Resenha - Amigos Para A Vida


Livro: Amigos Para a Vida
Autor: Andrew Norriss
Cortesia: Editora Valentina
Páginas: 208
Ano: 2018
Onde Comprar: Amazon

Francis não tem amigos. Ele sofre bullying porque é diferente. Em casa, vive trancado no sótão, onde tem uma fabulosa coleção de bonecas vestidas com roupas que ele mesmo cria. Adora moda e pediu de aniversário uma máquina de costura.Um certo dia na escola, na hora do intervalo, Francis vai se sentar num banco, no lado mais afastado do pátio, porque prefere a solidão a ser zoado.
Mas nesse dia, sentindo-se triste, ele vê alguém atravessar o gramado na sua direção. É uma menina de mais ou menos a sua idade, embora não a reconheça como aluna da escola. Ela se senta na outra ponta do banco, em silêncio.
Francis fica curioso. E então lhe estende a sua caneca de chá. A menina olha para ele, surpresa e chocada. Afinal, ela é um fantasma, chama-se Jessica, e Francis é a primeira pessoa que consegue vê-la desde que ela morreu.
Entre os dois surgirá uma amizade extraordinária e transformadora.
Amigos Para a Vida é uma delicada história de amizade – e seu poder transformador – entre quatro adolescentes fora dos padrões dominantes, celebra o direito de ser diferente e é leitura obrigatória para todos que combatem o bullying. Um livro divertido, corajoso e genuinamente emocionante.


Francis não é um jovem comum, para inicio ele não possui amigos; vive completamente sozinho, ignorado por todos e alvo de piadinhas de mau gosto e risadinhas de todos que o cercam. Tudo isso acontece por ele ser diferente, ter um gosto diferente, afinal que menino gosta de costurar? Que menino ama moda? E passar as tardes costurando é o que ele mais ama fazer, desde pequeno tem certo fascínio por moda. E um dia que tinha tudo para ser igual os outros, onde ele se senta em um banco bem longe das pessoas, ele terá sua vida mudada de maneira surpreendente.

Conhecer um fantasma não estava em seus planos naquele dia, na verdade Francis nunca imaginou que fantasmas podiam existir. E mesmo que a incredulidade esteja presente momentaneamente, ele acaba por oferecer uma xícara de chá a Jéssica – a fantasma que ele conheceu no intervalo entre suas aulas e que por alguma ironia do destino não o assustou, ele não sentiu aquela vontade absurda de sair correndo; ele fez o oposto para a surpresa não só da fantasma, mas para a minha também.

Jéssica é um fantasma, que por mais ou menos um ano esta vagando por aí sem que ninguém fosse capaz de vê-la; sem entender por que ela não seguiu em frente quando morreu? O certo seria isso, certo? É o que todos fazem quando morre, vão para outro lugar, outro plano, ou seja, lá onde; mas não ficam presos, sem explicações. Mas ela verá um novo significado surgir em sua “vida” ao conhecer Francis, aquele jovem de olhar triste e extremamente solitário (talvez mais solitário que ela) e para sua surpresa ao invés de sair correndo e gritando, ele lhe oferece uma xícara de chá e puxa papo com ela como se toda aquela bizarrice fosse algo simples, que pudesse acontecer com qualquer um. E nessa situação no mínimo estranha e que deveria ser surreal, surge uma amizade que mudará drasticamente não somente esses dois improváveis amigos, como mudará completamente a vida de mais dois jovens fora dos padrões, e talvez essa mudança fosse o empurrão que precisassem para enfim se aceitarem e assim conhecerem o significado da palavra felicidade.

Andi (ou Arma como é chamada pela mãe) e Rolland são dois jovens fora dos padrões ditados pela sociedade do que é aceitável e bonito, do que é bizarro e diferente (afinal o que é diferente não é muito bem aceito, não é mesmo?) e ao conhecerem Francis e a fantasma Jéssica eles virão a perceber que talvez tem mais em comum do que poderiam sequer imaginar. Mas as vezes o que esses jovens tenham em comum, pode ser algo extremamente trágico e de uma realidade difícil de ser ignorada e que por serem tão jovens torna tudo mais doloroso de aguentar.

Com o passar dos dias, esse quarteto percebe que todos já chegaram ao FUNDO DO POÇO e ao menos uma vez pensaram em suicídio, já que para quem sofre bullying é a maneira mais fácil de colocar um ponto final na dor que sentem.


“Mas, aquela altura, é claro, ela já estava no Fundo do Poço, a gentileza das pessoas não significa coisa alguma. Nada mais significava.”


E talvez, terem conhecido Jéssica tenha sido a melhor coisa que aconteceu na vida de Francis, Andi e Rolland. Eles não conseguiriam jamais colocar em palavras o que ela fez por eles, com sua improvável e simples amizade. Afinal, nos momentos mais escuros de nossa vida só precisamos de alguém que nos entenda, que nos ouça para que assim quem sabe, tudo mude. E Jéssica foi essa pessoa, mesmo sendo um fantasma, ela salvou três jovens do Fundo do Poço e trouxe a luz de volta a vida deles que antes era uma escuridão sem fim e com isso aprendemos que devemos aceitar e nos orgulhar do que nos torna tão diferentes.

“- Você não achou que nós três estávamos aqui para ajudar a Jessica? (...) Pois me parece mais é que é ela que está aqui para nos ajudar.”



[ - Minhas Impressões - ]


“Quando o sol brilhava, você mal lembrava as nuvens, mas, quando estava no Fundo, era difícil acreditar que o brilho do sol um dia existira.”

Sabe aquele livro que você olha para uma capa e pensa: nossa esse livro vai ser super fofinho? Pois é, Amigos para a Vida engana direitinho, tudo bem que é um livro fofo (isso eu não nego), mas é uma história com um tema denso, pesado e mega atual. Narrado em terceira pessoa, Andrew Norriss nos apresenta um livro curtinho onde trabalha com maestria o tema bullycídio. Vocês sabem o que é? O porquê diversos jovens cometem tal ato? Já pararam para pensar quantos jovens já não pensaram ao menos uma vez cometer o suicídio? Pois bem, o bullycídio é o termo usado para definir o ato do suicídio provocado por bullying. Agora sejamos sinceros, quantas crianças não só no Brasil como no mundo inteiro não sofre bullying e olha para o responsável e diz: tudo bem, não foi nada demais. Eu estou bem.

Eu já vi e muitas crianças falarem isso, completamente cabisbaixa. Elas fazem isso, porque elas pensam que nada vai mudar. E isso não é o pior. O pior e mais dolorido é ver pais acreditando nisso quando esta tão visível, é perceptível que a criança NÃO está nada bem. Silêncio, reclusão são claros sinais de que algo esta definitivamente errado só que é mais fácil acreditar em palavras do que parar para reparar nos sinais não é mesmo?

Esse tema tão denso e doloroso foi abordado com uma sutileza e uma delicadeza ímpar pelo autor, mas que mesmo assim somos emocionados. Por que temos que ser quase que apedrejados por ser diferentes? Tem alguma lei, alguma coisa que impõe que devemos ser todos iguais? Porque convenhamos, somos diferentes a nossa maneira. O quão errado é uma menino gostar de costurar? O quão errado é uma criança ser gordinha? O quão errado é sermos nós mesmos? Não é, mas por mais que não seja errado somos constantemente julgados.

Essa foi uma leitura magnífica, que quero gritar para o mundo que leia, esse livro é um grito de liberdade para gozarmos do que nos torna diferentes. É uma celebração a toda e qualquer diferença que temos. Uma história ao mesmo tempo deliciosa, divertida e emocionante, Amigos para a Vida é muito mais que um livro; deveria ser uma leitura obrigatória e que é tão grandioso que mudará e marcará nossa vida. O tipo que de livro que quando finalizamos nos encontramos com um rebuliço de emoções dentro de nós. Delicado, poderoso, espirituoso, encantador, devastador e apaixonante são alguns dos milhares de qualidades que eu poderia listar; mas me limito a dizer: esse foi o MELHOR livro que li em toda a minha vida, um livro que mexeu comigo de maneira que nenhum livro mais mexeu e que me fez refletir por horas a fio após ter finalizado a leitura.

Seja sim diferente, comemore sua diferença e nunca, jamais, em hipótese alguma tenha vergonha e medo de mostrar para todos quem és de verdade. E nunca duvide do poder transformador de uma amizade verdadeira, afinal, ela é capaz de não só mudar, como de salvar vidas.

“Por que, pensou Francis, ‘ser diferente’ tinha que ser tão doloroso? Por que era assim tão importante, quando, se refletíssemos bem, todo mudo era diferente de uma maneira ou de outra?”


Inscrições Abertas - Participe !



Categorias:

13 comentários:

  1. O inicio das tuas impressões tiraram as palavras da minha boca, ou melhor, da minha cabeça. Com certeza a capa remete a um livro fofinho mas o que me surpreendeu é que o protagonista da historia é um menino, ainda mais que costura e tem faz amizade com uma fantasma ahahahahahah. O que de cara parecia ser um romancezinho cliche (pelo desenho da capa), mostrou ser realmente uma narrativa pesada pelo tema que abrange. Gostei quando tu falou que ele é mais que uma historia fofa e concordo: "um brinde as diferenças". Toda historia, tanto de livros quanto de filmes, que relatam o drama de quem sofre bullying me tocam de uma maneira, por isso tento ler tudo que posso sobre isso. Sem contar que tu escolheu a dedo os quotes que estão nesse post. Quero muito saber a historia desses dois.

    ResponderExcluir
  2. Mais uma resenha incrível!
    Confesso que estava relutante em relação a esse livro por conta da amizade com um fantasma (achei um tanto sobrenatural). Mas a cada resenha que leio, fica nítido o quanto quero fazer esta leitura.
    É um tema muito necessário, e é bom saber que o autor aborda de uma maneira delicada.
    Acho que é importante falar sobre as diferenças, e o quanto ser diferente é normal. E eu amo livros que falam sobre isso.
    Espero ler em breve.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá, infelizmente o bullying nunca deixa de ser um assunto atual, fato que denota a importância de se atentar para o assunto de modo a reverter esse triste quadro de intolerância com os "diferentes". Enfim, a obra, por meio de personagens extremamente carismáticos, passa sua mensagem da forma mais positiva possível, ainda que reflita exatamente a dor de pessoas em todo mundo que são rechaçadas gratuitamente. Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Olá Byanca!
    Que liivro maravilhoso! Além de abordar um tema tão atual mas pouco divulgado ele faz com que nos identifiquemos com os personagens e nos coloquemos no lugar deles, ou até mesmo nos vemos na mesma situação. Eu super concordo com você que devemos divulga-lo para o mundo. Tenho certeza que essa história fará as pessoas refletirem muito sobre suas atitudes e fazer os pais ficarem mais atentos ao bullying.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi Byanca.
    Não tinha ouvido falar desse livro, mas já o quero para mim.
    Não sabia que existia a palavra bullycídio, mas conhecia o conceito.
    É realmente um tema bastante atual e que precisa ser debatido com mais frequência.
    É um alerta para os pais prestarem mais atenção aos filhos.
    Imagina se todos fôssemos iguais. Seria uma chatice! Temos que aprender a respeitar as diferenças e a celebrá-las também.
    Já vai para a lista de desejados.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Que resenha magnífica!!!
    Como não conhecia o livro, a primeira coisa que estou fazendo é indo colocar ele na estante, para poder comprar depois!
    Amo enredos assim, que tem sua parte fofinha sim, mas que trazem temas fortes e duros de serem lidos, contados não como dores, mas até como poesia, não para abrandar,mas para comover.
    Mais e mais jovens tem ficado perdidos em suas solidões. Encarando medos, problemas e este tal bullyng que assombra cada vez mais.
    E como ajudar? Como saber que alguém está passando por isso?
    Com certeza, quero demais poder conferir este livro, que tem uma capa linda e um enredo maravilhoso.
    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Olá! É tão bom ver cada vez mais livros que trazem o bullying como tema. Engraçado como a prática sempre ocorreu, e não dávamos a devida atenção a esse problema, achamos tudo muito engraçado e normal, quem não tem uma ou outra história para contar nos tempos de escola (há 10, 20, 30, 40 anos atrás) sobre um apelido nada engraçado (eu mesma, tenho algumas), mas como isso evoluiu para algo tão mais feio e perigoso. Trabalho em uma escola com alunos de 11 a 15 anos e já presenciei diversas situações, inclusive de tentativas (infelizmente no plural) de suicídios, e é muito complicado fazer um trabalho de conscientização com eles, trabalhar as diferenças e como ela é importante, afinal o que seria do vermelho se todos gostassem apenas do azul. Quero por demais conferir a história e acrescentar o livro aqui na sala de leitura para que todos possam ter acesso a essa leitura tão tocante.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Byanca!!
    Como uma capa engana também achei que esse era mais um livro bobinho e fofo e o que temos é uma história com um tema atual que e o bullying. E como o bullying causar danos para quem sofre esse tipo de agressão. Achei super interessante a Jéssica um fantasma que torna-se amiga do Francis, Andi e Rolland e com essa amizade acaba salvando esses três de uma possível tragédia.
    Bjos

    ResponderExcluir
  9. Oi, Byanca!
    Livros que falam sobre bullying já me chamam a atenção de cara, infelizmente sofri bullying na escola - da primeira a quinta série do ensino fundamental - e sei bem como é o sentimento, algumas vezes eu dizia a minha família, resolvia por um tempo, mas  depois nas séries seguintes voltava, às vezes eu deixava para lá e tentava suportar... Meu sobrinho de 5 anos também sofreu bullying - pois é, crianças pequenas também podem ser cruéis - o caso dele foi solucionado e logo depois ele foi transferido de escola porque nos mudamos, hoje em dia está tudo ok...

    Mas penso nas pessoas que sofrem bullying e escondem, quantas cometeram bullycidio?!... É algo muito triste e que precisa ser debatido sempre.
    Bom saber que mesmo com um tema denso e dolorido o autor abordou o assunto com sutileza e delicadeza, confesso que prefiro livros escrito dessa forma quando se trata de temas tão pesados...
    Enfim, já estou adicionando a história de Francis, Andi e Rolland na minha lista de leitura, um livro que aborda um tema tão sério, que fala da amizade e do valor de aceitarmos nós mesmo independente de nossas sigularidades é um livro que DEVE ser lido com certeza!
    Abraços, obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
  10. O tema do bullying em si não é algo novo em termos sociais, mas eu ainda acredito que quanto mais falarmos dele, mais esclarecidos seremos e menos possibilidades de atitudes mais drásticas por parte das vítimas haverá. Confesso que o enredo do livro não me pareceu totalmente realista, como acontece com a maioria dos títulos que se debruçam sobre esse assunto, mas eu achei a mensagem ao longo da narrativa tão positiva e tão importante de ser repassada ao máximo de pessoas possíveis que esse fato passaria despercebido na leitura. Com certeza eu me emocionaria e me sentiria tocada pela história, como aconteceu contigo.

    ResponderExcluir
  11. Pra começar que resenha emocionante, quando no final você diz que é o melhor livro eu já estava boquiaberta. Esse é o tipo de livro que transforma as pessoas. Livro sensível tratando de um tema tão pesado,triste e infelizmente corriqueiro atualmente. Também acho que a beleza das pessoas está na singularidade de cada um. Que sem graça seria um mundo de pessoas iguais, seria chato, não somos máquinas.
    Olhando a capa imaginei um livro fofo e adolescente, Mas pela resenha é bem mais profundo ao abordar assunto tão importante.
    Que venham muitos livros assim, que muitas pessoas leiam histórias assim, que certas pessoas maldosas que gostam de tratar mal os outros reflitam e parem de ser más, que percebam como é único e belo ser diferente, ser do jeito que for, ninguém deve sofrer por preconceito e ignorância. Ninguém deve ser destratado por gostar ou não gostar de qualquer coisa. Temos que ser livres.As pessoas tem que entender e amar seus semelhantes, não importa como sejam.
    Gostei demais da resenha, eu entendi que Francis conseguiu "ver" a menina fantasma justamente por ser uma pessoa sensível, e acho que os quatro se aproximaram porque de alguma forma precisavam desse vínculo, e precisavam da ajuda de Jessica pois cada um dos três sofria bullying e unidos ficam fortes e conseguem superar essa dificuldade na fase mais complicada da vida.
    Acredito que é uma leitura para todos.

    ResponderExcluir
  12. Byanca!
    Uma pena em pleno século XXI ainda ter bullying e ainda por cima, causar tanto mal ao ponto da pessoa que o sofre, tentar cometer suicídio por não aguentar as humilhações...
    É um tema forte e doloroso mesmo, mas que devemos discutir o máximo que pudermos, porque as consequencias são inimagináveis.
    Bom ver que a abordagem foi bem feita com delizaeza.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  13. Quando leio resenhas assim só me pergunto como não conhecia esse livro antes. Conseguiu me deixar curiosa e com vontade de lê-lo, adoro livros que aparentam não ser nada demais mas que passam uma mensagem enorme por trás, acredito que livros nesse estilo deveriam ser implementado nas escolas, essa discussão é muito importante.

    ResponderExcluir