28 junho 2016

Resenha - Irmãs em Auschwitz





Irmãs em Auschwitz é escrito com simplicidade e graça… E o sentimento avassalador que nos toma ao finalizar a leitura é um triunfo: ainda é possível encontrar altruísmo e união entre pessoas que vivem em um lugar de horror implacável. - Los Angeles Times Book Review Uma das poucas pessoas a se entregar voluntariamente para o exército alemão e ir a um campo de concentração – quando ainda se acreditava que eram apenas campos de trabalho – Rena Kornreich fez parte do primeiro transporte em massa de judeus para Auschwitz e sobreviveu ao campo nazista por mais de três anos, junto a sua irmã mais nova – Danka. Juntas, ambas tiveram de ser resilientes a cada a perversidade vivenciada durante o período de aprisionamento. E, a despeito da iminência da morte, das doenças, das surras e do trabalho forçado, os relatos de Rena a respeito da convivência entre as prisioneiras nos garantem que a empatia emergida dentro de cada dormitório e de cada grupo de trabalho encorajou essas mulheres a permanecerem unidas até que Auschwitz fosse libertado e suas vidas fossem devolvidas para sempre.

Título: Irmãs em Auschwitz 
406 páginas || Skoob || Cortesia: Editora Universo dos Livros|| Onde Comprar








Hoje eu vou falar para vocês de um livro que na minha opinião será muito difícil traduzir em palavras tudo aquilo que ele me fez sentir e a incredulidade de algumas coisas que li no relato de Rena Kornreich. Rena foi uma das primeiras judias mulheres a chegar em um campo de concentração vindo do primeiro trem de mulheres da época. Rena se entregou voluntariamente acreditando que os campos eram apenas para trabalho e que se trabalhasse bem logo ganharia sua liberdade.


Acontece que a sua viagem para lá já começa de forma tão desumana e brutal que é difícil de acreditar nos horrores que ela e tantas outras mulheres foram obrigadas a passar. Viajaram em um trem que servia para transporte de animais, comida e água por dias. As mulheres que precisavam ir ao banheiro tinham que usar um balde no vagão. E os vagões tão lotados que elas tinham que ficar uma por cima das outras sem espaço para sentar.

Ao chegar ao campo de concentração em Auschwitz os horrores se tornam cada vez piores : alimentação escassa , trabalho escravo e pesado por mais de quatorze horas seguidas, humilhações constantes e de todas as formas possíveis, sem higiene, vivendo sem roupas ou cobertas decentes, dividindo o espaço com piolhos e ratos e a morte constante de judeus todos os dias pela fome, exaustão e claro a câmera de gaz.

Confesso que mesmo conhecendo toda a história da segunda guerra mundial eu fiquei perplexa com várias coisas que Rena nos relata ao longo do livro e vou citar duas que mais me chocaram. A primeira delas é a forma como os guardas da SS escolhiam quem iria ou não para a câmera de gás, pois as mulheres do campo acordavam um dia e eram informadas de que haveria uma seleção .

Um guardada SS olhava mulher por mulher que ficavam em filas durante horas e ele apontava o polegar para uma direção . Uma direção significava mais um dia de vida e o outro que elas iriam morrer na câmera de gás. A seleção durava horas e todas eram obrigadas a ficar em pé durante o tempo que durasse e nesse dia não havia comida. E a outra era um guarda da SS que do nada pedia para as mulheres fazerem flexões e aquelas que não aguentassem e caíssem tinham suas cabeças esmagadas.

Sim é um livro tenso, forte e brutal. É o tipo de história que nos tira da comodidade e nos fazem entrar em choque pela dura realidade da barbaridade que foi a segunda guerra mundial. É um relato comovente e que me me trouxe uma aflição e uma angústia sem igual.

É assustador imaginar que o ser humano é capaz de cometer tanta atrocidade com sua espécie. É repugnante!

Mas nesse mesmo livro também vemos a outra face da humanidade aquela que luta pela sobrevivência, aqueles que tem compaixão e que se arriscam para ajudar o outro.

''eles desaparecem a distância, aproximando -se da câmera de gás. Meu coração grita. Parem! Alguém passa por mim. Para. Seus pés esmigalham o cascalho da estrada quando ela volta para olhar o sofrimento em nossos rostos...''

Irmãs de Auschwitz é um livro comovente que me fez chorar em vários trechos e refletir muito não somente sobre a segunda guerra mundial mas sobre outras guerras que acontecem agora. É um livro para nos tirar totalmente da Zona de Conforto e nos trazer lições de vida que vão valer para sempre.

Eu terminei o livro sentindo um carinho enorme por Rena e com imensa vontade de aplaudi-la por tudo que fez para sobreviver junto com sua irmã. Ela com certeza foi uma heroína entre milhares de outros heróis que conseguiram sobreviver. E aqueles que infelizmente não conseguiremos também são heróis por terem passado por tudo que passaram e tentando sobreviver.


''Não há nada aqui; nem cobertores, nem beliches, apenas muitas moças e mulheres. Estamos tão cansadas que apenas nos encolhemos no chão de terra frio.''

Quanto a diagramação do livro está simples mas muito bonita. A capa com os arames para lembrar das cercas elétricas que ficavam ao redor dos campos de concentração. No meio do livro várias fotografias da família de Rena. Páginas amareladas , com um bom espaçamento e fonte agradável .


É um livro que me enriqueceu muito tanto pelo seu conteúdo histórico , quanto emocionalmente. Um livro que recomendo para todos aqueles que querem ampliar seu conhecimento sobre a segunda guerra, para todos que querem refletir sobre a humanidade e para todos aqueles que querem se emocionar com um dos relatos mais tristes e emocionantes que já li na vida.

A universo dos livros está de parabéns pela publicação, pois é um livro muito intenso e tocante!

28 comentários:

  1. Oi Camila,
    Eu não conhecia essa obra, mas deve mesmo ser uma leitura marcante, especialmente por causa desses relatos serem tão tristes e emocionantes, como você mesma comentou. Gosto de ler livros que tragam abordagens sobre guerras e pelo que pude perceber é possível refletir bastante com esse enredo. Achei a capa bem bonita e achei legal ter fotografias também.
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Oi, Camila!
    Eu me interesso muito por livros que retratam esse período tão horrível da História. Na minha estante de desejados do Skoob tenho vários desse tema, esse da resenha está entre eles. Mesmo já tendo lido muito sobre o assunto, sempre me espanto também com algum detalhe que desconhecia. A edição parece realmente estar supre caprichada, acho que fotos fazem sempre com que a gente se conecte mais com o que está sendo relatado. Espero ler em breve.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem?
    Esse é um livro sobre a Segunda Guerra que eu não conhecia, mas que agora quero muito ler. Amo histórias que contam a história do mundo, acho que enriquece muito a gente e faz super bem para a cabeça.
    Sobre a sua resenha, só tenho uma correção a fazer: o correto é câmAras de gás e não camÊras, como você escreveu.
    Beijo, adorei :)

    ResponderExcluir
  4. Cada relato como este sobre a Segunda Guerra não é só mais um, mas sim outra visão daquilo que foi uma das maior e atrocidades na história da humanidade. Portanto? Ver obras ainda hoje como essa que chocam e doem na alma de seus espectadores nos faz perceber que ainda há muito mais a ser revelado. Afinal, cada ser humano é uma imensa biblioteca de histórias.

    ResponderExcluir
  5. Oi Camila, tudo bem?
    Muito legal esse livro, estou revisando sobre a segunda guerra mundial na escola e acho que essa é uma boa dica, gosto muito da história da Segunda Guerra, me interesso bastante e acho que esse livro seria uma ótima dica, já está anotada aqui, vou passar o nome para minha professora também, quem sabe ela também não se interesse. Adorei a resenha!

    garotareading.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Esse é um livro que quero ler, só que depois de ler A vida em tons de Cinza nunca mais consegui ler nada do tema. Meu coração não aguenta, eu sei que vou chorar rios e ficar triste por dias mesmo depois da leitura. Preciso esperar uma fase da minha vida em que possa lê-los. Enquanto isso vou curtindo resenhas lindas como a sua.
    A câmara de gás tbm é uma das coisas que mais me chocam, pq fz isso uns com os outros?! Simplesmente não tem sentido... Tá bom que a guerra toda não teve sentido, como nenhuma guerra tem, mas as câmaras são outro nível de atrocidade...

    http://blogmundodetinta.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Ai, Camila! Já me emocionei com a tua resenha. Eu sou completamente fascinada com livros que retratem as guerras (claro, não pelas atrocidades mas pelo conteúdo mesmo, por saber mais sobre a verdadeira história, aquilo não é contado em livros do colégio). Sobre o nazismo eu sempre fico estarrecida com as informações que leio, chocada, indignada, revoltada...
    Eu ainda não conhecia essa obra mas fiquei com uma enorme vontade de ler e me aprofundar mais. Imagino que deva ter sido difícil fazer essa resenha e mesmo assim, você conseguiu expressar seus sentimentos.

    ResponderExcluir
  8. Tudo o que é relacionado a segunda guerra mundial, me desperta a curiosidade. Acho que por mais que existam livros abordando este caos, a história nunca se desgastará. Este livro aqui eu não conhecia, mas já quero pra ontem e como você, tenho certeza que chorarei em vários pontos, porque é algo que me emociona muito. Adorei a indicação.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá Camila,
    Estou estagnada há uns 5 minutos pensando em como começar meu comentário sobre esse livro tão dolorido. Já li muitas obras da Segunda Guerra Mundial e sei o quanto as pessoas sofreram no campo de concentração, mas acho que nenhuma das obras que li atingem a grandiosidade que essa obra tem.
    Ao pensar sobre esse livro - que aborda um tema que gosto muito de conhecer - fico refletindo sobre o que se passava na mente desses assassinos brutais para que fizessem tudo o que fizeram. É inadmissível acreditar que um ser humano fez isso com seu próximo.
    Sinto que preciso ler esse livro muito em breve para formar uma opinião sobre ele, e chorar, ah, chorar muito.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  10. Oi Camila!
    Não conhecia o livro ainda mas fiquei encantada, ao mesmo tempo que chocada, por tudo que sabemos sobre a vida da protagonista. Tenho muita curiosidade sobre a Segunda Guerra Mundial de forma geral e sempre que possível leio livros sobre o assunto. Geralmente são livros bem tensos, com histórias densas, reais ou não, que nos deixam em um estado de contemplação em relação à humanidade e tudo o que ela é capaz de fazer muito grande, são livros que emocionam bastante e por isso, creio eu que requerem alguma preparação emocional.
    Dica anotada para uma leitura futura.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Eu amo obras relacionadas a segunda guerra mas infelizmente nunca li uma sobre os campos de concentração, e eu ouvi tantas opiniões positivas sobre esse livro e juntando com sua resenha eu me dei conta que esta é uma obra que eu tenho que ler. Fiquei muito emocionada pelos dois episódios que você mencionou e essas fotos de família no livro me deu um aperto enorme no coração. Deve ser uma obra extremamente maravilhosa.
    Beijos.
    htpp://arsenaldeideiasblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
  12. Oi Camila, tudo bem?
    Nossa realmente é um livro extremamente enriquecedor, com um conteúdo denso e nos leva a pensar em uma parte muito triste da história. Lembro que quando estava no ensino médio a minha professora passou um documentário de apenas oito minutos que mostra os campos de concentração após o final da segunda guerra e as cenas me marcaram muito e imagino que o livro deve ter o mesmo efeito. Pelo que percebi na sua resenha apesar de todos os horrores dos campos de concentração, a vontade de viver e a esperança é um elemento muito forte na narrativa e me deixou ainda mais com vontade de realizar essa leitura.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Oi Camila, tudo bem?
    Esse parece ser um livro que exige uma carga emocional pesada dos leitores, pois não deve ser fácil digerir todo o sofrimento que essas irmãs passaram na Segunda Guerra. Apesar de não gostar de história, amo livros que falem sobre isso pois dessa forma consigo compreender melhor a intensidade, o horror e a tortura que as pessoas foram submetidas. Rena deve ser uma pessoa muito corajosa por ter se entregado, ainda que tivesse uma outra perspectiva sobre o lugar abominável que a esperava. Espero ler o livro em breve, pois adoro histórias impactantes.

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  14. Oi, Camila!
    Não tem um livro sobre os campos de concentração e a segunda grande guerra que não nos entristeçam profundamente com o que a humanidade é capaz de fazer. Esse livro em específico, não conhecia, mas li outros (ficcionais e biografias) que mostram estes mesmos aspectos, mas com detalhes diferentes, pois variavam de acordo com o campo. Não deixa de ser menos asqueroso e repugnante, é tanto quanto. Deu pra ver que este livro te tocou (como os que li) e que vc apreciou bastante. Parabéns pelo texto! Até + ver! Nu.
    As 1001 Nuccias | Curte aí!

    ResponderExcluir
  15. Olá, tudo bem? Grande dica a sua! Não tinha ouvido falar sobre o livro e a partir da sua resenha me senti muito tentada a lê-lo em breve. Com certeza me emocionaria e levaria uma grande carga de conhecimento após a leitura, deve ter sido uma experiência muito incrível, não é? Vou adicioná-lo na lista e talvez logo, logo leia a obra.

    ResponderExcluir
  16. Oi Camila!
    Tudo bem?

    Eu sempre - sempre - me emociono com livros que retratam a Segunda Guerra ou guerras em geral. Eu sempre gostei bastante de história, então sempre que leio algo a respeito de nazismo, campo de concentração e leio relatos, fico muito triste. Esse livro já está na minha lista, mas eu ainda não consigo encaixá-lo, pois é um livro pesado e eu não to podendo chorar por agora haha mas é como você disse, é comovente. Eu espero ler e ter uma experiência de leitura tão boa quanto a sua, mesmo que seja triste a história.

    beijo!

    ResponderExcluir
  17. Oii Camila!!
    Eu não sou o tipo de pessoa que tem cabeça para ler esse livro, eu sei tudo sobre a historia da Segunda Guerra, e sou o tipo que gosta de fugir dessa realidade, da realidade que que o ser humano e muito cruel e que pode causar tanto sofrimento (acho que é por isso que eu gosto de fantasias) achei o livro muito emocionante e lindo mas não leria pelo fato de não estar nem uma gosta confortavel com isso... essas mulheres são fortes e merecem respeito e serem lembradas para sempre e creio que esse relato vai durar séculos a fim...
    Beijocas...
    https://westfalllivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Oie Camila! Tudo bem?
    Eu namoro esse livro desde seu lançamento, apesar de saber que muito provavelmente eu nunca mais serei a mesma depois de lê-lo, não existe episódio que mexa mais comigo do que o holocausto - Por esse motivo ando adiando essa leitura - ainda sim, é um dos temas que mais me interesso em ler. Não sou a pessoa mais forte do mundo se tratando de leituras pesadas. Confesso que sou meio contraditória em relação a isso. Afinal sempre fico mal por dias depois dessas leituras, mas como você mesma falou, elas nos enriquece imensamente, tanto quanto ser humano , quanto historicamente. Adorei sua resenha, você soube conduzi-la maravilhosamente bem. Parabéns.
    bjs

    ResponderExcluir
  19. Oi Camila,
    Que encantadora a sua resenha, acho que você conseguiu reproduzir em palavras os sentimentos que a leitura te despertou. O Livro me parece ser uma leitura muito linda e profunda, do tipo que nos deixa marcas na alma quando acabamos a leitura.
    Infelizmente não tenho conseguido fazer leituras tão densas, meu coração tem doído e por isso não consigo manter o foco. Mesmo assim esse é um título que desejo ler, se não agora, futuramente.
    Beijos

    ResponderExcluir
  20. Olá!! :)

    NUnca tinha ouvido falar mas fiquei muito curioso... Eu adoro Historia e este periodo historico de guerra é algo recente e tem várias implicaçoes nos dias de hoje.. Talvez seja por isso que mantenho algum interesse (ainda que nao muito).

    Por outro lado, achei boa essa parte das fotografias e do realismo da historia... Faz reletir, ou mesmo chorar, como no teu caso... Mexe bastante com as emocoes mesmo por ser real.

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  21. Oie!
    Realmente, deve ser um livro bem emocionante, e tenho certeza que vou derrubar algumas lágrimas em diversos momentos. O conteudo histórico deve ser ótimo, e vou anotar essa dica para ler futuramente. Mesmo sabendo que vou sofrer em vários mo mentos, fiquei curiosa com essa história.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  22. Oi Camila, tudo bem?
    Eu sou muito curiosa com esse livro, eu gosto muito de obras que se passam na época da guerra e conta o que aconteceu, e esse livro é um dos que estão na minha lista já faz algum tempo. Fiquei feliz em ver que você gostou bastante da obra e que recomenda, eu sou bem suspeita de falar pois além de tudo eu gosto de livros que mexem com nosso emocional. Pretendo ler o livro em breve, e ótima resenha!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  23. Olá!!

    Eu estava rodeando para ler esse livro, mas sua resenha me arrebatou. Você expressou com sentimentos tudo que o livro trás.
    Eu gosto muito desse tipo de livro, gosto de ler sobre a Segunda Guerra, e gosto de encontrar pequenos confortos em uma história que mais parece uma distopia que lemos hoje em dia né? De tão surreal que a maldade humana pode ser.

    Bjus
    Blog Fundo Falso

    ResponderExcluir
  24. Nossa, já li vários relatos sobre o período e sempre me acabo de chorar de tanto que doem em mim os fatos narrados, mas acho que nunca li a história de uma mulher que se entregou voluntariamente, achando que os campos eram apenas para trabalho. É impressionante como sempre descobrimos horrores novos, essa coisa de quem não aguentasse flexões tinha sua cabeça esmagada eu nunca tinha ouvido falar. Esse tipo de leitura é bem doloroso, mas sempre nos traz lições preciosas.

    Beijo.

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  25. Oii!
    Eu já vi esse livro nas livrarias diversas vezes e sempre fico com curiosidade de comprar. Gostei muito da sua resenha, acho que deu pra passar uma boa ideia de tudo o que as mulheres - bom, não só elas que sofreram, né? - passaram e como era difícil e podia acabar mesmo com a pessoa mais otimista. Eu fui visitar um campo de concentração na vida e até hoje não consigo superar o sentimento de luto que ficou comigo, então acho que ainda preciso de um tempo pra ler um livro desses, acho que me emocionaria demais e ficaria com aquele vazio no peito para sempre.
    Beijos!

    www.beyondbluedoors.com

    ResponderExcluir
  26. Eu amo esse tema, e quando li o titulo e percebi o enredo, imediatamente já quis. Antes mesmo até de ler a resenha. Eu amo demais essa epoca historica, pode parecer feio, por se tratar de tanto horror. Mas, cada vez que me deparo com relatos de cada acontecimento, muda algo em mim, provoca emoções não sentidas. Não deixa que meu lado humano, se dissolva.

    ResponderExcluir
  27. Oi!
    Imagino que realmente deve ter sido uma leitura brutal, daquelas que te corta o coração imaginando a maldade humana.
    Eu tenho aqui um da editora do mesmo conteúdo, mas até hoje não tive coragem de ler, pois só de ouvir falar já me dói o coração, e me deuxa super mal pensar o que essas pessoas tiveram que passar por causa de um louco no poder

    ResponderExcluir