17 agosto 2018

Resenha - A Dimensão Arkam #1


Título: A Dimensão Arkam #1
Cortesia: Autora Marianne Rocha
Editora: Infographics
Páginas: 258
Skoob
Onde comprar: Amazon / Mercado Livre
Kemilly Felix não é uma garota normal, e no fundo ela sempre soube disso. Sua vida muda radicalmente quando ela descobre que está sendo caçada por criaturas sobrenaturais servas de Arriel, que é um homem louco por poder com a intenção de dominar as vinte e sete dimensões carnais. Na história, Kemilly precisa descobrir: Qual é a fonte do poder de Arriel?? O que é a dimensão Arkam? Quem é a criatura encapuzada de seus sonhos? Então para isso, junto com seus amigos, vai viajar por dimensões e enfrentar diversas criaturas com a esperança de impedir Arriel e evitar um massacre.



Kemilly, brasileira e moradora da cidade de Rio Belo, é uma jovem atormentada por sonhos estranhos desde muito pequena. Sonhos esses repletos de pessoas misteriosas e aparições aterrorizantes, que a fazem divagar sobre a possível existência de seres sobrenaturais. Entretanto, no auge de seus 16 anos, Kemilly se vê enredada em uma terrível trama de mistérios, gerando confrontos com o que sabia ser sua própria história de vida.

"Olhei para o céu, avistando a constelação de Órion. A constelação sempre me inspirava a lutar pelo que acreditava e agir como uma guerreira, ou ao menos tentar ser forte como uma. No entanto, nunca havia imaginado que teria sangue de herói de verdade correndo em minhas veias."

Órfã de mãe, que morreu em um trágico acidente de carro, Kemilly mora com seu pai e sua irmã Camila. A adolescente precisa enfrentar, além dos pesadelos que afligem-na durante o sono, a dificuldade de ser diferente em meio a massa de sua escola. Por precisar passar por médicos diversas vezes desde o nascimento, uma vez que sua mãe teve complicações no parto que levaram à morte de sua irmã gêmea, Kemilly necessitou afastar-se da sala de aula por longos dias e semanas. Diante disso, passou a ser perseguida por suas colegas de classe, Mirela e Caroline, que sempre fazem questão de deixá-la desconfortável quando estão por perto.

"Na verdade, não era só por eu ser doente que as pessoas não queriam minha amizade, era porque eu via coisas que ninguém via e sonhava coisas estranhas."

No entanto, sua realidade muda repentinamente quando uma das aparições, que até então apareceu-lhe apenas em sonho, toma forma real. A figura esquelética e de pele cinzenta muda sua percepção sobre a veracidade dos sonhos que vem tendo durante anos, fazendo-a pensar na possibilidade de que essas criaturas sobrenaturais estejam perseguindo-a.

"Os pelos da minha nuca e braços se eriçaram quando avistei um homem completamente feito de luz bem no meio da rua deserta. Fiquei olhando para ele, tentando descobrir se era real ou se eram meus olhos me pregando uma peça."

Ainda aflita que suas suspeitas sejam verdadeiras, a garota sofre a dolorosa é repentina perda de sua amiga Fernanda, que por sua vez revela à Kemilly, durante um sonho, que ela precisará buscar saber mais sobre os fatos estranhos pelos quais vem vivendo, informações que conseguirá apenas com a ajuda de William.

"Sua bizavó é uma lenda, Kemilly. Ela derrotou um monstro chamado Arkam."

A partir de então, Kemilly descobre que possivelmente seja a bisneta de uma poderosa mulher, podendo ser a única capaz de derrotar Arriel, um homem louco por poder e que pretende fazer o mal que for preciso para conquistar o que tanto almeja. Assim, a jovem passa a treinar suas habilidades recém descobertas para se tornar apta a lutar contra Arriel e evitar suas investidas para dominar as vinte e sete dimensões carnais. Passa por momentos difíceis; batalhando em favor dos heróis, enfrenta criaturas infernais e situações aterrorizantes, ao passo em que é caçada por seu inimigo. Será ela hábil o suficiente para derrotar Arriel? Como se parece e o que se encontra na Dimensão Arkam?



[-Minhas impressões-]

A obra da autora Marianne Rocha é de leitura fácil, rápida e muito agradável. Apesar de haver elementos "sobrenaturais" - como uma tal criatura esquelética de pele acinzentada, um cão infernal ou até mesmo uma bruxa - no enredo, a história em si não assusta aos leitores mais sensíveis. Podendo, portanto, ser lida por quem desejar, sem este seja surpreendido por cenas que o chocará negativamente. Aqui o leitor terá surpresas, mas quase todas positivas.

Durante a leitura, podemos perceber tanto marcas do estilo de escrita da autora, quanto as marcas do nosso dialeto português rotineiro. O que para alguns pode parecer negativo, para mim aproximou-me mais da obra e dos personagens presentes nela. Há muito não lia um livro que me fizesse sentir tão brasileira, e tudo porque os personagens emanaram essa "brasilidade" nas falas e nos nomes - como é o exemplo de Pâmela ou de Kemilly, a protagonista, que possui um dos nome mais "abrasileirados" que conheço.

A trama de A Dimensão Arkam é muito bem desenvolvida, deixando o leitor apreensivo aos poucos, para que ele divague sobre qual será o destino de Kemilly e como poderá ela derrotar Arriel. A história da personagem principal é bem descrita pela autora, fazendo com que possamos ter uma boa visão de sua história de infância, como isso reflete em sua vida atualmente, para depois revelar como ela se sairá quando descobrir os segredos que esperam-na.

Os personagens secundários não são deixados de lado aqui. Embora alguns não tenham tido tanto destaque quanto poderiam, os demais que participaram ativamente da trama ganharam bom espaço, tanto de apresentação quanto de desenvolvimento. Senti, no entanto, uma carência na personalidade deles. Talvez porque esteja acostumada a personagens que se impõem fortemente perante algumas situações, apenas senti atitude vinda da protagonista. Quem, mesmo tendo seus momentos de incerteza próprios da pouca idade (ela tem apenas 16 anos), consegue mostrar um pouco das nuances de seu humor e jeito de ser. Gostaria de conhecer todos os personagens mais afundo, para que pudesse reconhecer as marcas específicas da personalidade de cada um deles.


Quanto à diagramação, devo dizer que num primeiro momento o tamanho da fonte me pareceu incômodo, uma vez que é um pouco maior do que estava acostumada com outras edições de livros. No entanto, durante a leitura, senti que minha visão se adaptou muito bem, tendo a fonte maior que o de costume me auxiliado para ler a obra mais tranquilamente, sem que forçasse ou, depois de algumas horas, se tornasse cansativa. Para alguém que usa óculos como eu, é um ponto super positivo que merece ser destacado. A capa está muito condizente com a proposta do livro, com um design que chama atenção dos amantes de fantasia e contos de natureza espetacular. Alguns pequenos detalhes me incomodaram na arte dos personagens ilustrados na capa, porém reconheço meu caráter perfeccionista falando mais alto ao notar isso - algo que passaria despercebido ao focarmos apenas no todo da capa, que entrega uma ilustração bonita acompanhada de uma cartela de cores agradável.

Exceto por erros de ortografia e alguns outros de gramática que encontrei lendo este primeiro volume de A Dimensão Arkam, nada me decepcionou ao término da leitura. Acredito que uma revisão mais minuciosa se faz necessário, para que os erros encontrados sejam eliminados e o texto possa ser reajustado para encontrar sua perfeição linguística. Assim, o leitor poderá aventurar-se na história sem parar após perceber "esse" ou "aquele" errinho esquecido pelo revisor (a).

Recomendo fortemente para os apaixonados por fantasia e até mesmo quem nunca leu esse gênero, pois este é um livro que vale a pena ser lido por todos! Independente da idade, essa será uma obra facilmente apreciada por quem se dispuser a lê-la.


---- // ----


Marianne Rocha é oriunda de Aracaju/SE, geminiana, dorameira, grifinória, filha de Apolo, e apaixonada pelo universo Disney. É formada em nutrição, escritora do Wattpad nos tempos livres e autora do livro “A dimensão Arkam”.
Sua paixão pela leitura iniciou aos catorze anos, quando também decidiu começar a escrever. Principiou escrevendo um pouco de tudo, como letras de músicas, poemas e até histórias em quadrinhos, já que também gosta de desenhar.  Até que um dia encucou que escreveria um livro. Então com muita leitura e determinação conseguiu pôr no papel o que estava em sua mente, dando início a sua paixão pela escrita.





Inscrições Abertas - Participe!







10 comentários:

  1. Muito bom quando um livro nos surpreende de maneira tão positiva.
    Ainda mais com a beleza de ser nacional.
    Como não conhecia,mas amo o gênero, já quero muito poder ler e viver todas as aventuras da jovem.
    Fantasia quando bem escrita é assim, aproveitando todos os personagens.
    Ruim pelos erros, mas adorei ler sobre a fonte maior. Sou transplantada de córnea, então, agradecerei!!!

    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Que interessante, ainda não li nenhuma fantasia nacional e pretendo, com alguns já na lista. Tinha pensando o mesmo até sem ler sobre o nome da personagem principal ser abrasileirado. Fiquei interessada em descobrir o desfecho e mais sobre essa estória. Fantasia e o meu gênero favorito e estou sempre procurando novos para ler.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Emilly,

    É visível que é um enredo que mexe com o imaginário do leitor e aguça a vontade em saber mais sobre cada acontecimento e descobertas.

    Não o li ainda, mas particularmente, achei a proposta encantadora, com pontas bem amarradas, de fácil apreço. Então, eu o leria facilmente!

    ResponderExcluir
  4. Oi, Emilly!
    Como costumo ler livros sobrenaturais sou familiarizada com livros que possuem, elementos "sobrenaturais" do tipo bruxas, seres esqueléticos... Mas sinceramente a trama de A Dimensão Arkam não despertou o meu interesse, apesar de ter achado bem legal a história possuir marcas do nosso dialeto português rotineiro, assim como você acho algo bastante positivo quando encontro essa característica nos livros, o livro se torna mil vezes especial para mim!

    ResponderExcluir
  5. Emily!
    Que delícia ver uma HQ nacional de ficção/fantasia com 'tons' de sobrenatural e muito bem escrita, com a Dimensão bem descrita e detalahada.
    Dá até para 'perdoar' os errinhos de ortografia e gramática, né?
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  6. Olá! Confesso que não conhecia o livro, mas como fã mais que assumida do gênero já gostei por demais do enredo, que ficou ainda mais interessante quando descobri que a história vem de terras tupiniquins (fazendo dancinha de comemoração aqui). A capa esta bem interessante e chamou minha atenção (na verdade me lembrou um pouco do desenho Caverna do Dragão), fazendo o match mais que perfeito.

    ResponderExcluir
  7. Olá Emily!
    Adorei, não conhecia ainda e confesso que o gênero tem me prendido atenção nos últimos meses, e com essa capa e sinopse, já qro ler, espero conseguir em breve.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  8. Oi Emilly.
    Gosto bastante de fantasia, mas a premissa desse livro não me interessou muito. Parece uma mistura de viagem no tempo, mas através de dimensões, + muitas aventuras, que não é muito o tipo de livro que gosto de ler.
    Acho interessante tem um português mais abrasileirado, acho que torna a narrativa mais próxima do leitor.
    Que pena que houve esses erros na revisão de gramática e ortografia. Mas são erros que podem ser consertados na próxima edição.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Eu gosto muito do gênero fantástico e esse me parece ter uma história bastante voltada para a faixa etária infanto-juvenil, o que não é nenhum empecilho à leitura de qualquer pessoa, no meu ponto de vista. Essa aura adolescente entrega, muitas vezes, uma história que tem vários momentos distintos e que traz problemas comuns aos jovens, pelos quais a maioria de nós já passou. Isso e o fato de o cenário brasileiro ser destacado a todo momento, tornam a identificação com o livro mais completa e rápida. Gostei do enredo e de todos os elementos que a autora inseriu na trama, e concordo que a revisão mais minuciosa é um aspecto importante para a melhoria do livro em si.

    ResponderExcluir
  10. Eu apesar de não ser fã de fantasia respeito o gênero, ainda mais se for HQ.A história parece ter um enredo bem interessante, a protagonista Kemilly com apenas 16 anos tendo que enfrentar tantas coisas em sua vida, que pelo jeito desde o nascimento é complicada ou diferente da vida das outras adolescentes. Apesar dos erros que precisam de uma nova revisão eu acho que é um livro bom para que, gosta do assunto e quer saber quais as origens de Kemilly e o que vai acontecer na sua vida com tantas descobertas.

    ResponderExcluir