30 março 2016

Resenha - Lonely Hearts Club






Penny Lane Bloom cansou de tentar, cansou de ser magoada e decidiu: homens são o inimigo. Exceto, claro, os únicos quatro caras que nunca decepcionam uma garota — John, Paul, George e Ringo.
E foi justamente nos Beatles que ela encontrou uma resposta à altura de sua indignação: Penny é fundadora e única afiliada do Lonely Hearts Club — o lugar certo para uma mulher que não precisa de namorados idiotas para ser feliz. Lá, ela sempre estará em primeiro lugar, e eles não são nem um pouco bem-vindos.
O clube, é claro, vira o centro das atenções na escola McKinley. Penny, ao que tudo indica, não é a única aluna farta de ver as amigas mudarem completamente (quase sempre, para pior) só para agradar aos namorados, e de constatar que eles, na verdade, não estão nem aí.

Agora, todas querem fazer parte do Lonely Hearts Club, e Penny é idolatrada por dezenas de meninas que não querem enxergar um namorado nem a quilômetros de distância. Jamais. Seja quem for. Mas será, realmente, que nenhum carinha vale a pena?

Livro: Lonely Hearts Club
238 páginas || Skoob || Editora: Intrínseca || OndeComprar








Penny Lane ganhou dos pais uma homenagem completa aos Beatles, mas diferente da maioria dos adolescentes, que se irritaria com isso, ela tem na banda sua maior paixão. É em uma música deles que a garota encontra conforto para uma grande desilusão amorosa e é também com os Beatles que tem a grande ideia de que o amor não serve para ela e que pode muito bem ser feliz sozinha. Assim surge o Lonely Hearts Club, com uma única integrante: ela mesma.

"Eu, Penny Lane Bloom, juro solenemente nunca mais namorar enquanto viver.

Tudo bem, talvez eu reconsidere essa decisão em dez anos, ou algo assim, quando não estiver mais morando em Parkview, Illinois, nem frequentando a escola McKinley, mas, por hora, não quero mais saber de garotos. São todos a escória da humanidade, mentirosos e traidores."

O clube tem o objetivo de provar para todos que as garotas não precisam mudar completamente, ou abandonar as amizades por causa de um garoto, porque eles nunca valem a pena. Depois de pouco tempo, o Lonely Hearts Club já é conhecido por todos no colégio e cada dia mais garotas decidem que ficar solteira é a melhor opção, mas será que nenhum garoto vale a pena mesmo? Sem contar que alguns garotos não estão nada satisfeitos com essa mudança nas atitudes das meninas e só querem que tudo volte a ser como antes.


Penny tem 16 anos e se julga completamente apaixonada pelo filho de um casal de amigos de sua família. Eles se veem uma vez por ano e ela acredita que dessa vez tudo funcionaria para que eles ficassem juntos. O problema é que nem tudo sai como o planejado e ela se vê com o coração partido por um garoto que não era nada do que ela idealizou. Extremamente decepcionada, a garota começa a olhar ao redor e percebe que muitas garotas estão em relacionamentos sem futuro ou mudando para pior por causa dos namorados, isso faz com que ela decida que os garotos não prestam e para provar sua teoria cria um clube em que garotas podem ser muito felizes sem namorados.

Com uma narrativa leve e divertida, Elizabeth Eulberg conseguiu transmitir o quanto relacionamentos podem ser complicados e também a importância da amizade. Um livro muito fofo e com um toque de nostalgia para quem já terminou o Ensino Médio e sente falta dessa época.

A protagonista é uma adolescente típica com seus dramas por causa do fim de um relacionamento e seu apego às amigas. Mesmo com esses clichês ela é determinada e sua paixão pelos Beatles deu um toque especial, já que o livro é cheio de referências da banda. Suas amigas também foram bem construídas, cada uma delas tem personalidades e problemas diferentes, mas todos são relacionados aos garotos, fazendo o Lonely Hearts Club crescer e ganhar fama rapidamente no colégio. Depois de poucas semanas Penny tem reuniões em casa cheias de garotas que não querem mais saber de namoro, mas é aí que aparece um garoto que começa a abalar as convicções da protagonista.

"Porque mesmo que estivéssemos no meio da noite, eu ainda podia cantar "Here Comes the Sun", lá vem o sol, e as palavras e os sentimentos seriam verdadeiros.

Especialmente a parte sobre ficar tudo bem.
Estava mais que bem.
Estava perfeito."

Como em um bom romance juvenil, o casal principal é uma graça e não reconhece que tem tudo para estarem juntos, mas teve certa inovação por causa do clube, já que para participar dele todas as garotas juram que não vão namorar, pelo menos enquanto estiverem no colégio. Mesmo com toda essa fofura e suspiros para o casal, o que mais se destacou foi a amizade entre as protagonistas e a forma como elas se uniram a partir do clube. Uma que se destacou muito foi Tracy, que todo ano tinha uma lista de paixões platônicas e que ao longo do enredo percebe que sua vida não deve girar em torno de um possível namorado.

O livro é todo narrado em primeira pessoa, pela Penny, e a proximidade com a protagonista é muito grande, mas como ela sempre está perto das amigas os dramas delas também estão em evidência. E toda a construção da estória foi bem pensada, fazendo o leitor suspirar, mas também se irritar com as personagens em alguns momentos. Um típico livro juvenil para se ler em algumas horas e lembrar da época do colégio, ou para perceber a semelhança com a realidade para os que estão vivendo isso tudo.


A diagramação da Editora Intrínseca está linda, a capa faz referência ao disco Abbey Road, dos Beatles, e tem tudo a ver com a estória. Internamente, as páginas são amareladas e há pequenas ilustrações nas separações do livro (Parte I, Parte II, ...). Lonely Hearts Club é o primeiro livro de uma série, mas o segundo, We can work it out, ainda não foi traduzido. Mesmo assim a leitura não fica prejudicada, já que o primeiro livro tem um final fechado.

Indico a leitura para todos os fãs de romances juvenis e também para quem está procurando por uma leitura descontraída!

20 comentários:

  1. Oi Evelise,
    Então, eu sempre tive muita curiosidade em ler esse livro, especialmente porque curto romances juvenis e mais leves, descontraídos e afins. É bom para quando terminamos de ler algo pesado e precisamos de uma trama não tão problemática. Sua resenha só confirmou que preciso adquirir esse livro logo, e admito que ele é um dos meus próximos escolhidos na lista de desejados. Gosto bastante dessa capa também, e é legal saber que há referencia com a história. Adorei a indicação, e claro, a resenha está ótima.
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      Fico feliz por ter conseguido te convencer a colocar esse livro como uma das próximas leituras! Ele tem um estilo bem juvenil e é um dos meus queridinhos da estante haha
      Beijos!

      Excluir
  2. Oi Eve, eu não conhecia o livro e de cara, já o relacionei com os Beatles. A música que você cita no inicio da resenha é uma das poucas da banda que conheço e como a personagem, gosto bastante. Adorei a leveza da história e acho que esse livro me satisfaria em vários aspectos. Anotei a dica e espero poder conferir em breve!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      Eu conhecia bem pouco da banda antes de ler esse livro, então foi ótimo ir descobrindo algumas músicas conforme lia! Tomara que você goste quando ler :)
      Beijos!

      Excluir
  3. Oieee.
    Esse não é um livro que eu leria, não chamaria a minha atenção, mas sua resenha me deixou um pouco curiosa embora assim como você mesma disse ele tenha uma pegada bem clichê, mas a premissa é boa e acho que isso é realmente muito importante.
    Que bom que a leitura é leve e divertida. E simm tenho certeza que vou sentir falta do ensino médio, a gente reclamava, mas sinto uma falta e sei que o livro vai me fazer lembrar muito daqueles momentos divertidos.
    E fiquei ainda mais feliz em saber que o livro é narrado em primeira pessoa.
    Amei a resenha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      Fico muito feliz por ter conseguido te deixar curiosa sobre um livro que normalmente não chamaria sua atenção! Nem faz tempo que terminei o ensino médio, mas com a correria da universidade, não tem como não sentir falta do colégio haha
      Beijos!

      Excluir
  4. Amei o livro, ele é do tipo que te prende por ser tão fofo. Com a escrita leve ele típica nos livros de romance infanto-juvenil.
    Vou procurar por ele na livraria. A sua resenha foi perfeitamente bem explicada, e isso me envolveu ainda mais com o livro.

    O nome do livro me deixou apaixonada, pois quando a vi pensei que era um livro todo em inglês. Mas um pra minha lista de desejos para esse ano.

    ♡ Beijoss, Alice

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      Ele tem uma escrita bem leve mesmo, fico feliz que tenha gostado da resenha! O título em inglês me confundiu quando eu comprei o livro, só depois que fui entender que era por causa de uma música...
      Beijos!

      Excluir
  5. Oie!
    Eu ainda não li esse livro, e confesso que acho a capa uma gracinha. Eu gosto de trama juvenil, pois sempre lembro da minha adolescência, quando era bem desajeitada (não que isso tenha mudado muito, rs). Deve ser daqueles livros fofos que não consegue parar mais.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  6. Oi *--*

    Impossivél não ver essa capa e logo relacionar a banda <3
    Adorei a premissa do livro e amo a banda então creio que seria uma ótima leitura pra mim sabendo que a narrativa da estória é mais leva e divertida me deixa ainda com mais vontade. Fico mega feliz de você ter curtido tanto suas impressões são bem claras demostrando tudo que você curtiu na estória. Parabéns.

    Bjos
    http://rillismo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi Eve,

    Penny (uma das músicas que eu mais amo dos Beatles) que nome. Achei a premissa do livro extremamente fofa. Principalmente porque relembra uma das bandas mais incríveis de toda a história da humanidade. Gosto de livros que nos dão um gostinho de nostalgia, que trata da amizade e do romance de uma maneira bem gostosa. Fiquei bem interessada em Lonely Hearts Club <3

    beijo!

    ResponderExcluir
  8. Oi Eve, fico feliz vendo o quanto você gostou da obra, eu sou suspeita de falar pois amo um bom romance juvenil. Pela sua resenha esse livro parece ter tudo que me agrada e isso me cativou muito a ir atrás dele o quanto antes. Meus parabéns pela resenha!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  9. Olá Eve,
    Achei o livro muito fofo, a premissa me atraiu demais.
    Gostei da ideia do clube, de que nenhum homem vale a pena a ponto de te afastar dos seus amigos, já passei por muitas situações assim.
    Achei o nome da protagonista incrível. E já anotei a dica, pois coisas nostálgicas são comigo mesmo.
    Beijos,
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Olá, eu gosto bastante de livros com essa pegada jovem e dramas adolescentes, mas não curti a premissa desse livro. Não gostei da capa, apesar dela ser perfeita para a história (pelo que pude perceber na sua resenha) e o enredo em si, não me agradou ou chamou a minha atenção.

    ResponderExcluir
  11. Adoro os Beatles e sei que vou amar esse livro, apesar de ser bem juvenil. A capa não me chamou minha atenção, mas a premissa é ótima pra ler depois de uma leitura mais densa. Apesar de não estar vivendo nenhuma situação do livro, às vezes bate uma saudade da escola e esse livro vai me suprir essa saudade. Ótima resenha!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  12. Eu gostei muito do enredo dezss livro e pela sua resenha me pareceu um livro divertido e engraçado de se ler. Além de um fator eu amo Betles e qualquer referência a eles já me deixa curiosa. Outro fator que me agradou bastante foi a capa igual a capa de um dos CDs dele.
    Adorei e quero esse livro para já.
    Bjs
    Camila Bernardini Coelho

    ResponderExcluir
  13. Eu sinto falta de muitas épocas na minha vida, menos do ensino médio. Aliás, lembro pouquíssimas coisas dessa época. E da escola quase nada. Pra ter ideia, tenho contato próximo com o pessoal que estudou o fundamental comigo, mas não tenho nenhum contato com o pessoal do médio, não lembro de ninguém. Então não é uma boa recomendação pra mim. Mas conheço vários saudosistas que irão adorar.

    ;D
    Profissão: Leitora

    ResponderExcluir
  14. Olá tudo bem?

    Creio que esse livro não leria pois não me chamou atenção a premissa, mas vendo suas impressões confesso que fiquei meuito curioso em saber do porque ter ficado tão empolgada, creio que ele seja bem divertido e gostoso de se ler.


    Everton equipe Rillismo
    http://rillismo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Oii,
    Acredita que eu tenho esse livro aqui há nos e ainda não li! Confesso que sou super curiosa em relação a ele, mas sempre acabo passando outro na frente, mas agora com a sua resenha e sua ótima avaliação fiquei com mais vontade ainda, vou parar de enrolar e pega-lo logo.
    As vezes gosto de ler um livro com tematica juvenil, algo mais leve, faz com que eu me sinta nostalgica.

    Bjs
    Aline Lima
    Sempre Nerd

    ResponderExcluir
  16. Oi Eve
    Acho a capa desse livro linda! Não sou fã dos Beatles, mas na hora entendi a referência.
    Achei a história interessante e é legal o clube formado. Afinal, juntas as personagens são mais fortes e bom saber que é um típico livro adolescente. Gosto desse gênero para curar as ressacas literárias.
    Legal mesmo relembrar a época da escola. Me divertia horrores.
    Adorei a resenha e espero sim ler.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir