13 setembro 2016

Resenha - Mundo Númerico





Sophie se encontra bastante confusa ao aparecer, estranhamente, em uma floresta. Sozinha, perdida, anda sem rumo até que é encontrada por uma menina que se diz ser a número 2. Sem entender muito bem o motivo, se vê no meio de uma guerra entre números pares e números ímpares! A moça descobre que também atende por um número, 4. A vida é bastante incomum e Sophie precisa entender o motivo de ter ido para aquela realidade.

Livro: Mundo Númerico
160 páginas || Skoob || Cortesia: Editora Pandorga || Onde Comprar











No enredo de ‘’Mundo Numérico’’ conhecemos a  personagem Sophie, que ao acordar sozinha em uma floresta no meio do nada, acaba sendo encontrada por uma garota de nome Número 2 que lhe ajuda levando-a para um local seguro onde outras pessoas perdidas assim como ela ficavam.

‘’Então olhei para a frente, e um muro gigantesco, que deveria ter três metros de altura, surgiu. Em seu portão cinza li a escritura com certa dificuldade, parecia que estava em outra língua, mas logo pude entender. Dizia: Pares’’

Além dos muros, tudo era muito estranho para Sophie, ou melhor, agora Número 4, pois lá havia um centro comercial enorme onde as pessoas não utilizavam dinheiro para adquirir o que precisavam; tudo era na base da troca. Além disso, nas ruas, haviam muitas casas numeradas para cada um de seus donos. Cada uma ao seu estilo, principalmente a de Sophie que podia fazer o que queria em relação à decoração. Era só pensar que tudo acontecia bem diante de seus olhos. Tudo como um passe de mágica.

‘’Logo uma grande cratera me engoliu. Estava vazia, sozinha, abandonada em um lugar desconhecido, ilógico, inexistente... Eu não podia estar lá de verdade, eu devia estar delirando. Se aquilo era real, será que eu era real? Será que eu existia? E se eu fizesse parte da imaginação de alguém? Se tudo aquilo fosse uma história em quadrinhos? Será que eu saberia?’’

Após se instalar naquele lugar que julgava bem estranho, Número 4 (Sophie) vai em busca de respostas para entender o que está acontecendo e sua amiga Número 2 deixa um recado para que vá a procura de Pitágoras, pois ela poderia lhe dar as respostas que precisava para suas inúmeras perguntas, que não eram poucas.

Chegando onde se encontrava Pitágoras, ela se depara com uma construção absolutamente magnífica. Tratava-se de um triangulo retângulo de cem andares. Lá ela encontra uma moça chamada Hipotenusa que lhe explica vagamente o que está acontecendo, porém Número 4 continua sem entender e tenta então seguir o que a moça lhe diz e construir uma vida naquele lugar se acomodando em sua nova casa até encontrar as respostas que tanto procura e assim passar, quem sabe, para o próximo mundo.

Sophie faz diversas amizades e ajuda outras pessoas que também chegam naquele lugar estranho buscando por respostas de como foram parar lá. E assim, com sua amiga, Número 14 , Clara, e de seu conselheiro 9,01, vão juntos se unir para encontrar todas as respostas de que precisam e tentar compreender tudo que está havendo, ou pelo menos tentar né?.

‘’O tempo fazia meus amigos se esquecerem de onde vieram, fazia com que esquecessem seus nomes, fazia-os ter uma vida mundana. Não percebiam mais a magia que os cercava, o mistério de onde estávamos por quê? Ninguém mais pensava nisso, ninguém mais ligava para o motivo da nossa existência. ’’


Primeiramente quando vi esse livro entre os lançamentos da Editora Pandorga, fiquei bastante curiosa com sua sinopse, principalmente por se tratar de um livro de fantasia que continha um mundo Paralelo chamado Mundo Numérico, até ai, tudo ok!

Só que ao contrário do que eu achei, acabei não me envolvendo com a história por conta da maneira como a autora elaborou as coisas e também pela forma como tudo acabou se desenrolando, pois para mim acabou sendo um tanto confuso e vago. 

Achei até que com o passar das páginas tudo iria melhorar e que com o tempo iria começar a entender o que a autora estava querendo passar.  Até certo ponto eu entendi o que havia acontecido com Sophie, depois chamada de número 4 e com tantos outros personagens que também não são chamados pelos nomes e sim por números. Mas qual foi à conclusão disso tudo na história? Não vou dizer que a ideia da autora não foi criativa, mas não achei proposito nas coisas que foram contadas, principalmente quando fui chegando ao seu desfecho. 

Percebi até que muitas coisas foram sendo explicadas resumidamente... Sophie acorda no meio de uma floresta e se encontra perdida e então assim que é encontrada vai para um lugar onde ninguém explica coisa com coisa, pois ela terá que descobrir tudo sozinha. Até ai beleza, mas com o passar das páginas não consegui me inteirar com aquele mundo e muito menos com os personagens que foram aparecendo. Faltou um pouco de clareza quanto ao que Sophie deveria fazer para esclarecer seu paradeiro ali.  

Em uma parte do livro fala até de uma guerra entre os números: os Pares e Ímpares, e até onde sei, essa guerra não aconteceu, porque pelo que entendi foi tudo imaginação da cabeça de Sophie e logo depois tudo vai se resolvendo de uma maneira que quando se percebe, o livro já terminou deixando uma abertura para um próximo volume. Só que sei lá, não sei dizer para vocês o que realmente aconteceu na história. Não sabia nem como escrever essa resenha de tão estranho que foi para mim.

Resumindo... Eu acho que poderia ter sido explicado com mais clareza e os personagens melhor trabalhados, porque eu realmente não consegui me envolver e muito menos compreender o que foi acontecendo. 

E por isso, resolvi dar 2 Estrelas, porque quem me conhece sabe que eu adoro um livro de fantasia e é muito difícil eu dar uma nota tão baixa assim para um livro. Não desmereço a autora, até porque tudo é um aprendizado e acho até que em um segundo livro tudo pode ser mais bem explicado e até de uma maneira um pouco mais CLARA para que todos possam entender melhor a ideia que a autora quis nos passar.

Como eu havia dito acima, eu entendi o porquê da menina ter ido parar no outro mundo, pois eu até havia descoberto antes mesmo de ser revelado, mas as outras coisas que foram acontecendo e principalmente o papel de alguns personagens que foram aparecendo eu sinceramente não entendi nada. Não compreendi nem qual foi a importância de cada um ali. Foi realmente uma experiência bem estranha que tive e que infelizmente não me agradou.


Quanto a diagramação preciso dizer que está impecável. A arte da capa achei maravilhosa, porque contém o desenho de uma fechadura de porta no qual tem tudo haver com a história, pois os personagens usam chaves e a Sophie encontra uma porta no qual vocês irão entender apenas lendo. As páginas são amareladas e a fonte é de um bom tamanho. Não encontrei qualquer tipo de erro de revisão. No geral a Editora Pandorga Caprichou!

Enfim... Não tenho muito a dizer, apenas quero deixar claro que essa é minha opinião. Eu li o livro e realmente não consegui me envolver. Mas outros leitores podem ler e até mesmo gostar e compreender o que a autora quis passar nessa história. Se alguém ler e quiser conversar sobre ele comigo, me procure, pois ficarei feliz de compreender melhor tudo que houve.

17 comentários:

  1. Olá
    Eu não conhecia essa título, a capa é bonita, mas confesso que a sinopsr não chama a minha atenção, por mais que a questão numérica possa parecer, a princípio bem intrigante e curiosa. Eu sou apaixonada por fantasia, então até poderia conferir para tirar minhas próprias conclusões. Uma pena que você não se envolveu, pelo menos não como gostaria né?! Compreendi bem seus pontos de vista e achei ótimo pela sinceridade.
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Silvana, ainda não conhecia o livro e como não sou muito fã de fantasia, deixarei a dica passar. Que pena que o livro não te envolveu e que você não entendeu algumas situações. Realmente, é chato quando questionamos a pertinência de determinados personagens. Mas adorei a sua sinceridade!!!
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Ah, que tristeza, flor.
    O livro realmente parecia interessante pela sinopse. Lendo sua resenha, percebo que a autora se perdeu na dosagem de fantasia e tudo acabou ficando muito na imaginação da protagonista. Por fim, os fatos foram apresentados e abordados superficialmente... Hmmm, não pretendo ler. Depois da sua crítica, noto que não é o tipo de leitura que me agradaria. Parabéns por ter escrito uma resenha tão clara.

    Beijos!
    www.myqueenside.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oie!
    Nossa, eu imagino o quanto ficou frustrada com esse livro. É tão ruim quando esperamos tanto de uma história e ela não nos agrada. Já aconteceu comigo várias vezes, e sempre tenho vontade de parar logo na metade da história´. Uma pena que não tenha gostado da história desse livro.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  5. Oi, Silvana. Eu não curti muito a capa mas gostei bastante da premissa do livro e achei a proposta dele bem diferente. Só acho que vi alguns spoilers na sua resenha, talvez não mas o fato de você ter falado que a guerra dos pares e ímpares pode não ter acontecido por ter sido imaginação, e acho que foi revelação demais, não? Mas enfim, eu gostei do enredo e até fiquei curiosa para conhecer essa fantasia.

    ResponderExcluir
  6. Ai gente, só de se tratar de números já não gostei. Desculpa, sou de humanas hahaha Brincadeiras a parte, a ideia do livro é bem criativa, mas fiquei muito pé atrás com a sua resenha. Eu adoro fantasia e uma coisa criativa dessa realmente merecia ter sido melhor desenvolvida. Acredito que para eu saber a minha opinião sobre, só lendo mesmo.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olá Silvana.
    Bom a premissa do livro tinha tudo para ser um livro maravilhoso, mas lendo sua resenha percebi que autora meio que se perdeu no próprio enredo. O livro de fantasia em si na minha opinião é o gênero que mais tem que envolver o leitor por que o tira da realidade e pelo que vi não te envolveu. Achei a capa muito bonita, mas vou deixar a dica passar. Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Eu me interessei muito pela premissa do livro, e realmente tinha tudo para dar certo, mas infelizmente a autora não soube levar o livro né? Deve ser horrível você terminar a obra com a sensação de que não entendeu nada do que você leu. Então vou deixar a dica de lado.
    Beijos.

    https://arsenaldeideiasblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  9. Oie Sil.
    Apesar de amar fantasia esse é o tipo de livro que eu deixaria passar, desde a capa que não me chamou atenção até a sinopse que não me agrada muito, e você dizendo que ele não envolve só reforça minha falta de vontade.
    Bjokas e boa resenha.

    ResponderExcluir
  10. Oii,
    Eu gosto de ler fantasia, mas essa já não me agradou muito pela capa, nem cheguei a ler a sinopse, fui direto pra resenha, nas primeiras partes eu estava gostando, mas depois fui achando melhor a dica passar.
    Adorei a resenha e sua opinião sincera!!

    Abraços!

    http://lendocomobiel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi!
    Céus, a pessoa escreve um livro de fantasia com mundo paralelo e resume algumas coisas/explicações? Pra mim não da. Fantasia você precisa criar bem a história, desenvolver bem, explicar direitinho, inserir o leitor nesse mundo. Fiquei decepcionada ao ler sua resenha, pois achava que a história tinha potencial (eu amo fantasias). É uma pena que foi ruim.

    Parabéns pela resenha.

    =)

    ResponderExcluir
  12. Olá Silvana,
    Aprecio quem curte o gênero. Até hoje li poucos livros dele e não tenho o costume de ler. Quando vi a capa e sinopse dessa obra não fiquei interessada nessa leitura, a situação piorou um pouco quando li sua resenha. Acho que a livros fantásticos precisam ter uma boa base e descrição e esse livro não tem isso.
    Vou continuar com minha primeira impressão de não querer ler.
    Parabéns pela resenha e sinceridade.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  13. Oi, tudo bem?
    Eu não costumo ler fantasias, logo não fiquei muito animada com esse livro de cara, sabe? Mas lendo sua resenha fui ficando curiosa com toda essa coisa de número, esse mundo paralelo que tem a Hipotenusa e tudo o mais. No entanto, desanimei muito ao ver que foi uma história um tanto confusa em alguns pontos e que a autora nao sou be construir tudo tão bem :/ Enfim, não acredito que seria uma leitura que me agradaria, então eu passo a dica.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  14. Também pensei que esse livro seria muito legal, pelo fato de amar fantasia e querer saber mais sobre esse universo, ainda bem que li a resenha antes de adquirir o livro. Com certeza iria me confundir com os nomes dos personagens, que são em números, principalmente se o enredo for cada vez mais aumentando. Achei criativo isso de batalha entre pares e impares, mais é uma pena que a autora não tenha desenvolvido a história.

    ResponderExcluir
  15. Oi,
    Acho que vi alguma divulgação do livro, mas não me entusiasmei pra fazer a leitura porque sempre que posso fujo do que envolva números. Confesso que não faria a leitura antes e agora depois de ler a sua resenha,menos ainda pois a trama parece ser confusa e isso não é algo que eu tenha buscado numa leitura ultimamente. Também não curti a capa do livro, a imagem é muito bonita, mas a tipografia que usaram pro título parece distorcida,não encaixou legal na minha concepção.
    Mesmo,assim a resenha está ótima, você soube muito bem elucidar a sua opinião.
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Olá, Silvana! Que pena a história ter sido confusa pra você. Eu não conhecia o livro e não costumo ler muitos do gênero, mas achei interessante a ideia dos números, por não ser algo muito comum de se ver. Achei criativo os personagens com nomes "Pitágoras" e "Hipotenusa", mas também não sei como funcionam na história. Achei a capa bonita e pelas suas fotos a diagramação também. Acho que resta torcer para que a continuação te agrade e esclareça as lacunas que este deixou. Você pretende ler o próximo?

    Bjs,
    Yohana Sanfer.
    http://www.papelpalavracoracao.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Oi!
    Nossa essa história parece ser bem confusa! Não gostei muito por causa de envolver matemática, só pelo começo da resenha já fiquei tonta de ler "Pita goras","hipotenusa"... Pra piorar você ainda disse que o livro fica bem vago, a impressão que eu tive é que a autora teve uma ideia legal mas se perdeu no meio caminho e acabou indo parar junto com a Sophie (perdida na floresta, no caso os pensamentos).
    Espero que a continuação esclareça esses pontos vagos.
    Ps: também achei a capa linda e também sou fã de fantasia
    Beijos

    ResponderExcluir