19 junho 2018

Resenha - Submissa


Título: Submissa
Autora: Maya Banks
Cortesia: Editora Autêntica / Gutenberg
Páginas: 321
Onde Comprar: Saraiva / Amazon

Eles não seguem as regras. Eles FAZEM as regras.
Uma nova série que vai mexer com você da cabeça aos pés. Poder, sedução, dinheiro, submissão, dominação, dor e prazer… Nesse jogo que está prestes a começar, o amor não ntra nas regras. Será que você está preparada?


Evangeline é uma menina simples, de cidade pequena, que se mudou para Nova York para trabalhar e ajudar sua família, uma vez que seus pais não estavam conseguindo se sustentar. Ela abdica de muitos prazeres pessoais para poder juntar o dinheiro que seus pais precisam, mas Vangie não se importa, pois tem uma personalidade muito altruísta.

Ela é uma jovem esforçada e arranjou um trabalho em um bar, onde passa suas noites e madrugadas atrás de gorjetas, mesmo que por diversas vezes o ambiente de seu trabalho não seja dos melhores. E por ter uma alma boa e ingênua, Vangie acaba se envolvendo com Eddie, o pior tipo de homem que existe. Ele se aproveita da sua inocência e termina com ela despedaçando toda a sua autoestima e seu bom coração.

Suas amigas, com quem ela divide um apartamento, lhe ajudam a se recuperar desse pé na bunda lhe dando um ingresso vip para a boate mais badalada da cidade, a Impulse. Era uma chance de ela estar maravilhosa e mostrar ao Eddie o que ele estava perdendo.

“Sempre diziam que ela era muito doce e muito inocente e que perdoava e confiava demais nas pessoas.”

A Impulse era comandada por Drake Donavan. Um homem misterioso e temido, que impõe e exige respeito por onde passa. Além disso, ele é rico e muito influente, por isso nunca se permite aceitar nada abaixo do melhor e exige sempre muita obediência de todos ao seu redor. É um homem obscuro, impenetrável e, até certo ponto, assustador.

Seus funcionários seguem suas ordens à risca e o respeitam com muito louvor.


Evangeline chega na boate sentindo-se meio perdida e deslocada. Drake a vê pelas câmeras de segurança e logo percebe que aquele não é o lugar da moça. Mas, o que era para ser uma noite de descontração e vingança por parte dela, acaba se tornando um pesadelo quando Eddie a vê e resolve começar a humilhá-la na frente de todos, tentando até mesmo partir para a agressão. Mas Drake impede que isso aconteça e leva a jovem moça para seu escritório para garantir que fique bem.

Logo de cara os dois se encantam um com o outro e a atração fica óbvia. Os dois não conseguem negar os desejos que sentem e se entregam a uma noite que seria a primeira de muitas. Desse dia em diante, Drake arrasta Evangeline para dentro da sua vida, onde ele promete cuidar dela e de todos os seus problemas desde que ela se submeta a ele em todas as questões. Obediência seria a palavra chave no “relacionamento” deles. E ela aceita.

"Quando queria algo, ele pegava. Estava no controle. Sempre."

A estória é bem simples e o enredo pede por uma leitura rápida. A escrita da autora é bem fluída, o que nos permite devorar as páginas com rapidez e muita intensidade. Mas, devo avisar que essa não é uma leitura fácil. Tem trechos bem explícitos e, até mesmo, pesados.

A personalidade da personagem principal foi bem abordada, nós conseguimos ter um vislumbre claro de quem é Evangeline, de sua estória e de seus pensamentos. Mas, Drake faz com que a gente permaneça em uma imensa incógnita até o desfecho do livro. Espero que esse tema seja mais bem trabalhado na sequência da estória.

Houve alguns pontos fracos no livro, como por exemplo, a rapidez no desenrolar do relacionamento dos personagens principais, pois por muitas vezes acabou mostrando que eles não fossem coerentes com a personalidade montada para eles lá do inicio. Acho que todos os fatos entre eles poderiam ter sido construídos com mais calma. Além disso, senti que muitas vezes a trama flertava com um machismo exagerado e desnecessário. Mas o livro entrega aquilo que ele promete: cenas eróticas de arrancas suspiros, pois apesar do casal ter muitos problemas entre si, quando estão juntos na cama é inegável a química que eles têm um pelo o outro. 

As cenas íntimas dos dois são muito bem escritas e detalhadas, o que é uma característica marcante que sempre presenteia seus leitores nessa questão. Já tive contato com a escrita da autora antes e adoro o jeito como ela retrata suas cenas mais sexys.

"Para Evangeline, caiu a ficha de que tinha acabado de saltar da frigideira para o fogo, e agora não havia ninguém para salvá-la."


A edição está muito bem trabalhada, pois contém páginas amareladas e contém fonte de um tamanho muito bom facilitando muito a leitura. A capa é linda e bem marcante, pois chama bastante atenção e combina com o tema abordado. 

Todos os fãs de 50 tons de cinzas vão se identificar muito com essa leitura e vão ficar extasiados com a autora Maya Banks. É um livro bem intenso e cheio de fortes emoções e com um erotismo sem igual.

Recomendado para +18 anos

Inscrições Abertas - Participe!!

5 comentários:

  1. Li uma resenha deste livro já tem um tempinho e gostei muito do enredo do livro. Adoro livros eróticos, ainda mais quando trazem personagens que já sofreram sim, mas que parecem ter aprendido com isso.
    Evangeline mesmo tendo um passado complicado, parece ter se dado mais uma chance, apesar de seguir um caminho não tão fácil e nem tão açucarado.
    Por outro lado, você falou na rapidez com que tudo aconteceu e sou meio pé atrás com isso, pois acredito no sentimento construído pouco a pouco.
    Mesmo com ressalvas, senti muita vontade de ler e espero fazer isso em breve.
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Olá! Já conhecia o trabalho da Maya Banks (e amo), mas confesso que essa séria em especial não me agradou, achei o casal sem química, mocinha se diminuindo a todo o momento, e o que falar daquelas “amigas”, não achei que o tema dom/sub foi bem abordado. O final até que me deixou curiosa (chocada) pela continuação, espero que possa salvar a história. Acredito que o que salvou o livro foram os “irmãos” do Drake, ansiosa para saber um pouco mais sobre o misterioso Silas.

    ResponderExcluir
  3. Eu nunca li livros eróticos, simplesmente não me atraem. Acho que esse livro entrega o que promete, uma leitura rápida, enredo bem básico, personagens bem delineados, a moça pura e ingênua, o bad boy ,e o cara forte que vai balançar as estruturas de Evangeline. Me parece um enredo bem plausível, uma escrita ágil e sensual. Se um dia optar por livros eróticos ou hot, não sei qual é o termo correto vou lembrar dessa resenha.

    ResponderExcluir
  4. Ola lindona, amo a escrita da Maya, principalmente os romances de época, ainda não li esse livro mas já amei a sinopse, pelo visto o desenvolvimento do livro envolve o leitor, adoro quando o protagonista salva a mocinha de uma situação como essa, já me encantou. Pretendo ler todos os livros da série.

    Joyce
    Livros Encantos

    ResponderExcluir
  5. Oi, Stephanie!
    Conheço a escrita da Maya Banks, e apesar de ter amado alguns livros dela confesso que outros - poucos - me deixaram decepcionada... mas essa é uma autora que sempre que tenho a oportunidade e o livro desperta o meu interesse eu leio, amo a escrita dela...
    Leio livro hot, mas confesso que não curto livros que abordam o tema dominação/submissão com trechos bem explícitos como é o caso de Submissa, provavelmente por isso a história de Evangeline e Drake não me interessou... Mas que sabe depois de ler resenhas da sequência dessa história eu acabe me interessado e decida ler essa série?! Contudo, no momento Submissa não irá para a minha lista de leitura... Abraços!

    ResponderExcluir