12 dezembro 2018

Resenha - Despertar


Título: Despertar
Autora: Li Couto
Editora: Coerência
Páginas: 192
Skoob

Paola sofre de uma maldição que altera sua aparência transformando seus olhos como de um tigre. Aumentando sua insegurança ainda mais aflorada pela adolescência, a tornando uma jovem reclusa e solitária numa pequena cidade do interior.
Durante uma crise de transformação ,que ocorre toda vez que seus sentimentos vem à tona, ela conhece Arthur um jovem rapaz, que a ajudará a encontrar uma maneira de eliminar este mal de sua vida. E durante esta jornada eles se apaixonam. Sem saber o que está por vir a seguir.
Colocando-a num dilema de acabar como o restante das mulheres de sua família ou se confiará num poder desconhecido colocando Arthur em perigo. Despertar é uma história de poder, amor, aventura e descobertas. 



"Quem ama e expõe seus sentimentos é a pessoa mais forte que existe".



Paola viveu quatorze anos praticamente em um casulo, seus pais, Catarina e Odair, subsistiam dizendo que em breve ela poderia ir morar na casa com eles, pois esse processo era normal, porquê retornar à casa aos quinze anos era considerado um ritual da família, tendo como finalidade à proteção as mulheres.

Na verdade, eles tinham medo do que as pessoas poderiam pensar sobre ela, o preconceito poderia feri-la ainda mais do que a verdade sobre si mesma. Sua avó havia passado pela mesma situação, mas, ao casar-se e tornar-se mãe tudo voltou como era anteriormente. Mas, parecia que para Paola nem tudo iria se ajeitar tão facilmente.

Ela tinha o desejo de conhecer o mundo lá fora, visto que, seu mundo era o lugar onde habitava, longe daqueles que ela amava, que a visitavam com pouca frequência e em uma velocidade veloz.  Então, assim que enfim descobriu a verdade foi bastante doloroso e trouxe dor ao coração de Paola, ainda mais da forma a qual descobriu, pois se sentiu traída pelas pessoas que diziam ama-la durante toda sua vida.

Inesperadamente conhece Arthur, que a ajudou de imediato sem medir esforços, logo, os encontros entre eles passaram a se tornar frequentes, Paola desabafava a fim de esvaziar o acúmulo de sentimentos que ela guardava desde a infância, um deles era a solidão e a vontade de ter vivido tudo quanto perdeu a chance de viver ao viver isolada do mundo em seu casulo. Arthur apaixonado por Paola decidiu ir em busca de respostas ao lado dela, o que não se podia prever é que esta escolha poderia custar a sua própria existência.


"O amor nunca morre, somente adormece".




Este livro foi publicado de forma dependente através da Editora Coerência, trazendo consigo o subtítulo: o encontro da força. Possuí um vocabulário fluído e com a ortografia adequada, a diagramação é impecável, com o tamanho e tipo de letras de ótima visibilidade aos leitores, as folhas são amarelas, os capítulos são registrados por frases e números. Os personagens trazem consigo personalidades próximas da realidade, como por exemplo: o receio dos pais ao possível preconceito que a filha poderia sofrer na sociedade devido a diferença a qual ela possuía, a fragilidade humana diante do sentimento de solidão, os efeitos causados pela decepção daqueles que confiávamos e os desafios extremos para aceitar quem somos e lutar para despertar a esperança em busca do recomeço em nós. 

Indico este livro aos leitores que desejam o misto de sentimento ao ler: raiva, vontade de chorar, sorrisos, um frio na barriga ao acompanhar um romance verdadeiro, leve e desafiador, capaz de suportar todas as barreiras para continuar de pé. Durante o enredo, somos levados para dentro de nós mesmos. E entendemos que, por mais dolorosa que seja a verdade até mesmo sobre nós, teremos que descobrir, pois existe um passado em nossa história que talvez não sabemos, mas, que, um dia, iremos compreender quem somos e porquê somos exatamente da maneira que somos, assim como a protagonista Paola que descobriu, entendeu e lutou até buscar a verdadeira identidade que deveria pertence-la.

Inscrições Abertas - Participe !


13 comentários:

  1. Olá Marcela!
    Muito bonita essa história sobre autodescoberta e aceitação, que envolve a problemática do preconceito também. O romance me pareceu bem fofo. O fato da família da protagonista esconde-la da sociedade pode ser encarado como uma forma de proteção mas também nos faz pensar se eles não tinha vergonha dela também. A capa é deslumbrante, mas é uma pena o livro ter tão poucas páginas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Por ser um livro curtinho as vezes pensamos que a história não elabora o suficiente, mas aí lembro que li Se Eu Ficar e foi maravilhoso pra mim mesmo tendo menos de 200 páginas. Não gosto muito de ler histórias com personagens tão novos, mas quando são livros únicos até que tudo bem, parece falar muito sobre aceitação própria e dos outros.

    ResponderExcluir
  3. Em primeiro lugar é preciso falar desta capa belíssima!Que trabalho impecável da Editora, que apesar de não ser tão conhecida, tem feito ótimos trabalhos!!!
    A Verdade dói, machuca, incomoda, mas é necessária sim, a cada um de nós! Principalmente se isso for para que nos conheçamos melhor.
    E a protagonista, apesar de tão jovem, já tem um peso enorme em seus ombros.
    E não há como culpar os pais!!
    Com certeza, vai para a lista de desejados!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Oi, Marcela!!
    Gosto bastante de história de romances que envolve fantasia e a Paola é um personagem bem singular por ficar com olhos iguais a de tigre. E o Arthur um mocinho muito fofo que decide procurar resposta junto da Paola mesmo que isso possa acabar de um jeito inesperado para eles. Adorei a indicação e a capa que linda demais.
    Bjos

    ResponderExcluir
  5. Primeiro que essa capa é lindissima, segundo quem não gostaria de ter uns olhos assim??? LINDO!!! Essa narrativa misturando fantasia e realidade devem deixar a leitura super dinamica, ainda mais com tantos sentimentos envolvido e aflorados em quem está lendo. De cara parece um romance sem muitas pretensões de surpreender, mas com tantos elogio e uma introspecção ao leitor, o livro pode sim marcar e surpreender.

    ResponderExcluir
  6. Olá, apesar de contar com uma fluidez que torna a obra fácil de se ler, alguns aspectos são um tanto incoerentes ou não foram bem abordados no decorrer da história. Por exemplo, só o fato de os olhos da protagonista mudarem de aparência faz com que ela fique reclusa? Acho um tanto insuficiente para que toda a carga dramática gire em torno dessa pequena peculiaridade. É fato, conduto, que o romance não deixa a desejar e satisfaz o leitor. Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Olá! Confesso que o enredo não despertou tanto assim meu interesse, achei os protagonistas tão novinhos, sei lá, num primeiro momento não rolou aquela conexão que faz crescer a vontade de conhecer mais sobre a história. O final da resenha parece que estava sendo escrito para mim, foi como um sussurro no ouvido (ei não está interessante, mas volta aqui, a história é ideal para você que ama um romance que desperta várias emoções) #medo.

    ResponderExcluir
  8. É muito bom encontrar leituras que nos desperta vários sentimentos; e essa tem uma reflexão muito bonita.
    Doloroso imaginar uma jovem enclausurada, mas é empolgante vê-la despertando e indo atrás dos sonhos, mesmo que para isso precise descobrir verdades não tão boas.

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Eu não conhecia o livro, mas achei a escolha da temática bem interessante, não é algo muito trabalhado ou sobre o qual tenhamos tanto acesso à informação, o que torna tudo muito novo para o leitor. Além disso, a construção das personagens baseada em dramas reais, que cada um de nós pode entender ou até conhecer de perto, deixa a história ainda mais rica, o que é um ponto super positivo dentro do enredo.

    ResponderExcluir
  10. Acho a capa tão delicada e perfeita, uma moça linda, com esse olhar desafiador e diferente, à princípio imaginei ser uma fantasia, mas acho que é na verdade um romance que trata de quebrar preconceitos, superar limites.
    Paola viveu reclusa e agora aos 15 anos busca entender e superar o que à faz tão diferente das outras pessoas, que estigma é esse que permeia a família. Não consigo entender até que ponto Arthur corre riscos, deve ter muitos segredos escondidos nessa história.
    Gostei de saber que a edição está linda, as folhas amarelas que suavizam a leitura, a diagramação, as frases no começo de cada capítulo, isso dá um diferencial no livro, faz ele único.
    Parece ser uma metáfora de como o amor supera tudo, todas as dificuldades podem ser vencidas com amor sincero.

    ResponderExcluir
  11. Oi, Marcela!
    Primeiro... ameeei o quote com que você iniciou a resenha, concordo completamente, a pessoa que ama e expõe sues sentimentos é a mais forte e também muito corajosa!
    Em relação ao livro Despertar, sinceramente não fiquei interessada em acompanhar as aventuras de Arthur e Paola em busca de respostas sobre ela e o porque dela sofrer essa maldição, aliás, falando sobre o casal protagonista, confesso que não curto romance entre adolescentes - Paola tem 14/15 anos, então deduzo que Arthur possui mais ou menos a mesma faixa etária, certo?!...
    Enfim, esse é um livro que eu não leria... Abraços!

    ResponderExcluir
  12. Marcela!
    Nossa! Livros que trazem sentimentos que bem poderiam ser reais e ainda traz toda essa montanha russa de emoções, passando por vários sentimentos, deve ser uma leitura no mínimo interessandrre e instigante.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  13. Oi Marcela.
    Fiquei curiosa para saber qual é o segredo de Paola, para que tivesse que viver reclusa até da própria família.
    Deve ser difícil para uma criança morar longe de seus pais. O sentimento de solidão e de ter um lugar aonde sinta que pertença deve ser muito grande.
    Espero ter a oportunidade de ler esse livro.
    AMEI a capa!
    Beijos

    ResponderExcluir