo me aventurar?
    Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  18. Oi Dressa...
    Confesso que nunca parei para reparar muito nesse livro, mas achei super interessante a trama dele.
    Adoro uma ação, suspense e drama, então é certeza que iria gostar. Olhando assim pela capa, ele não chama muito atenção, mas temos mania de sempre julgar pela capa..rs
    Adorei a resenha. Espero ter a oportunidade de ler ele um dia.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  19. Oláaa,
    Adoro distopias, amo amo amooo!! A capa não chamou a minha atenção, mas a premissa sim! Amei a criatividade do autor em colocar uma Guerra no espaço, achei bem legal isso! E só de pensar que é uma Terceira Guerra... Ah sim, e o protagonista tem quase a minha idade, acho que irei me identificar!
    Adorei a resenha, com certeza irei incluir o livro na listinha!
    Beijos,

    http://our-constellations.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Oiee ^^
    Li os dois primeiros livros dessa série/trilogia e estou muuito ansiosa pelo terceiro. Achei a narrativa um pouco cansativa no início, mas aí me acostumei e adorei ♥ Adoro distopias, e essa é uma das minhas favoritas!
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  21. Oi Andressa!
    Comigo foi tudo isso e muito mais <3 Eu amei esse livro em cada segundo e assim como voce, me apaixonei pelo enredo, personagens, diagramação, TUDO. A obra em si pra mim foi totalmente válida, e mesmo o começo sendo um tanto parado, eu adorei demais. Fiquei de ressaca com o livro. E já adquiri o segundo porque não aguento de curiosidade.

    Abraços
    David Andrade
    http://www.olimpicoliterario.com/

    ResponderExcluir
  22. Oi Andressa!
    Vc sabe que pela sinopse desse livro eu não daria nada por ele? Achei a história tão sem sentido: um garoto de 14 anos que é bom em videogames e é convocado pelo exército para lutar na Terceira Guerra Mundial!?! :o
    Mas lendo sua resenha entendi melhor a proposta do livro, que é uma distopia voltada para o público infanto juvenil, que a guerra é virtual, etc. Fiquei até com vontade de ler. Você deveria fazer sinopses para as editoras, você é boa nisso menina! kkkkk

    B-jussss! ♥
    http://www.quemlesabeporque.com/

    ResponderExcluir
  23. Oi Andressa!
    Distopias é com certeza meu gênero preferido no momento, porque desde o final do ano passado é sem dúvidas o gênero que mais vem me agradando e tomando espaço no meu coração.
    Eu já ouvi muito falarem sobre esse livro, principalmente um dos booktubers que eu acompanho, que está sempre indicando esse livro para todo mundo.
    O livro tem uma premissa bem bacana, mas eu já o adicionei a minha wishlist só pelo fato de ser uma história distópica!

    Beijos
    http://ummundochamadolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  24. Olá..
    Depois de ler a resenha fiquei com a impressão de que não gostaria do livro. Não curto muito personagens infantilizados e com 14 anos já não era pro protagonista tomar decisões muito infantis, afinal ele já é um adolescente.
    Mas de modo geral o livro não me interessou tanto..

    ooutroladodaraposa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir