29 setembro 2016

Resenha - Cabeças de ferro




Nem em seus piores pesadelos, Malu imaginava que sua vida universitária começaria tão tumultuada!
Ela acaba de ser aprovada no concorridíssimo vestibular da “Universidade dos Cabeças de Ferro”, e agora, com o apoio de Nicolas – que sonha ser muito mais que seu amigo –, prepara-se para encarar o temido trote da Engenharia.
O veterano designado para aplicar o trote em Malu é ninguém menos que Artur Cantisani, o seu sexy arqui-inimigo, responsável pela humilhação que ela sofreu aos 11 anos de idade, na frente de toda a escola.
Inesperadamente, porém, quando o trote começa, Artur despeja a gosma não em Malu, mas em outra caloura, que sofre um choque anafilático! Veteranos e calouros fogem, deixando Malu, Artur e Nicolas sozinhos na “cena do crime”.
Mas por que a gosma despejada na caloura era a única de cor diferente? E por que todas as outras garrafas com gosma desapareceram sem deixar rastro? Alguém estaria tentando ocultar provas? Os estudantes da Engenharia estariam na mira de um assassino?
Envolvidos até o pescoço, Malu e Artur, apesar de se odiarem, não têm outra saída a não ser unir seus cérebros brilhantes para desvendar o que há por trás de tanto mistério.

Livro: Cabeças de Ferro #Vol. 01
304 páginas || Skoob || Cortesia: Editora Jangada || Onde Comprar 









Malu está preste a passar pelo trote mais temido da "Universidade dos Cabeças de Ferro", o da engenharia. Como ela passou em primeiro lugar no vestibular a pessoa que irá aplicar seu trote será aquele que passou em primeiro lugar no semestre passado, e para sua sorte, ou azar, essa pessoa é Artur Cantisani, seu ex-melhor amigo de infância e atual inimigo.

"- Calouros vão morrer! Calouros vão morrer!
Esse foi o grito de ameaça que me recepcionou no meu primeiro dia de aula na UPN, a Universidade Ponto Sem Nó."

O trote transcorria como o planejado até o momento que Artur deveria despejar em Malu uma mistura de coisas nojentas, mas por alguma razão ele quebra a tradição e joga na menina do lado, então, Malu fica momentaneamente sem entender até que sua atenção, e de todos no local, volta-se para a caloura com o líquido sofrendo um choque anafilático. Todos no local se desesperam. Calouros e veteranos saem correndo com medo das consequências, mas Malu, Nico (seu melhor amigo) e Arthur ficam para prestar socorro a vítima e ajudar os paramédicos a descobrirem o que causou o choque.

"- Cinco, quatro, três, dois, um! Manda ver, Cantisani!
Tudo aconteceu muito rápido. [...]
Artur havia despejado o líquido na garota japonesa ao meu lado. Não em mim."

Mesmo tendo jogado a mistura na menina, Artur se diz inocente pois não foi o responsável a preparar o liquido, e mais, ele descobre que sua garrafa, no qual despejaria em Malu,era a única com um líquido de cor diferente, o que sugere que alguém sabotou o trote da engenharia. Mas quem será o responsável? Malu estaria na mira de um assassino?

Juntos, Malu e Arthur deixam as suas diferenças de lado e vão em busca de pistas que provem que ele é inocente, e que de fato alguém tentou matar a jovem. No processo os dois descobrirão que não se odeiam tanto quanto imaginavam, ou será que amor e ódio andam juntos?




[- Minhas Impressões -]

Já faz um tempo que conheço a escrita da Carol Sabar por decorrência de ter lido Azar o Seu e Como quase namorei Robert Pattinson, então fiquei bem empolgada sabendo que sairia mais um livro dela. Não faço a miníma ideia do por que, mas pela sinopse achei que a autora estava partindo do check-lit já conhecido para algo mais de mistério e suspense, já que teríamos um quase assassinato na universidade, mas me enganei, e fico muito feliz por isso. O livro é divertido e com traços daquilo que tanto amo na escrita da autora.


Na história conhecemos Malu, uma jovem bem acima da média no quesito Q.I já que passou em primeiro lugar no vestibular de Engenharia da Produção. Mesmo tendo gostado bastante da personagem, confesso que me irritou um pouco ela sempre estar se gabando pra si mesma sobre o quanto é esperta, e as inúmeras razões que a tornam a chamada "genia". Como o livro é passado pelo ponto de vista dela, teve vários momentos que contamos com seus argumentos e opiniões pessoais pra determinados assuntos, como ela falando pra si mesmo que precisa ter foco, ou pedindo desculpa por algo que pensou. Isso tornou a narrativa bem gostosa de se ler, até porque a Malu é bem doidinha, e muito teimosa. Senti muita vontade de pegá-la de lado e dar uns bons conselhos já que sua impulsividade só complicava as coisas pro seu lado.

"E não era uma tatuagem qualquer, mas uma muito sexy: o desenho de um pi (π), o número irracional que tem origem na relação entre o perímetro de uma circunferência e seu diâmetro (eu acho o pi sexy, dá licença?)"

Também achei a personagem bem incrível, Malu é bem esperta mas não percebe coisas que estão na sua frente o que gera várias questões e medos pessoais, como o fato de seu melhor amigo Nicolas ser apaixonado por ela desde a infância e a tapada nem perceber que isso pode acabar com a amizade entre eles. Aliás, Nico é um personagem que dividiu minhas opiniões, ao mesmo tempo que torcia para que Malu desse uma chance á ele, me irritava o fato dele estar constantemente em cima dela com investidas e achar que tem direitos por simplesmente estar afim. O que contribuiu ainda mais nesse pensamento negativo sobre ele, é a forma como ele age depois que desenrola alguns assuntos, foi como se ele se transformasse em outra pessoa.

"Traí a confiança do meu amigo em atitude e pensamento. E não faço ideia de quantas vezes ainda irei traí-lo"

Já Arthur me conquistou de cara. Tenho esse fraco por mocinhos marrentos e cheios de si, e ele é exatamente assim. Também muito inteligente, porém cheio de problemas com sua família que o fazem ser recluso em si. A principio pensei que ele fosse o grande vilão do livro por ser considerado o inimigo da protagonista, mas conforme as coisas vão rolando percebemos que na verdade ele é a ponta de um triângulo amoroso. Malu fica dividade entre tentar com Nico ou cair de amores pelo cara que um dia a humilhou. Parece uma escolha fácil, mas acreditem, não é!

"A parte boa de se conhecer profundamente uma pessoa é que, na maioria das vezes, as atitudes dela se tornam totalmente previsíveis. A parte ruim é que, na maioria das vezes, o imprevisível é bem mais emocionante."

De tudo na história o que mais me chamou atenção foi a abordagem dos trotes vexatórios nas universidades. Esses trotes geralmente são bem pesados e em grande parte saem fora do controle, e foi exatamente isso que Carol expôs na trama. O trote pode sim ter sido sabotado, mas a prática é repudiada, principalmente por servir para humilhar. A autora tratou não somente disso, como também toda repercussão teve ante a faculdade, e seus integrantes,  já que os alunos automaticamente começaram a tratar o Artur como um pária. Ele culpado ou não, a atitude de jogar o liquido foi dele.

Uma outra grande questão sobre o assunto também foi levantada. Quando algo sai do controle, afinal, a culpa é de quem? Da pessoa que aplica o trote. Da pessoa que aceita participar por livre e "espontânea" vontade do trote, ou da universidade por não ter um controle mais rígido?  Querendo ou não, são questões de apelo social que foram abordadas com extrema destreza na trama.

A parte física do livro está fantástica. Demorei séculos para associar que o título Cabeças de Ferro, faz referência as pessoas consideradas CDF's. A arte da capa trás toda essas essência de que a história se passa numa universidade para pessoas muito inteligentes, e interiormente as letras e espaçamentos estão num ótimo tamanho para se ler, também não encontrei nenhum erro durante a leitura.

Cabeças de ferro se revelou um livro com uma pegada mais Young Adult, trazendo muita diversão e um toque de aventura / suspense, já que Malu e Artur precisam descobrir quem de fato é o culpado pela sabotagem. Todo mundo que achei que era se revelava inocente, mas confesso que antes que o livro terminasse já sabia quem era o autor, e quando chega de fato o fim, fiquei maluca pois queria saber o que vinha a seguir. Recomendo a leitura a todos que amem um bom livro jovem adulto nada previsível e que trás um assunto pouco falado, mas de extrema importância. Os trotes são ainda aplicados e cada vez piores, ver que os autores estão trazendo isso em pauta me enche de orgulho da literatura nacional.

15 comentários:

  1. Oi, Stefani. Que resenha maravilhosa! Eu julguei esse livro pela capa, mas agora que vi a sinopse e sobre o que fala, acho que já entrou para minha wishlist. Eu gosto de livros que se passam em universidades porque como estou estudando em uma, consigo me colocar no lugar das pessoas em diversas situações, além de conseguir visualizar muito bem algumas coisas. Eu acho os trotes horríveis, não participei do meu e não o faria. As perguntas que fazem, o jeito que te tratam é bem horrível, ainda mais sendo o primeiro dia nesse "novo universo". Mas tem aqueles que querem passar por esse marco, então... Enfim, não vou deixar de ler!
    Beijo, Visite o Leitora Encantada

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Eu também já conhecia a escrita da autora, por isso foi ótimo poder conferir mais essa obra, especialmente porque no final das contas foi uma leitura bem legal. Adorei poder conferir suas impressões, e ainda mais por ter me identificado tanto com suas opiniões. Ah adorei esse toque de aventura e suspense em meio ao romance.. personagens muito bem desenvolvidos.
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  3. Olá, nossa eu quero ler esse livro, já ouvi falar dos livros divertidos da Carol Sabar, já anotei na minha lista e ainda não li. Esse me parece que tem um certo mistério pra descobrir e já quero ler pra ontem. Obrigada pela dica pois esse livro eu não conhecia e gostei muito da resenha, bjs

    ResponderExcluir
  4. Olá
    Eu tô vendo que esse livro tá bem no auge, estou vendo várias resenhas dele ultimamente. Nunca li nenhum livro que se passe em faculdades ou coisa do tipo, não que eu me lembre. Achei bem chocante a parte do trote, realmente foi bem sério. Quanto a sua dúvida de sobre quem deve cair a culpa, acho que deve ser distribuído igualmente, mas de certa forma as universidades tem que tá um pouco mais atentas aos novos trotes criados, pois cosias assim não acontece apenas na ficção. Enfim, eu adorei o livro, e espero pode ler em breve. Até mais vê
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Eu jurava que já tinha visto uma resenha desse livro aqui no blog, mas devo ter me enganado. Essa história tem se popularizado bastante e eu tenho ficado bastante curiosa. A protagonista parece ser bem forte, e além do suspense envolvido, acredito que deva ser uma leitura bem leve. Adorei a resenha.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi!
    Eu adoro a Carol Sabar desde que li Azar o Seu e me encantei mas até ler a sua resenha não tinha ligado o nome à pessoa e fiquei surpresa ao descobrir que Cabeças de Ferro é mais um livro dela.Bom, gostei bastante da premissa dele e fiquei contente em saber que apesar do tema mais sério a autora manteve a pegada bem humorada. Mas o que me convenceu mesmo a ler esse livro foi esse desfecho em que, pelo o que entendi,nada é o que parece. Dica anotada com louvor.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Oie stef, que bom saber que você gostou do livro. Também achei bem interessante essa abordagem mais social das consequências desses trotes. Mas acho que a protagonista poderia me deixar meio irritada com seus ataques de gênia, e já vi em algumas resenhas dizendo que ela é fútil por ficar divagando sobre escovas de cabelo, então fico com certo pé atrás, mas se tiver a oportunidade lerei, até mesmo para conhecer a escrita da carol

    ResponderExcluir
  8. Oi Stefani, não tive uma primeira impressão desta autora muito boa. Li aquele livro com o Robert Pattinson no enredo e odiei muito. Mas com este aqui, fiquei bem curiosa e interessada em ler. Essa coisa dos trotes, me deixou curiosa, acho que nunca li nada que abordasse isso.
    Valeu pela dica
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Tô ouvindo falar muito nesse livro, e sempre algo positivo, por isso estou bem curiosa pra ler.
    Fiquei mais ansiosa por saber que não é nada previsível e aborda um assunto muito importante, os trotes, acho que nunca li nada com essa temática e ler algo assim vindo de uma autora nacional é mega importante.
    Lerei assim que possível!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia o livro nem a autora. E pra confessar não sou fã do gênero também, mas suas impressões me deixaram um cadinho curiosa com a leitura. Se você não falasse o porquê do título, acho que nunca associaria, apesar de ter sido uma a vida toda. Poxa, só fiquei meio bad por saber que você sou o que acontecia no final antes dele chegar.

    ;D
    Nelmaliana Oliveira

    ResponderExcluir
  11. Eu quero muito ler esse livro. A capa já chama atenção logo de cara mas a trama também é muito interessante. Acho que por ter essa pegada YA a leitura deve ser um pouco mais leve mas com certeza cheia de momentos decisivos. O que acho super bacana é o fato de falar um pouco sobre os trotes, assunto que precisa ser melhor avaliado.

    ResponderExcluir
  12. Olá Stéfani,
    Que legal que o livro te agradou.
    Acho a premissa da história bem interessante, pois já fui caloura e, na época, os trotes estavam em alta e era meio que uma obrigação passar, sabe? Graças aos céus, não participei!
    Gostei de saber das questões que foram levantadas pela autora e acho que ela trabalhou muito bem na história. Gostei também de o livro ter uma pegada mais YA acompanhada de um mistério e quero muito saber o que aconteceu com os personagens.
    Dica anotada.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  13. Li outra resenha que falava que a personagem era muito infantil, e acabei torcendo a cara, mas mesmo sabendo disso agora, com a sua resenha eu fiquei mais interessada em conferir o enredo, apesar disso. Trotes são sempre muito bizarros em alguns lugares, né? Ainda bem nunca passei por nada do tipo, então é um assunto que eu adoraria ler em um livro, vou dar uma chance!
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  14. Olá stefani, sua resenha como sempre esta ótima, não poupou detalhes e deixou a gente super curiosa para conferir o livro.
    Já li apenas um livro da carol que foi "como quase namorei o robertt pattison" e achei super legal e tenho super vontade de ler outros titulos da autora, e esse vai entrar para a lista com certeza, irei ler na ordem e conferir primeiro 'azar o seu" e depois correr para esse, beijos

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Eu amo a escrita de Carol, as histórias são bem alegres e suas personagens são sempre doidinhas. Fiquei muito empolgada para ler o livro e ver que ela acrescentou o elemento suspense. Quem será que fez a mistura? Só eu lendo pra saber né? Vou anotar a sua dica e ler em breve.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir