12 setembro 2016

Resenha - O Papai é Pop 2




O papai é pop está de volta! Marcos Piangers vai colocar você no banco de trás do carro, ao lado das filhas Anita e Aurora, para contar novas histórias - algumas comoventes, algumas divertidas e outras talvez um pouco nojentas - sobre essa coisa absolutamente comum e extraordinária que é ser pai.
Um sentimento que não se pode explicar, não se pode entender. Só se pode viver. Porque você não vai ter um filho para obter vantagens, descontos, deduções do imposto de renda ou balões de graça sempre que for ao shopping. Um filho vai esgotar suas economias e minguar suas noites de sono. Vai sujar suas camisas novas e desenhar em suas paredes.
Você vai ter um filho, na verdade, por um único motivo: para aprender a amar outra pessoa mais do que a você mesmo.



 Livro: O Papai é Pop 2
112 páginas || Skoob || Cortesia: Editora Belas Letras || Onde Comprar








O Papai é Pop 2 se trata de um livro de crônicas escrita pelo Marcos Piangers, onde narra suas aventuras como pai. Quando se trata de criação de filhos, geralmente as pessoas pensam no trabalho que a mãe tem, mas poucos pensam sobre quais situações um pai enfrenta, e aqui Marcos é pai das meninas Anita e Aurora, e ao decorrer das 112 páginas vemos o quanto ele ama suas filhas e daria o mundo se possível.
"Há alguns anos, a Anita começou a usar meu computador. Fui checar o histórico de pesquisas no Google e uma das coisas que ela tinha pesquisado era: "mundo melior". Ela estava procurando por um mundo melhor. Eu também estou, filha. Imagino que é quando estamos juntos."


A paternidade é mostrada ao leitor de forma sensível e descontraída. As crônicas são curtinhas e bem humoradas com um toque de ironia que torna tudo mais gostoso de se ler. Mesmo não sendo fã desse tipo de narrativa, foi incrível acompanhar o dia a dia desse pai de família e as experiências que teve, onde precisou até mesmo de muito jogo de cintura para algumas questões.



Algo que pude perceber com o decorrer das páginas é que Marcos quebrou facilmente o senso comum que "Só a mãe sabe cuidar melhor dos filhos". Ele dá carinho, escuta, entende e dá muita atenção as suas filhas, pois é exatamente isso que toda criança busca, atenção daqueles que amam. Além disso, ele busca com suas experiências não ser apenas um bom pai, mas também se tornar uma pessoa melhor.
“ Ter um coração mole em um mundo cruel não é sinal de fraqueza, é sinal de coragem”.

O que mais achei incrível foi a relação de carinho mútuo entre ele e as meninas. Não tenho filhos, mas fiquei encantada com a essência das crianças. Dei risadas em algumas crônicas e até mesmo chorei. Em uma delas fiz uma bela análise sobre o que é ser filho, pois lá ele expõe o clichê mais real do mundo, que damos mais valores aos nossos pais quando temos filhos.

E que filho nunca ouviu isso, não é mesmo? Mas é a pura realidade.

“Você vai entender quando crescer. Quando tiver filhos, entenderá seu pais. A gente só aprende a ser filho quando vira pai. E, dizem, só aprende a ser pai quando vira vô”.


Teve também uma crônica que achei bem legal onde nela Marcos expõe que ser PAIS não é como as pessoas mostram nas redes sociais onde tudo é perfeito e cheio de arco-íris. É lindo sim, é uma parte de você que está na sua frente, mas também é trocar fraldas, acordar a noite com o filho doente, dar limites, repreensões, entre outros. É uma dádiva de Deus, mas se passa muitos apertos pois tem um ser humano que depende de você.
“ Ser pai é a coisa mais comum do mundo. E, ainda assim, cada pai acha que é extraordinário. Porque, na verdade, é mesmo”.

Além de ter muitas lições a edição física está maravilhosa. A capa é divertida e internamente tem letras grandes e algumas atividades para ser feito em família, como colar fotos e desenhar com seus filhos. É um livro bem interativo e criativo que prende a atenção do leitor, chega até dar dó de fazer as atividades de tão fofo que é.


“E me arrependo dos meus erros e escolhas, mas não os mudaria. Porque, então, veio a sua irmã e deu sentido a todos os erros. Não mudaria nada. Pra que tudo acontecesse no dia e na hora certa. Pra que vocês fossem exatamente como são. Não mudaria nada. Nem meus erros. Nem minhas falhas. Nem meus fracassos. Pra que vocês fossem iguaizinhas. E dessem sentido a tudo”.

O livro em si é sensacional e cheio de lições, nunca tinha parado para ver o outro lado paterno da criação de uma criança, e aqui o leitor percebe que nem tudo são flores, mas com amor, dedicação e carinho todos obstáculos são superados. É um livro que pode ajudar muito aos novos pais, e até mesmo aos curiosos assim como eu, recomendo a todos sem distinção.

22 comentários:

  1. Olá Stefanu
    Eu já li o primeiro volume e achei uma leitura bem dinâmica. Claro que estou bem curiosa para ler o segundo volume e não tenho dúvidas de que é sensacional e cheio de lições. A edição física deve estar ótima mesmo! Bom, adorei poder ler seus comentários por aqui e seu post ficou ótimo. Espero poder ler também ;)
    Boas leituras!
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Oi, flor!
    Eu me interessei pelo primeiro volume, mas acabei por não o achar tão bacana quando o peguei em mãos na livraria. Não sei, acho que por ainda não ser mãe não me senti completamente paciente para ler várias crônicas sobre a paternidade. No entanto, lendo sua resenha sobre esse segundo volume, percebo que fui um pouco precipitada (rs). Acho que a sensibilidade e o humor sarcástico do autor me renderiam uma boa leitura. Por isso, vou anotar a dica. Achei a edição belíssima! <3

    Beijos!
    www.myqueenside.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá
    Eu tenho muita vontade de ler os livros desse cara, gente aprece ser bem legal e tem uma diagramação muito linda. Confesso que não leio muitas resenhas sobre esse livro, mas achei muito legal o que acabei de ler. Acho que não foi só você que parou pra pensar sobre o papel do pai na criação de seu filhos rsrs. Adorei a capa também. Até mais vê
    Bjks

    ResponderExcluir
  4. Oi linda, a arte gráfica deste livro é uma coisa linda né? Suas fotos deixaram a minha curiosidade em um nível incontrolável. Que bacana que você curtiu a leitura e pode entender o outro lado no relacionamento pai e filho. Quero muito ler!!!
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Olá, é a primeira vez que ouço sobre o título e achei bem interessante a temática, fiquei encantada com a capa e a diagramação, adorei a resenha.
    Beijos, Lari.
    Segredosdeumacerejeira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Olá,
    Gosto de crônicas e esse livro me parece ser bem divertido. Realmente quando se fala em cuidar de filhos, pensamos mais na tarefa da mãe, mas o pai também cumpre um papel importante. Achei linda a edição e é bem chamativa, acho que também leria por curiosidade.
    http://www.virandoamor.com/

    ResponderExcluir
  7. Olá Stéfani,
    Que bom que o livro te agradou. As crônicas presentes dessa obra parecem ser bem escritas e cheias de lições, como você disse. Uma coisa que acho legal é que a responsabilidade não está na mãe, isso me agrada.
    Outro ponto que curti é que mostra o clichê do mundo: dar valor aos pais depois que é pai. Espero dar valor aos meus antes disso.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  8. Olá,
    Embora a temática abordada não me deixa muito curiosa pelo fato de não pretender ser mãe, fico curiosa para saber sobre os ensinamentos que o livro traz de forma tão descontraída. Acredito que me faria enxergar o mundo de outra forma e também a dar mais valor ainda às atitudes tomadas por nossos pais quando ainda somos crianças.
    A diagramação parece estar sensacional.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oie...
    Sempre esbarro com esse livro por aí, mas, por mais que me dizem que é muito bom, fico meio que com o pé atrás... Sei lá, não tenho muito interesse rsrs...
    Mas, fico feliz que voce tenha gostado e mesmo sem ter interesse em ler imagino que seja um livro com crônicas interessantes.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oie
    Tudo bem?
    Então eu também não sou muito fã desse estilo de escrita mais esse livro tem uma capa muito bonita e eu fiz a compra acontece que até agora não li passando o olho por cima vi que é bem divertido vou guardar para um momento que estiver a fim de uma leitura mais leve.
    É bem legal saber um pouco como é a rotina de um pai presente ainda mais assim quando ele não se priva do contato com as filhas.
    Eu já vi uma entrevista com essa família linda e simplesmente fiquei encantada.
    Bju
    Mary Reis

    ResponderExcluir
  11. Oi Stéfani, tudo bem?
    Adorei a proposta do livro e o fato dele quebrar o senso comum de que somente a mãe é capaz de cuidar dos filhos. É claro que a maioria dos pais no Brasil não age como tal, mas existem sim pais que cuidam de filhos com o maior amor e carinho do mundo da mesma forma que as mães. Parece ser um livro muito legal já que passa toda a realidade desse cotidiano do que é ser pai, com certeza eu me emocionarei bastante!

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  12. Oi, tudo bem?
    Eu acho a capa desse livro a coisa mais fofa do mundo haha bom, sabia que se tratava de um livros de cronicas e já ouvi vários comentários positivos sobre a obra, mas não sabia que tem partes de interação. O que mais gosto nesse livro é o de mostrar a rotina de um pai presente na vida dos filhos, já que não é algo muito comum, mas que deveria ser, né? haha Enfim, o livro esta na minha lista de futuras compras a algum tempo, mas ainda não tive a oportunidade de adquiri-lo.

    ResponderExcluir
  13. Olá,
    Nunca me deparei com esse livro, porém ele me parece ser bem divertido.
    É incomum achar livros falando sobre paternidade, visto o fato de que no nosso contexto social a maior parte da criação dos filhos fique para as mães.
    Muito legal o modo como você fez a resenha, me interessei!

    ResponderExcluir
  14. Olá Stefani,

    Confesso que o que achei mais atrativo no livro, foi o título que é super divertido. Gostei de saber que a obra é composta de crônicas e que nelas vamos entendendo um pouco mais sobre o desafio de ser pai. Realmente sempre pensamos na dureza que é para a mãe criar os filhos, mas esquecemos que a paternidade é imprescindível nessas horas também, meu pai mesmo me conta que por vezes acordou de madrugada, para contar histórias para mim, enquanto minha mãe dormia um pouquinho mais. Relações assim, de pai e filho (a), são os laços mais consistentes e verdadeiros que criamos. Felizmente dou muito valor aos meus, embora ainda não seja mãe haha. Adorei sua resenha, trouxe um vislumbre melhor da obra.

    Abraços
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  15. Oii, essa é a primeira visita e já tenho certeza que virei mais vezes! *-*
    Não conhecia o autor e nem a obra, mas fiquei muito interessada, apesar de não ter filhos, eu sou filha e e muito legal quando você as coisas através de "um outro lado" (melhor ainda se for o lado de quem nos criou com amor e carinho, não é mesmo?)
    Gosto muito de crônicas, vou anotar a dica para ler os dois volumes!
    Beijos ♡

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Achei o livro bem legal. Realmente a muitos livros contando as histórias da mãe, mas pai é difícil. Sabemos que muitos pais não ajudam na criação dos filhos, mas os que ajudam fazem com muito amor e carinho e isso é lindo de se ver. Criar filhos é uma aventura repleta de emoção.
    Adorei a sua resenha.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  17. Oi Stefani!

    Tudo bom??

    Sinceramente não é um livro que me atraia, e creio que muitos pais deixam de ganhar o mérito por exercer esse papel decorrente de que, infelizmente, uma boa parte não atua nessa função, deixando a mulher sobrecarregada. ENfim, mesmos com risadas, leitura leve e dinamismo não me vejo lendo um livro assim, entretanto não posso deixar de dizer que a conscientização e quebra de paradigmas que o autor retrata mostra em como fazemos concepções errôneas generalizando alguns exemplos. Beijos!

    ResponderExcluir
  18. Eu achei interessante quando a editora anunciou o lançamento desse livro, criei expectativas e acho que pela resenha elas serão cumpridas. Gosto de crônicas, principalmente as mais descontraídas, fluidas e realistas, acho bacana mostrar o lado dos pais na criação dos filhos, principalmente por nossa sociedade achar que apenas as mães atuam nesse processo. O livro e as fotos ficaram lindos

    ResponderExcluir
  19. Oie!!!!
    Ainda não conhecia as crônicas deste pai sobre a paternidade. E achei ótimo que sejam contadas as aventuras e dúvidas que giram em torno da criação dos filhos do ponto de vista paterno.
    É comum as pessoas acharem que só as mães são preocupadas com esta questão, mas falando por experiência própria, afinal fui criada apenas po r meu pai, os homens também se preocupam, amam, choram e se divertem neste papel!
    Ainda não conhecia os livros, mas com certeza quero lê-los!
    Valeu pela dica!
    Bjinhos ;)
    Elaine M. Escovedo
    Caminhando Entre Livros
    Http://www.caminhandoentelivros.com.br

    ResponderExcluir
  20. Olá.

    Achei bem interessante a proposta da leitura e já quero ler, apesar de não gostar muito de cronicas. Achei bem legal uma história pela perspectiva do pai, visto que é mais comum vermos livros maternos e tal. Fico feliz que vc tenha gostado do livro e espero curtir a leitura mais p frente. Já anotei a dica!

    Beijos!
    http://www.anebee.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Adoro livros que tratam de tema familiar e mostram uma perspectiva diferente, ainda mais quando os pais nem sempre ficam com a melhor parte da fama, já que ultimamente se tem ouvido falar de coisas que eu nem te conto, viu?
    Abraços!

    ResponderExcluir
  22. Oi Stefani, tudo bem?
    Menina eu li A Mamãe é Rock e amei, tenho certeza que irei amar esse livro também. Adoro crônicas, e saber que essas são super divertidas e contagiantes já me anima muito. Adorei ver seu ponto de vista, com toda certeza lerei em breve!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir