28 março 2017

Resenha - Libertada


Título: Libertada
Autora: Michele Knight
Editora: Cia das Letras / Fontanar
Páginas: 192
Skoob / Goodreads
Onde comprar: Saraiva

Michelle Knight foi raptada em 2002 por um motorista de ônibus escolar de Cleveland chamado Ariel Castro. Por mais de uma década, ela sofreu torturas inimagináveis nas mãos de seu sequestrador. Em 2003, Amanda Berry juntou-se a ela no cativeiro, seguida por Gina DeJesus em 2004. A fuga das três, em 6 de maio de 2013, foi notícia ao redor do mundo. Milhões de pessoas comovidas agora se perguntam: o que realmente aconteceu naquela casa, e como Michelle encontrou forças para sobreviver?










Michelle Knight teve uma infância conturbada com sua família. Morou em uma perua nos primeiros anos de sua infância e depois mudavam de casa em casa com muita frequência. A situação financeira da família era bem precária e por esse motivo eles não tinham condições de comer uma boa comida, ter conforto ou qualquer tipo de regalia. Quando ela foi ficando mocinha e estava morando em uma casa com várias pessoas da família um parente começou a molestá-la diariamente até o dia em que ela não suportando mais viver daquela forma fugiu de casa.

No começo ela passou a viver na rua sobrevivendo com a alimentação que uma igreja distribuia aos moradores de rua mas logo encontrou um cara que era traficante e tornou ela seu avião em troca de comida e um teto para dormir. Embora essa situação não seja certa ouso dizer que foi a época de maior tranquilidade da sua vida. Quando o traficante finalmente foi descoberto e preso ela fugiu para as ruas novamente mas não ficou muito tempo por lá pois sua família a encontrou e levou ela de volta para casa e os abusos voltaram a acontecer.

Michelle voltou para escola e conheceu um rapaz que mexeu com seu coração e ela acreditou que ele gostasse dela de verdade, e foi se envolvendo cada vez mais afetivamente com ele. Mas como nem tudo são flores ela acabou descobrindo que ele já tinha namorada e só estava ficando com ela para passar um tempo e foi nessa mesma época em que descobriu que estava grávida. Mesmo com todas as dificuldades ela amou seu filho desde o início até que o destino os separou e Michelle foi parar nas mãos de um monstro. Monstro acho que é pouco para esse projeto de ser humano chamado Ariel Castro.

Em uma situação de emergência Michelle aceita uma carona de Ariel Castro, e tenta não ficar com medo pois ele é pai de uma amiga dela. Então não tem motivos para recusar a carona. Mas a partir desse dia em diante sua vida se transformou em um inferno vindo do seus piores pesadelos. Ela foi sequestrada por ele e mantida em cativeiro por terríveis onze anos onde foi violentada, agredida física e mentalmente de uma tal forma que viver deixa de fazer sentido, que acreditar em você como um ser humano se torna impossível. Eu não vou descrever aqui com detalhes exatamente tudo aquilo que ela passou mas posso dizer uma coisa são situações que nos enojam e nos desesperam. E o monstro não parou só na Michelle sequestrando mais duas meninas Amanda e Gina.

Três mulheres escravas de uma mente doente e pervertida. Três mulheres que conheceram o horror, o medo e a escuridão de perto e o que as mantinham vivas era o fio de esperança de um dia escaparem das garras daquele monstro.


"Invisível foi como me senti durante os quase quatro mil dias que sobrevive no buraco infernal de Ariel Castro. Todo santo dia eu só pensava em voltar para o meu filho, Joey. Eu não teria acreditado, antes que acontecesse comigo, mas agora sei que qualquer um pode ser sequestrado. Em qualquer lugar. A qualquer momento. E no dia de verão em que aconteceu comigo, poucas pessoas pareceram se importar. Ninguém fez vigília. Nada apareceu no noticiário. Nem meus parentes, tampouco os vizinhos se reuniram para espalhar cartazes. O mundo todo seguia em frente como se eu nem tivesse viva. Eu me sentia gritando a plenos pulmões, mas ninguém me ouvia."


É muito difícil dar minha opinião sobre a história desse livro sem sentir um ódio tremendo por tudo aquilo que li. Libertada nos choca, nos assusta, nos revolta mas acima de tudo nos faz refletir sobre os Monstros que existem por aí tão camuflados na sociedade mas que são psicopatas e fazem coisas inimagináveis. Eu durante a leitura desse livro tentei me colocar no lugar da Michelle e pensar no que eu faria se tivesse no lugar dela e cheguei a conclusão de que eu preferiria morrer, por isso admirei sua vontade de viver e sua determinação em seguir em frente e continuar sua vida quando finalmente se libertou. Mas acredito que as cicatrizes ficam para sempre, que ser violentada por anos a fim deixa marcas que não podem ser apagadas.

“No fim do dia, sempre que eu ouvia suas botas descendo a escada, tentava me preparar para as três ou quatro horas seguintes de tortura, mas na verdade não existe uma maneira de se preparar para o inferno”

Libertada é um livro que conta a história não só de Michelle mas de quantas outras meninas que passaram ou passam por isso ainda? Quantas meninas desaparecidas que ninguém descobre o paradeiro?

Apesar da autora ter tentado deixar a escrita do livro leve sem contar detalhadamente as torturas que vivenciou o tema do livro por si só é pesado e me deixou horrorizada. É assustador saber que existam pessoas tão monstruosas e sádicas dessa forma vivendo inseridas na sociedade sem que ninguém desconfie de quem elas são. Mas acho que o intuito desse livro é justamente alertar que existem monstros a solta por aí.

"...De certa forma, acho que uma parte de você tem que morrer para aguentar tudo aquilo. É a única forma de uma pessoa sobreviver..."

É impossível não se comover com Libertada e muitas vezes me senti frustrada por todo sofrimento que a autora passou. E por toda a violência que é praticada diariamente contra as mulheres como se fôssemos apenas meros objetos de diversão. Sim, é um tema polêmico e que precisa ser discutido e debatido por diversas vezes para que o mundo não esqueça da nossa luta diária.

Quanto a diagramação do livro está bem simples na capa uma foto de Michelle Knight, as páginas são amarelas e por dentro do livro há algumas fotografias do cativeiro onde ela ficou presa por onze anos. Tudo para mostrar o quanto a história é real. Não encontrei erros de revisão ou ortografia.

Eu recomendo esse livro para quem gosta de temas fortes e polêmicos e que acima de tudo queira conhecer a história de sobrevivência, de luta para viver mais um dia de uma mulher que foi literalmente mantida no inferno por onze anos.

Boa leitura!

23 comentários:

  1. Sou estudante de Psicologia e adoro ler sobre casos assim.... o livro 3095 dias tbm conta a história de Natasha, que passou coisas bem Parecidas com as de Michele, como pude ler na resenha.... não creio que seja ódio o que vc sinta, mas um certo medo de que isso aconteça com vc ou com algue m próximo. Adoro ler histórias reais. Vou ler com certeza!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Camila!
    Esse livor deve ser chocante! Lendo sua resenha eu fico enojada com tanta maldade. Tanto da família dela, quanto desse ser não humano. Não sou fã de biografias, mas esse livro merece ser lido. Com tanta luta e superação as três moças merecem uma ótima vida.
    Obrigada pela dica!
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  3. OI Camila, lembro da libertação das mulheres e do burburinho que foi na mídia. Adoro ler relatos reais e a forma como você descreveu o testemunho da vitima, me deixou com muita curiosidade. Com certeza, me sentirei como você e o ódio tomará conta do meu coração ao ler as barbaridades.
    Não sabia da existência deste livro e já quero ler pra ontem.
    MEU AMOR PELOS LIVROS

    ResponderExcluir
  4. Gente esse livro deve ser bem tenso... só a sinopse dá aquele bam! na cara.
    Não curto muito esse estilo, mas confesso que fiquei curiosa como Michelle conseguiu superar e sobreviver por todo esse tempo.
    Obrigada pela visita no Blog As Meninas Que Lêem Livros.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  5. Conforme eu fui lendo eu me lembrei do filme O Quarto de Jack, que acompanha a vida de uma moça que viveu por anos em cativeiro e criou seu filho no meio disso tudo.
    Desde o filme me chocou bastante e ao mesmo tempo me mostrou o quão a realidade pode ser terrível, mas que a vida também pode ser bela, após tudo o que aconteceu.
    Realmente o que elas passaram deve ter deixado marcas profundas, mas só pelo fato de terem saído, de existir livros como esse, já nos passa uma ideia de que dias melhores podem vir.
    Ótima resenha!
    Beijinhos~

    ResponderExcluir
  6. Nossa, que livro é esse? Ainda não o li e confesso que não sei se teria essa coragem, por que eu não consigo imaginar o que foi a vida dela e das outras duas mulheres nãos mãos desse tarado. E também não consigo imaginar o quão forte e otimista ela precisou ser para simplesmente não enlouquecer e nem atentar contra a própria vida, mas ainda bem que ela conseguiu e deu a volta por cima.

    ResponderExcluir
  7. Caramba!
    Não sou de ler liros biográficos, mas esse me chamou atenção por toda terrível trajetória de Michelle e as duas meninas. Se não fosse por sua resenha, certamente eu passaria batido por esse livro. Mas, gostei da proposta, gostei de sua resenha e quero ler. Só tenho que preparar meu coração...
    Parabéns
    Ni
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Eu gostei muito da sua resenha e da forma que você abordou os assuntos tratados o livro. Não sei se conseguiria ler. É muito cruel, como alguém consegue fazer uma coisa dessas com outro ser humano? A gente sai na rua e fica a mercê de pessoas assim, de gente com esse tipo de mente perturbada.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Nossa! Que história horrível.
    Tenho um psicológico meio fraco, então não leio coisas que possam me impressionar muito por medo de ficar paranoica, só pensar nisto ou chorar demais com a dor dela. Mas acho que sim, estas histórias devem ser lidas, propagadas, conhecidas por todos, são o melhor alerta para as mulheres se cuidarem. Só de ler sua resenha já fiquei sentida com tudo o que ouve com ela. Não dá nem para imaginar o sofrimento dela e das outras duas por tanto tempo assim.

    Vícios e Literatura

    ResponderExcluir
  10. Oi Camila!
    Que leitura visceral esse livro traz hein?
    Nunca imaginei uma obra assim e fiquei muito curiosa para saber o vou sentir, se o mesmo que você, revolta por todos esses monstros omissos que temos em nossa sociedade, ou se triste ao extremo por tudo o que aconteceu.
    Espero ter a oportunidade de ler esse livro, pois fiquei curiosa para saber quais serão minhas impressões.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Oie!
    Nossa, que história chocante, não sei como vou me sentir ao ler esse livro.
    E ainda, com uma história real. Vou saber que não é uma ficção, e vou me sentir ainda pior lendo o relato do que aconteceu. Um livro bem tenso.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  12. Olá, tudo bem?
    Só de ler sua resenha já consigo imaginar o quanto a leitura desse livro deve ser pesada.
    Mesmo a autora não dando detalhes, como você disse, o tema é muito forte e difícil de lidar. Sinceramente, não sei se tenho emocional para ler esse livro. Concordo que o tema precisa ser discutido, mas não é uma leitura que me interessa.
    De qualquer forma, adorei a sua resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Oi, tudo bem? Eu até sou uma leitora que gosta de temas fortes e polêmicos, mas estou fugindo um pouco desse tipo de livro. Apesar disso, gostei muito da premissa e queria muito conferir a história de Michelle, que me pareceu extremamente forte apesar das circunstâncias citadas. Vou anotar a dica para um futuro, beijos.

    ResponderExcluir
  14. Olá, Camila

    Mês passado eu li um livro com uma temática parecida, mas era ficção. Eu não leio biografias, sejam elas de qual gênero for, simplesmente não me interesso pela vida de ninguém. Claro que me comovo com o drama que não só ela passou, como as outras também, afinal, tenho coração, mas biografia é algo que simplesmente não me atrai.
    Pude perceber que o livro despertou em você diversas emoções e fico contente por isso, por você ter aproveitado a leitura.

    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Oie! Tudo bem?

    Não sou fã desse tipo de livro, não fazem bem para o meu psicológico! Mas acredito que são temas que devem ser sim tratados e essa obra ainda mais por ser uma bibliografia com certeza mexeria com muitos leitores! Eu passo a dica, mas irei indicar ele para uma amiga, ela com certeza irá gostar da leitura!

    Bjss

    ResponderExcluir
  16. OOi!
    O gênero não é um dos que mais gosto, porém ele parece ser um livro tocante que ensina muitooo. Parece ser daqueles livros que, ao final da leitura, o leitor pensa: O mundo tem que ler isso!
    Não é um livro para este momento, mas gostaria de lê-lo um dia.
    Parabéns pela resenha!
    Beijoos!

    ResponderExcluir
  17. Olá!
    Nossa, não sabia que se tratava de uma história real e fiquei morrendo de vontade de conferir essa história dela, mesmo sendo super pesada. É realmente muito triste saber que têm meninas passando por esse tormento, e que ninguém saiba.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  18. Oie...
    Que história incrível, heim?
    Adoro temas fortes e polêmicos, portanto vou anotar aqui nos desejados ;)
    Ultimamente ando lendo mais livros densos assim e minha cabeça anda á mil, então, vou esperar o momento oportuno pra ler.
    Dica anotada!
    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Olá Camila,

    O livro parece ser bem interessante e bem pesado. Fico meio receosa de ler livros desse tipo porque eles me tocam e fico com a história na cabeça por muuuuuito tempo. Eu também tenho o hábito de me colocar no lugar dos personagens e ficaria com ódio igual a você. Vou levar em consideração a sua dica quando estiver afim de ler algo mais profundo.

    Beijos e obrigada pela resenha
    http://floraliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Oiii!!!
    Recentemente li o livro "Diário de uma escrava" que se assemelha com essa história. Eu não conhecia ainda "Libertada", mas como li recentemente um parecido, já imagino o quanto deve ser forte a história, por mais que a autora queira deixar a leitura mais leve. Milhares de pessoas somem todos os anos e ninguém nunca encontra a pessoa. Acredito que muitas das vezes, essas pessoas não estão mortas, mas sim sequestradas por monstros terríveis. Vou querer ler futuramente com certeza. É uma realidade de pessoas que são vítimas de Ogros fantasiados de cordeiros.
    Beijos

    ResponderExcluir
  21. Oi Camila, tudo bem garota?

    Nossa que livro! Não sei se teria estômago para lê-lo por conta da temática,mas só em ler sua resenha já me deixou em alerta! Poxa, infelizmente nós mulheres em pleno século XXI ainda sofremos tantos abusos por monstros como esse,que realmente precisamos nos precaver.E com certeza, livros como esses servem de exemplo pra mostrar como um ser humano pode ser tão horripilante,e por adotar uma visão mais positiva da vida, esse tipo de temática me entristece muito!

    Parabéns pela resenha, um beijo!

    Priscoilla Monteiro.

    www.facesemlivros.com

    ResponderExcluir
  22. Oi.

    Ainda não conhecia este livro, na verdade, essa é a primeira vez que vejo falando sobre ele. Adoro livros com esse temática, mesmo sofrendo com a leitura, ou me revoltando com o que estou lendo. Vou anotar a dica para ler depois.

    ResponderExcluir
  23. Oie
    não é um livro que eu leria ou que atrai a minha atenção mas bem interessante o enredo do livro, quem sabe eu não indique a minha vó que adora esse tipo de leitura

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir