21 setembro 2016

Resenha - Métrica





O romance de estreia de Colleen Hoover, autora que viria a figurar na lista de best sellers do New York Times, apresenta uma família devastada por uma morte repentina.
Após a perda inesperada do pai, Layken, de 18 anos, é obrigada a ser o suporte tanto da mãe quanto do irmão mais novo. Por fora, ela parece resiliente e tenaz; por dentro, entretanto, está perdendo as esperanças. Um rapaz transforma tudo isso: o vizinho de 21 anos, que se identifica com a realidade de Layken e parece entendê-la como ninguém. A atração entre os dois é inevitável, mas talvez o destino não esteja pronto para aceitar esse amor.





Livro: Métrica #1
304 páginas || Skoob || Editora: Galera Record || Onde Comprar









Antes de tudo, vou pedir licença para ser breve ao falar sobre a história, "Métrica" é o tipo de livro que quanto menos você souber, melhor será a experiência. Bom, vamos falar sobre o primeiro livro da Colleen Hoover, a autora que vem conquistando tantos corações ultimamente.

Depois da morte do pai, Layken se vê obrigada a mudar do Texas, onde viveu sua vida inteira, com sua mãe (Julia) e o irmão mais novo (Kel), para o Michigan. Logo que chegam à nova (e muito menor) casa, Kel faz amizade com o vizinho Caulder, que também tem nove anos.

Por causa da brincadeira do irmão, Lake conhece Will Cooper, irmão de Caulder, e os dois se conectam quase que imediatamente como se ambos se conhecessem desde sempre. Will a convida para um encontro e a apresenta ao Slam Poetry, uma competição que combina poesia e performance. Tudo parece bem, mas não vai ser tão simples para Will e Lake ficarem juntos, as circunstâncias da vida reservam outros planos para eles. Ao ver sua vida virada do avesso, Lake contará com o apoio de Eddie, sua nova melhor amiga, e encontrará muitas das respostas que precisa na poesia.

“Fico imóvel, tentando assimilar os últimos quinze segundos da minha vida. De onde foi que surgiu aquilo? Por que é que eu fiquei lá parada, deixando que ele fizesse aquilo? Apesar das minhas objeções, percebo, de modo ridículo, que tinha acabado de vivenciar o beijo mais apaixonante que já recebi de um garoto – e foi na porcaria da testa!”

Fiquei um bom tempo pensando em como escrever esta resenha, "Métrica" é um dos meus livros preferidos e eu não poderia ser injusta chegando aqui glorificando o livro. Não vou dizer que é um romance incrível, porque não é, é bem simples para falar a verdade, mas é a sutileza dele que faz dele tão especial.

Dizer que um livro tem clichês já está se tornando um clichê, mas a gente precisa mencionar (para ninguém dizer que eu não avisei – risos). Agora que isso já foi mencionado, vou contar como foram minhas experiências com este livro (sim, eu já reli várias vezes).

Na primeira vez que li Métrica, o “instant love” dos protagonistas me incomodou, lembro de ter pensado “wow, isso foi rápido” e fiquei com um pé atrás, mas decidi relevar e continuar lendo com o coração aberto. O segredo dele é tentar não ler para ser crítico, mas para entender o que os personagens estão passando e pensar no que você faria no lugar deles. Apesar das coisas de sempre, o livro é original em vários aspectos.

Layken é tão imatura quanto o Will é apaixonante, pode ser difícil gostar dela por conta disso, mas uma das coisas que mais gosto na história é essa luta entre a imaturidade e o peso das responsabilidades que estão caindo sobre ela, a fivela mágica de uma memória com o pai dela não pode consertar todas as coisas que estão dando errado. Will teve que crescer mais rápido do que queria e quer que a Lake amadureça no tempo dela.

Não posso deixar de comentar alguns personagens como a mãe da Lake que entende os sentimentos da filha e respeita o tempo que ela precisa para lidar com os fatos. A espontaneidade da Eddie depois de tudo que ela já passou e, é claro, Kel e Caulder, a maneira inofensiva como eles veem o mundo é maravilhosa.

“- Sua irmã falou que hoje nós vamos ter uma conversa?

- Falou. Mas nem precisava. A gente vai comer lasanha.

Minha mãe e eu olhamos para ele.

- Toda vez que comemos basanha é porque tem uma notícia ruim. Vocês fizeram basanha quando vovó morreu. Fizeram basanha quando me disseram que papai tinha morrido. E fizeram basanha quando me disseram que a gente ia se mudar para o Michigan. E estão fazendo basanha agora. Ou alguém está morrendo ou a gente vai voltar para o Texas.”

O conceito de poesia livre como forma de expressão é, com certeza, o melhor ponto desenvolvido na história. Assim como aquelas poesias trabalhadas e metrificadas, nossos sentimentos podem ser complexos e nós mesmos complicamos ainda mais, mas quando você simplesmente escreve aquilo que está sentindo sem se preocupar em parecer rebuscado, percebe que não precisa ser tão complicado. Convido vocês a tentar curtir essa história tanto quanto eu – e também desejar que tivesse Slam Poetry na cidade de vocês.

Eu sempre gostei de ler e, principalmente, escrever poesia, então a temática facilmente me conquistou. Essa ideia de “tudo o que pode dar errado, vai dar” parece cruel, mas assim é a vida, nós temos que aproveitar o máximo dela. Toda vez que eu releio este livro, encontro algo que não tinha percebido antes. Sempre volto para ele quando preciso de uma pausa, porque ele parece ter tudo na medida certa quando você só precisa de uma leitura leve e sensível. Não é todo mundo que terá essa mesma sensação, mas todo mundo a encontrará em algum livro em algum momento da vida.

A edição da Galera Record é simples, perfeita para não entregar do que se trata e deixar que o próprio leitor descubra. As poesias possuem partes em itálico e negrito para enfatizar as partes que são enfatizadas nas apresentações. E o mais legal da edição é que todo início de capítulo tem um trecho de uma música dos The Avett Brothers, a banda preferida da Lake e do Will, e eles existem de verdade! Gosto muito mais das letras que das músicas em si, mas se você quiser conferir é só clicar aqui.

29 comentários:

  1. Olá
    Eu sou muito apaixonada por esse título e grande fã da autora. E adorei poder ler seus comentários a respeito, especialmente por ter me identificado tanto com seus comentários. Ah, só de ler a resenha já sinto vontade de reler. Muito amor <3
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bom?
    Então, quando via as pessoas falando desse livro nunca mencionaram que se tratava de uma história clichê, então, obrigada por avisar! rs Ainda assim, fiquei super curiosa em relação a leitura, justamente por esse contraste entre uma personagem imatura e alguém que carrega demasiada responsabilidade. Deve ser interessante ver um romance sendo construído entre personalidades tão opostas. Fiquei muito curiosa para conhecer esse conceito de poesia livre abordado na história, então, sugestão anotada.


    Beijos!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
  3. Eu tenho muita curiosidade com esse livro. Gostei bastante da maneira como você fez essa resenha, não está reveladora mas está instigante. Eu acredito que o livro vai me agradar muito e pelos seus comentários sobre ele eu digo que fiquei ainda mais curiosa. Eu ainda não sabia desse lado clichê, na verdade, eu conhecia pouco sobre o livro mas sempre morre de curiosidade com ele.

    ResponderExcluir
  4. Oi, esse livro parece encantador, não é? Claro que você vai dizer que sim. hahaha. Queria te dizer que é na simplicidade que encontramos as melhores coisas, por isso você deve ter gostando tanto do livro. Fora que ele traz experiência para você. Eu nunca li um romance da Colleen Houver. Não me julgue. Porém, você me fez querer fazer isso agora. Não sou muito fã de romances clichês, mas quem sabe eu goste...

    http://porredelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Luana,
    Eu acho esse livro lindo. Me apaixonei pelo Will e chorrei horrores em alguns momentos. Além também de trazer a poesia como um dos temas, geralmente as pessoas tem mais barreiras com esse tipo de literatura.
    Hoje não acho esse livro tão bom como outros que a autora já escrever e acho que nas sequências dele a Hoover perdeu a mão.
    Achei suas colocações sobre o livro bem pertinentes e acredito que a autora tem essa capacidade de criar personagens que nos pareça de fato reais e não algo realmente de ficção.

    Bjs,
    Garotas de Papel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thiana! Também senti que a autora perdeu a mão nas continuações, me decepcionei muito, principalmente com Pausa, depois de ter gostado tanto de Métrica, mas faz parte. Uma hora a gente ganha, na outra a gente perde hahaha beijos

      Excluir
  6. Oi!

    Eu to começando a ler obras da autora apenas esse ano e tenho gostado bastante do que tenho lido. Fiquei bem curiosa com esse livro, o achei lindo e com uma premissa bem cativante. Eu gosto de histórias simples, confesso, acho que a beleza está justamente nelas. Fiquei bem interessada nessa obra e depois de uma resenha tão boa quanto a sua, preciso conferir. Haha.

    bjs =)

    ResponderExcluir
  7. Eu adoro a ideia desse livro e com certeza pretendo lê-lo em breve! Especialmente porque gosto um bocado de poesia, ainda mais depois que me formei em Letras, lá em 2012.
    E com uma protagonista dessas, não tem como ignorar. Quero ver como ela age e se sente diante dessa situação toda!
    Beijos!
    Lady Trotsky, http://rillismo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Olá,
    Ainda não tive a oportunidade de conhecer esse livro de estréia da autora, mas já tive contato com sua escrita com a série Hopeless e Never Never e simplesmente fiquei encantada. Métrica é uma das minhas próximas leituras e estou muito ansiosa para ver como Layken e seu vizinho se conhecem e o que isso irá gerar.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Eu estou para ler esse livro a muito tempo, mas nunca acho um tempo para isso. A história apesar de ser clichê me conquistou totalmente e fiquei muito curiosa para conhecer a história que fez com que a autora fosse conhecida aqui no Brasil.
    Sua resenha está maravilhosa e vou tentar ainda esse ano ler o livro.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  10. Métrica foi meu primeiro contato com a escrita da Hoover embora depois tenha lido varios. Confesso que gostei bastante na época, mas se comparar com outros livros dela foi o mais bobinho e sem sal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Concordo com você, levando em consideração que foi o primeiro livro publicado da autora, é muito legal notar em como ela cresceu nos romances seguintes. Mesmo assim, Métrica tem um lugarzinho especial no meu coração hahaha entendo sua colocação ;)

      Excluir
  11. Adoro a Colleen! *-* Meu livro preferido dela é de longe Um caso perdido, mas também gostei muito de Métrica. E como não se apaixonar por Slam Poetry?? Olha que não curto poesia nem um pouco, mas desse tipo, junto com a performance, aí eu iria sempre assistir! Nem percebi que o amor foi uma coisa que aconteceu muito rápido, rs, talvez por ter gostado tanto dos personagens e ter conseguido acreditar nos acontecimentos.

    ResponderExcluir
  12. Oie!
    Já ouvi falar algumas vezes desse livro e a cada resenha fico ainda mais curiosa para saber mais, seus comentários me fizeram querer conhecer mais a história, principalmente saber mais sobre o Will, que aparenta ser um personagem apaixonante.
    Beijos,Lari.
    Segredosdeumacerejeira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Oi Luana, tudo bem?
    Essa autora é elogiada por tanta gente que fico cada vez mais ansiosa para conhecer sua escrita. Esse livro me parece ser incrível por conta de como o relacionamento entre os dois personagens é desenvolvido. Will parece mesmo ser um personagem apaixonante, já que foi obrigado a amadurecer mais rápido e que apesar de Lake ser imatura, deseja que ela mude no tempo certo. Esse livro realmente deve ser incrível já que você o releu várias vezes e fico feliz por saber que cada vez que você lê, acaba notando algo que passou despercebido ou esquecido. Espero mesmo ler esse livro um dia, pois apesar de não curtir poesia me parece ser um romance inesquecível.

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  14. Olá!! :)

    Eu não conhecia este livro, mas quero ler algo da autora... Contudo, eu não sou grande fa do seu género literário! Mas vou experimentar!!

    Ainda bem que gostaste! :) Amei a capa! E alem disso, gostei dessa ideia desenvolvida... Da poesia e da simplicidade.. A verdade e que tendemos sempre ao contrario! ahah :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  15. Oi Luana, tudo bem?! Eu ainda não li nada da autora pois não sou muito fã de romances e fico sempre com um pé atrás para iniciar uma leitura do gênero. Mas o que me chamou a atenção nesse livro foi a inocência das crianças e os personagens que vão amadurecendo aos poucos. Talvez seja uma ótima oportunidade de conhecer a escrita da autora.
    Bj

    ResponderExcluir
  16. Oi!
    Eu já li três livros das Colleen Hoover e sou apaixonada pela escrita e histórias dela. Esse por incrível que pareça eu não tenho muita vontade de ler. A série não me despertou muita curiosidade, mas acredito que deva ser muito bom só por ser Colleen Hoover - mesmo não querendo ler, rsrs.
    E pelos três que já li e com a sua resenha, é bem perceptível que todos os livros dela puxam para um mesmo estilo, mas isso não tira o encanto, só torna uma característica da autora.
    Adorei a resenha!
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Olá...
    Confesso que meio que estou entrando na vibe dos fãs da Collen, durante muito tempo fui bastante relutante e evitei ler livros da autora, pois, não me identificava com o gênero da autora, porém, recentemente li O LADO FEIO DO AMOR e fui simplesmente fisgada pela autora e agora estou buscando novas histórias dela pra ler.
    Achei a sua resenha bastante sincera, e por isso, decidi ler MÉTRICA, pois, você me passou confiança.
    Beijos

    ResponderExcluir
  18. OI Luana!!

    Tudo bom?

    Eu entendo seus dois pontos de vista. O primeiro ao ler demasiadamente um livro por mais singelo que ele seja. EU tenho um que nunca resenhei,ele é hiper clichê mais adoro.Toda vez que estou melancólica o leio. O segundo ponto é ser clichê. Ser clichê não é ruim quando a autora ou autor sabe a direção correta, ao contrário, quando ele domina o assunto por mais dedutível que possa ser somos flechados. Beijos!!

    ResponderExcluir
  19. Olá
    Li esse livro tem mais ou menos dois anos e acho que sou a única que não caiu de amores por esse livro.
    Eu gostei mas não achei tudo isso que já ouvi falarem... e pra completar achei a Layken bem chatinha.Desisti da serie logo nesse livro..

    http://livroaoavesso.blogspot.com.br/2016/09/resenha-pecados-no-inverno-lisa-kleypas.html#comment-form

    ResponderExcluir
  20. Sempre ouço puro amores sobre esse livro, e sempre digo que vou começar essa série mas nunca tenho coragem, eu estou tão cheia de séries para terminar que se eu colocar mais uma para ler agora acho que fico louca, mas com certeza irei ler um dia pois ele mexe com poesia que é uma coisa que eu amo, e aqui na minha cidae tem sim slam poetry <3

    ResponderExcluir
  21. Oii,
    Até hoje não li nada da autora, sempre que eu penso em começar a ler algo dela vejo outra coisa e mudo de livro, porque eu tenho vontade de ler para conhecer a escrita da autora porque as historias que ela escrevem não chamam MUITO a atenção. Vou tentar ler até o final do ano nem que seja só alguma coisinha.

    Abraços!
    http://lendocomobiel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Olá amore,
    Que capa LINDAAAAA!!! Não conhecia nem a autora e nem o livro... mais de cara já amei!!!
    Outra coisa que me instigou à leitura é a questão da poesia, algo que tenho lido com mais frequência...

    Parabéns pela belíssima resenha!
    Beijokas!!!
    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir
  23. Olá Luana,
    Fiquei muito contente por saber que esse livro é um dos seus favoritos da vida. Ainda não li nada da autora e me sinto vivendo numa pedra, sim!. Não gostei muito da premissa de Métrica, acho que é uma história bem clichê com coisas acontecendo rápido demais. Outra coisa que me afasta dessa leitura é ter lido, várias vezes, que a autora se perdeu na continuação.
    Acho que, mesmo você escrevendo com tanta paixão, vou deixar a dica passar.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  24. Olá!!

    Esse ano eu entrei em contato, pela primeira vez, com os livros da CoHo. Tenho que dizer que fiquei chateada comigo mesma por ter demorado tanto para ler algo dela, fiquei simplesmente encantada com a escrita da autora e com as histórias criadas por ela.
    Tenho certeza que Métrica irá me agradar da mesma forma que agradou a você, adorei ler seus comentários, me deixaram bem curiosa. Obrigada pela dica.

    Ingrid Cristina
    Plataforma 9¾

    ResponderExcluir
  25. Olá,

    CoHo é rainha!
    É uma das minhas autoras favoritas, já li quase todos os livros lançados no brasil e a cada nova leitura uma surpresa e um amor diferente. Métrica foi meu primeiro contato com a autora e por isso tem um lugar especial no meu coração. E o Will me marcou muito também, o cara perfeito <3

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  26. Oie
    Tudo bem?
    Eu adoro a Colleen mais não peguei esses primeiros livros dela para fazer a leitura ainda até tenho a versão digital se não me engano li os 5 primeiros capítulos mais deixei de lado (as vezes prefiro versão impressa) eu li alguns titulos da autora e ela é simplesmente magica assim como você vejo muita gente morrendo de amores por esse livro/serie quero muito ler.
    Adorei sua resenha sem spoiler tenho certeza que vou amar fazer a leitura e quem sabe não fico apaixonada assim como você *____*
    Bju
    Mary Reis

    ResponderExcluir
  27. Oi tudo bem?

    Essa autora é muito falada na net né?Eu ainda não li nada dela, mas se for começar a ler, irei preferir começar pelos livros mais atuais dela, sei lá, essa serie da Métrica nunca me pegou não. A resenha está linda e bem escrita.

    bjs

    ResponderExcluir