03 junho 2016

Resenha - Uma aventura Perigosa




Max de Castro é um funcionário público insatisfeito com trabalho e com problemas no casamento. Após uma crise de estresse em pleno expediente, incentivado por um psicanalista em um programa de entrevistas, escreve uma carta confessional, que deve ser escondida e destruída em 24 horas, mas a mesma desaparece, antes que ele pudesse fazê-lo.
Começa então o inferno de Max, angustiado pela possibilidade de seus maiores segredos serem descobertos, ou por sua esposa, ou por sua cunhada, a jovem Sophia, por quem se sente fortemente atraído. Uma série de coincidências atinge a vida de Max e ele descobre que nem tudo que ele sabe é verdade, e que todos tem segredos que precisam ficar escondidos a sete chaves.
No romance ‘Uma aventura perigosa’, George dos Santos Pacheco descreve de forma audaciosa e sem pudores as aventuras sexuais do “orgulhoso, impulsivo, e machista” Max de Castro, que se envolve com diversas mulheres ao longo da trama: jovens, universitárias e prostitutas. Com toques de humor e sarcasmo, Pacheco narra a impossibilidade de sair ileso a qualquer relacionamento, garantindo grandes surpresas aos leitores.

Livro: Uma aventura Perigosa
250 páginas || Skoob || Autor Independente || 



 ===>> Esse livro é recomendado para maiores de 18 anos.







Uma Aventura Perigosa é um romance erótico bem diferente dos convencionais e clichês que vemos por aí. Então se você está a espera de mais um romance com uma mocinha toda virgem se apaixonando por um bad boy que vai mudar por ela esqueça. Nesse livro para a minha grata surpresa você não vai encontrar nada disso.

Já no início do livro nos é apresentando o Max um cara que trabalha como funcionário público e se sente mal por sua mulher ser formada e ganhar mais que ele. Max está de licença médica após sofrer um acidente no seu trabalho e passando os dias em casa começa a reparar melhor em sua cunhada Sophia e se sente cada vez mais sexualmente atraído por ela. Em contrapartida sua mulher vive tendo que viajar e chegando em casa tarde por conta do trabalho, o que faz com que ele e Sophia se aproximem cada vez mais, e então, os dois se tornam amantes. Pois é isso mesmo!

No começo eu senti um puta ódio dos dois. Ficava me perguntando como ela podia fazer isso com a própria irmã ainda mais morando sobe o mesmo teto que eles para ter condições de cursar sua faculdade. E eu ficava me questionando enquanto Max estava lá traindo e tirando proveito de sua ausência, a coitada da Soraya estava lá trabalhando duro.

Traição para mim é traição independente dos motivos ou de com quem seja, mas ser traída pelo marido e a própria irmã deve ser algo muito pior.

"Decidi tomar um banho gelado para ver se acalmavameus ânimos, mas minha sensação era de que quanto mais eufugia, mais eu me tornava enfeitiçado por aquela garota.Permaneci o tempo inteiro sob a ducha pensando nela,lembrando-me de todos os detalhes de seu corpo que eu tiveraa sorte de vislumbrar, a pele coberta por óleo de amêndoasaromatizado, os diminutos pelos, os seios fartos, firmes edelicados... Fui interrompido pelo toque histérico do telefone esaí correndo do jeito em que estava para atendê-lo."

Com o tempo quando algumas coisas do passado e do presente de Soraya vão sendo revelados, descobrimos que ela não é tão vitima coitadinha assim, pois algumas reviravoltas no livro acontecem e acaba que deixando você com raiva dela no final.

Além desse caso extra conjugal, o Max vai nos narrando também suas lembranças de relacionamento anteriores com ex-namoradas. E através dessas lembranças conhecemos Agnes e Gabriela. Onde os dois formavam um triângulo amoroso nada convencional até as duas optarem por não deixar mais ele participar das festinhas a três pois estão apaixonada uma pela outra.

O livro é todo narrado em primeira pessoa pela visão de Max e acho que esse foi um dos motivos pelo qual eu tirei algumas estrelas. Eu não me simpatizei com o personagem o achando completamente machista principalmente no quesito de se achar inferior porque a mulher ganha mais que ele. Acho que isso hoje nos dias atuais é tão irrelevante. E para quem gosta de erotismo mais explícito tem várias cenas de sexo para todos os gostos.

Não me senti próxima a nenhum dos outros personagens. Sophia por exemplo que ficou com o Max já sabia os segredos da irmã e no fim acabou mesmo se apaixonando por ele , mesmo assim achei sacanagem ela pegar o marido da irmã.

Na minha opinião, o Pacheco poderia  ter explorado um pouco mais seus personagens para que a gente pudesse se envolver mais com eles. A história é boa, mas acredito que faltou uma carga mais emocional para nos envolver com a história. Sua narrativa como sempre é muito bem formulada e eu não encontrei nenhum erro de revisão. Como li em e-book não tenho muito o que falar sobre a diagramação porém a fonte, espaçamento e tamanho da letra está agradável e confortável para a leitura.

A capa por si só já fala muito do que podemos esperar do livro.

Eu recomendo esse livro para todos que gostam de romance erótico, mas que estão procurando algo diferente para ler e sem os clichês convencionais que encontramos nesse livro.

10 comentários:

  1. Oi Camila, a capa e a sinopse realmente chamaram a minha atenção. Romances eróticos não é o meu gênero favorito, mas eu leio sim, e esse parece ser interessante, pelo menos como você comentou de ser algo diferente e sem aqueles clichês convencionais. Uma pena que você não tenha se envolvido com os personagens, as vezes falta mesmo mais carga emocional, como você mesmo sugeriu. De qualquer maneira, acho que vou procurar mais informações sobre esse enredo e pretendo ler, se tiver oportunidade.
    Boas leituras ;)
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  2. Oi Camila
    Confesso que quando li a sinopse pensava que a história seria mais densa e profunda, acho que porque geralmente livros do tipo vem justamente com uma carga emocional a mais que visivelmente fez falta no livro.
    Para mim também traição é traição, não importam os motivos que levaram a acontecer, então, por mais que a Soraya não seja quem aparenta ser no início do livro, concordo que foi muita sacanagem da próirmã irmã.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  3. Oi, Camila!
    É a primeira resenha que leio desse livro realmente não o conhecia. E até gosto do gênero erótico, mas confesso que já estou bem saturada desse tipo de narrativa. Outra questão que também tenho certeza que não vou gostar é o tema traição, não costumo aceitar bem histórias que envolvem o tema, sempre fico com raiva dos protagonistas. Acho que essa não é uma leitura para mim, mas gostei muito de sua resenha! :)

    Beijos,

    Rafa [ blog - Fascinada por Histórias]

    ResponderExcluir
  4. Olá Camila.
    Que livro polêmico rsrs Duas coisas que eu detesto: traição e isso de ele achar ruim que a mulher ganha mais. Para mim ele deveria é ter se ferrado bonito no final hahaahah Mas adorei a sua resenha, vou com certeza procurar lê-lo, estava mesmo procurando um erótico sem todos aqueles clichês.
    Beijos.
    http://arsenaldeideiasblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi Camila, eu não curto muito romances eróticos, não por causa do clichê que a grande maioria tem e que você descreveu tão bem, mas em função da repetição desnecessária de cenas sensuais. Interessante este aqui ser diferenciado quanto aos personagens. Acho que eu também sentiria falta de mais carga emocional...
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá Camila,
    Esse gênero não me atrai e esse livro também não atraiu. Confesso que fiquei com raiva do Max por imaginar que ele se envolva com a mulher da sua esposa. Infelizmente, essa questão de homem se sentir mal por sua mulher te ruma formação melhor ou ganhar mais é mais comum do que imaginamos.
    Não curti a premissa do livro e não leria.
    Beijos,
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Boa tarde, galera!

    Primeiramente, obrigado pelo espaço, Camila! E obrigado a todos pelos comentários! Bem, para falar um pouquinho do livro: a ideia é que o personagem fosse machista mesmo, que na verdade é o mote para tudo acontecer. É claro que não importa os motivos, nada justifica a traição. Mas a verdade é coisas desses tipo acontecem todos os dias. Quando escrevi o livro, eu queria fugir justamente desse cliché, do cara bonitão cheio da grana e da mocinha inocente. Eu queria uma história mais próxima da realidade, que as pessoas pudessem se identificar com mais facilidade. Pelos comentários que recebi desde que lancei o livro, as mulheres costumam se identificar menos com coma história, justamente pela característica machista do personagem. Sobre a narração ser em primeira pessoa, é só questão de estilo, gosto de escrever assim - aqueles narradores oniscientes me parecem um pouco irreais. O lance da carga emocional dos demais personagens foi proposital, eu queria que o foco fosse mesmo o protagonista é não os demais. Foram influência para escrever o livro, os nacionais O que contei a Zveiter sobre sexo e A maldição do macho, livros também fora dos padrões do erótico importado (também escrito por homens - o erótico escrito por mulheres tende a ser mais romântico).

    Mas continuo na defesa do livro, leiam! https://goo.gl/iDqTnf

    Mais uma vez, agradeço a todos!

    ResponderExcluir
  8. Oi Camila,

    Eu não gosto de romance erótico, mas alguns até me chamam a atenção quando existe uma trama, uma história para ser analisada, sentida. Pelo que você disse na resenha os personagens poderiam ter sido melhor explorados. Gostei da sua resenha e da maneira clara como você expôs sua opinião.

    Bjos
    Juci Pauda
    queroinspiracao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Apesar do livro envolver traição, algo que poucos sabem tratar sem que fiquemos com aquele gosto amargo, tiro o chapéu para o autor que quis inovar nesse sentido. Sem falar que ver que nenhum dos personagens é inocente e de que o livro é narrado na visão de um homem, machista por sinal, é uma coisa interessante e super original. Gostei disso. Do autor sair do obvio. Dica mais que anotada.

    Beijos
    Vento Literário / No Facebook / No Twitter

    ResponderExcluir
  10. Olá. Não li a sua resenha, apenas um pouco da sua opinião. Não gosto de obras desse modo e simplesmente detesto gêneros desse tipo. Cada um tem o seu gosto, mas realmente, não tenho nenhum interesse em lê-lo.
    Beijos e sucesso.

    ResponderExcluir