25 janeiro 2019

Luz, Câmera e Ação [62] - Cam




Título: Cam
Data de Lançamento: 16 de Novembro de 2018 ( Netflix )
Direção: Daniel Goldhaber
Elenco: Madeline Brewer, Imani Hakim, Patch Darragh
Gênero: Suspense
Duração: 1h 34m

Alice (Madeline Brewer) é uma ambiciosa jovem mulher que trabalha com pornografia de webcam. Quando uma misteriosa mulher idêntica a ela toma seu canal, ela se vê perdendo o controle sobre os limites que estabeleceu em relação a sua identidade onlie e os homens na sua vida.





Alice é uma cam girl, conhecida por Lola, que está tentando ao máximo inovar em seus "shows" para poder subir no hanking do site e ficar na primeira posição, a qual pertence a Baby há muito tempo. Por conta de algumas regras que ela segue, se torna um pouco mais difícil inovar, como não se masturbar na frente das câmeras. Ao perceber que suas colegas, ou concorrentes, são capazes de fazer de tudo para que ela não conquiste seu objetivo, ela fica disposta a fazer de tudo para alcançar o primeiro lugar, até mesmo quebrar as regras que segue a muito tempo.

O grande terror na vida de Lola se incia quando sua conta é hackeada e ela é substituída por outra mulher idêntica a ela, que parece ter muito mais charme e facilidade de chamar mais a atenção do publico. Então, o site não dá atenção as suas denúncias, por acharem que não há nada de errado e ela se vê em um dilema entre seus expectadores e a missão de recuperar sua conta enquanto toda a sua intimidade é exposta nos shows, inclusive na sua casa.

E agora? Será que ela conseguirá recuperar sua conta? E quem é essa pessoa que está se passando por ela? Isso e muito mais vocês terão que conferir assistindo ao filme ! (risos)





Vemos que ''Cam'', apesar da temática, não é um filme que contêm cenas de pornografia explicita. Ele é racheado de mistérios sobre o tópico principal, o hackamento e clone de Lola, e também outras questões que rodeiam a trama. 

A primeira questão que vem a mente é quem é a substituta, porém ao nos darmos conta de que ela está dentro da casa de Alice, enquanto a própria também está lá, as coisas ficam mais confusas e então mais dúvidas acabam vindo a mente. Então, no decorrer do longa, nossa protagonista descobre
coisas sobre a Baby e mais dúvidas acabam surgindo.

Foi um filme que eu gostei demais, porém quero ser sincera e não tenho certeza se você irá gostar tanto quanto eu. É necessário ter a cabeça aberta para finais abertos e que não solucionam todas as suas duvidas.

A única coisa que acaba sendo esclarecida é QUEM é a CLONE, e um dos motivos fica subtendido, mas ficamos com a sensação que as razões podem ir além, e todas as outras perguntas que você ansiava por respostas ficarão apenas no anseio. 


Para mim, as questões que ficaram em aberto deram uma atenção e suspense maior para o filme, e o essencial foi explicado. Apenas gostaria de uma explicação melhor sobre a Baby, porque acho que é algo muito promissor e interessante, porém abordado de forma rápida e levemente superficial, um aprofundamento seria um ponto a mais ao filme. Fazer algum filme com casos passados que de quebra já expliquem a situação da cam girl que lidera o hanking seria uma opção muito satisfatória para mim, porém acho pouco provável que isso aconteça.

Madeline Brewer (Alice) se mostrou uma grande atriz, quando em seu perfil como ela mesma mostrava uma menina divertida e determinada a subir posições de várias maneiras diferentes e ao fazer o papel de seu clone. Mostrou também o quanto pode ser sexy e se entregar completamente aos seus espectadores, deixando de lado a imagem da menina meiga que era anteriormente. 

O mistério consegue se manter por todo o filme, fazendo com que o espectador se mantenha atento ao mesmo, possibilitando inúmeras teorias, mesmo ao fim do longa. Ele também aborda situações além da perda da conta da protagonista, como sua relação com as pessoas que acompanham seus shows na webcam e como isso pode ser perigoso ou invasivo na vida e privacidade dela.


Outras questões abordadas é o preconceito que as pessoas tem sobre esse tipo de profissão, quando a única pessoa que sabe da real fonte de lucros de Alice é seu irmão. Acompanhamos como sua família e amigos reagem ou reagiram diante da verdade e de como isso afetou a sua relação com ambos. Fica claro para quem está assistindo, desde o inicio, o quanto ela se esforça para inovar e poder agradar seus espectadores e quanto o apoio de amigos é importante, quando os mesmos não a julgam.

Não é um filme que chega a causar medo, então se você tem receio sobre isso, pode ir assistir. Agora, não há como negar a tensão presente durante o tempo em que se está assistindo, já que fica claro o quanto Alice está com medo e acaba entrando em pânico em diversas situações, principalmente quando a sua sósia mostra estar dentro de sua casa.

O filme explora a situação e medo de Lola de várias formas diferentes, como a frustração dela em não conseguir recuperar a sua conta e a insistência do site em dizer que não há nada de errado, ou quando uma impostora está conseguindo o que ela vem tentando a muito tempo: subir no hanking, e com muito mais rapidez. E é claro que não podemos deixar de fora o fato de ela ter as mesmas perguntas que nós: quem? como? por que? entre muitas outras, assim seu pavor se aflora, sendo muito bem demonstrado à quem está assistindo. 

E para finalizar, eu gostei muito da maneira que Lola usou para desmascarar a "hacker" e descobrir quem ela era. Foi de muita inteligência, mesmo em um momento de desespero. Então, é um filme que recomendo demais, produzido pela netflix, porém já aviso novamente que é necessário estar de mente aberta para finais abertos, saber que nem todas as questões terão respostas e tentar entender e enxergar os pontos positivos disso ao invés de apenas ficar frustado pela sua curiosidade.

 



Inscrições Abertas - Participe !!


7 comentários:

  1. Ai que agonia com esse trailer...
    Eu sinto uma aflição com esses filmes relacionados ao mundo virtual. Mas pela resenha acho que vale muito assistir. No começo da resenha pensei que tinha matado a charada, que seria tudo na cabeça de Alice, que não existe clone ou sósia. ..mas seguindo a resenha a coisa é séria .Pra começar eu morreria de medo sabendo que tem outra pessoa dentro da casa..saia correndo.
    Só achei estranho eles não tomarem nenhuma atitude para recuperar a conta dela, acho que na realidade o site deveria agir imediatamente.
    Que sufoco ter que se superar nas suas performances para agradar ao seu público, ter que recuperar sua conta ao mesmo tempo descobrir quem é a clone...e o porque dela estar fazendo isso...
    Ainda bem que apesar do final ter algumas possibilidades abertas o hacker é desmascarado.
    Quero assistir no fim de semana. Obrigada pela resenha.

    ResponderExcluir
  2. Já li algumas críticas bem divididas a respeito deste filme. Teve gente que amou do início ao fim. Outros condenaram o final(que li um mega spoiler em outro blog).
    Eu mesmo amando cinema, não senti vontade ver este filme ainda. Sei lá...sabe quando você não simpatiza com o que lê e vê?
    Talvez eu mude de ideia, já que a crítica acima, apresentou mais lados dentro do mesmo longa!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Hum... acho que não é um filme que me agradaria.
    O tema abordado é interessante, falar sobre essas questões virtuais, vícios e perigos é bem necessário; mas no geral, e por ter esse mistério, não me parece ser tão bom.
    Mas gostei de saber um pouco sobre.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Eu vi esse filme no catálogo da Netflix e fiquei curioso para assistir, mas deixei para depois. Com o tempo, fui vendo diversas críticas ruins sobre o filme e perdi o ânimo. Lendo sua crítica, gostei bastante da história, fiquei super surpreso que a história ão aborda muito a pornografia. Creio que esse final é a questão que mais divide opiniões sobre o filme para os telespectadores, eu particularmente fiquei com o pé atrás, mas pretendo assistir.

    ResponderExcluir
  5. Nunca tinha ouvido falar desse filme, então pra mim foi uma total surpresa saber dele. De cara o tema me chamou atenção pois, quase não vejo filmes ou livros que tocam nesse assunto de forma que o sexo não é o foco. O que achei interessante foi tu comentar que sentiu falta de um maior desenvolvimento da historia da Baby, que até então seria apenas um ponto de referencia. Esse thriller me agradou, até pq além do suspense em si, mostra a relação dela com a família e a maneira como isso tudo é encarado, por ambos os lados. Saber que o final não será aquele que todos geralmente esperam ajudou a assistir o filme de mente aberta como tu indicou, foi uma ótima dica.

    ResponderExcluir
  6. Olá! Já fico mais tranquila em saber que não teremos cenas que desencadeia um terror básico, se bem que eu sou tão medrosa, que com toda certeza vou me assustar em algumas partes do filme (risos). Gosto muito desses filmes que trazem um suspense e nos faz criar milhares de teorias do que poderia ser de fato a verdade. Eu mesma, lendo a resenha, já criei uma sobre quem poderia ser esse clone. É aquele tipo de história que é preciso ficar bem atenta, mas mesmo assim seremos surpreendidas (e não tem coisa melhor). O fato do final não ser bem um final e deixar algumas lacunas em aberto não me incomoda, nesses casos, eu mesma acabo dando um desfecho para a história.

    ResponderExcluir
  7. Eu me interessei muito por esse film quando estreou, mas fui deixando de lado. Agora com sua resenha fiquei louca para olhar, já vou fazer isso nessa semana. Já criei milhares de teorias de quem pode ser a clone da Alice, mas com nessa era da internet podemos esperar de tudo. E o filme ainda trata sobre dramas familiares e eles não aceitarem a profissão, tudo pra ser bom, estou animadíssima para assistir.

    ResponderExcluir